Revista Extensão & Cidadania | ISSN 2319-0566 http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb <section style="text-align: justify; padding: 3px;"> <p>A Revista Extensão &amp; Cidadania é um periódico semestral, em versão on-line, de fluxo contínuo, da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários – PROEX, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB, lançada em 2013. Docentes, discentes, técnicos-administrativos de Instituições de Ensino Superior nacionais e internacionais que estejam ligadas às ações extensionistas estão convidados a submeter seus manuscritos (artigos, relatos de experiências, entrevistas, resenhas entre outros materiais), com ênfase no trabalho interdisciplinar nas diversas áreas de conhecimento: Ciências Exatas e da Terra; Ciências Biológicas, Engenharia/Tecnologia; Ciências da Saúde; Ciências Agrárias; Ciências Sociais; Ciências Humanas e Linguística, Letras e Artes. As submissões podem ser realizadas de forma contínua. Não são cobradas taxas de submissão, avaliação ou publicação de manuscritos. Revista é indexada em DIADORIM, tendo ISSN 2319-0566.</p> <section></section> </section> Edições UESB pt-BR Revista Extensão & Cidadania | ISSN 2319-0566 2319-0566 FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DE FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO BÁSICA ATRAVÉS DA EXTENSÃO: UM ESPAÇO DE DIÁLOGO FILOSÓFICO E ENRIQUECIMENTO METODOLÓGICO http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7095 <p>A formação continuada tem um potencial para contribuir na construção das condições necessárias para oferecer um ensino médio de qualidade e para a consolidação da função social desta etapa de ensino. Um dos objetivos do Curso de Licenciatura em Filosofia é formar profissionais qualificados para o magistério. Esta qualificação compreende a capacitação para a transmissão do legado da tradição filosófica, gosto pelo pensamento inovador, crítico, autônomo, habilitação para despertar os jovens para o pensamento lógico, sistemático e a reflexão. Conectado com esses propósitos, o Projeto de Extensão: “Curso de formação continuada para professores que atuam no ensino de Filosofia na região de abrangência da 15ª CRE” foi implementado diante dos enormes desafios no ensino de Filosofia. Seu objetivo foi contribuir para a formação continuada de professores de Filosofia que atuam nas escolas da região norte do RS. Nele foram desenvolvidas 10 palestras/oficinas na 1ª edição (2015 e 2016) e 13 palestras/oficinas na 2ª edição (2017 e 2018), envolvendo diferentes áreas: Ética, Política, Metafísica, Epistemologia, História da Filosofia, Estética, Filosofia da Linguagem, Cinema e Filosofia, Lógica, etc. Visou estabelecer uma reflexão acerca da sua interface com o ensino nos aspectos da forma metodológica e conteúdo. Os cursistas também elaboraram sugestões criativas de planos de aula. O método utilizado foi de exposição dialogada nas palestras e oficinas. Um projeto pioneiro no curso de Filosofia, tendo obtido resultados positivos para os cursistas, alunos voluntários, professores, coordenador e colaboradores.<strong>&nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp;&nbsp;</strong></p> Eloi Pedro Fabian Fabian Copyright (c) 2020 Revista Extensão & Cidadania 2020-07-27 2020-07-27 8 13 7 22 10.22481/recuesb.v8i13.7095 O COMMUNICATION CAFÉ DISCUTE: O DESENVOLVIMENTO DA HABILIDADE DE CONVERSAÇÃO EM INGLÊS http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/6087 <p>Este artigo objetiva apresentar e discutir a importância e formas de desenvolver a habilidade de<br>expressão oral em língua inglesa. A abordagem metodológica qualitativa da pesquisa narrativa<br>fundamenta este estudo e permite que façamos reflexões importantes, através de narrativas e reflexões<br>tecidas por participantes e monitores do projeto de extensão Communication Café. Este projeto de<br>extensão surgiu em 2014 na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB/Campus Vitória da<br>Conquista e, desde então, tem procurado criar oportunidades para que a comunidade acadêmica<br>desenvolva e pratique a habilidade de conversação em inglês em seus encontros semanais. A<br>habilidade de se expressar oralmente em uma língua estrangeira ainda não ocupa um espaço central<br>em muitas instituições de ensino. No Brasil, tanto no âmbito da educação básica como no ensino<br>superior, as habilidades de conversação em língua inglesa, por exemplo, são muitas vezes deixadas de<br>lado ou recebem pouca atenção no currículo de muitas instituições. Entretanto, entendemos que esta<br>habilidade, que permite que interações e trocas de conhecimento e experiências ocorra entre as<br>pessoas, deva receber atenção especial, uma vez que pode capacitar os cidadãos para agirem no mundo<br>de forma ativa e critica (FREIRE, 1997; CRYSTAL, 2002). Portanto, este estudo apresenta, dentre<br>seus resultados, uma reflexão relevante sobre a importância da conversação em inglês em ambientes<br>de ensino no Brasil. Ainda, apresenta algumas formas que temos disponíveis para praticarmos as<br>habilidades comunicativas na língua inglesa. Este estudo poderá interessar alunos, professores,<br>pesquisadores e curiosos sobre os rumos dos estudos sobre ensino-aprendizagem de inglês e seus<br>desdobramentos.