CULTURA PROLETÁRIA OU CULTURA UNIVERSAL? Sobre perspectivas culturais e educacionais nos primeiros anos da Revolução Russa (1917 – 1924)

  • Cláudio Felix dos Santos

Resumo

Cultura proletária ou cultura universal? Esse questionamento que delimita o núcleo da investigação apresentada neste texto analisa as divergências entre dirigentes revolucionários russos acerca dos rumos da cultura no embate político de transição ao socialismo. Este debate tem seu marco inicial no ano de 1908 e se acirra entre os anos de 1917 e 1924. As diferentes ideias colocavam de um lado Bolcheviques como Vladimir Lenin e Leon Trotski defendendo a necessidade da máxima apropriação da cultura universal na transição revolucionária ao socialismo; e, de outro, o movimento Proletkult (Cultura proletária) advogando a necessidade da construção de uma cultura produzida por meio dos saberes e experiências dos explorados, numa perspectiva de cultura do proletariado para o proletariado no processo revolucionário Russo. Nos embates prevaleceram as proposições dos Bolcheviques, em especial as preocupações de Lenin, que não era simpático à ideia de uma associação não ligada ao Partido Comunista influenciar ou dirigir a política cultural e educacional a ser implementada.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-12-20
Como Citar
DOS SANTOS, Cláudio Felix. CULTURA PROLETÁRIA OU CULTURA UNIVERSAL? Sobre perspectivas culturais e educacionais nos primeiros anos da Revolução Russa (1917 – 1924). Revista Binacional Brasil-Argentina: Diálogo entre as ciências, [S.l.], v. 6, n. 2, p. 65-83, dez. 2017. ISSN 2316-1205. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/rbba/article/view/3663>. Acesso em: 22 out. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/rbba.v6i2.3663.
Seção
Dossiê Temático