O PAPEL DA EMPRESA JÚNIOR NA FORMAÇÃO DISCENTE

Desenvolver pessoas ou desenvolver profissionais?

  • Raquel Hartmann
  • Shirley Britz Heck
  • Carlos Eduardo Ruschel Anes
  • Fabricio da Costa Oliveira

Resumo

O trabalho, o desenvolvimento humano e o desenvolvimento profissional das pessoas são questões
sistematicamente estudadas há algumas décadas. Interpretações teóricas têm favorecido o
aperfeiçoamento das práticas de gestão das empresas em diferentes áreas de atuação profissional.
Nesse sentido, o objetivo deste estudo é analisar interpretações abordadas a partir da Teoria da
Administração Científica, da Teoria Clássica, da Teoria das Relações Humanas e da Psicologia
Organizacional aplicada na Empresa Júnior. Com relação à metodologia, o estudo se caracteriza como
uma pesquisa descritiva, baseada no método bibliográfico e documental. Como instrumento de auxílio
para analisar as informações, utilizou-se a técnica de análise de conteúdo, a partir de fontes
secundárias coletadas em repositórios e bases de dados acadêmicos disponibilizados em ambiente web.
Os resultados alcançados destacam a influência das interpretações teóricas da Administração e da
Psicologia Organizacional no desenvolvimento das organizações, na promoção profissional e na
formação humana dos trabalhadores, em direção à qualidade de vida do trabalho. Além disso,
percebeu-se que as empresas juniores são importantes incentivadoras ao desenvolvimento pessoal e
profissional, proporcionando aos alunos vivências e experiências em diversos ramos e ambientes de
negócios. Assim, essa experiência oportuniza a formação de pessoas com uma visão mais ampla sobre
a dinâmica empresarial e, ao mesmo tempo, prepara o profissional e a pessoa para as incertezas que se
apresentam em diversos ramos de negócios.

Publicado
2018-12-30
Como Citar
HARTMANN, Raquel et al. O PAPEL DA EMPRESA JÚNIOR NA FORMAÇÃO DISCENTE. Revista Extensão e Cidadania, [S.l.], v. 5, n. 9,10, p. 1-11, dez. 2018. ISSN 2319-0566. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/4602>. Acesso em: 19 set. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/recuesb.v5i9.4602.