PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL: CRISES, RUPTURAS E TRANSIÇÕES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i42.6293

Palavras-chave:

Desenvolvimento humano, Teoria Histórico-Cultural, Intervenção pedagógica

Resumo

Embora o processo de desenvolvimento humano seja, normalmente, entendido como algo progressivo e harmonioso, autores da Teoria Histórico-Cultural, como Vigotski, Leontiev e Elkonin, apresentam o desenvolvimento infantil como um processo dialético em que as mudanças e transições são feitas revolucionariamente (idades com crises e idades estáveis). Assim, o desenvolvimento é evidenciado em momentos de transição, com a presença de saltos qualitativos, rupturas, crises, que muitas vezes são compreendidos, de forma equivocada, como sintomas negativos. Uma educação cuja finalidade é a promoção do desenvolvimento, necessita conhecer como ocorre esse processo. Neste sentido, este artigo resulta de uma pesquisa bibliográfica que teve por objetivo compreender esses momentos de transição, com a finalidade de poder atuar pedagogicamente nas crises, de modo que esses momentos sejam favoráveis ao desenvolvimento e não limitadores dele. Concluímos que a condução racional do processo de transição no ambiente escolar requer intervenção pedagógica organizada e assistida pelos adultos envolvidos (professores, pedagogos e familiares).

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marta Sueli de Faria Sforni, Universidade Estadual de Maringá – Brasil

Pós-doutorado em Educação pela Universidade de Campinas (Unicamp); Doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (USP); Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá-UEM-PR; Participante do Grupo de Pesquisa sobre Atividade Pedagógica na Faculdade de Educação da USP (GEPAPe-USP) e Lider do Grupo de Pesquisa sobre Atividade de Ensino na Universidade Estadual de Maringá (GEPAEUEM).

Ágatha Marine Pontes Marega, Universidade de São Paulo – Brasil

Doutorado em Educação (em andamento) na Universidade do Estado de São Paulo (USP); Professora pela Secretaria de Educação do Estado do Paraná-Brasil; Participante Grupo de Pesquisa: Educação, Sociedade e Políticas Públicas: concepções da teoria histórico-cultural.

Referências

ASBAHR, F. S. F. A pesquisa sobre a atividade pedagógica: contribuições da teoria da atividade. Revista Brasileira de Educação, v. 29, 108-118, 2005. Disponível em: Disponível: <http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n29/n29a09.pdf> Acesso em: 21 mai. 2019.

BERNARDES, M. E. M. Mediações simbólicas na atividade pedagógica: contribuições da Teoria Histórico-Cultural para o Ensino e a Aprendizagem. Curitiba: CRV, 2012.

ELKONIN, D. B. Psicologia do jogo. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

ELKONIN, D. B. Sobre el problema de la periodización del desarrollo psíquico en la infancia. In. V. DAVIDOV; M. SHUARE (Orgs.), La psicologia evolutiva y pedagógica en la URSS URSS: Editorial Progreso, 1987. p. 104-124.

ELKONIN, D. B. Característica general del desarrollo psíquico de los niños. In: A. A. SMIRNOV, A. N. LEONTIEV, S. L. RUBINSHTEIN; B. M. TIEPLOV (Orgs.), Psicología. México: Grijalbo, p. 1969. p. 493-503.

MAREGA, A. M. P.; SFORNI, M. S. de F. A criança de seis anos na escola: é hora de brincar ou de estudar? Revista Contrapontos. v. 11, n. 2, p. 143-151, 2011. Disponível em: <https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/rc/article/view/2751/1914>. Acesso em: 28 jul. 2015.

MAREGA, A. M. P. A criança de seis anos na escola: transição da atividade lúdica para a atividade de estudo. 2010. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2010.

MARTINS, L. M.; ABRANTES, A. A.; FACCI, M. G. D. (Orgs.). Periodização histórico-cultural do desenvolvimento psíquico: do nascimento à velhice. Campinas, SP: Autores Associados, 2016.

MARTINS, L. M.. Desenvolvimento do pensamento e educação escolar: etapas de formação de conceitos à luz de Leontiev e Vigotski. Fórum linguistic, Florianópolis, v. 13, n. 4, p. 1572-1586, 2016. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/forum/article/view/1984-8412.2016v13n4p1572>. Acesso em: 15 dez. 2019.

MARTINS, L. M. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar: contribuições à luz da psicologia histórico-cultural e da pedagogia histórico-crítica. Campinas: Autores Associados, 2013.

MOURA, M. O. (Org.). A atividade pedagógica na teoria histórico-cultural. Brasília, DF: Liber, 2010.

PALANGANA, I. C; GALUCH, M. T. B; SFORNI, M. S. F. Acerca da relação entre ensino, aprendizagem e desenvolvimento. Revista Portuguesa de Educação, v. 15, n. 1, p. 111-128, 2002. Disponível em: <https://core.ac.uk/download/pdf/25652787.pdf>. Acesso em: 27 nov. 2018.

PASQUALINI, J. C. A perspectiva histórico-dialética da periodização do desenvolvimento infantil. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 14, n. 1, p. 31-40, 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/pe/v14n1/a05v14n1.pdf>. Acesso em: 16 jun. 2019.

SFORNI, M. S. F. Aprendizagem conceitual e organização do ensino: contribuições da teoria da atividade. Araraquara: JM Editora, 2004.

LEONTIEV, A.. O desenvolvimento do psiquismo. 2. ed. São Paulo: Centauro, 2004.

LEONTIEV, A. N. Uma contribuição à teoria do desenvolvimento da psique infantil. In: LEONTIEV, A. N.; VYGOTSKY, L. S.; LURIA, A. R. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 1994, p. 59-84.

OBOUKHOVA, L. A teoria de Vigotski: o novo paradigma na investigação do desenvolvimento infantil. I Conferência Internacional: o enfoque histórico cultural em questão. Anais...Santo André: SP, 2006, p. 16-25.

TOLSTIJ, A. El hombre y la edad. Moscou: Editorial Progresso, 1989.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

VYGOTSKI, L. S. Obras Escogidas. 1. ed. Madrid: Visor. Tomo 4, 1996.

Downloads

Publicado

2020-10-01

Como Citar

Sforni, M. S. de F., & Marega, Ágatha M. P. (2020). PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL: CRISES, RUPTURAS E TRANSIÇÕES. Práxis Educacional, 16(42), 406-422. https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i42.6293