APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender <section style="text-align: justify; padding: 3px;"><strong>APRENDER - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação</strong> é uma publicação que pretende divulgar trabalhos sobre o processo educacional em suas variáveis filosóficas e psicológicas ou contribuições de outras áreas do saber. <strong>e-ISSN: 2359-246X</strong> / ISSN impresso: 1678-7846 (última edição impressa publicada: nº 13, jul./dez. 2014). <section></section> </section> pt-BR zamara.araujo@uesb.edu.br (Zamara Araujo) periodicos@uesb.edu.br (Editora UESB) seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 OJS 3.2.1.1 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 EXPEDIENTE https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7778 <p>Expediente do n. 24 - <strong>DOSSIÊ </strong><strong>A SUPER-EDUCAÇÃO DOS HERÓIS E HEROÍNAS - HQS, FILMES, SÉRIES...</strong></p> Zamara Araujo Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7778 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 APRESENTAÇÃO https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7781 <p><span style="font-family: 'Garamond',serif;">APRESENTAÇÃO - <strong><span style="font-family: 'Garamond',serif; font-weight: normal;">DOSSIÊ A SUPER-EDUCAÇÃO DOS HERÓIS E HEROÍNAS - HQS, FILMES, SÉRIES...</span></strong></span></p> <p><strong> </strong></p> <p><strong> </strong></p> Leonardo Maia Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7781 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 ENTRE O BEM E A GLÓRIA: SUPER-HERÓIS COMO MODELO ÉTICO E POLÍTICO https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7741 <p>O presente artigo pretende expor e analisar algumas características dos modelos éticos e políticos de conduta dos super-heróis. Para tanto, procura oferecer um contraste entre eles e os heróis dos épicos homéricos. Após enfatizar a importância dessas figuras e da obra de Homero para a educação dos gregos antigos, realiza uma breve análise dos valores que regem as ações dos personagens mais notáveis dos épicos, tais como Aquiles, Odisseu e Heitor, a partir da qual podemos ressaltar, pela comparação, uma diferença e uma semelhança entre esses heróis e os super-heróis. Recorrendo à noção de justiça em Platão e, posteriormente, à teoria da ação de Hannah Arendt, o artigo procura articular a aparente contradição entre essas duas características – a busca da excelência e a rejeição à glória – analisando a primeira aparição do Superman e os filmes <em>Batman - O Início</em> e <em>Batman: Cavaleiro das Trevas</em>. Dessa análise conclui-se que a identidade secreta, expressão mais típica desses impulsos antagônicos, ao menos nesses casos tão paradigmáticos, resolve a contradição, ou ao menos a suspende, por meio da marginalização do super-herói. Ao final, o artigo sugere possíveis novas análises que caminhem em sentido semelhante.</p> Heitor Coelho Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7741 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 THOR - UMA ABORDAGEM CONTEMPORÂNEA DO BILDUNGSROMAN https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7744 <p>No presente artigo foram analisados os filmes “Thor” (2011) e “Thor: Mundo Sombrio” (2013), verificando influências e semelhanças com o processo de formação da experiência vivenciada no movimento literário alemão, o <em>Bildungsroman</em> (Romance de Formação). A partir da obra “Os anos de aprendizagem de Wilhelm Meister”, do escritor alemão Johann W. Von Goethe, observamos a importância da formação do caráter, da moral, nessa personagem, e seus reflexos para a formação dos leitores e, no caso dos filmes de super-heróis, dos espectadores.</p> Diogo Henrique Feliciano de Oliveira, Leonardo Maia Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7744 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 PRINCESAS EM PLENO SÉCULO XXI? – HISTÓRIAS PARA MENINAS E MULHERES EMPODERADAS https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7746 <p>Os enredos de filmes de heróis ou de ação e de desenhos animados, até bem poucas décadas, privilegiavam personagens masculinas; as femininas, em geral, eram ou o motivo romântico ou a mocinha a ser resgatada. Por isso, pretende-se discutir como filmes infantis, centrados em personagens femininas fortes, oferecem modelos para as meninas se reconhecerem nas jornadas de suas personagens e motivos de aprendizado. São heroínas, fortes, decididas, que fogem ao estereótipo de princesas frágeis à espera de um príncipe que as beije e as faça feliz no <em>The End</em>. Elas podem ser consideradas personagens que pavimentaram, na cultura pop, o caminho para a visibilidade do chamado empoderamento das mulheres na sociedade ocidental.