ELETROTERAPIA EM PACIENTES COM DOR LOMBAR

  • Rafael Tamborela Malheiros
  • Antonio Carlos Pereira de Araújo
  • Anna Yasmin Bertão Marques Rodrigues
  • Eloá Ferreira Yamada
  • Morgana Duarte da Silva

Resumo

A lombalgia crônica acarreta o declínio funcional do paciente e, em geral, seu tratamento é composto por farmacoterapia e fisioterapia. Dentre os recursos fisioterápicos a eletroterapia é uma das técnicas mais utilizadas para a redução da dor. A extensão universitária proporciona ao acadêmico a prática e vivência clínica, ao mesmo tempo, que possibilita a interação com a comunidade. Este trabalho teve por objetivo relatar a experiência do projeto de extensão “Eletroterapia em pacientes com dor lombar”. Este estudo é um relato de experiência, em que foram atendidas pessoas com dor lombar crônica no Posto de Saúde 7, da cidade de Uruguaiana/RS. Os participantes eram encaminhados pelo estágio de Fisioterapia em Ortopedia e realizaram 10 sessões, com eletroterapia associada à terapia manual, sendo avaliados pré e pós tratamento quanto à dor e à qualidade de vida. Como resultado, observou-se a redução dos níveis de dor a cada sessão e ao final do tratamento, bem como o aumento da qualidade de vida. Por sua vez, a prática extensionista resultou na integração ensino-serviço através dos atendimentos realizados pelos acadêmicos. Com base no exposto, concluímos que a eletroterapia é um importante recurso na redução da dor, além de apresentar efeitos positivos sobre a qualidade de vida. A extensão universitária foi de extrema importância para os acadêmicos, que vivenciaram um processo que articula o ensino e a pesquisa de forma indissociável, viabilizando a relação transformadora entre Universidade e Sociedade.

Publicado
2020-07-27
Como Citar
MALHEIROS, Rafael Tamborela et al. ELETROTERAPIA EM PACIENTES COM DOR LOMBAR. Revista Extensão & Cidadania, [S.l.], v. 8, n. 13, p. 133-144, jul. 2020. ISSN 2319-0566. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7101>. Acesso em: 05 ago. 2020. doi: https://doi.org/10.22481/recuesb.v8i13.7101.