O trabalho, a escola unitária e os intelectuais: fundamentos para a pesquisa histórica em trabalho e educação

  • Eraldo Leme Batista
  • Angela Mara de Barros Lara

Resumo

Neste artigo científico realiza-se uma análise sobre a concepção marxista do trabalho. Partimos inicialmente do pressuposto de que o trabalho se constitui na categoria fundante do homem e da sociedade. Apresentamos, mesmo que de forma sucinta, o trabalho como vital para o desenvolvimento do homem e da sociedade, sendo que o homem se realiza e humaniza-se no trabalho, ao mesmo tempo em que se aliena e se empobrece no trabalho, principalmente, na sociedade capitalista. Após essas assertivas, discorremos sobre a concepção de educação presente na obra do filósofo marxista italiano, Antônio Gramsci (1891-1937), principalmente sobre escola unitária, por entendermos a sua relevância na discussão sobre escola para o trabalho. Gramsci não analisa a escola descolada da história, portanto, é um autor que nos instiga a pensar o trabalho e a educação no atual período histórico. Para tanto, analisamos os estudos deste autor presente nos Cadernos do Cárcere, focando no caderno 12, onde o mesmo desenvolve suas ideias sobre escola unitária. Assim, este trabalho está elaborado nos fundamentos do Materialismo Histórico Dialético, por entendermos que somente este método de estudos e análise contribui para desvendarmos as diversas artimanhas políticas e ideológicas construídas pela classe dominante.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.
Como Citar
BATISTA, Eraldo Leme; DE BARROS LARA, Angela Mara. O trabalho, a escola unitária e os intelectuais: fundamentos para a pesquisa histórica em trabalho e educação. Revista Binacional Brasil-Argentina: Diálogo entre as ciências, [S.l.], v. 5, n. 1 e 2, p. 53-70, out. 2017. ISSN 2316-1205. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/rbba/article/view/1487>. Acesso em: 07 jul. 2020.
Seção
Artigos de Fluxo Contínuo