</p> Valéria Cristina Lopes Wilke Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7746 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 MULHER-MARAVILHA E AS VIRTUDES MARAVILHOSAS https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7747 <p>As histórias em quadrinhos são meios que usam as imagens junto com o texto para criar narrativas. A personagem Mulher-Maravilha foi criada para este meio em 1942, surgindo como um ícone do movimento feminista. Contudo, as lições da amazona ensinam virtudes para todos. O viver bem que suas narrativas gráficas orientam revela atitudes cujos impactos levam a benefícios individuais e coletivos. Em vários enredos há temas como justiça, compaixão, conhecimento, temperança, sabedoria, coragem, generosidade e humildade. Embora vários aspectos da personagem tenham se modificado ao longo dos seus 80 anos de existência, sua essência educadora é uma constante enriquecedora.</p> Carolina dos Santos Jesuino da Natividade, Célio Juvenal Costa Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7747 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 SUPER-HOMEM, E A MITOLOGIA MODERNA NOS SUPER-HERÓIS DE HQS https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7782 <p>O artigo aborda a história do surgimento das revistas em quadrinhos, em particular das revistas de super-heróis. Analisa a origem dos super-heróis na mitologia grega e explica o surgimento do Super-Homem, seus significados, teológicos e culturais. Mostra os temas ético-morais presentes na história do Super-Homem.</p> <p>&nbsp;</p> Susana de Castro Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7782 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 A PERMANÊNCIA DO MITO DO HERÓI: EDUCAR PELO EXEMPLO https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7757 <p>Nosso artigo 4 busca traçar um estudo comparativo entre Aquiles e Superman, enquanto fonte de<br>educação por meio do exemplo vivo. Para tanto, recorremos ao conceito de areté, presente desde os tempos<br>homéricos, para pensarmos sobre as alterações ou permanências desse conceito, bem como da presença dos<br>super-heróis na contemporaneidade de modo significativo.</p> Jennifer Andresa da Silva Cabrera, Angela Zamora Cilento Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7757 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 O SUPERANTÍTESE - OBSERVAÇÕES SOBRE A CONDIÇÃO RETÓRICA DO SUPERMAN https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7758 <p>O artigo é uma breve investigação dos problemas gerados pela disposição antitética dos elementos formadores do mito de origem do Superman. Apesar de se tratar de uma narrativa tardia, ela acabou dando consistência a uma interface dúbia do herói: uma excepcional redenção do americano médio.</p> Rafael Viegas Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7758 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 A VIOLÊNCIA ANIMADA: NOTAS SOBRE ASSOCIAÇÕES ENTRE A VIOLÊNCIA, O HEROÍSMO E SUA INFLUÊNCIA SOBRE A CRIANÇA https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7775 <p>As séries de animação ou desenhos animados que trazem como protagonistas super-heróis são bastante populares e têm em comum a presença de cenas de violência física nos momentos de resolução de conflitos e enquanto ápice da luta pela defesa moral pelo bem-estar da humanidade. Os super-heróis retratados nos desenhos usam uniforme, têm poderes sobre-humanos ou acesso a recursos tecnológicos avançados para combater o crime. Dedicam-se à missão de proteger a humanidade de qualquer ameaça, tendo como mais alto valor a justiça, ainda que isso implique matar pessoas e criaturas, destruir prédios e cometer atos de violência. Pode-se constatar que a associação entre heroísmo e violência física e, até mesmo entre justiça e violência, são aspectos apresentados nos desenhos animados. Este trabalho procura demonstrar, através de revisão bibliográfica, como os atos de violência física estão associados a atos considerados heroicos dentro do universo da trama do desenho animado, apresentando-se como moralmente justificado ou necessário e como isso tem influência na resolução de conflitos reais por parte da criança, além de sua influência no brincar.</p> Raveni Joazeiro Silva, Ana Lúcia Castilhano Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7775 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 VILÕES E ANTI-HERÓIS: PERCEPÇÕES DE ADOLESCENTES SOBRE LIDERANÇAS POLÍTICAS https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7777 <p>Este artigo refere-se a um estudo de prevalência de caráter quanti-qualitativo que objetivou compreender as percepções que adolescentes têm sobre o perfil de um líder político e como representam a construção de uma identidade voltada para a formação ética. A coleta com 219 adolescentes entre 10 e 13 anos consiste em um questionário escrito e elaborado para esta pesquisa, com foco em vilões e anti-heróis da TV e do cinema. A linha teórica se concentra na área da Psicologia da Educação e os resultados mostram como os jovens internalizam seus valores a partir de modelos significativos, como projetam a sua participação social, e como constroem elementos identitários para o civismo.