CORPOREIDADE NA EDUCAÇÃO DO CAMPO: SABERES DA PRÁTICA DOCENTE NO CONTEXTO AMAZÔNICO

Resumo

Este estudo teve como objetivo investigar a prática docente de professoras que atuam na Educação do Campo na região Amazônica sob a perspectiva da corporeidade. A pesquisa constituiu-se de estudo bibliográfico e de campo. Sobre a pesquisa de campo, a fala das professoras foi o elemento base da análise, a escuta foi realizada sob o aporte da Técnica de Elaboração e Análise de Unidades de Significado, desenvolvida por Moreira, Simões e Porto (2005). A entrevista foi aplicada para oito professoras que trabalham com ensino fundamental menor em uma escola pública do município de Santarém, localizada no território rural ribeirinho. Das professoras pesquisadas, sete possuem mais de dez anos de experiência docente e apenas uma estava iniciando a carreira como professora. A conclusão do estudo mostrou que evidencia-se em muitos elementos do cotidiano escolar a manifestação da corporeidade na prática docente da maioria das professoras investigadas.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografias do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Mestra em Educação (UFOPA); Professora de filosofia na Secretaria Estadual de Educação do Estado do Pará – Brasil; É integrante do Grupo de Pesquisa Cognições e Práticas Formativas Educacionais em Espaços Escolares e Não-Escolares/UFOPA.

 

 
##submission.authorWithAffiliation##

Pós-doutor em Desporto pela Faculdade de Desporto da Universidade do Porto/Portugal; Doutorado em Educação pela Universidade Nove de Julho; Professor efetivo da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), na categoria Adjunto IV; Professor no Programa de Pós-Graduação em Educação - UFOPA; É integrante do Grupo de Pesquisa Cognições e Práticas Formativas Educacionais em Espaços Escolares e Não-Escolares/UFOPA

Publicado
2020-07-01
Como Citar
RODRIGUES, Rosenilma Branco; COUTO, Hergos Ritor Fróes de. CORPOREIDADE NA EDUCAÇÃO DO CAMPO: SABERES DA PRÁTICA DOCENTE NO CONTEXTO AMAZÔNICO. Práxis Educacional, [S.l.], v. 16, n. 40, p. 436-456, jul. 2020. ISSN 2178-2679. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/6554>. Acesso em: 10 ago. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i40.6554.