FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO DAS RELAÇÕES ÉTNICO RACIAIS: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE PUBLICAÇÕES CIENTÍFICAS NO PARÁ (INDÍGENA) E NA BAHIA (AFRODESCENDENTE)

Resumo

O presente estudo tem como tema a formação de professores para o ensino das relações étnico-raciais. A pesquisa foi motivada pela intenção de comparar a produção científica sobre o tema em duas regiões diferentes geográfica e etnicamente, sendo uma predominantemente indígena e, a outra, afrodescendente, na perspectiva de desvelar o que publicações acadêmicas dessas regiões examinam e sugerem sobre a formação de professores no campo das relações étnico-raciais. A questão norteadora foi: o que revistas acadêmicas de educação na área de formação de professores para as relações étnico-raciais publicam em regiões de presença predominantemente de afrodescendentes e o que publicam em regiões predominantemente indígenas. O que são examinados e sugeridos para essa formação? Escolheu-se as regiões de Santarém-PÁ e Vitória da Conquista-BA por reunirem grande número de grupos étnicos indígenas e quilombolas, respectivamente, e revistas acadêmicas na área da educação em universidades locais (Exitus – UFOPA e Práxis Educacional – UESB). Trata-se de uma pesquisa de exploração bibliográfica cujo levantamento dos dados consistiu na busca das produções científicas nas revistas no período entre 2011 a 2020 centrados nos marcadores “formação de professores” e “relações étnico-raciais”. Inferimos que predominantemente as produções encontradas abordam a adequação curricular para o ensino das relações étnico-raciais para a implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais à luz da Lei nº10.639/03, nenhuma sugere técnicas ou métodos para a formação e todas produções abordavam afrodescendentes.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutor em Educação, professor adjunto nos programas de graduação e pós-graduação em Educação
da Universidade Federal do Oeste do Pará e do Programa de Pós-graduação em Educação Escolar
Indígena em rede entre UEPA-UFOPA-UFPA-UNIFESSPA. Coordenador do Grupo de Pesquisa e
Estudos em “Indigenismo, sociedades e Educação na Amazônia – ISSEAM. 


 

