OS REFORMADORES DA INSTRUÇÃO PÚBLICA MINEIRA NOS PRIMÓRIDOS DA REPÚBLICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i42.6570

Palavras-chave:

Educação profissional, Cultura política, Reformadores da instrução pública

Resumo

Este texto propõe discutir, de maneira geral, as questões que se situam no âmbito temático das políticas para educação, ocorridas nas primeiras décadas da República. De maneira específica, o objetivo é o de conhecer os reformadores da instrução pública mineira que atuaram no período de 1891 e 1910. Para isso, tomamos como fontes as mensagens presidenciais enviadas ao Congresso Legislativo; os anais das Câmaras de Deputados e Senado e as leis e os decretos do período. Por meio de tal corpus documental, realizamos um estudo prosopográfico que nos possibilitou um conhecimento coletivo de um grupo de sujeitos que foram imbuídos de poderes para reformar a instrução pública. Em tal estudo, privilegiamos algumas categorias que nos ajudaram no conhecimento das origens dos reformadores e nas suas trajetórias formativo-profissional, tais como: laços de parentesco, naturalidade, aspectos geracionais, trajetórias formativas escolares e profissionalização. Trata-se de uma abordagem situada no campo da história política e social, em torno do lugar e das ações do político, bem como, da compreensão da existência de vetores sociais que condicionam a produção de uma cultura política. Na análise vimos a eclosão da formação de uma comunidade política republicana, constituída por sujeitos denominados de reformadores que, a partir da formação ao longo das trajetórias históricas, viria a utilizar-se de ferramentas retóricas específicas para a construção de argumentos em prol das medidas e dos projetos de reforma da instrução e, por conseguinte, da sociedade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raphael Ribeiro Machado, Universidade Federal de Ouro Preto - Brasil

Doutorando em Educação - (2019-2023), Universidade Federal de Ouro Preto-UFOP; Programa de Pós-Graduação em Educação-PPGE, Membro do GERAES-Grupo de História e Historiografia da Educação da UFOP. Bolsista de doutorado em Educação – CAPES.

Irlen Antônio Gonçalves, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais– Brasil

Doutor em Educação, pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); Professor do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG) Pesquisador e Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação Tecnológica (PPGET); Líder do Grupo de estudos e pesquisas em história e historiografia da educação profissional – GEPHHEP.

Referências

ANDRADE, Mariza Guerra de. A educação exilada – o Colégio Caraça. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

BARATA, Carlos Eduardo de Almeida. Manifesto Republicano de 1870. Disponível em: <http://www.cbg.org.br/wp-content/uploads/2012/07/manifesto-republicano.pdf>. Acesso em: 03/02/2019.

BERSTEIN, Serge. A cultura política. In: RIOUX, Jean-Pierre; SIRINELLI, Jean-François (org.). Para uma história cultural. Lisboa: Estampa, 1998, p. 349-363.

GONÇALVES, Irlen Antônio. Cultura Escolar: prática e produção dos grupos escolares em Minas Gerais (1891-1918). Belo Horizonte: Autêntica/FCH-FUMEC, 2006.

HORTA, Cid Rebelo. Famílias governamentais de Minas Gerais. In: UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Segundo Seminário de Estudos Mineiros: conferências pronunciadas. Belo Horizonte: UFMG, 22 a 27 de outubro de 1956. 1986. p. 43-91.

MACHADO, Raphael Ribeiro. A construção de uma cultura política republicana em Minas Gerais nos discursos das reformas da educação pública nas primeiras décadas da República (1891-1910). Dissertação (Mestrado em Educação Tecnológica). CEFET-MG. Belo Horizonte, 2013.

MINAS GERAIS. Anais da Câmara dos Deputados. 1891-1910. Imprensa Oficial: Belo Horizonte. Disponível em: <http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/>. Acesso em: 22/05/2019

MINAS GERAIS. Anais do Senado. 1892-1910. Imprensa Oficial: Belo Horizonte. 1988. Disponível em: <http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/>. Acesso em: 22/05/2019

MINAS GERAIS. Decreto n. 1947 30 de setembro de 1906.Collecção das leis e decretos do Estado de Minas Geraes. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1906.

MINAS GERAIS. Lei n. 439, 28 de setembro de 1906.Collecção das leis e decretos do Estado de Minas Geraes. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1906.

MINAS GERAIS. Lei n° 41, 3 de agosto de 1892.Collecção das leis e decretos do Estado de Minas Geraes. Minas Gerais, Ouro Preto: Imprensa Oficial, 1892.

MINAS GERAIS. Lei nº 203, 18 de setembro de 1896.Collecção das leis e decretos do Estado de Minas Geraes. Ouro Preto: Imprensa Oficial, 1896.

MINAS GERAIS. Lei nº 444, 03 de outubro 1906. Collecção das leis e decretos do Estado de Minas Geraes. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1906.

MONTEIRO, Norma de Góes. Dicionário Biográfico de Minas Gerais: período republicano 1889/1991.Belo Horizonte: Assembleia Legislativa de Minas Gerais. volume 1 e 2. (1994).

PAULILO, André Luiz. Reforma Educacional e Sistema Público de Ensino na década de 1920 (tensões, cesuras e conflitos em torno da educação popular). Dissertação (Mestrado em Educação). FE-USP. São Paulo 2001.

RESENDE, Maria Efigênia Lage. Formação da estrutura de dominação em Minas Gerais: o novo PRM (1889-1906). Belo Horizonte, UFMG/PROED, 1982.

ROSANVALLON, Pierre. Por uma História Conceitual do Político. Revista Brasileira de História. v.15, n°30. p.09-22, 1995.

SCHWARCZ, Lília Moritz. As Barbas do Imperador. D. Pedro II, um monarca nos trópicos. São Paulo: Companhia das Letras,2007.

SIRINELLI, Jean-François. Histoire desdroites, t. 2, Cultures, Paris, Gallimsrd, 1992.

SIRINELLI, Jean-François. Os intelectuais. In: REMOND, R. (Org.). Por uma história política. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2003.

SOUZA, Carlos Eduardo Dias. A educação como prática política: formação e renovação de repertórios pedagógicos no Segundo Reinado. Tese (Doutorado em Sociologia). FFLCH-USP, São Paulo, 2015.

STONE, Lawrence. Prosopografia. Curitiba, Revista de Sociologia e Política, v. 19, n. 39, jun. 2011.

VIEIRA, Carlos Eduardo. Intelectuais e Educação. Belo Horizonte, Pensar a Educação em Revista, 1, 1, 3-21, abr/jun 2015. Disponível em: http://pensaraeducacaoemrevista.com.br/.

VISCARDI, Cláudia Maria Ribeiro. Elites políticas em Minas Gerais na Primeira República. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, vol. 8, n° 15, 1995, p.39-56.

WIRTH, John D. O fiel da balança: Minas Gerais na Federação Brasileira (1889-1937). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

Downloads

Publicado

2020-10-01

Como Citar

Machado, R. R., & Gonçalves, I. A. (2020). OS REFORMADORES DA INSTRUÇÃO PÚBLICA MINEIRA NOS PRIMÓRIDOS DA REPÚBLICA. Práxis Educacional, 16(42), 508-534. https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i42.6570