</p> Ana Ketilly Manhães Magalhães Clarissa Costa e Silva Fernando Gonçalves de Souza Neto Lucas Viana Alencar Victor Moreira Rocha Brandão Copyright (c) 2020 2020-07-27 2020-07-27 8 13 23 39 10.22481/recuesb.v8i13.6087 LINGUAGEM E DIVERSIDADE NA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA: AÇÕES DESENVOLVIDAS COM IMIGRANTES E MULHERES APENADAS NO MUNICÍPIO DE LAJEADO/RS http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7096 <p>Este trabalho tem por objetivo apresentar as ações desenvolvidas em dois campos de intervenção do Projeto de Extensão Veredas da Linguagem, da Universidade do Vale do Taquari - Univates: a comunidade de imigrantes e o Presídio Feminino do município de Lajeado. Ao primeiro grupo, são oferecidas aulas semanais de português como língua adicional para que possam enfrentar as diferentes situações de uso da língua. A necessidade de planejar de acordo com as reais necessidades do grupo de imigrantes gera impactos positivos na formação do acadêmico, pois, dessa forma, estará constantemente reavaliando sua prática, o que também beneficia os imigrantes no enfrentamento de situações sociocomunicativas no seu dia a dia.&nbsp; Já com o grupo de mulheres apenadas, são desenvolvidas oficinas semanais voltadas às práticas corporais e artísticas, com o intuito de contribuir para a qualificação das relações interpessoais e para a humanização do período em que se encontram em privação da liberdade. Entre os resultados das ações desenvolvidas no presídio feminino estão o maior conhecimento e cuidado para com o corpo, a sensibilização, a qualificação do tempo de permanência na instituição prisional e a ampliação do diálogo.</p> Grasiela Kieling Bublitz Silvane Fensterseifer Isse Copyright (c) 2020 Revista Extensão & Cidadania 2020-07-27 2020-07-27 8 13 40 52 10.22481/recuesb.v8i13.7096 ALUNO COM DEFICIÊNCIA E A ROBÓTICA EDUCACIONAL: UM ESTUDO DE CASO NO IF SERTÃO PE CAMPUS PETROLINA THE STUDENT WITH DISABILITIES AND EDUCATIONAL ROBOTICS: A CASA STUDY AT THE IF SERTÃO PE CAMPUS PETROLINA http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/6086 <p>A inclusão é um processo de inserção, no âmbito social, de pessoas com deficiência, tendo a educação como meio que impulsiona para este fim. A robótica pode ser entendida como uma ferramenta educacional que viabiliza esse processo de inclusão. Pensando nisso, essa pesquisa investigou quais as contribuições da robótica educacional no processo de inserção de alunos com deficiência; tendo como objeto de estudo o desempenho de uma aluna que possui ataxia em decorrência de paralisia cerebral, participante do projeto de robótica educacional, desenvolvido no Instituto Federal do Sertão Pernambucano. Para tanto, foram realizadas entrevistas com a aluna, com a mãe desta aluna, com o coordenador do projeto de robótica educacional e com a coordenadora do ensino médio, modalidade de ensino a qual a aluna faz parte. Com a análise dos depoimentos e da avaliação do desempenho da aluna, foi possível verificar que a robótica educacional se constitui como uma ferramenta viável para a inserção de alunos com deficiência no âmbito social, melhorando seu desempenho e autoconfiança. Esses resultados são relevantes, uma vez que há poucos trabalhos desenvolvidos nessa temática, sobretudo utilizando estudo de caso.</p> Jailma Samara Silva Campos Danielle Juliana Silva Martins Copyright (c) 2020 2020-07-27 2020-07-27 8 13 53 68 10.22481/recuesb.v8i13.6086 AVALIAÇÃO DO DESPERDÍCIO E PROMOÇÃO DO APROVEITAMENTO INTEGRAL DOS ALIMENTOS EM INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA FILANTRÓPICA PARA IDOSOS – (ILPI) http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7097 <p>&nbsp;A maior parte das Instituições de Longa Permanência para Idosos do Brasil é de caráter filantrópico, e os alimentos são provenientes de doações de pessoa física e/ou jurídica. Com isso, o tipo de oferta alimentar disponível na instituição pode acarretar déficit nutricional por falta de uma alimentação adequada e com baixa qualidade nutricional. No entanto, as deficiências de nutrientes podem ser minimizadas com o aproveitamento dos alimentos. Este trabalho tem por objetivo avaliar a quantidade de folhas, cascas e&nbsp; talos descartados no preparo das refeições de uma Instituição de Longa Permanência para Idosos filantrópica e promover o aproveitamento integral dos alimentos a partir de cartilha elaborada com receitas. Trata-se de uma ação-intervenção realizada numa Instituição de Longa Permanência para Idosos filantrópica no município de Dourados/MS, em quatro etapas no período julho a dezembro de 2015 como uma ação do projeto de pesquisa e extensão Projeto de Melhoria para Qualidade de Vida para os Idosos. Observou-se que os funcionários da Unidade de Alimentação e Nutrição dessa instituição não aproveitam integralmente os alimentos, e antes do curso não tinham um conhecimento amplo sobre as opções de preparações e a importância de fazer uso do aproveitamento integral dos alimentos. Entretanto, após o curso, nota-se que houve interesse em reproduzir as receitas e o entendimento da importância do aproveitamento integral. Com isso, é relevante a capacitação para estimular o uso do aproveitamento integral no cotidiano da Instituição de Longa Permanência para Idosos.