APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender <section style="text-align: justify; padding: 3px;"><strong>APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação</strong> é uma publicação que pretende divulgar trabalhos sobre o processo educacional em suas variáveis filosóficas e psicológicas ou contribuições de outras áreas do saber. <strong>e-ISSN: 2359-246X</strong> / ISSN impresso: 1678-7846 (última edição impressa publicada: nº 13, jul./dez. 2014). <section></section> </section> pt-BR zamara.araujo@uesb.edu.br (Zamara Araujo) periodicos@uesb.edu.br (Editora UESB) ter, 21 dez 2021 12:37:40 -0300 OJS 3.2.1.1 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 DA IMPOSSIBILIDADE DE UMA EDUCAÇÃO TOLERANTE https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/8523 <p>O texto, neste artigo, trata de uma educação para tolerância, desenvolvida numa sociedade liberal. Entretanto, a assertiva a qual chegamos é a da impossibilidade desta tolerância, sob esse tipo de sociedade. Para tal constatação, realizamos uma investigação a respeito do conceito de tolerância talhado por Voltaire e Locke. Acompanhamos, ainda, a escuta deste conceito, em outras referências, agora contemporâneas. Assim, construímos dois quadros teóricos a partir de duas fontes seguras acerca do tema. Para a primeira delas, consideramos o livro <em>Da Tolerância,</em> de Michael Walzer (1999). Sobre a segunda, investigamos o livro <em>Two Faces of Liberalism, </em>de John Gray (2000). O primeiro livro finaliza o século XX e o segundo inicia o século XXI, dois momentos históricos importantes, o fim e o começo de séculos, para pensar um conceito cujas forças epistemológicas e ética podem ser observadas em tempos de diferenças brutais, pujantes nas sociedades, de modo particular na educação, na política e na filosofia.</p> Alexandre Campelo, Rita Pimenta Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/8523 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 CAMPO E HEGEMONIA: PROXIMIDADES ENTRE BOURDIEU E GRAMSCI E A ANÁLISE DOS PROCESSOS EDUCACIONAIS https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7734 <p>O artigo discute as possibilidades de articulação entre as abordagens teóricas de Pierre Bourdieu e Antonio Gramsci para a análise das sociedades modernas. São comentados conceitos centrais de Bourdieu como campo social e <em>habitus</em> de classe bem como o de hegemonia de Antonio Gramsci, verificando-se a presença de elementos que permitem interrelacionar seus conceitos, ainda que os dois autores tenham orientações teóricas díspares, abrindo novas perspectivas de análise.</p> Máximo Augusto Campos Masson Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7734 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 O PRINCÍPIO EDUCATIVO DO TRABALHO E A IMPORTÂNCIA SOCIAL DA INCLUSÃO DE TRABALHADORES COM DEFICIÊNCIA https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/6370 <p>Tem-se por objetivo ultrapassar uma compreensão do trabalho como sendo apenas uma troca mercantil e compreendê-lo como uma atividade social central à significação/ressignificação humana. Faz-se um ensaio teórico que propõe uma reflexão a partir dos conceitos de signos e instrumentos apresentados por Vygotsky em debate com o conceito de trabalho real discutido na Ergologia. A aproximação entre a Ergologia e o entendimento de Vygotsky acerca da formação social da mente permite inferir que, assim como os signos são mediadores no desenvolvimento das crianças, na vida adulta, a partir do uso de instrumentos e do contato social, o trabalho se apresenta como uma categoria central que possibilita aos humanos se desenvolverem, serem reconhecidos e se reconhecerem enquanto sujeitos. Logo, o trabalho deve ser concebido com um direito social, não como privilégio de alguns. Portanto, as pessoas com deficiência não podem ter o direito ao trabalho cerceado.</p> Naim Rodrigues de Araújo Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/6370 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 EXPEDIENTE https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/10046 <p>Expediente do número 26 - Jul./Dez. 2021</p> <p>Artigos Dossiê <em>Educação para altas habilidades ou superdotação:&nbsp; interfaces entre intervenção, ações formativas e políticas públicas</em></p> <p>Fluxo contínuo - Artigos livres</p> Zamara Araujo dos Santos Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/10046 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 APRESENTAÇÃO https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/10047 <p>Apresentação do Dossiê <em>Educação para altas habilidades ou