</p> Denise D’Auria-Tardeli, Lucian da Silva Barros Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7777 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 O PAPEL DO FÃ EM KICK-ASS: UMA ANÁLISE DO FANDOM COMO FERRAMENTA DIDÁTICA https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7779 <p>O objetivo deste artigo é elucidar as possibilidades de uso da imagem do fã enquanto personagem, em histórias em quadrinhos e filmes de super heróis. Para tal, este texto analisa algumas das estratégias utilizadas na produção de mídias nessa temática, demonstrando a sua importância para a construção da identidade de seu público alvo. Posteriormente, através da análise da série de quadrinhos <em>Kick-Ass</em>, o artigo demonstra que tais estratégias de uso da imagem do fã não se limitam à função de transmissão de conteúdo, podendo ganhar valor ao propor uma construção de significado junto ao público leitor.</p> Marcelle Fonseca Belfort Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7779 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 OS MORLOCKS NA PERSPECTIVA DE OPRIMIDOS E OS DIÁLOGOS COM A PEDAGOGIA DE PAULO FREIRE https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7772 <p>Esse texto visa relacionar o retrato de opressão presente em Massacre de Mutantes (Marvel, 1986) com os estudos de Paulo Freire. Comparando o comportamento dos mutantes conhecidos como Morlocks, conseguimos relacioná-los aos oprimidos da obra de Freire. A análise encontrou aproximações entre as obras citadas, pois os X-Men da obra de Freire são os que, por não compartilharem da mesma cultura, ou da mesma situação econômico-educacional, acabam sendo excluídos e oprimidos. Concluímos que nos completamos,<br />aprendemos e crescemos, na diversidade, o que podemos alcançar por meio do diálogo, da problematização e da escuta.</p> Cintia C. Maciel Neves, Gelson Weschenfelder, Hildegard Susana Jung Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7772 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 A ÉTICA EM STEVEN UNIVERSE: UM MODO DE TRANSVERSALIZAR A IDENTIDADE ATRAVÉS DO HERÓI https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7780 <p>Este artigo discute a possibilidade de uma narrativa de ficção proporcionar o desenvolvimento de conhecimentos em valores humanos, através da narrativa do herói. Diante disso, o objetivo principal perseguido foi discutir a viabilidade da mediação do texto de animação, através de seu herói (personagem principal) na construção de valores em sala de aula. Tomamos como mote de discussão a animação Steven Universe, a qual oferece mediação de significados concernentes a temas que transversalizam a aprendizagem, principalmente tratando-se de ideologias de minorias. Para as discussões aqui levantadas, apresentamos um estudo do documento fílmico, através do recorte de um episódio, privilegiando a abordagem sobre ética, cidadania e justiça, considerando as orientações governamentais através dos Parâmetros Curriculares Nacionais. Para tanto, foram considerados textos sobre educação amparados em Freire (1980) e discussões sobre identidade e identificação, principalmente com Bettelheim e Lacan. Na sala de aula, a discussão ética é possível dentro da reflexão: “e se fosse eu no lugar do herói, o que faria”? Essa é uma dinâmica que esses autores indicam – incluindo o episódio do próprio Steven discutido aqui – para que haja a reflexão ética e estética da obra dentro da escola, viabilizada por um desenho animado, de forma criativa e lúdica.</p> Samuel Possidonio de Souza, Rosemary Lapa de Oliveira Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7780 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 UTILIZAÇÃO DA SÉRIE ANIMADA “THE LAST AIRBENDER” E “LEGEND OF KORRA” COMO ALICERCE DE UMA PRÁTICA DOCENTE INCLUSIVA https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7768 <p>A ampliação dos debates sobre inclusão tem trazido uma maior inserção e participação de grupos<br>historicamente marginalizados em diversas mídias e ambientes sociais. Além disso, esses debates frequentemente<br>discutem como esses grupos são simbolizados e representados. Este artigo analisa o engajamento de participantes<br>em utilizar recursos como séries animadas em sua prática pedagógica trazendo questões que permeiam a<br>representação desses grupos. O