FORMAÇÃO DOCENTE E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE INCLUSÃO DO ESTUDANTE JOVEM COM DEFICIÊNCIA EM INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i42.7339

Palavras-chave:

Ensino Superior, Jovem, Formação Docente, Educação Inclusiva, Práticas Pedagógicas

Resumo

O presente texto é resultado de uma pesquisa de campo que objetivou compreender como ocorre a formação docente e a prática pedagógica no processo de inclusão do estudante jovem com deficiência nas instituições de ensino superior do município de Barreiras-BA. A abordagem metodológica é qualitativa e o estudo de natureza descritiva-exploratória, do tipo Estudo de Caso. A coleta de informações foi realizada por meio de entrevista semiestruturada com os docentes e estudantes; na sequência foi realizada a análise de conteúdo baseada em Bardin (2011). A trajetória deste estudo teve como base os teóricos, Loss (2018), (2007), Moreira (2014), Rocha e Miranda (2009), Doutor (2016), Anastasiou e Pimenta (2014), dentre outros. Com esta análise foi possível verificar que a falta de conhecimento dos docentes sobre a concepção de inclusão educacional, é devido ao seu percurso formativo e que isso interfere nos modos do fazer pedagógico inclusivo, o que é referido pelos jovens estudantes. Do mesmo modo, o estudo aponta que os docentes atribuem possibilidades para que suas experiências sejam capazes de suscitar novas perspectivas acerca de uma ação transformadora, das potencialidades pessoais e sociais dos estudantes com deficiência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Lessa Santos Costa, Universidade do Estado da Bahia - Brasil

Doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professora da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) – Salvador – BA Brasil – Programas de Pós Graduação Stricto Sensu ligado ao Departamento de Educação. GESTEC E MPEJA – DEDC – Campus I.

Nara Deoclecia Soares Modica, Universidade do Estado da Bahia - Brasil

Mestre da Universidade do Estado da Bahia – Salvador – BA Brasil. Programa de Pós Graduação Stricto Sensu GESTEC da Universidade do Estado da Bahia ligado ao Departamento de Educação – DEDC – Campus I. Grupo de Pesquisa: INTERGESTO.

Carla Liane Nascimento dos Santos, Universidade do Estado da Bahia – Brasil

Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professora Titular da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Professora Permanente do Programa de Mestrado Profissional Gestão e Tecnologia Aplicadas à Educação (Gestec) e do Mestrado Profissional em Educação de Jovens e Adultos (MPEJA), ambos na UNEB. Líder do Grupo de Pesquisa Interculturalidades. Gestão da Educação e Trabalho (INTERGESTO).

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação inclusiva, 2008

BRASIL. Estatuto da juventude. Brasília: Senado Federal. Coordenação de Edições Técnicas, 2013.

CALHEIROS; D.S.; Fumes, N.L.F. Experiências e saberes de professores universitários em relação à inclusão de alunos com deficiência na educação superior. Revista da FAEEBA: Educação e Contemporaneidade, v.25, n.46, p.239-255, 2016.

CORREIA, G. B. Deficiência conhecimento e aprendizagem. Uma análise relativa à produção acadêmica sobre Educação Especial e currículo. Dissertação (mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.

Declaração Universal dos Direitos Humanos. UNIC / Rio / 005 - Dezembro 2000.

DOUTOR, C. Um olhar sociológico sobre os conceitos de juventude e de práticas culturais: perspectivas e reflexões. Última década, 45. Valparaíso: Ediciones CIDPA, 2016.

ESPANHA, MINISTERIO DE EDUCACIÓN Y CIENCIA ESPAÑA – Organización de las Naciones Unidas para la Educación, la Ciencia y la Cultura. Conferencia Mundial sobre Necesidades Educativas Especiales: Acceso y calidad. España: Salamanca, 1994. 49 p.

FELDMAN, Marian Graziela; HAGE, Maria do Socorro; PEREIRA, Ana Lúcia Nunes. As práticas pedagógicas e a formação docente: um elo a ser estreitado. Curitiba. CRV, 2015.

FERNANDES, C. M. B. Formação do professor universitário: tarefa de quem? In: MASETTO, M. (Org.). Docência Universitária. Campinas, Papirus, 1998, p. 95-112.

FRANCO, Maria Amélia do Rosário Santoro. Pedagogia e prática docente. 1 ed. São Paulo: Cortez, 2012.

GARCIA, C M. Formação de professores: para uma mudança educativa. Trad. Isabel Nascisa. Porto, Portugal: Porto Editora, 1999.

LOSS Adriana Salete, VAIN Daniel Pablo. Ensino Superior e inclusão: palavras pesquisas e reflexões entre movimentos internacionais. 1 ed.- Curitiba PR: CRV, 2018. 480p. (Coleção Ensino superior e inclusão, v.2)

MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

PIMENTA Garrido, Selma. ANASTASIOU, Camargo das Graças Léa. Docência no ensino superior. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2014.

REGIANI e MÓL, 2013 Revista educacional. PUC-Camp.Campinas,set./dez., 2017 p.130.

ROCHA e MIRANDA, 2006 Revista on line de Política e Gestão Educacional, v.21, n.1, p. 146-166, 2017.

RODRIGUES, David. Revista da Educação Especial. Brasília, v. 4, n. 2, p. 8-16, jul./out. 2008.

UNICEF. Children and Young people with disabilities. Disponível em: https://www.unicef.org/disabilities/files/Factsheet_A5__Web_REVISED.pdf. Acesso em 22 de fevereiro de 2020.

Downloads

Publicado

2020-10-01

Como Citar

Costa, P. L. S., Modica, N. D. S., & dos Santos, C. L. N. (2020). FORMAÇÃO DOCENTE E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO PROCESSO DE INCLUSÃO DO ESTUDANTE JOVEM COM DEFICIÊNCIA EM INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR. Práxis Educacional, 16(42), 115-134. https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i42.7339