“UM MANIFESTO À MULHER BRASILEIRA”: GRUPO FEMININO DE ESTUDOS SOCIAIS E ATUAÇÃO DAS MULHERES NA IMPRENSA

Resumo





Analisar a atuação de professoras na imprensa carioca no contexto da Primeira República é o objetivo deste trabalho. Para tanto se fez necessário o entendimento das condições e normas a que as mulheres estavam sujeitas naquele período. A partir da elucidação do papel delegado às mesmas, foi possível perceber que a profissão docente tornou-se um espaço importante de ocupação feminina. Neste sentido, elegeu-se como eixo norteador do estudo o “Manifesto à Mulher Brasileira”, publicado no jornal Voz do Povo, em 1920, pelo Grupo Feminino de Estudos Sociais, com a presença de professoras em sua composição. Entre os conteúdos trazidos no manifesto destacavam-se as discussões sobre a “emancipação feminina”, visando libertar as mulheres das “diversas formas de escravidão” a que estavam submetidas. A fim de problematizar o debate travado, ainda, buscou-se analisar a visibilidade dada aos discursos de professoras nos jornais Correio da Manhã e A Razão. A pesquisa permitiu observar aspectos relevantes da experiência de mulheres tomadas como sujeitos da história daquele momento histórico.





DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutor em Educação, Professor da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) – Ilhéus, Brasil; Departamento de Ciências da Educação (DCIE); membro integrante do Grupo de Pesquisa História Social da Educação – (UFF).

##submission.authorWithAffiliation##

Pós-Doutora em Educação, Professora Titular da Universidade Federal Fluminense (UFF) – Niterói, Brasil; Programa de Pós-Graduação em Educação (PPG-Educação – UFF); Coordenadora do Grupo de Pesquisa História Social da Educação – (UFF).

Referências

A RAZÃO. Disponível em: . Acesso em: 19 jan. 2019.

ARAUJO, Rosa Maria Barboza de. A Vocação do Prazer: a cidade e a família no Rio de Janeiro republicano. Rio de Janeiro, Rocco, 1993.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: Artes de Fazer. 22 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

CHALHOUB, Sidney. Trabalho, lar e botequim: o cotidiano dos trabalhadores no Rio de Janeiro da Belle époque. 3.ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2012.

CORREIO DA MANHÃ. Disponível em: . Acesso em: 19 jan. 2019.

FRACCARO, Glaucia Cristina Candian. Os Direitos das Mulheres: Organização Social e Legislação Trabalhista no Entreguerras Brasileiro (1917-1937). Tese de Doutorado em História. Unicamp, 2016.

GARZONI, Lerice de Castro. Arena de combate: gênero e direitos na imprensa diária (Rio de Janeiro, início do século XX). Tese (Doutorado em História Social), UNICAMP, Campinas, 2012.

GINZBURG, Carlo. A micro história e outros ensaios. Lisboa: DIFEL, 1990.

GOMES, Ângela de Castro. A Invenção do Trabalhismo. 3 ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

MACIEL, Laura Antunes. Imprensa, esfera pública e memória operária - Rio de Janeiro (1880-1920). Revista de História. (São Paulo), n. 175, p. 415-448, jul-dez., 2016.

NICOLETE, Jamilly Nicácio; ALMEIDA, Jane Soares de. Professoras e rainhas do lar: o protagonismo feminino na imprensa periódica (1902-1940). Educar em Revista, Curitiba, v.33, n. especial 2. p. 203-220, set. 2017.

SCHUELER, Alessandra Frota Martinez de. Representações da docência na imprensa pedagógica na Corte Imperial (1870-1880): o exemplo da Instrução Pública. Educação e Pesquisa (USP), São Paulo, v. 31, n.3, p. 379-390, 2005.

SODRÉ, Nelson Werneck. História da imprensa no Brasil. Rio de Janeiro: Ed. Mauad, 1999

THOMPSON, Edward Palmer. A Miséria da Teoria ou Um Planetário de Erros. Trad.: Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar Editores. 1981.

THOMPSON, Edward Palmer. As peculiaridades dos ingleses. In: NEGRO, Antônio Luigi; SILVA, Sérgio (orgs.). E.P. Thompson. As peculiaridades dos ingleses e outros artigos. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2001.

VOVELLE, Michel. Ideologias e mentalidades. São Paulo: Brasiliense, 2004.

VOZ DO POVO. Disponível em: . Acesso em: 19 jan. 2019.
Publicado
2020-01-01
Como Citar
DA SILVA, Marcelo Gomes; ALVES, Claudia. “UM MANIFESTO À MULHER BRASILEIRA”: GRUPO FEMININO DE ESTUDOS SOCIAIS E ATUAÇÃO DAS MULHERES NA IMPRENSA. Práxis Educacional, [S.l.], v. 16, n. 38, p. 66-87, jan. 2020. ISSN 2178-2679. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/5989>. Acesso em: 06 jun. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i38.5989.