Mulheres: poderes herdados, poderes inventados.

Alto sertão da Bahia (1885-1946)

  • Marcos Profeta Ribeiro Universidade do Estado da Bahia (Uneb)

Resumo

Objetiva-se entender, mediante análise de ampla documentação, composta, sobretudo, por correspondências pessoais escritas pela família Spínola Teixeira, as inserções femininas nos mais diversos setores sociais como integradas a um conjunto de ações herdadas, inventadas e reelaboradas a partir do convívio familiar. Pretende-se discutir aspectos relacionados à educação feminina no Alto Sertão baiano tendo como pressuposto o que podemos denominar de “a outra escola feminina”, onde a mãe transmitia às filhas ensinamentos ligados à experiência prática. A análise desses ensinamentos, configurados em improvisações perenes vividas quotidianamente e em parcelas de poderes emanados a partir do espaço doméstico, auxiliam no questionamento de conceitos arraigados no tempo. O recorte temporal adotado neste artigo remete à fixação da família Spínola Teixeira na cidade de Caetité em 1885 e se estende até a morte de Anna Spínola, em 1946.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Professor da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Mestre em História Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e doutorando pela Universidade de São Paulo (USP).

Publicado
2019-06-01
Como Citar
RIBEIRO, Marcos Profeta. Mulheres: poderes herdados, poderes inventados.. Politéia - História e Sociedade, [S.l.], v. 18, n. 1, p. 65-76, jun. 2019. ISSN 2236-8094. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/politeia/article/view/5165>. Acesso em: 06 dez. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/politeia.v18i1.5165.