ponto de partida originou-se em uma palestra virtual em que a série animada de</p> <p>televisão Avatar: The Last Airbender foi usada como tema gerador. Em seguida, procedeu-se a uma pesquisa quali-<br>quantitativa exploratória com a participação de docentes e graduados, - que compartilharam suas percepções sobre a representatividade, quanto à sua importância e implicações - como base para uma reflexão sobre sua prática<br>docente. Utilizando textos selecionados para discutir o assunto, constatou-se que todos reconheceram a relevância<br>do tema e se posicionaram favoravelmente ao uso desse tipo de mídia em sua prática docente. Porém, declaram<br>que suas ações seriam limitadas por um currículo rígido ou pelo excesso de tempo que seria necessário para a<br>execução de tal proposta.</p> Anderson Rodrigues Ramos, Pedro Antonio dos Santos Bonfim Gonçalves, Priscila Tamiasso-Martinhon, Angela Sanches Rocha Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7768 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 EDUCATION FOR LEISURE IN ELEMENTARY SCHOOL: THE USE OF COMIC BOOKS IN PHYSICAL EDUCATION CLASSES https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7760 <p>In Brazil, many students dislike Physical Education classes because of content repetition, dissatisfactory curricular organization, among other factors. This work aims at assessing the efficiency of a proposal for Physical Education classes, which includes contents of physical activities and the use of comic books. This is a qualitative study and both bibliographic and field researches were carried out. Ten classes were held to a group of ninth graders from a public school in the city of Piracicaba/SP/Brazil. We found that the use of comic books as a teaching resource is effective: it portrays the experiences that the students, felt and mediated through their “rational” and “sensitive” knowledge about physical activities.</p> <p><strong> </strong></p> Cinthia Lopes da Silva, Silvio Rossi Filho, Priscilla Pinto Costa da Silva, Gisele Maria Schwartz, Marcio Ferreira de Souza, Adalberto dos Santos Souza, Adriano Scalzitti, Rosiane Pillon, Luciene Ferreira da Silva, Ana Carolina Capellini Rigoni Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7760 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 SAITAMA E O ENIGMA DO MESTRE https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7762 <p>O presente trabalho busca analisar, a partir de uma perspectiva filosófica, o herói Saitama, personagem principal da série de anime e mangá <em>One-Punch Man</em>, sua busca por ser um herói e o seu papel como mestre do ciborgue Genos. À primeira vista, dizer que a relação entre eles constitui de fato a de um mestre e um discípulo, parece um tanto exagerada: apesar de ser visto assim por Genos, Saitama não acredita que tenha qualquer conhecimento a ensinar para o seu autointitulado discípulo. Além disso, apesar de toda sua força, Saitama é atormentado constantemente por um tédio profundo, resultado da incapacidade de encontrar novos desafios como herói. No entanto, acreditamos haver mais em Saitama do que apenas “o herói mais forte”. Ao nos voltarmos para nossa história, vemos que um dos maiores mestres da humanidade também acreditava nada saber: o Sócrates apresentado por Platão afirmava, constantemente, sua própria ignorância. Resta a pergunta: como pode a figura do mestre, representação própria do saber humano, ser ligada a homens que só reconhecem nada saber, e no caso específico de Saitama, nada ter a ensinar?</p> <p>&nbsp;</p> Danilo Bantim Frambach Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7762 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 REFLEXÕES SOBRE OS SUPER-HERÓIS NA EDUCAÇÃO E SUAS POTENCIALIDADES https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7769 <p>Os super-heróis, tão presentes na vida de crianças e adolescentes, têm potencialidades para contribuir no ensino/aprendizado na educação básica. O mito do super-herói e sua influência no inconsciente coletivo, sua dimensão axiológica (ideológica) e sua moralidade fornecem bases para pensar no poder dos super-heróis na educação. Assim, o potencial dos super-heróis é uma realidade a ser explorada na educação de crianças e adolescentes.</p> Sandro Luiz Modesto Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7769 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 DEUSES COMO IDEIAS: UMA ANÁLISE DE DEUSES AMERICANOS SOB A PERSPECTIVA DELEUZIANA https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7771 <p>O objetivo deste artigo é discutir a concepção de Deuses como Ideias, apresentada por Gaiman em seu romance Deuses Americanos, sob a proposta de Deleuze sobre a criação de ideias. Para tal, este texto aborda a crítica de Nietzsche, retomada por Deleuze, ao modelo de representação platônico e suas consequências para a maneira de se pensar epistemologia. Após isso, são explicitadas as similaridades das propostas de produção de ideias em Deleuze e da criação de Deuses em Deuses Americanos, ilustrando a possibilidade de abordar temáticas religiosas sob uma perspectiva criadora.