superdotação:&nbsp; interfaces entre intervenção, ações formativas e políticas públicas</em></p> Rosemeire de Araújo Rangni, Josilene Domingues Santos Pereira, Fabiana Oliveira Koga Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/10047 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 ENTREVISTA - ZENITA CUNHA GUENTHER: FILOSOFIA, PSICOLOGIA E EXPERIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO DE DOTADOS E TALENTOSOS NO BRASIL https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/10045 <p>Nesta entrevista, o leitor encontrará o olhar singular e dinâmico da renomada psicóloga Zenita Guenther sobre o trabalho que ela desenvolveu em prol da educação de crianças e jovens dotados e talentosos no Brasil.<strong>&nbsp; </strong></p> Zenita Cunha Guenther, Rosemeire de Araújo Rangni, Josilene Domingues Santos Pereira, Fabiana Oliveira Koga Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/10045 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 IDENTIFICAÇÃO DA DUPLA EXCEPCIONALIDADE EM ADULTO: UM CASO DE ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO E TDAH https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/8567 <p>O objetivo do presente artigo foi relatar um caso de avaliação neuropsicológica conduzida junto a um adulto que resultou no diagnóstico de dupla excepcionalidade relacionada à presença de Altas Habilidades/Superdotação (AH/SD) e Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH). A avaliação contou com sete sessões compostas de administração de instrumentos psicológicos e neuropsicológicos, juntamente de observações clínico-qualitativas. Teve-se como aporte teórico para o atendimento o modelo de “Competências funcionais em neuropsicologia clínica”. Os dados foram agrupados em habilidades neurocognitivas avaliadas, a saber: inteligência, funções executivas chamadas “frias”/cognitivas, habilidades escolares e habilidades socioemocionais. De modo geral, os resultados demonstraram altos valores de Quociente Intelectual, mas déficits em funções executivas e em habilidades socioemocionais. O perfil apresentado pelo paciente foi discutido de acordo com a literatura na área, e, consequentemente, de modo que o identificou com dupla excepcionalidade entre AH/SD e TDAH. Discussões sobre a identificação tardia do quadro também são apresentadas, bem como sugestões para o suporte adequado às suas necessidades específicas.</p> Mariana Rodrigo do Vale Costa e Silva, Rauni Jandé Roama-Alves, Tatiana de Cássia Nakano, Bárbara David Rech Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/8567 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 CONTRIBUIÇÕES DO AEE PARA ESTUDANTES COM INDICADORES DE SUPERDOTAÇÃO: O OLHAR DOS EDUCADORES, DAS FAMÍLIAS E DAS CRIANÇAS https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/8733 <p>A estimulação de estudantes com Altas Habilidades/Superdotação (AH/SD) é imprescindível para o seu desenvolvimento global. No Brasil, essa estimulação é um direito garantido na legislação, por meio do Atendimento Educacional Especializado (AEE), desde a educação básica ao ensino superior, apesar desses estudantes nem sempre terem acesso a ela por razões diversas, dentre elas: a falta de identificação dos indicadores de AH/SD desses estudantes nos contextos escolares, escassez de políticas públicas mais efetivas para oferta do AEE, por exemplo. &nbsp;Por conseguinte, esta investigação apresenta um estudo de caso desenvolvido no Núcleo de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação (NAAHS/S) do Amazonas, visando compreender a contribuição do AEE para a estimulação de estudantes com indicadores de AH/SD. Para tanto, realizaram-se entrevistas semiestruturadas com os envolvidos no processo: estudantes, pais/responsáveis e educadores, considerando que suas vozes são fundamentais para a análise dos contributos do AEE para o desenvolvimento das AH/SD dos estudantes.</p> Andrezza Belota Lopes Machado, Lucinete Tavares da Costa Queiroz Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/8733 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 EL PROGRAMA INTEGRAL PARA ALTAS CAPACIDADES (PIPAC): 18 AÑOS DE EXPERIENCIA https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/10041 <p>El alumnado más capaz, debido a sus características diferenciales, requiere de una respuesta educativa específica. Sin embargo, aún queda camino por recorrer en este sentido, ya que su detección e identificación está muy por debajo de los estándares señalados por los expertos y la respuesta educativa necesaria sigue siendo insuficiente. Por tanto, es imprescindible diseñar programas, tanto intra como extraescolares