1984: O FUTURO DISTÓPICO ENTRE NÓS

Resumo





O presente artigo objetiva apresentar algumas reflexões provenientes da análise do livro, 1984, de George Orwell, no intuito de poder comparar o romance com a atual sociedade brasileira, bem como compreender os diversos sujeitos na contemporaneidade e suas relações via mídias e redes sociais nesse contexto de globalização. Para tanto, este estudo está ancorado em teorias filosóficas, literárias e sociais, sob a perspectiva de teóricos como Arendt (2012), Bauman (2001), Foucault (2009), Sousa Santos (2005), entre outros. A metodologia adotada pauta-se numa abordagem qualitativa, de cunho bibliográfico, num processo comparativo, interpretativo e reflexivo. Constata-se que o livro apresenta traços atemporais ao contexto sócio-histórico em que foi produzido e ajusta-se como um alerta para as sociedades capitalistas. O enredo permeia por variados aspectos, que interligam fatos políticos, econômicos e tecnológicos, trazendo em sua abordagem um possível futuro em que a maioria dos sujeitos deverão abdicar de sua liberdade, em detrimento de um regime totalitário. Por fim, conclui-se que Orwell, em 1984, teve uma grande contribuição ao prever, através de seu romance, uma sociedade pautada pelo poder de uma minoria hegemônica que explora as mais diversas camadas sociais, de forma hierarquizada e politicamente situada, não muito diferente da sombria realidade desse país chamado Brasil.





DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-03-29
Como Citar
DE OLIVEIRA, Valdineide Jesus; MEIRA, Larissa Lopes; MAGALHÃES, Sigrid Rochele Gusmão Paranhos. 1984: O FUTURO DISTÓPICO ENTRE NÓS. Revista Binacional Brasil-Argentina: Diálogo entre as ciências, [S.l.], v. 8, n. 2, p. 11-23, mar. 2020. ISSN 2316-1205. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/rbba/article/view/6263>. Acesso em: 02 jun. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/rbba.v8i2.6263.