PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DE QUÍMICA NO ENSINO MÉDIO EM UMA PERSPECTIVA COMPARADA ENTRE BRASIL E ARGENTINA

  • Karina Novaes dos Santos
  • Geovânia Moreira Souza
  • Bruno Ferreira dos Santos

Resumo

Este artigo apresenta uma análise comparativa entre práticas de ensino de Química no Brasil e na Argentina, e tem como objetivo principal contrastar as interações discursivas entre professores e alunos em sala de aula para averiguar suas semelhanças e diferenças. A teoria do discurso pedagógico de Basil Bernstein forneceu os conceitos que definiram o marco teórico-metodológico para a análise, cujos dados foram coletados em diferentes escolas públicas e particulares das cidades de Santa Fé e Paraná, na Argentina e de Jequié, no Brasil, entre 2013 e 2014. Esses dados incluem a observação e o registro em áudio de aulas de Química do 1° ano do Ensino Médio em cada país. Os áudios foram transcritos e originaram mapas de episódios, de onde obtivemos nossas unidades de análise. Como recorte para este artigo, analisamos as interações verbais nos momentos em que os professores instruem tarefas e atividades para seus alunos, e quando realizam perguntas durante a explicação do conteúdo. Os resultados indicaram mais semelhanças que diferenças entre as práticas analisadas, quando se contrastam escolas cujo público apresenta perfis socioeconômicos aproximados.


 

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-12-18
Como Citar
DOS SANTOS, Karina Novaes; SOUZA, Geovânia Moreira; DOS SANTOS, Bruno Ferreira. PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DE QUÍMICA NO ENSINO MÉDIO EM UMA PERSPECTIVA COMPARADA ENTRE BRASIL E ARGENTINA. Revista Binacional Brasil-Argentina: Diálogo entre as ciências, [S.l.], v. 7, n. 2, p. 240-262, dez. 2018. ISSN 2316-1205. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/rbba/article/view/4649>. Acesso em: 20 abr. 2019.
Seção
Artigos de Fluxo Contínuo