que, además, incorporen a la familia, pues son uno de los principales agentes de detección y tienen un importante papel en la respuesta educativa de sus hijos. Así, en la Universidad de La Laguna se pone en marcha el <em>Programa Integral para Altas Capacidades (PIPAC)</em> cuya finalidad es contribuir al desarrollo de este alumnado a nivel cognitivo, socioafectivo y comportamental, a lo largo de diversos cursos e integrando en él a la familia. Este programa ha ido evolucionando y adaptándose a las características y necesidades de los participantes, así como a las circunstancias derivadas de la actual situación de crisis sanitaria. En el presente artículo se muestran las características y fortalezas que favorecen el éxito del programa, así como su reciente adaptación al formato online y la contribución de la Universidad de La Laguna a las altas capacidades intelectuales.</p> Manuela Rodríguez Dorta, Triana Aguirre Delgado, África Borges Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/10041 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 ALTAS HABILIDADES OU SUPERDOTAÇÃO E EDUCAÇÃO SUPERIOR: UM ESTUDO DE CASO https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/8436 <p>Com o intuito de estudar o fenômeno das Altas Habilidades ou Superdotação (AH ou SD) na Educação Superior, buscou-se analisar a experiência de acesso ao Ensino Superior por um estudante com AH ou SD. Trata-se de um estudo de caso, no qual um estudante autodeclarado AH ou SD participou de entrevista semiestruturada, que posteriormente, foi transcrita e analisada pelo procedimento da análise da configuração textual. Por meio da fala do estudante com AH ou SD foi possível compreender as interferências da condição socioeconômica e familiar em seu desenvolvimento. Além, da ânsia pelo conhecimento e busca por melhores oportunidades de estudo. Enfatiza-se a inteligência emocional e a capacidade acadêmica, principalmente, o senso de lógica e objetividade, que deram ao estudante estruturação e força para suportar as dificuldades em sua vida. O acesso ao ensino superior foi conquistado por meio da consciência, resiliência, paciência e transgressão. Por outro lado, a ausência de acolhimento, identificação de estudantes com AH ou SD e condições de permanência no ensino superior foram enfatizadas em sua fala e expostas como barreiras para uma trajetória de formação profissional que preze pelo desenvolvimento humano.</p> Amabriane da Silva Oliveira Shimite, Nilson Rogerio da Silva, Fabiana Oliveira Koga Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/8436 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 ALTAS HABILIDADES OU SUPERDOTAÇÃO E HABILIDADES SOCIAIS: ANÁLISE DE PRODUÇÕES NACIONAIS E INTERNACIONAIS https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/8454 <p>O objetivo da presente pesquisa foi levantar e analisar produções acadêmicas nacionais e internacionais que versem sobre as Habilidades Sociais (HS) e pessoas com Altas Habilidades ou Superdotação (AHSD). Para tanto, foi realizada uma pesquisa bibliográfica, com busca em banco de dados acadêmicos nacionais e internacionais. Foram encontradas somente seis produções sobre o tema e a análise dos resultados apontou haver déficits em HS em pessoas com AHSD, principalmente na adolescência e na juventude. Assim, sugere-se mais pesquisas que averiguem os fatores que levam aos déficits em HS e que contribuam para melhorar a qualidade de vida dessas pessoas.</p> Helen Cristiane da Silva Theodoro, Rosemeire de Araújo Rangni Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/8454 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 ATENDIMENTO ÀS NECESSIDADES SOCIOEMOCIONAIS DE ESTUDANTES COM DUPLA EXCEPCIONALIDADE: REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA INTERNACIONAL https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/10042 <p>Estudos sobre a dupla excepcionalidade têm aumentado na literatura da educação de dotados e talentosos. Estudantes duplamente excepcionais (2E) demonstram capacidades elevadas em uma ou mais áreas associadas a uma deficiência ou transtorno/distúrbio ou síndrome e necessitam de intervenções socioemocionais e acadêmicas que atendam as duas excepcionalidades. O objetivo deste artigo é apresentar as práticas de atendimento, no âmbito socioemocional, para esse público ao realizar uma revisão integrativa da literatura internacional, publicada de 2018 a 2020. Foram encontrados treze artigos (N=13). Desse total, apenas quatro (N=4) foram resultados de pesquisas empíricas. Os resultados apontaram que: (i) os estudantes 2E necessitam de diversos apoios, na escola e na família, visando ao desenvolvimento cognitivo, social e emocional; (ii) há poucas evidências empíricas sobre intervenções específicas para esse público; (iii) as intervenções, no âmbito socioemocional, são necessárias não só para o bem-estar socioemocional dos estudantes 2E como também para a melhoria do desempenho acadêmico; (iv) as intervenções efetivas devem ser focadas nos talentos e nos potenciais e, ao mesmo tempo, oferecer apoio para as necessidades acadêmicas e socioemocionais. Conclui-se que são necessárias pesquisas empíricas com intervenção que possam estabelecer relações causais entre as estratégias e os resultados para o desenvolvimento socioemocional desses estudantes.