</p> Sarah de Souza Araújo Priscila de Souza Araújo Carlos Leonardo Moura de Moraes Aline Janaina Giunco Emília Alonso Balthazar Copyright (c) 2020 Revista Extensão & Cidadania 2020-07-27 2020-07-27 8 13 69 84 10.22481/recuesb.v8i13.7097 FEIRA DE CIÊNCIAS: FORMANDO PARA A CIDADANIA http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7098 <p>O principal objetivo da educação na atualidade é promover uma formação crítica/cidadã, sendo necessário para isso que ocorram modificações no processo de ensino e aprendizagem. Dessa forma, buscando a promoção dessa formação diferenciada, os subprojetos do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência dos cursos de Química, Matemática, História, Geografia e Biologia da Universidade Federal de Catalão (UFCat), Universidade Federal de Catalão em implantação desenvolveram como atividade de extensão a 2ª Feira de Ciências da UFCat: “Ciência a Flor da Pele”, que contou com a participação 126 alunos e 15 professores, de 10 escolas públicas e privadas da cidade de Catalão e região. Este trabalho objetiva analisar como a participação de alunos da Educação Básica em uma Feira de Ciências de nível regional pode impactar no seu processo de ensino e aprendizagem. Para a coleta dos dados fez-se uso de questionários que foram respondidos pelos discentes da Educação Básica que participaram das atividades; os questionários apresentavam questões abertas e foram analisados mediante Análise Textual Discursiva. A partir da análise dos dados, percebeu-se ganhos significativos no processo de ensino e aprendizagem dos alunos participantes, pois estes foram estimulados a elaborar seus próprios trabalhos de forma crítica, a trabalhar em grupo, a analisar/selecionar informações, a se comunicar em público, dentre outros. Conclui-se assim que a 2ª Feira de Ciências da UFCat proporcionou que os participantes desta atividade fossem atuantes e críticos no meio em que vivem, além da apropriação de conhecimentos acadêmicos, sociais e ambientais.</p> Fernanda Welter Adams Scarlet Dandara Borges Alves Dayane Graciele dos Santos Simara Maria Tavares Nunes Copyright (c) 2020 Revista Extensão & Cidadania 2020-07-27 2020-07-27 8 13 85 104 10.22481/recuesb.v8i13.7098 GARANTIA DE DIREITOS E ACESSO À JUSTIÇA NA ROTA DA EMANCIPAÇÃO POPULAR: O PROJETO DE EXTENSÃO MEDIAÇÃO POPULAR E ORIENTAÇÃO SOBRE DIREITOS NA PERIFERIA DA PRINCESA DO SERTÃO-BA http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7099 <p>Esta pesquisa tem por escopo compreender como o Projeto Mediação Popular e Orientação Sobe Direitos, tendo em vista as atividades extensionistas desenvolvidos durante 17 meses, entre janeiro de 2017 e maio de 2018, pode servir de sustentáculo à mediação popular e como pode servir como instrumento eficaz na busca do fundamental acesso à justiça material e da construção de pilares emancipatórios, focalizando a população de baixa renda do Bairro Irmã Dulce e derredores, em Feira de Santana-BA, Princesa do Sertão, a partir da concepção de mediação popular como processo transversal e multidisciplinar fortalecedor do empoderamento dos setores vulneráveis, através do investimento nas formas de diálogo entre os interlocutores das possíveis relações sociais. Este artigo tem como objetivo geral fazer um levantamento teórico sobre o tema Mediação Popular e, num processo de análises documentais construídas no próprio escritório de mediação; como objetivos específicos: mapear quais parcelas da população são mais vulneráveis e quais são mais atendidas pelo projeto, mapeando onde essas parcelas se localizam na cartografia feirense quando ao sexo, raça/cor/etnia, renda, situação de trabalho, faixa etária e escolaridade. Os resultados indicam que o projeto tem ajudado a alavancar a Educação em Direitos Humanos e o acesso à Justiça junto à comunidade atendida.</p> Douglas Silva Navarro Vanessa Mascarenhas Lima Copyright (c) 2020 Revista Extensão & Cidadania 2020-07-27 2020-07-27 8 13 105 123 10.22481/recuesb.v8i13.7099 FALANDO EM AMAMENTAÇÃO: AÇÕES DE EXTENSÃO DURANTE O PRÉ-NATAL E PUERPÉRIO http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7100 <p>EA amamentação é benéfica para o bebê, para a mãe, para a família e para a sociedade. Por conta dos inúmeros benefícios, os órgãos de saúde recomendam aleitamento materno exclusivo até seis meses e complementado até dois anos de vida. No Brasil, as taxas de amamentação ainda se encontram abaixo do recomendado e a falta de conhecimento a respeito de suas vantagens é um dos principais fatores responsáveis pelo desmame. O projeto de extensão “Falando em Amamentação” foi criado com propósito de apoiar e promover o aleitamento materno por meio de orientações no pré-natal e puerpério e ações no ambiente universitário. O objetivo deste artigo é, portanto, relatar as experiências vividas pelos alunos durante as ações realizadas pelo projeto. O projeto realiza