O POVO MONGOIÓ: DA LEMBRANÇA AO ESQUECIMENTO NAS REPRESENTAÇÕES DOS MORADORES DA CIDADE DE ITAPETINGA-BA.

(EL PUEBLO MONGOIÓ: DEL RECUERDO AL OLVIDO EN LAS REPRESENTACIONES DE LOS HABITANTES DE LA CIUDAD DE ITAPETINGA-BA)

  • Jussara Tânia Silva Moreira

Resumo

O objetivo desse artigo é considerar que mesmo sendo negado oficialmente, existe na cidade de Itapetinga-BA uma memória que mostra a ancestralidade do povo Mongoió (Kamakan) no local. Para tanto, partimos dos dados de nossas pesquisas, sobretudo, da nossa tese de doutoramento quando analisamos entre os anos de 1938 a 2013, a origem e a consolidação dos Batistas na constituição do desenvolvimento urbano de Itapetinga; buscando compreender, como ocorreu esse processo de estabilização religiosa na cidade. Em decorrência desta investigação, do elemento cultural-religioso e da economia pecuarista da cidade, percebemos uma dicotomia entre os discursos oficiais e as lembranças dos recordadores sobre os indígenas. Tal perspectiva, assinalou para o conceito de campo, de representação e de capital cultural, encontrados na contribuição bourdieusiana, quando reconhece que o mundo social está condicionado por estruturas objetivas, independentes da consciência e da vontade do ser humano. Assim, a luz da abordagem qualitativa e da utilização do instrumento metodológico da memória chegamos as lembranças dos homens e das mulheres itapetinguenses, que sem abandonar a atualidade, acabou por trazer à tona as provas da existência do indígena no passado local. 

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-07-26
Como Citar
MOREIRA, Jussara Tânia Silva. O POVO MONGOIÓ: DA LEMBRANÇA AO ESQUECIMENTO NAS REPRESENTAÇÕES DOS MORADORES DA CIDADE DE ITAPETINGA-BA.. Revista Binacional Brasil-Argentina: Diálogo entre as ciências, [S.l.], v. 7, n. 1, p. 13-38, jul. 2018. ISSN 2316-1205. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/rbba/article/view/4056>. Acesso em: 21 out. 2018. doi: https://doi.org/10.22481/rbba.v7i1.4056.
Seção
Dossiê Temático