</p> Marcelle Fonseca Belfort, Leonardo Maia Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7771 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 ADOLESCÊNCIA, DESENVOLVIMENTO MORAL E EDUCAÇÃO: CONSIDERAÇÕES A PARTIR DO DESENHO ANIMADO CAVERNA DO DRAGÃO https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7773 <p>O texto apresenta os resultados de uma pesquisa com foco no desenvolvimento moral do adolescente. O desenho animado <em>Caverna do Dragão</em> foi tomado como objeto de estudo, a partir do qual, por meio das ações expressas por seus personagens nos episódios, buscamos os subsídios necessários para a construção de uma reflexão a respeito de como o adolescente vivencia, em seu cotidiano, os mais diversos dilemas morais, e os meios que aplica no enfrentamento e resolução dessas questões. Após a análise dos dados, realizou-se uma aproximação dessa proposta com o contexto escolar, buscando construir estratégias de atuação na escola.</p> Lucian da Silva Barros Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7773 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 O IMPACTO DO RESULTADO DA AVALIAÇÃO NA DIMENSÃO SOCIOAFETIVA DO ESTUDANTE A PARTIR DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHOS DE CHICO BENTO https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7774 <p>Esta pesquisa de cunho teórico, do tipo bibliográfico, tem como problemática: quais são os conteúdos difundidos nas histórias em quadrinhos do personagem Chico Bento, em relação ao impacto da avaliação na dimensão sócioafetiva do estudante? O <em>corpus</em> investigativo está composto por quatro tirinhas da Revista Chico Bento, disponibilizadas no Aplicativo Banca da Mônica, utilizado para os dispositivos móveis (celular). Os dados serão analisados por meio da Técnica de Análise de Conteúdo, proposta por Bardin (2016). Ao eleger como objeto analítico os conteúdos sobre avaliação difundidos pelas Histórias em Quadrinhos, tem-se presente que tais histórias são formadoras de opinião e podem influenciar as concepções das crianças leitoras, corroborando ou refutando o que as mesmas entendem e vivenciam nos processos de avaliação no contexto escolar. Os resultados demonstram como a avaliação da aprendizagem aplicada de forma equivocada causa impacto na dimensão socioafetiva do estudante. O referencial teórico do estudo está alicerçado nos pressupostos sobre avaliação de autores tais como Hoffmann (1995), Esteban (2009), Vasconcellos (2008), Luckesi (2010) e Moretto (2010). Com relação às Histórias em Quadrinhos, buscamos aportes nos pressupostos de Moya (1977) e Weschenfelder (2011); vinculado aos grupos de pesquisa Práticas Educativas e Indicadores de Qualidade, e o segundo, Universos Paralelos: Arte Sequencial, Mediação Cultural e práticas pedagógicas, ambos pertencentes ao Programa de Pós-graduação da Universidade La Salle.</p> Fabíula Campos Falcão Fagundes, Gelson Vanderlei Weschenfelder Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7774 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300 DESDOBRAMENTOS DA FONTE NO MULTIVERSO DA DC COMICS https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7776 <p>Este trabalho trata de uma educação filosófica que passa pelos quadrinhos. Tem por objetivo geral explicitar a filosofia inerente às histórias em quadrinhos da DC Comics, em especial tratar das implicações do conceito de Fonte. Como problema, temos a introdução de uma fonte primordial para os personagens dos quadrinhos, que ganha uma forte distinção ética e polarização radical, o que leva à utilização de um conteúdo filosófico e metafísico aplicado de forma direta com desdobramentos que se complexificam exageradamente, levando a novos questionamentos sobre sua natureza inicial. Como hipótese, temos que, apesar da divisão inicial dos Novos Deuses de Jack Kirby em polarização radical, existe uma ênfase na fusão entre pólos distintos. O viés suscitado em nossa hipótese ganha mais consistência em Jim Starlin, quando este sugere que a Fonte e a equação antivida fariam parte de um mesmo princípio único. Outras polarizações decorrentes da Fonte, como a contraposição entre Destino sombrio e Justiça também são abordados no trabalho.</p> Fabio Mourilhe Copyright (c) 2020 Aprender - Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação https://periodicos2.uesb.br/index.php/aprender/article/view/7776 seg, 14 dez 2020 00:00:00 -0300