orientações semanalmente pela manhã no ambulatório e alojamento conjunto de um hospital em Porto Alegre. No ambulatório, as acadêmicas orientam grupos de gestantes e, no alojamento conjunto, as orientações ocorrem individualmente à beira do leito e são voltadas às dúvidas e às dificuldades do binômio mãe-bebê durante a amamentação. Os resultados são observados por meio do interesse nas informações recebidas, compartilhamento de dúvidas e dificuldades e receptividade para auxílio no manejo da amamentação quando necessário. O projeto considera bem-sucedida sua atuação na promoção e incentivo ao aleitamento materno, visto que a população atendida se mostra satisfeita com a assistência recebida, os serviços estão abertos para as atividades e as alunas participantes têm a oportunidade de aprofundar o conhecimento, colocando em prática habilidades e competências de sua formação curricular.</p> Alexia Diovana Fernandes da Rocha Sheila Tamanini de Almeida Marcia Angelica Peter Maahs Monalise Costa Batista Berbert Copyright (c) 2020 Revista Extensão & Cidadania 2020-07-27 2020-07-27 8 13 124 132 10.22481/recuesb.v8i13.7100 ELETROTERAPIA EM PACIENTES COM DOR LOMBAR http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7101 <p>A lombalgia crônica acarreta o declínio funcional do paciente e, em geral, seu tratamento é composto por farmacoterapia e fisioterapia. Dentre os recursos fisioterápicos a eletroterapia é uma das técnicas mais utilizadas para a redução da dor. A extensão universitária proporciona ao acadêmico a prática e vivência clínica, ao mesmo tempo, que possibilita a interação com a comunidade. Este trabalho teve por objetivo relatar a experiência do projeto de extensão “Eletroterapia em pacientes com dor lombar”. Este estudo é um relato de experiência, em que foram atendidas pessoas com dor lombar crônica no Posto de Saúde 7, da cidade de Uruguaiana/RS. Os participantes eram encaminhados pelo estágio de Fisioterapia em Ortopedia e realizaram 10 sessões, com eletroterapia associada à terapia manual, sendo avaliados pré e pós tratamento quanto à dor e à qualidade de vida. Como resultado, observou-se a redução dos níveis de dor a cada sessão e ao final do tratamento, bem como o aumento da qualidade de vida. Por sua vez, a prática extensionista resultou na integração ensino-serviço através dos atendimentos realizados pelos acadêmicos. Com base no exposto, concluímos que a eletroterapia é um importante recurso na redução da dor, além de apresentar efeitos positivos sobre a qualidade de vida. A extensão universitária foi de extrema importância para os acadêmicos, que vivenciaram um processo que articula o ensino e a pesquisa de forma indissociável, viabilizando a relação transformadora entre Universidade e Sociedade.</p> Rafael Tamborela Malheiros Antonio Carlos Pereira de Araújo Anna Yasmin Bertão Marques Rodrigues Eloá Ferreira Yamada Morgana Duarte da Silva Copyright (c) 2020 Revista Extensão & Cidadania 2020-07-27 2020-07-27 8 13 133 144 10.22481/recuesb.v8i13.7101 NÚCLEO DE APOIO À CULTURA E À EXTENSÃO EM DIAGNÓSTICO ODONTOLÓGICO - RADIODIAGNÓSTICO EM ODONTOLOGIA http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7102 <p>O objetivo principal deste artigo é mostrar a importância das atividades desenvolvidas pelo Núcleo de Apoio às Atividades de Cultura e Extensão em Diagnóstico Odontológico (NACEDO), um Núcleo de Extensão da Pró-reitoria de Cultura e Extensão Universitária da Universidade de São Paulo (PRCEU/USP) como principal figura do tripé indissociável Extensão-Ensino-Pesquisa, para a Educação na Universidade. Métodologia: Através do atendimento de pacientes de rotina do Serviço de Radiodiagnóstico – NACEDO, onde circulam docentes, funcionários, alunos de graduação, pós-graduação, especialização/aprimoramento e, é claro, pacientes, referidos para realização de Diagnóstico em odontologia, trabalhamos as atividades fins da USP, indissociavelmente, fazendo chegar ao paciente e seus familiares, diversos aspectos de sua saúde geral. Resultados: Foram atendidos 13047 pacientes no período e realizados os respectivos laudos radiográficos, somados&nbsp; mais 250 laudos radiográficos realizados junto ao Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto (HCRP). Todos esses pacientes, e/ou acompanhantes, com exceção dos pacientes do HCRP, responderam aos questionários e às orientações sobre a doença osteoporose. Conclusões: a interdisciplinaridade da atuação do NACEDO em Ribeirão Preto, através do Diagnóstico em odontologia trouxe um importante fenômeno de articulação do processo ensino-aprendizagem, teoria/prática, além de um rico material didático-científico ao grupo, e levou à comunidade informações inerentes à osteoporose, que é uma epidemia mundial. Resultado principal, são 15 anos de reflexão crítica conduzida pela Extensão Universitária.