</p> Josilene Domingues Santos Pereira, Rosemeire de Araújo Rangni Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/10042 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 CONCEPÇÕES SOBRE ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO: REFLEXÕES COM BASE NA DISCURSIVIDADE DOCENTE https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/8833 <p><strong>RESUMO:</strong> A categoria docente ainda se mostra inabilitada para atender, educacionalmente, as pessoas com altas habilidades/superdotação (AH/SD), visto que essa especificidade é pouco discutida nos âmbitos escolares, o que desencadeia muitas concepções mitológicas e preconceituosas a despeito desse alunado e de como atendê-lo. Diante deste cenário, ilustra-se cada vez mais o imperativo de conhecer o que pensam os professores sobre o referido fenômeno, pois os processos de identificação e de atendimento aos estudantes com indicadores de AH/SD perpassam, substancialmente, pelas ações docentes. Com base no exposto, esta pesquisa objetivou investigar as concepções sociais docentes sobre AH/SD, de maneira a analisarmos quais as premissas explicativas que fundamentaram essas representações. A amostra foi constituída por onze professores pertencentes à Educação Infantil, cujos depoimentos foram analisados segundo o método do Discurso do Sujeito Coletivo. Nos resultados, fizeram-se presentes concepções inverídicas; evidenciaram-se conceitos alinhados a Teoria dos Três Anéis e desvelaram-se conhecimentos superficiais quanto à temática investigada. Neste contexto, refletimos que tanto a formação inicial como a continuada deve discutir, com os professores, conhecimentos científicos sobre esta área, para que uma educação mais exitosa e comprometida com o desenvolvimento de potenciais seja efetivamente oferecida ao público com AH/SD.</p> <p>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> Jeanny Monteiro Urquiza, Bárbara Amaral Martins Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/8833 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O RECONHECIMENTO DAS ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/8160 <p>A legislação ampara o atendimento de estudantes com altas habilidades/superdotação, entretanto, ainda se observa sua invisibilidade. A formação continuada é uma estratégia viável para superar este problema, pois os professores poderão identificá-los com mais precisão. Este trabalho avaliou a efetividade de um programa de formação continuada comparando os resultados obtidos antes e depois da formação. Participaram 30 professores, sendo 97% do sexo feminino, que, responderam ao questionário Avaliação de conhecimentos acerca da superdotação, que foi preenchido novamente no final do curso junto com o formulário de avaliação do mesmo. Os dados foram analisados pelo software <em>Statistical Package for the Social Sciences</em> e pelo Iramuteq. Em relação à avaliação do curso, 100% dos cursistas apontaram que os objetivos foram cumpridos. O ACAS mostrou melhora no desempenho após a intervenção. Conclui-se que os professores compreenderam o tema sendo capazes de reconhecer e atender estes estudantes.</p> Denise Rocha Belfort Arantes-Brero, Vera Lucia Messias Fialho Capellini Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/8160 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO: UMA LARGA BRECHA ENTRE AS LETRAS DO PAPEL E O CHÃO DA ESCOLA https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/10043 <p>O artigo apresenta o histórico de encontros e desencontros entre as diversas legislações, normas, políticas públicas de Educação Especial e demais documentos educacionais brasileiros relacionados às Altas Habilidades/Superdotação e seus reflexos positivos e negativos nas práticas educacionais desde o início do século XIX até o ano 2021.