“UM MANIFESTO À MULHER BRASILEIRA”: GRUPO FEMININO DE ESTUDOS SOCIAIS E ATUAÇÃO DAS MULHERES NA IMPRENSA

Resumo





Analisar a atuação de professoras na imprensa carioca no contexto da Primeira República é o objetivo deste trabalho. Para tanto se fez necessário o entendimento das condições e normas a que as mulheres estavam sujeitas naquele período. A partir da elucidação do papel delegado às mesmas, foi possível perceber que a profissão docente tornou-se um espaço importante de ocupação feminina. Neste sentido, elegeu-se como eixo norteador do estudo o “Manifesto à Mulher Brasileira”, publicado no jornal Voz do Povo, em 1920, pelo Grupo Feminino de Estudos Sociais, com a presença de professoras em sua composição. Entre os conteúdos trazidos no manifesto destacavam-se as discussões sobre a “emancipação feminina”, visando libertar as mulheres das “diversas formas de escravidão” a que estavam submetidas. A fim de problematizar o debate travado, ainda, buscou-se analisar a visibilidade dada aos discursos de professoras nos jornais Correio da Manhã e A Razão. A pesquisa permitiu observar aspectos relevantes da experiência de mulheres tomadas como sujeitos da história daquele momento histórico.





DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutor em Educação, Professor da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) – Ilhéus, Brasil; Departamento de Ciências da Educação (DCIE); membro integrante do Grupo de Pesquisa História Social da Educação – (UFF).

##submission.authorWithAffiliation##

Pós-Doutora em Educação, Professora Titular da Universidade Federal Fluminense (UFF) – Niterói, Brasil; Programa de Pós-Graduação em Educação (PPG-Educação – UFF); Coordenadora do Grupo de Pesquisa História Social da Educação – (UFF).

Publicado
2020-01-01
Como Citar
DA SILVA, Marcelo Gomes; ALVES, Claudia. “UM MANIFESTO À MULHER BRASILEIRA”: GRUPO FEMININO DE ESTUDOS SOCIAIS E ATUAÇÃO DAS MULHERES NA IMPRENSA. Práxis Educacional, [S.l.], v. 16, n. 38, p. 66-87, jan. 2020. ISSN 2178-2679. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/5989>. Acesso em: 27 fev. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i38.5989.