</p> Plauto Christopher Aranha Watanabe Elza Carneiro Santos Vanessa de Araújo Faria Copyright (c) 2020 Revista Extensão & Cidadania 2020-07-27 2020-07-27 8 13 145 160 10.22481/recuesb.v8i13.7102 PRODUÇÃO DE CURSO DE SAÚDE OCULAR NA ATENÇÃO BÁSICA EM PLATAFORMA DIGITAL POR DOCENTE E ACADÊMICOS DE MEDICINA DE LIGA DE OFTALMOLOGIA http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7103 <p>A Liga Acadêmica de Oftalmologia, da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG) é uma entidade que visa à difusão do ensino, realização de pesquisas e atividades de extensão em Oftalmologia. Com o objetivo de difundir o conhecimento sobre Oftalmologia, desenvolveu um curso à distância sobre o tema “Saúde Ocular na Atenção Básica”, abordando tópicos básicos acerca da anatomia e fisiologia dos olhos e de patologias oculares prevalentes na população, que devem ser dominadas pelo médico generalista, promovendo Educação em Saúde na área, especialmente para profissionais de saúde que atuam na atenção básica e estudantes. O curso contém 15 aulas desenvolvidas e ministradas pela docente coordenadora da Liga, médica oftalmologista, com a participação dos membros da Liga, acadêmicos de Medicina do segundo e quarto períodos da UNIFAL-MG. Os vídeos foram produzidos e editados no Centro de Educação Aberta e a Distância da UNIFAL-MG, sendo posteriormente disponibilizados na Rede Nacional de Ensino e Pesquisa e Plataforma <em>Moodle </em>e como disciplina optativa <em>on line</em>. No contexto da Educação em Saúde, baseada em plataformas digitais e novas tecnologias de informação, trata-se de uma iniciativa pioneira na área de Oftalmologia, pois envolveu tanto acadêmicos de Medicina quanto docente médica especialista na área, possibilitando, com uma linguagem simples e acessível, transmitir o conhecimento básico sobre tema altamente relevante.</p> Pedro Henrique Oliveira Ribeiro Jhonatan Halley Franco Faria Samuel de Pádua Marcos de Abreu Nery Flávia Beatriz de Andrade Oliveira Ribeiro Copyright (c) 2020 Revista Extensão & Cidadania 2020-07-27 2020-07-27 8 13 161 172 10.22481/recuesb.v8i13.7103 EDUCAÇÃO EM SAÚDE: RELATO DE EXPERIÊNCIA EDUCATIVA COM TECNOLOGIA LÚDICA http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7104 <p>A valorização da prática educativa na Estratégia de Saúde da Família fortalece a possibilidade de uma abordagem integral e resolutiva, através do uso de ferramentas educativas que atraem a atenção para temas com dispositivos promotores de mudanças nos agravos de saúde, almejando favorecer o vínculo de confiança com a comunidade. Nesse contexto, o objetivo principal deste relato de experiência, é apresentar aos profissionais de saúde/educadores, o desenvolvimento de uma experiência educativa exitosa, embasada em alternativas inovadoras e eficazes na realização de ações de educação em saúde. Nesse sentido, relatamos a experiência educativa realizada em uma unidade de saúde no município de Tucuruí-PA, por meio da tecnologia educativa lúdica, através de apresentação de peça teatral, fantoches e rodas de conversas e como intervenção educativa sobre as temáticas como: verminoses, práticas de hábitos de higiene, Infecções Sexualmente Transmissíveis e Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. Destaca-se a importância da continuidade de ações de&nbsp;educação em saúde, uma vez que englobam ações preventivas, em que justificam a relação custo e benefício, tornam-se alternativas baratas e efetivas se comparadas ao custo do tratamento de doenças. Tal prática reivindica aos profissionais de saúde, motivação, tempo e criatividade para a realização, pois proporcionam uma atividade maior em comparação com outras abordagens educativas. Entretanto as ações de educação em saúde, quando aliadas às práticas de ensino dinâmicas e inovadoras, contribuem positivamente para a prática interdisciplinar e índice expressivo de participação da plateia, possibilitando o intercâmbio esperado do público.&nbsp;</p> Renata Campos de Sousa Borges Ilma Ferreira Pastana Helisa Campos Cruz Helisa Campos Cruz Juliete Leão de Souza Lorrane Kally Martins Oliveira Thiago Rumenigge Correa Braga Copyright (c) 2020 Revista Extensão & Cidadania 2020-07-27 2020-07-27 8 13 173 184 10.22481/recuesb.v8i13.7104 CULTURA E SAÚDE: A EXPERIÊNCIA EM EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA NO PROJETO RONDON EM ACARI (RN) http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/6084 <p>A realidade social brasileira revela, cada vez mais, a necessidade das perspectivas acadêmicas e científicas se expandirem para as comunidades por meio da extensão universitária, gerando, inclusive, novos pressupostos e resultados. Diante disso, o Projeto Rondon tem se demonstrando uma ferramenta extensionista de bastante êxito. Nesse sentido, este artigo aborda a experiência em extensão universitária na Operação Forte dos Reis Magos 2016 do Projeto Rondon, no município de Acari (RN), pelas oficinas de “Cultura” e “Saúde”, que contemplaram diferentes públicos da comunidade local: alunos, capacitação docente a sociedade. Os procedimentos metodológicos foram: levantamento bibliográfico acerca da extensão universitária, da cultura e da saúde, que alicerçaram a construção do material apostilado utilizado na aplicação das oficinas e, consequentemente, este artigo; realização das oficinas de extensão, descrevendo os resultados e promovendo as reflexões sobre elas; e, por fim, a sistematização da redação deste artigo. Os principais resultados foram: quanto à saúde, a conscientização acerca do não uso das drogas, sobretudo as ilícitas; quanto à cultura, amplo debate sobre a diversidade cultural potiguar e brasileira e valorização e manutenção dos aspectos culturais locais de Acari.