Referências

AMARANTE, Karolina C.; RODRIGES, Gilberto. C. L. Cadernos de Campo. Santarém-PA: UFOPA, 2020.
ARAUJO, Débora Cristina de; DANTAS, Luís Thiago Freire. CURRÍCULO DES-OCULTO: outras vozes, outras epistemologias. Revista Exitus, Santarém/PA, Vol. 9, N° 4, p. 147 - 175, Out/Dez 2019. Disponível em: , acessado em 25 de março de 2020.
BRASIL, Ministério da Educação (MEC). Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino da História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília: MEC, 2004.
BRASIL, Ministério da Educação (MEC). Orientações e Ações para a Educação das Relações Étnico-Raciais. Brasília: SECAD, 2006, p. 31-74.
BRASIL. Lei N. 10.639 de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei N. 9.394/1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-brasileira”, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 9 jan. 2003. Disponível em: . Acesso em: 07 abril de 2020
BRASIL. Lei N. 11.645, de 10 de março de 2008.Altera a Lei N. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei N. 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”.Disponível em: . Acesso em: 07 de abril de 2020.
BRASIL. Ministério da Educação. Resolução nº 2, de 1º de julho de 2015. Brasília: MEC. 2015. Disponível em:. Acesso em: 02 abr 2020.
CARDOSO, Ivanilda Amado; CASTRO, Rosane Michelli de. A ausência/presença das relações étnico-raciais nos currículos dos cursos de pedagogia: o caso da Unesp/Marília. Práxis Educacional, [S.l.], v. 11, n. 18, p. 91-115, nov. 2014. ISSN 2178-2679. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2020
CARDOSO, Zilmar Santos. As políticas de ações afirmativas para a população negra: a Lei 10639/03 e seus dispositivos legais. Práxis Educacional, [S.l.], v. 13, n. 24, p. 284-308, nov. 2016. ISSN 2178-2679. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2020. doi: https://doi.org/10.22481/praxis.v13i24.942.
COELHO, Wilma de Nazaré Baía; DE BRITO, Nicelma Josenila Costa. Dez anos da lei n. 10.639/2003 e a formação de professores e relações raciais em artigos (2003/2013): um tema em discussão. Práxis Educacional, [S.l.], v. 16, n. 39, p. 19-42, abr. 2020. ISSN 2178-2679. Disponível em: . Acesso em: 03 maio 2020. doi: https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i39.6358.
GOMES, Nilma Lino. Relações Étnico-Raciais, Educação e Descolonização dos Currículos. Currículo sem Fronteiras, v.12, n.1, pp. 98-109, Jan/Abr 2012. Disponível em:< http://www.curriculosemfronteiras.org/vol12iss1articles/gomes.pdf> Acesso em: 08 de maio de 2020.
LOBO, Dalva de Souza; VILLARTA-NEDER, Marco Antonio; FERREIRA, Helena Maria. Entre omissão e preconceito racial: discurso-acontecimento. Revista Exitus, Santarém/PA, Vol. 9, N° 4, p. 176 - 203, Out/Dez 2019. Disponivel em: , acessado em 20 de março de 2020.
MARTINS, L. M.; DUARTE, N. (org.). Formação de professores: limites contemporâneos e alternativas necessárias (online). São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010
MELGAÇO, Paulo Henrique Maia; BRITO, José Eustáquio de; SILVA, Santuza Amorim da. Educação das relações étnico-raciais: reflexões sobre uma formação continuada na perspectiva de docentes. Práxis Educacional, [S.l.], v. 16, n. 39, p. 43-71, abr. 2020. ISSN 2178-2679. Disponível em: . Acesso em: 03 maio 2020. doi: https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i39.6359.
MUNANGA, Kabengele. Algumas considerações sobre “raça”, ação afirmativa e identidade negra no Brasil: fundamentos antropológicos. REVISTA USP, São Paulo, n.68, p. 46-57, dezembro/fevereiro 2005-2006. Disponível em: . Acesso em: 30 de maio de 2020.
OLIVEIRA, Iris Verena. “HISTÓRIA PRA NINAR GENTE GRANDE” 1: currículo e formação de professores quilombolas. Revista Exitus, Santarém/PA, Vol. 10, N° 1, p. 1- 30, Edição Especial, 2020. Disponível em:< http://dx.doi.org/10.24065/2237-9460.2020v10n0ID1139>, acessado em 20 de abril de 2020.
REGIS, K. E.; NERIS, C. S. C.; RODRIGUES, S. J. Dias. O global e o local na construção de uma educação emancipatória para o ensino da história e cultura africana e afro-brasileira. Práxis Educacional, [S.l.], v. 16, n. 39, p. 91-114, abr. 2020. ISSN 2178-2679. Disponível em: . Acesso em: 03 maio 2020. doi: https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i39.6361.
SAVIANI, Dermeval. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista brasileira de educação, v. 14, n. 40, p. 143-155, 2009. Disponível em: < https://doi.org/10.1590/S1413-24782009000100012 > Acesso em: 05 de maio de 2020, às 23:21
SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica, quadragésimo ano: novas aproximações. Campinas, SP: Autores associados, 2019.
SOUZA, Maicelma Maia; CASTRO Nilma Margarida; MOREIRA, Nubia Regina. Limitações da formação docente evidenciadas na prática pedagógica: trato com o tema das relações Étnico-Raciais. Práxis Educacional, [S.l.], v. 12, n. 21, p. 339-363, out. 2015. ISSN 2178-2679. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2020.
Publicado
2020-07-01
Como Citar
DO AMARANTE, Karolina Carvalho; RODRIGUES, Gilberto César Lopes. FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO DAS RELAÇÕES ÉTNICO RACIAIS: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE PUBLICAÇÕES CIENTÍFICAS NO PARÁ (INDÍGENA) E NA BAHIA (AFRODESCENDENTE). Práxis Educacional, [S.l.], v. 16, n. 40, p. 258-274, jul. 2020. ISSN 2178-2679. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/6835>. Acesso em: 10 ago. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i40.6835.