NARRATIVA DE PRÁTICAS DOCENTES COMO INTELECTUAL NEGRA: INVENÇÕES E RASURAS

  • Iris Verena Oliveira Universidade do Estado da Bahia – Brasil

Resumo

O texto foi organizado como uma narrativa de negociações cotidianas que compõem a minha trajetória como professora negra, atuando no ensino superior, a partir de experiências de formação inicial de graduandos e da formação em exercício de professores da educação básica em movimentos de pesquisa e extensão. Apresento o Grupo de Experiências (GE) como proposta metodológica, ao tempo em que a narrativa institui e rasura o meu lugar de fala como intelectual negra, contaminada pelo processo de construção dos cenários formativos propostos. Traço os caminhos de pesquisa escolhidos, diante do horizonte de possibilidades postos para equipe de pesquisadoras, marcando os esburacamentos nos lugares comumente atribuídos a condição de orientadora, orientanda e professora. O texto apresenta sensações, alegrias e frustrações vivenciadas coletivamente num processo de formação em que, estamos todas na roda, a partir de situações que me tocaram na prática da extensão e da pesquisa acadêmica, pela construção de pontes que ligam universidade, movimentos sociais e escolas quilombolas.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutora em Estudos Étnicos e Africanos, pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professora da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação e Diversidade. Membro do Grupo Pesquisa Formação, Experiência e Linguagens – FEL/CNPq.

Publicado
2019-05-10
Como Citar
VERENA OLIVEIRA, Iris. NARRATIVA DE PRÁTICAS DOCENTES COMO INTELECTUAL NEGRA: INVENÇÕES E RASURAS. Práxis Educacional, [S.l.], v. 15, n. 32, p. 89-114, maio 2019. ISSN 2178-2679. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/5045>. Acesso em: 22 ago. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/praxis.v15i32.5045.