RELAÇÕES ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA: UMA REFLEXÃO SOBRE O FUTURE-SE

Resumo

Este artigo busca analisar, no contexto do capitalismo contemporâneo, alguns movimentos no âmbito da política educacional do atual governo federal dedicando-se ao recente programa Future-se, destinado à educação superior. Tal análise é realizada a partir da revisão histórica do avanço do capitalismo, especialmente na América Latina, com foco no Brasil. Os eixos do programa são abordados, em especial o que trata das Organizações Sociais, cuja tendência se configura como mecanismo de subsídio público a instituições geridas por organismos privados como uma alternativa de gestão para a educação pública brasileira. No desenvolvimento metodológico, procedemos ao levantamento e à análise de fontes primárias (documentos oficiais, institucionais e relatórios) e secundárias. Nas considerações, apresentamos as consequências para a educação no contexto atual.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutor em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Atua no Centro Universitário Metodista (IPA). Integra o Grupo de Pesquisa Educação e Inclusão no IPA.

##submission.authorWithAffiliation##

Doutor em Educação pela Universidade La Salle (UNILASALLE). Integra o Grupo de Pesquisa Educação e Inclusão no Centro Universitário Metodista (IPA). 

##submission.authorWithAffiliation##

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Docente no Mestrado em ProfEPT no Instituto Federal do Sul-Rio-Grandense (IFSul) e docente no Campus Sapucaia do Sul. Integra o Grupo de Pesquisa Relações entre o Público e o Privado na Educação –GPRPPE na UFRGS. Coordena a pesquisa “Gestão Democrática no IFSul”.

Referências

ADRIÃO. Theresa. Escolas charters nos EUA: contradições de uma tendência proposta para o Brasil e suas implicações para a oferta da Educação pública. Revista Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 28, n. especial, p.263-282, 2014.

AZEVEDO, José Clovis. Reconversão cultural da escola: mercoescola e escola cidadã. Porto Alegre: Editora Universitária Metodista, 2007.

BRASIL. Lei Nº 12.711, DE 29 DE AGOSTO DE 2012. Dispõe sobre o ingresso nas universidades federais de ensino técnico de nível médio e dá outras providencias. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12711.htm. Acesso 2 agosto 2019.


CARVALHO, Laura. Valsa brasileira: do boom ao caos econômico. 1 ed. São Paulo: Todavia, 2018.

CASTELO, Rodrigo. O social-liberalismo: auge e crise da supremacia burguesa na era liberal. 2 ed. São Paulo: Expressão Popular, 2013.

CHOMSKY, Noam. Quem manda no mundo? 1 ed. São Paulo: Planeta, 2002a.

CHOMSKY, Noam. Réquiem para o sonho americano: os 10 princípios de concentração de riqueza & poder. 1 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002b.

CHOMSKY, Noam. Sistemas de poder: conversas sobre as revoltas democráticas globais e os novos desafios do Império americano. 1 ed. Rio de Janeiro: Apicuri.

FAORO, Raymundo. Os donos do poder. Porto Alegre: Globo, 1958.

FRIGOTTO, Gaudêncio. Educação e a crise do capitalismo real. 6 ed. São Paulo: Cortez, 2010.

GOHN, Maria da Glória. Educação não formal e o educador social: atuação no desenvolvimento de projetos sociais. São Paulo: Cortez, 2010.

HARVEY, David. Condição pós-moderna. 24 ed. São Paulo: Loyola, 2013.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 15 ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1982.

KUENZER, Acácia Zeneida. Dilemas da formação de professores para o Ensino Médio no século XXI. In:. AZEVEDO, José Clovis; REIS, Jonas Tarcísio (Org.). O ensino médio e os desafios da experiência: movimentos da prática. 1 ed. São Paulo: Moderna/Santillana, 2014.

LEHER. Roberto. Análise preliminar do Future-se indica a refuncionalização das universidades e Institutos Federais. Disponível em https://avaliacaoeducacional.files.wordpress.com/2019/07/sobre-o-future-se-notas-prelim-rleher-24-07pdf.pdf . Acesso em 25 jul de 2019.

MEDEIROS. Rogério de Souza; MACHADO. Nínive Fonseca. O novo marco regulatório das organizações da sociedade civil e uma nova agenda de pesquisa sobre as relações entre órgãos de controle, as organizações da sociedade civil e os gestores públicos. Revista de Ciências Sociais, n. 46, Janeiro/Junho de 2017, p. 23-47.

MÉSZÁROS, István. Educação para além do capital. 2 ed. São Paulo: Boitempo, 2008.

MÉSZÁROS, István. O poder da ideologia. São Paulo: Boitempo, 2004.

PRADO Jr., Caio. Formação do Brasil contemporâneo. 1 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

QUIJANO, Aníbal. La crisis del horizonte de sentido colonial/modeno/eurocentrado. Revista Casa de Las Américas. Nos. 259-260. abril/septembre. p. 04-15.

RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

RIBEIRO, Darcy. Teoria geral do Brasil. 2 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1975

RIO GRANDE DO SUL. Governador recebe Jonathan Hage, criador das charters schools nos EUA. Disponível em: https://www.estado.rs.gov.br/governador-recebe-jonathan-hage-criador-das-charters-schools-nos-eua Acesso em 21/05/2019.

SAVIANI, Demerval. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação. p. 152-165. v. 12 n. 34 jan/abr. 2007.

SOUZA, Jessé. A classe média no espelho: suas histórias, seus sonhos e ilusões, sua realidade. Rio de Janeiro: estação Brasil, 2018.

SOUZA, Jessé. A elite do atraso: da escravidão a Lava Jato. Rio de Janeiro: Leya, 2017.

WALLERSTEIN, Immanuel. Após o liberalismo: em busca da reconstrução do mundo. Petrópolis: Vozes, 2002b.

SOUZA, Jessé. O fim do mundo como o concebemos: ciência social para o século XXI. Rio de Janeiro: Revan, 2002a.
Publicado
2020-01-01
Como Citar
REIS, Jonas Tarcísio; GONZAGA, Jorge Luiz Ayres; CAETANO, Maria Raquel. RELAÇÕES ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA: UMA REFLEXÃO SOBRE O FUTURE-SE. Práxis Educacional, [S.l.], v. 16, n. 38, p. 283-305, jan. 2020. ISSN 2178-2679. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/6009>. Acesso em: 06 jun. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i38.6009.