CONTAMINAÇÃO MICROBIOLÓGICA DAS CÉDULAS MONETÁRIAS CIRCULANTES EM FEIRA LIVRE DO INTERIOR DO ESTADO DA BAHIA

  • Isabela Pereira Queiroz
  • Laíze Aparecida Nunes Lopes Campos
  • Micaela Leite Fernandes
  • Luciano Pereira Rosa
  • Francine Cristina Silva Rosa

Resumo

O dinheiro é talvez o artigo mais trocado por pessoas em todo o mundo servindo como reservatório de microrganismos que podem ser transmitidos entre a população. O objetivo do presente estudo foi analisar a contaminação das cédulas monetárias circulantes em feira livre do interior da Bahia por espécies de relevância clínica como as Enterobactérias, Staphylococcus spp. e espécies de Candida, além de analisar a contaminação geral. Foram coletadas amostras das superfícies de 50 cédulas em circulação na feira livre. As amostras foram identificadas e no laboratório foram agitadas obtendo-se uma suspensão inicial e a partir dessa foram realizadas diluições decimais que foram semeadas em duplicata em placas de Petri contendo os meios de cultura Ágar-sangue, Ágar Sabouraud dextrose com cloranfenicol, Ágar salgado manitol e Agar MacConkey. As placas foram incubadas a 37ºC/ 24h (5 dias a temperatura ambiente para crescimento de fungos). Os resultados obtidos em UFC/mL foram analisados pelo teste estatístico ANOVA (5%). Pôde-se concluir que nas cédulas monetárias foram coletadas amostras de todos os microrganismos de interesse no estudo e que existe necessidade de implementação de políticas públicas para minimização da contaminação das cédulas enfatizando os bons hábitos de higiene pessoal entre a população.

DOWNLOADS

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-03-19
Como Citar
PEREIRA QUEIROZ, Isabela et al. CONTAMINAÇÃO MICROBIOLÓGICA DAS CÉDULAS MONETÁRIAS CIRCULANTES EM FEIRA LIVRE DO INTERIOR DO ESTADO DA BAHIA. Saúde.com, [S.l.], v. 15, n. 1, mar. 2019. ISSN 1809-0761. Disponível em: <http://periodicos2.uesb.br/index.php/rsc/article/view/4307>. Acesso em: 17 ago. 2019. doi: https://doi.org/10.22481/rsc.v15i1.4307.
Seção
Artigos originais