</p> Pedro Henrique Carnevalli Fernandes Ruhama Ariella Sabião Batista Micael Almeida de Oliveira Copyright (c) 2020 2020-07-27 2020-07-27 8 13 185 200 10.22481/recuesb.v8i13.6084 O ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: O QUE DIZEM OS ALUNOS? http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7105 <p>Temos como objetivo com esse artigo apresentar as ações desenvolvidas por meio de um projeto de extensão universitária intitulado “O ECA nos anos iniciais do ensino fundamental” realizado no ano de 2016 e discutir os resultados obtidos com a pesquisa realizada durante suas atividades. O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) foi trabalhado por meio de ações interdisciplinares e atividades extracurriculares num projeto social e atendeu 140 crianças, dos 7 aos 17 anos, localizado em uma cidade de porte médio do interior paulista, para a pesquisa foram selecionadas 18 crianças dos 9 aos 11 anos que estavam regularmente matriculadas no 5° ano do ensino fundamental. Como base para nossas discussões, apoiamo-nos em estudos teóricos que fundamentam a temática, possibilitando assim articulação com a prática das atividades desenvolvidas. Além disso, analisamos os dados coletados com os alunos do ensino fundamental sobre o ECA. Estudos sobre essa temática são necessários para que possamos compreender como as ações concretas, articuladas com pesquisa e ensino sobre uma legislação contribuem para a formação dos alunos dos anos iniciais do ensino fundamental.</p> Thaís Cristina Rodrigues Tezani Marcia Cristina Argenti Perez Lucas Sarzi Copyright (c) 2020 Revista Extensão & Cidadania 2020-07-27 2020-07-27 8 13 201 210 10.22481/recuesb.v8i13.7105 MATEMÁTICA PARA A CIDADANIA: CALCULANDO PERÍMETRO E ÁREA EM SITUAÇÕES DO COTIDIANO http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7106 <p>O Projeto Matemática para a Cidadania é desenvolvido junto ao Programa Lar-Escola Zita Engel Ayer (CAZITA) desde o ano 2016. O CAZITA foi fundado no ano de 1996 com a missão de promover o desenvolvimento humano, através da formação da criança e do adolescente, oferecendo atividades no contraturno escolar. Apesar de toda a importância que a Matemática exerce na vida das pessoas, é fato que os alunos em geral, apresentam baixo nível de aprendizado em relação a essa disciplina, o que tende a acarretar vários problemas, como evasão escolar, baixa autoestima, entre outros. Neste sentido, este projeto tem como objetivo contribuir para a formação cidadã dos alunos do CAZITA, desenvolvendo a forma de ver e pensar sob o enfoque matemático, fundamentando-se na problematização de questões cotidianas que envolvam a Matemática. No primeiro semestre de 2017, a avaliação diagnóstica das turmas evidenciou a grande dificuldade das crianças com as operações fundamentais. Desta forma, foi implementada num primeiro momento uma revisão de conteúdo a fim de sanar dificuldades e consolidar o aprendizado. Em seguida, definiu-se que, ao final do segundo semestre de 2017, os alunos deveriam ser capazes de calcular o perímetro e a área das figuras geométricas: retângulo, quadrado e triângulo, identificar essas formas na arquitetura, nos objetos e no cotidiano. Observou-se que a aplicação de uma avaliação diagnóstica inicial é de extrema importância para identificar as principais dificuldades dos alunos.</p> Andréia do Carmo de Oliveira Amanda de Melo Souza Luciana Borges Goecking Luiz Alberto Beijo Anderson José de Oliveira Copyright (c) 2020 Revista Extensão & Cidadania 2020-07-27 2020-07-27 8 13 211 227 10.22481/recuesb.v8i13.7106 PROTAGONISMOS NEGROS EM EVIDÊNCIA: EXPERIÊNCIAS NA CONSTRUÇÃO DE UM GRUPO DE ESTUDOS SOBRE PÓS-ABOLIÇÃO http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/6091 <p>Este artigo tem por finalidade abordar a criação de um grupo de estudos e extensão que está localizado junto ao curso de História na Universidade Federal de Santa Maria - UFSM, no Rio Grande do Sul. O Grupo de Estudos sobre Pós-Abolição (GEPA) foi criado no dia 24 de março de 2016, por alunos de graduação e pós-graduação em História, sob a coordenação institucional de um professor do curso da mesma instituição. O grupo tem por objetivo estudar e refletir acerca do Pós-Abolição, que além de ser um período da História do Brasil iniciado com a assinatura da Lei Áurea, em 1888, é também entendido como um campo de estudos, se dedicando a investigar os problemas vindos com a formalização da liberdade, entendida pelo negros e negras brasileiras como algo que deveria ser resguardado e consolidado, ou seja, mais do que um período na história, o Pós-Abolição também deve ser pensado enquanto problema histórico.