Apresentação

  • Paulo Marcelo M. Teixeira

Resumo

A Revista de Iniciação à Docência (RI - Docência) é um periódico dedicado a difundir textos, reflexões, estudos teóricos, ensaios, relatos de experiência e pesquisas envolvendo problemas ligados à temática da formação de professores.


A revista mantém regime de periodicidade projetando duas edições anuais, uma ao final de cada semestre, publicando trabalhos oriundos de contextos diversos, envolvendo práticas e investigações ligadas às licenciaturas, escolas da educação básica, programas de formação de professores (inicial e continuada), programas de pós-graduação, PIBID, etc. O perfil da revista denota forte preocupação em democratizar informações e conhecimentos, englobando os trabalhos desenvolvidos em nossa Instituição – a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), como também, estudos oriundos de outras instituições disseminadas pelo País. A ideia é divulgar textos, relatos de ações, experiências e pesquisas individuais e/ou coletivas ligadas à formação docente, com especial atenção às questões relacionadas para a iniciação à docência, refletindo os avanços, entraves e limitações deste campo de conhecimentos e práticas, contribuindo para a valorização de iniciativas voltadas para a melhoria da formação de professores, como também, para a geração de transformações nas práticas pedagógicas, tanto nas escolas, quanto nos cursos de formação docente no contexto da educação superior.


Neste sentido, mais uma vez, convidamos os interessados da UESB, e de outras instituições brasileiras e de fora de nosso País, a enviarem artigos para a composição dos próximos números da Revista. Os originais deverão ser preparados e submetidos dentro das regras fixadas pela Editoria do Periódico. Para auxiliá-los nessa tarefa, favor verificar as normas preliminares para submissão de trabalhos nas páginas finais deste número. A apreciação dos manuscritos recebidos será realizada em conjunto com pareceristas “ad hoc” selecionados pela Editoria da Revista, composta por docentes desta e de outras universidades parceiras.


Neste número de RI – Docência (v. 3, n. 1, 2018) apresentamos cinco artigos oriundos de trabalhos diversos realizados no âmbito das atividades do PIBID, cursos de licenciatura, pesquisas vinculadas a trabalhos de conclusão de curso, pesquisas realizadas na pós-graduação e outras atividades no âmbito da formação para a docência. Na sequência, apresentamos breve síntese do conteúdo de cada artigo proposto para esta edição da Revista.


Os três primeiros artigos deste número são textos relativos ao PIBID. No primeiro caso, temos um artigo cujo objetivo foi trazer resultados da análise do projeto da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, relativo ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência, a partir da perspectiva de seus egressos. Os dados foram constituídos pelas respostas de 53 ex-bolsistas de iniciação à docência a um questionário online, as quais as respostas foram submetidas à análise de conteúdo. Os resultados positivos apontados pelas pesquisadoras estão coadunados com os objetivos centrais do Programa. No entanto, elas constatam que o projeto necessita de aprimoramentos e de um acompanhamento mais preciso para que os bolsistas possam aproveitar todo seu potencial formativo. Em conexão com os resultados de outros estudos já encontrados na literatura, a pesquisa mostra a importância do PIBID para a melhoria da formação docente e para fomentar o interesse dos licenciandos pelo magistério. O trabalho também sugere que os resultados das pesquisas deveriam ser levados em conta nas avaliações realizadas sobre o referido Programa.


No segundo trabalho, o artigo traz um estudo preliminar de mapeamento sobre as produções relativas ao PIBID na história do Congresso Internacional sobre Professor Principiante e Inserção Profissional à Docência (CONGREPRINCI). Para isso, os autores realizaram um levantamento dos trabalhos relativos ao PIBID no site do referido Congresso e, posteriormente, analisaram esses trabalhos em sua íntegra. O mapeamento revelou que o PIBID, apesar de não se tratar especificamente de uma iniciativa para professores em início de carreira, se mostra, no contexto brasileiro e da América Latina, como um programa de fundamental importância no sentido de favorecer o preparo dos licenciandos para o início da carreira docente.


No terceiro caso, o trabalho está relacionado ao PIBID, mas focalizando particularmente a formação dos licenciandos em Química e as ações desenvolvidas por meio do subprojeto de Química da UESB, campus Itapetinga/BA. O trabalho relata e examina ações construídas por meio das reuniões semanais; destaca o trabalho realizado no subprojeto, que teve início em 2012, com atividades voltadas para fortalecimento da parceria entre a UESB e as escolas cadastradas, a maior integração dos licenciandos com o curso e com a realidade da educação básica, o desenvolvimento e aplicação de práticas inovadoras para o ensino de Química. Por meio da análise desenvolvida o pesquisador salienta a contribuição do subprojeto para a formação inicial de professores de Química, bem como a aproximação dos licenciandos em relação ao cotidiano das escolas públicas da rede estadual na região.


Na sequência, finalizando este número de Rid-UESB, temos dois textos. O primeiro é oriundo de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) dedicado à análise de experiências no ensino de Ciências e Biologia para estudantes surdos em escolas públicas na cidade de Jequié-BA, considerando a perspectiva de professores e intérpretes de Libras. Trata-se de uma pesquisa desenvolvida em três escolas públicas do referido município, selecionadas por atenderem alunos surdos matriculados. Esses alunos cursaram as disciplinas de Ciências ou Biologia com o acompanhamento do Intérprete Educacional durante as aulas. Participaram também da pesquisa três professores de Ciências, dois professores de Biologia e cinco Intérpretes Educacionais. Todos esses profissionais atuaram juntos durante o período letivo de 2017. Os resultados apontam como principais dificuldades a falta de formação dos professores, dificuldades dos intérpretes com os conteúdos específicos, e a falta de comunicação entre os professores e intérpretes. Como possibilidades para uma melhor educação dos estudantes surdos os autores apontam o oferecimento de cursos de Libras para os professores no momento das atividades complementares, maior interlocução entre o professor da classe e o intérprete, e o uso de metodologias e de recursos tecnológicos adequados.


O segundo trabalho relata uma experiência de uso do livro paradidático “A vida secreta das Formigas”, no ensino de Zoologia, investigando seu potencial em termos de ensino e aprendizagem. A pesquisa foi desenvolvida em uma escola estadual do município de Jequié-BA, envolvendo 34 alunos do ensino fundamental, com idades entre 11 e 12 anos. Os dados foram obtidos por meio de entrevistas, redações e desenhos elaborados pelos alunos. Com o levantamento dos saberes prévios dos alunos foi possível observar que eles possuíam um conhecimento superficial sobre as formigas, com ideias baseadas em observações do dia-a-dia. Conforme explicam as autoras, após a realização das atividades com a aplicação do material, esse conhecimento foi moldado em suas estruturas cognitivas e redefinido em conhecimentos científicos e, como resultado, houve a aprendizagem significativa.


Novembro, 2018


Prof. Dr. Paulo Marcelo M. Teixeira


Editor

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-11-15
Como Citar
TEIXEIRA, Paulo Marcelo M.. Apresentação. Revista de Iniciação à Docência, [S.l.], v. 3, n. 1, nov. 2018. ISSN 2525-4332. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/rid/article/view/4429>. Acesso em: 19 dez. 2018.