</p> Susana Graciela Pérez Barrera Pérez Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/10043 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 JOVENS SUPERDOTADOS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: UM DESAFIO PARA DOCÊNCIA https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/8632 <p>O estudo trata das políticas de identificação e cuidado de jovens superdotados no contexto de uma universidade pública brasileira. O objetivo principal da pesquisa foi investigar se os professores universitários reconhecem os alunos superdotados, como o fazem e quais as estratégias metodológicas que adotam para a sua inserção educacional na universidade. Verificou-se que a invisibilidade desses estudantes ocorre tanto na sua precária identificação nas políticas nacionais, como na falta de <em>locus</em> nas universidades que apoiem suas especificidades educacionais. A falta de formação na universidade sobre a temática da superdotação impacta diretamente a prática pedagógica dos professores, que demonstram dificuldades em identificá-los como público-alvo da educação especial.</p> Denise Maria de Matos, Laura Ceretta Moreira, Cleuza Kuhn Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/8632 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA E IDENTIFICAÇÃO DAS ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO NA VIDA ADULTA https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/10039 <p>O processo de identificação e avaliação das AH/S estabelece-se como um desafio e de suma importância em qualquer fase da vida, sobretudo na vida adulta, permitindo encaminhamentos e intervenções adequadas. Considerando a relevância do tema e a carência de produções nacionais, este estudo teve como objetivo descrever e analisar um estudo de caso de avaliação de AH/S de uma paciente adulta da cidade de Curitiba-PR. A avaliação foi composta por instrumentos psicológicos quantitativos e instrumentos qualitativos para investigação da superdotação, além de informações advindas da família. Os dados revelam altos índices nos testes de desempenho de inteligência, memória e atenção. Quanto aos aspectos emocionais, a avaliada demonstra a presença de certo nível de ansiedade, baixa autoestima e postura autocrítica. Quanto aos aspectos de criatividade, apresenta estilo preferencial inconformista transformador. No que tange ao perfil das AH/S, a avaliada evidenciou habilidade acima da média, envolvimento com a tarefa e criatividade, o que corrobora que ela apresenta comportamentos de superdotação, nos pressupostos teóricos de Renzulli (2014). Os dados levantados propiciaram à avaliada maior autoconhecimento e ressignificação de crenças a seu próprio respeito, fortalecendo sua autoestima, favorecendo encaminhamentos e direcionamentos na vida pessoal e profissional, contribuindo com o desenvolvimento, expressão e valorização do seu potencial.</p> Karina Nalevaiko Rocha, Karina Inês Paludo, Solange Muglia Wechsler Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/10039 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 TEMAS CONTEMPORÂNEOS EM DOCÊNCIA UNIVERSITÁRIA E FORMAÇÃO DOCENTE https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/10048 <p>A presente resenha versa sobre a obra “Docência universitária e formação docente: perspectivas, movimento e inovação pedagógica”, publicada por Pedro e João Editores, que reúne um conjunto de artigos referentes à docência universitária e formação docente.</p> Fábio Viana Santos, Patrícia Sinara Gomes Santos Sena, Tiago Melo de Oliveira Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/10048 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300 RESENHA DA SÉRIE “O COMEÇO DA VIDA”: COMO A PARENTALIDADE, O BRINCAR E O VÍNCULO AFETIVO INFLUENCIAM NO DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA. https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/6767 <p>A série “O Começo da Vida” aborda o tema “aprendizagem” desde o momento intrauterino até os seis anos de idade e foi gravada com diferentes famílias em contextos distintos de nove países diferentes. É notável a discussão de como a parentalidade, o brincar e o vínculo afetivo influenciam diretamente no desenvolvimento físico, cognitivo, emocional, cultural, na melhor integração e socialização entre pares e no convívio familiar. A mensagem deixada pela série é um alerta aos parentes, adultos de referência e à comunidade acadêmica sobre a necessidade de um olhar atencioso e afetuoso para a Primeira Infância.</p> João Victor Gomes Magalhães Garcia, Amanda Séllos Rodrigues, Mariana Gavioli de Oliveira, Flávia Lage Pessoa da Costa Copyright (c) 2021 APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0 https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/6767 ter, 21 dez 2021 00:00:00 -0300