</p> Helen da Silva Silveira Franciele Rocha de Oliveira Copyright (c) 2020 2020-07-27 2020-07-27 8 13 228 244 10.22481/recuesb.v8i13.6091 A EDUCOMUNICAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO PARA O ALCANCE DE AÇÕES SUSTENTENTÁVEIS NA REGIÃO ALTO URUGUAI/RS http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/6082 <p>O acentuado ritmo de produção, aliado à exploração e ao consumo excessivo de recursos naturais, têm levado as sociedades contemporâneas a enfrentarem níveis crescentes de degradação ambiental, colocando em risco a capacidade de resiliência dos ecossistemas necessária à sustentabilidade do planeta e à manutenção de uma boa qualidade de vida. Neste contexto, torna-se urgente o engajamento da coletividade na conservação, recuperação e melhoria do meio ambiente. Uma das formas de se alcançar isso consiste em promover a Educação Ambiental em todos os espaços da sociedade, visando um estímulo crescente e significativo de sensibilidade ambiental, através da prática da educomunicação ambiental, que atua na interface da educação e da comunicação, com o foco na formação crítica e reflexiva do público-alvo. Nesse sentido, o presente trabalho visa apresentar o Projeto Socioeducativo Alerta Ambiental, desenvolvido desde 2013 pelos acadêmicos da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul- UERGS, na região do Alto Uruguai, no Estado do Rio Grande do Sul. O projeto teve como objetivo estimular a sociedade a refletir sobre práticas cotidianas relacionadas ao uso e conservação dos recursos naturais, buscando formar um número maior de indivíduos envolvidos com a responsabilidade socioambiental, utilizando o veículo de comunicação mais utilizado na região: o rádio. O Programa Alerta Ambiental foi transmitido pelas principais emissoras, nos quatro municípios do Alto Uruguai: Erechim, Viadutos, Machadinho e Maximiliano de Almeida, abrangendo uma população estimada de 217.894 habitantes.</p> Andréia Carla Cichet Marília Camuru Inhamuns Neusa Andreolla Copyright (c) 2020 2020-07-27 2020-07-27 8 13 245 257 10.22481/recuesb.v8i13.6082 NÃO ALIMENTEM OS ANIMAIS SILVESTRES DO PARQUE: TEATRO COMO FERRAMENTA DE CONSCIENTIZAÇÃO http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7107 <p>O Parque Municipal São Francisco de Assis, em Assis Chateaubriand - PR apresenta uma problemática: a de que os visitantes têm o hábito recorrente de alimentar os animais silvestres do Parque, desconhecendo os riscos envolvidos neste comportamento. Com o objetivo de minimizar estes problemas por meio da conscientização da comunidade, o grupo de discentes extensionistas do IFPR <em>Campus </em>Assis Chateaubriand desenvolveu e vem apresentando uma peça teatral que, de forma lúdica, busca informar a comunidade sobre os riscos e consequências de alimentar os animais silvestres do Parque, e estimular uma visitação mais segura e respeitosa. Até o momento foram realizadas apresentações em 5 instituições de ensino, beneficiando um total de 790 estudantes. Por meio de perguntas feitas à plateia por uma das personagens ao final das apresentações, bem como diante dos depoimentos dos espectadores e dos estudantes atores, pode-se verificar que a iniciativa tem sido efetiva no que se refere à transmissão da mensagem pretendida, refletindo na mudança de atitudes dos ouvintes em relação à problemática tratada e contribuindo também na formação cidadã e desenvolvimento pessoal dos estudantes envolvidos no planejamento e realização desta ação.</p> Caroline Renata Batista Karina Dias Espartosa Monica Toshie Suzuki Oshika Copyright (c) 2020 Revista Extensão & Cidadania 2020-07-27 2020-07-27 8 13 258 273 10.22481/recuesb.v8i13.7107 RELATOS DE ATIVIDADES DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO REALIZADAS NO PROJETO FÁBRICA ESCOLA DE DETERGENTES http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7109 <p>Este relato traz uma compilação de atividades de ensino, pesquisa e extensão realizadas por docentes e acadêmicos colaboradores do projeto de extensão Fábrica Escola de Detergentes, do curso de Licenciatura em Química do Instituto Federal do Paraná, <em>campus</em> Palmas. O projeto iniciou em 2011, possui caráter educativo e tecnológico, que possibilita aos acadêmicos participantes o desenvolvimento de habilidades e competências nos procedimentos de domissanitários, otimização, controle de qualidade e relações teórico-práticas voltadas ao ensino de Química e aos cuidados com o meio ambiente. Além disso, o desenvolvimento das ações práticas na Educação Básica visa à sensibilização dos professores em formação inicial (acadêmicos) e em formação continuada quanto à relevância de projetos de extensão com ênfase no ensino e na pesquisa. Um dos principais focos metodológicos do projeto é o fazer prático (manipulação) dos produtos corriqueiros nas aulas de Química, com o intuito de estimular a construção de conhecimento, por meio de recursos práticos, capacitando futuros profissionais da Química com base em uma consciência ecologicamente mais correta. A contextualização do projeto Fábrica Escola de Detergentes com o ensino de Química e a integração com a comunidade oportuniza aos acadêmicos do curso o desenvolvimento de habilidades técnicas e específicas da área de ensino, possibilitando a transposição didática vivenciada na sua prática.