A produção científica no mundo jurídico, por muito tempo, não foi objeto de atenção dos Cursos de Direito em nosso País. O ensino tradicional distanciou os acadêmicos da pesquisa, direcionando-os, tão somente, ao processo de ensino-aprendizagem consubstanciado na reprodução dos dogmas consolidados, das verdades imutáveis e do Direito como instrumento de controle e subjugação. Os novos tempos descortinam um contexto de mudança paradigmática de importância singular. Ousaria a dizer que presenciamos um verdadeiro giro copernicano: os espaços de produção de conhecimento e revisitação de antigas fórmulas se abrem para a construção do novo, oferecendo uma terra fértil aos propósitos de uma inédita perspectiva jurídica. Essa era a transformação que esperávamos e que, paulatina e lentamente, foi alcançando o espírito daqueles que passaram a se dedicar à edificação de um projeto libertador, há muito guardado nas mentes de juristas que se deixaram dominar pelos caminhos do conservadorismo.

O Curso de Direito da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia não estava imune a esse processo. Apesar de possuir mais de quinze anos de existência, a pesquisa e a iniciação científica foram incipientes, em nítido reflexo do contexto nacional. Esse panorama começa a se dissolver, a partir de algumas propostas inovadoras, possibilitando o aparecimento de espaços de vivência universitária de forma intensa e com resultados que contribuem à reformulação das perspectivas jurídicas.

A Revista Científica do Curso de Direito se projeta nesse cenário de transição, de derrocada de fórmulas tradicionais e de superação de dogmas incoerentes, demonstrando a força do nascimento de uma cultura de produção científica, servindo, portanto, como baluarte de resistência e, acima de tudo, possibilitando o acesso à construção de debates que conduzirão, inevitavelmente, às novas concepções do Direito, conformado pela realização da justiça e pelo desenvolvimento de uma sociedade mais humana.

Esse é o sentimento que reside em todos aqueles que estão envolvidos nessa missão. Quando acreditar na transformação deixa de ser um sonho para se tornar um objetivo realizável, as luzes do conhecimento irradiam, alcançando os recantos mais obscuros da ignorância. Como Editor Científico e membro do Conselho Editorial, sou inundado por uma sensação de orgulho, de pertencimento e, sobretudo, como parte dessa história que se inicia agora e que alcançará gerações futuras. Lançamo-nos no desconhecido, confiando que encontraríamos um caminho para constituição de um mundo jurídico de realização do justo. Abramos as portas do Direito e deixemos a luz irradiar por todos os seus salões. Sejam bem-vindos e bem-vindas a um novo tempo!

 

 

Luciano Tourinho

Editor Científico