A FORMAÇÃO DOCENTE EM LEOPOLDINA/MG: INTERLOCUÇÕES COM AS REFORMAS DE ENSINO (1906-1918)

Resumo





Este artigo apresenta uma investigação sobre a formação de professores oferecida pelo Ginásio Leopoldinense, situado em Leopoldina/MG, durante o período de 1906 a 1918. Em 1906, esta instituição educacional foi fundada e destacou-se das outras escolas criadas no município, por oferecer muitos níveis de educação: ensino primário, agrícola, secundário, militar e superior em Odontologia e Farmácia. A maioria destes cursos funcionou até meados de 1926, quando esta instituição privada foi municipalizada. Os cursos tiveram um caráter claramente seletivo, tanto no sentido social como no pedagógico e no profissional. Os alunos vieram de classes sociais abastadas, em geral, os filhos de agricultores e profissionais liberais, sendo recrutados desde o ensino primário, preparatório, até os cursos superiores. A partir daí, buscamos evidências que ajudaram na inteligibilidade de como as práticas educativas orientaram o programa de ensino e os atores que construíram esta instituição. Desse modo, a rede de sociabilidade e as carreiras profissionais ajudaram a pensar o programa institucional e sua relação com as políticas locais, estaduais e nacionais. Este, por sua vez, foi analisado do ponto de vista dos autores: Carvalho (2006), Mendonça et al (2015), Bonato (2002; 2009), Nóvoa (2017) e Dubar (1997; 2012), os quais trouxeram contribuições para a análise do Ginásio Leopoldinense, na qual pode-se revelar detalhes da legislação e das reformas educativas, bem como da formação, profissionalização e construção da identidade docente.





DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutora em Ciências Humanas – Educação, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2016); Mestre em Educação pela Universidade Federal de Juiz de Fora. Professora na Universidade do Estado de Minas Gerais – Unidade Ubá; Realiza estágio pós-doutoral no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - PPGEDU/UNIRIO (2018-2019), sob a supervisão da Profa Dra Nailda Marinho da Costa; participa da Pesquisa: Mulheres no ensino superior: trajetórias de lutas e conquistas/ FAPERJ, que integra o Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação Brasileira - NEPHEB/HISTEDBR.

##submission.authorWithAffiliation##

Pós-Doutorado na Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ/PNPD (2014-2015). Doutorado em Educação na área de História e Filosofia da Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2003); Mestrado em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1996); Professora Associada da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro atuando na Graduação e no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - PPGEDU/UNIRIO. Na UNIRIO é líder do Núcleo de Estudos e Pesquisas em História da Educação Brasileira (NEPHEB/Unirio), coordenando o Laboratório para o Ensino de Filosofia e História da Educação (LEFHE). Pesquisadora da FAPERJ do Programa Jovem Cientista do Nosso Estado (2012-2015). É sócia fundadora da Sociedade Brasileira de História da Educação.

Publicado
2020-01-01
Como Citar
DE OLIVEIRA, Paloma Rezende; DA COSTA, Nailda Marinho. A FORMAÇÃO DOCENTE EM LEOPOLDINA/MG: INTERLOCUÇÕES COM AS REFORMAS DE ENSINO (1906-1918). Práxis Educacional, [S.l.], v. 16, n. 38, p. 20-41, jan. 2020. ISSN 2178-2679. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/5986>. Acesso em: 27 fev. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i38.5986.