A democratização da universidade brasileira por meio das cotas

  • Penildon Silva Filho

Resumo

 A democratização do acesso à Educação Superior por meio de cotas, enquanto expressão de ação afirmativa, é analisada no artigo com uma pesquisa survey que avalia o grau de correlação entre o sucesso no vestibular da Universidade Federal da Bahia de 12.364 alunos e as variáveis de escola de origem, renda, cor de pele e se os candidatos ao vestibular trabalhavam ou não. Os resultados reforçam a necessidade de se adotar ações afirmativaspara o ingresso nas universidades que combinem, nos seus critérios de seleção, a escola de origem dos candidatos e cor de pele para efetivamente diminuir a iniquidade do caso brasileiro, que aponta uma diferença de renda e de acesso aos bens, inclusive acesso à Educação Superior, entre negrose brancos, entre indivíduos de baixa renda e alta renda e entre egressos de escolas públicas e escolas privadas. A adoção de políticas de permanência também é justificada pelos resultados encontrados no desempenho entreos candidatos que trabalham e os que não trabalham. A combinação entre essas ações afirmativas para negros e egressos de escolas públicas e políticas universalistas de expansão do número de vagas pelo REUNI e pelo PROUNIgarantirá uma diversidade maior no Brasil.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.
Como Citar
FILHO, Penildon Silva. A democratização da universidade brasileira por meio das cotas. Práxis Educacional, [S.l.], v. 10, n. 16, p. 199-219, maio 2014. ISSN 2178-2679. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/770>. Acesso em: 07 dez. 2019.