</p> Sandra Inês Adams Angnes Gomes João Paulo Stadler Edneia Durli Giusti Graziele Del Sent da Silva Viviane Aparecida de Souza dos Santos Copyright (c) 2020 Revista Extensão & Cidadania 2020-07-27 2020-07-27 8 13 274 289 10.22481/recuesb.v8i13.7109 PROJETO GEOLOGIA E MINERALOGIA NA ESCOLA: Divulgação da geologia no âmbito escolar. http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/6088 <p>Apesar da geologia estar presente nas nossas vidas desde a hora que acordamos até a hora que vamos dormir, seus conceitos ainda são desconhecidos pela maior parte da comunidade, principalmente nas escolas públicas. O projeto de extensão realizado teve como objetivo principal fomentar atividades de divulgação do conhecimento geológico como forma de despertar o interesse da comunidade nessa área, promover sua popularização, bem como desenvolver recursos que facilitem o entendimento de temas relacionados à geologia, contribuindo assim, para o enriquecimento científico e melhorias na qualidade do ensino fundamental e médio. A maioria das escolas públicas da cidade de Vitória da Conquista não dispõe de materiais e laboratórios para facilitar o ensino dos conteúdos relacionados a temas geológicos, o que faz com que, frequentemente, os alunos tenham que se deslocar para a universidade para terem contato com esses materiais. Desta forma, o projeto executado se propôs a construir um mini acervo de rochas e minerais, além de uma cartilha, para serem usados nas aulas de Geografia e Ciências, onde são abordados os conteúdos de geologia.</p> Hortência Gomes de Brito Souza Talis Brendo Gomes do Santos Andreia Lima Sanches Copyright (c) 2020 2020-07-27 2020-07-27 8 13 290 300 10.22481/recuesb.v8i13.6088 ATIVIDADES DE EXTENSÃO E AS CONCEPÇÕES DE CIENTISTAS DE ALUNOS DO SEXTO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7110 <p>A concepção de cientistas apresentada pelos estudantes pode ser reflexo de seu cotidiano e, também, influenciada pela mídia. Muitas vezes, estas concepções veiculadas são estereotipadas e acabam não refletindo a visão real do trabalho de um cientista. &nbsp;Neste sentido, o objetivo deste trabalho foi, a partir de atividades de um projeto de extensão, investigar as concepções de cientistas de alunos de quatro escolas públicas e propor ações didáticas que possibilitassem a ressignificação dessas concepções. A metodologia desta pesquisa foi qualitativa e os dados obtidos pelos questionários e desenhos realizados pelos estudantes foram categorizados. Os resultados indicaram que a maioria dos estudantes apresenta uma visão de cientistas influenciada por programas transmitidos na televisão. A partir das atividades desenvolvidas no projeto de extensão, foi perceptível o entusiasmo dos estudantes pelas ações e muitos conseguiram perceber com mais clareza a figura do cientista e a pluralidade de seu trabalho científico.</p> Juliana Ricarda de Melo Jeane Cristina Gomes Rotta Copyright (c) 2020 Revista Extensão & Cidadania 2020-07-27 2020-07-27 8 13 301 316 10.22481/recuesb.v8i13.7110 ALÉM DO NIVELAMENTO: PERCURSO DO PROGRAMA EXTENSIONISTA CURSOS COMPLEMENTARES NA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/6092 <p>Este trabalho descreve a experiência extensionista do Programa Cursos Complementares na Universidade Estadual de Feira de Santana, desde a avaliação da demanda que lhe deu origem em 2014 até seu pleno funcionamento como programa de extensão devidamente regulamentado em 2017. Os Cursos Complementares se propõem a abordar conteúdos básicos em diversas áreas de conhecimento, proporcionando aos estudantes graduandos um melhor aproveitamento nos seus respectivos cursos de graduação, visto que alguns apresentam lacunas oriundas da educação básica. Buscam contribuir para a permanência imaterial e simbólica dos estudantes, relacionada às condições que excedem a dimensão material, e para a redução do índice de evasão. São oferecidas turmas nas áreas de Língua Portuguesa, Matemática e Informática para toda a comunidade estudantil, com prioridade para os estudantes que tiveram acesso à universidade através do sistema de reservas de vagas e os residentes universitários. Para contextualização do trabalho, este artigo apresenta o Núcleo de Apoio Psicossocial e Pedagógico da UEFS, setor idealizador e responsável pela coordenação do programa, pertencente à Pró-Reitoria de Políticas Afirmativas e Assuntos Estudantis, e fundamenta a discussão citando estudos sobre o perfil do estudante universitário, o processo de adaptação a essa nova realidade, a subjetividade relacionada ao processo formativo, entre outros temas relacionados.</p> Fernanda Almeida Ribeiro Zatti Copyright (c) 2020 2020-07-27 2020-07-27 8 13 317 330 10.22481/recuesb.v8i13.6092 Editorial http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7120 <p>Editorial</p> Marize Argolo Teixeira Luziêt Maria Fontenele Gomes Copyright (c) 2020 Revista Extensão & Cidadania 2020-07-27 2020-07-27 8 13 1 6 10.22481/recuesb.v8i13.7120 Expediente http://periodicos2.uesb.br/index.php/recuesb/article/view/7123 <p>Expediente</p> Marizete Argolo Teixeira Luziêt Maria Fontenele Gomes Copyright (c) 2020 Revista Extensão & Cidadania 2020-07-27 2020-07-27 8 13 10.22481/recuesb.v8i13.7123