Formação em Neurolinguística no IEL: dissertações e teses a partir de “Diário de Narciso” (Neurolinguistic Education at the IEL: Theses and Dissertations according to "Narcisuss Diary")

Autores

  • Mara Lúcia Fabricio de Andrade Universidade Estadual de Campinas (Unicamp/Brasil)

DOI:

https://doi.org/10.22481/el.v6i2.1066

Palavras-chave:

Neurolingüística, Formação acadêmica, Banco de dados

Resumo

A universidade se configura pela existência de um tripé que se institui com a extensão de serviços à comunidade, com a formaçãode profissionais/pesquisadores (graduação e pós-graduação) e com a pesquisa. Nosso objetivo é trabalhar com a perspectiva do projeto História das Idéias Lingüísticas, pensando na constituição do saber em Neurolingüística. A questão que formulamos é: como se configura a formação acadêmica (Mestrado e Doutorado) em Neurolingüística no IEL? O enfoque na formação acadêmica se justifica pelo fato de que a pós-graduação constitui-se em uma evidência da institucionalização. O CCA (extensão) e o BDN (exemplo de pesquisa), presentes, direta ou indiretamente, nas dissertações e teses contribuem para tornar esses trabalhos (exemplos de formação) parte de um corpo único, reflexo da institucionalização da Neurolingüística no IEL, que, com esse trabalho de formação, tende a possíveis expansões para outras instituições.
PALAVRAS-CHAVE: Neurolingüística. Formação acadêmica. Banco de dados.

ABSTRACT
The University is formed by the existence of a tripod that is established by the extended services to the community, by the education of professionals/researchers (graduation and post graduation) and by research. Our aim is to work with the perspective of the project "History of Linguistic Ideas”, focusing on the constitution of knowledge in Neurolinguistics. The following question was formulated: How is the Neurolinguistics academic education (Masters and Doctorate) at the IEL? The focus on the academic education is justified by the fact that the post graduation consists itself of an evidence of the institutionalization. The CCA (extension) and the BDN (research model), directly or indirectly present in the dissertations and theses contribute to convert these works (academic education) into part of a single body, a result of the institutionalization of the Neurolinguistics at the IEL, which, with this graduation work, tends to spread to other institutions.
KEYWORDS: Neurolinguistics. Academic education. Database.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mara Lúcia Fabricio de Andrade, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp/Brasil)

Mara Lúcia Fabricio de Andrade é Doutora em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas-Unicamp. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Neurolinguística, atuando principalmente na relação entre linguagem, cérebro e mente voltada para o estudo da atenção e memória.

Referências

BALIEIRO JÚNIOR, Ari Pedro. O sujeito que se estranha: manifestações de subjetividade na afasia. 2001. 185 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001.
BERNARDES, Ana Cristina de Aguiar. Consideração sobre os Aspectos Neuropsicológicos da Aprendizagem de Escrita e Leitura e a Prática Pedagógica. 1995. [s.p]. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1995.
BORDIN, Sônia Maria Sellin. “Fale com ele”: um estudo neurolinguístico do Autismo. 2006. 129 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2006.
CAMPETELA, Cilene. O banco de dados em Neurolinguística na relação dado/teoria. Estudos Linguísticos. v. XXXI, 2002. CD.
CARON, Monica Filomena. As Relações da Escola com a Sociedade nos Processos de Diagnosticar/Avaliar. 2000. 147 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2000.
______, Os Selos da Exclusão: efeitos de poder do psicodiagnóstico. 2004. [s.p]. Tese (Doutorado em Linguística). – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas da Campinas, 2004.
CARVALHO, Lucilene de. Zur Auffassung der Aphasien: A Vigência de Freud para o Estudo Linguístico das Afasias. 2001. 112 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001.
COUDRY, Maria Irma Hadler. 10 anos de Neurolinguística no IEL. Caderno de Estudos Linguísticos, n. 32, p. 9-24, 1997.
______, Considerações iniciais sobre sistemas neurais e linguagem. 1978. 118 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1978.
COUDRY, Maria Irma Hadler. Diário de Narciso. São Paulo: Martins Fontes, 1988.
______, Diário de Narciso: discurso e afasia. Análise de interlocuções com afásicos. 1986. [s.p] Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1986.
______, Dislexia: um bem necessário. Estudos Linguísticos, n. 14, p. 150-157, 1987.
______, Linguagem e afasia: uma abordagem discursiva da Neurolinguística. Caderno de Estudos Linguísticos, n. 42, p. 99-130, 2002.
______, O que é o dado em Neurolinguística? In: CASTRO, Maria Fausta Pereira (Org.). O método e o dado no estudo da linguagem. Campinas: Ed. Unicamp, 1996, p. 179-194.
______; FREIRE, Fernanda Maria P. Neurolinguística discursiva: teorização e prática clínica. 2007 (no prelo).
______; ______, O trabalho do cérebro e da Linguagem: a vida e a sala de aula. MEC/Cefiel/Unicamp, 2005.
______, MAYRINK-SABINSON, Maria Laura. Pobrema e dificulidade. In: ALBANO, Eleonora et al (Orgs.). Saudades da língua: a linguística e os 25 anos do Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp. Campinas: Mercado das Letras, 2003, p. 561-576.
______; SCARPA, Ester Mirian. De como a avaliação de linguagem contribui para inaugurar ou istematizar o déficit. In: ROJO, Roxane Helena R; CUNHA, Maria Cláudia; GARCIA, Ana Luiza M. (Org.).
Fonoaudiologia e Linguística. São Paulo: Educ, 1991, p. 83-95.
FEDOSSE, Elenir. Da Relação Linguagem e Praxia: estudo neurolinguístico de um caso de afasia. 2000. 153 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2000.
FELIZATTI, Patrícia. Aspectos Fonético-Fonológicos da Disartria Pós-Traumática: um estudo de caso. 1998. 120 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1998.
FRANCHI, Carlos. Hipóteses para uma teoria funcional da linguagem. 1976. [s.p] Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Filosofia, Ciências Sociais e História da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1976.
FREIRE , Fernanda Maria Pereira. Enunciação e Discurso: a linguagem de Programação Logo no discurso do afásico. 1999. 224 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1999.
______, Agenda Mágica: linguagem e memória. 2005. 257 p. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005.
FREITAS, Margareth de Souza. Alterações Fono-Articulatórias nas Afasias Motoras: contribuições para uma caracterização linguística da afasia. 1997. 243 p. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto
de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1997.
GANDOLFO, Mônica Cristina. Síndrome Frontal (leve) ou Afasia Semântico-Pragmática: um estudo de caso. 1994. 125 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da
Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1994.
GINZBURG, Carlo Sinais: raízes de um paradigma indiciário. In: ______, Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. São Paulo: Cia das Letras, 1986. p. 143-180.
GREGOLIN GUINDASTE, Reny Maria . O Agramatismo: um estudo de caso em português. 1996. 322 p. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996.
GUIMARÃES, Eduardo R. J.; ORLANDI, Eni P. (Org.). Institucionalização dos estudos da linguagem: a disciplinarização das idéias linguísticas. Campinas: Pontes, 2002.
ILIOVITZ, Erica Reviglio. Pausa e domínios prosódicos na disartria. 2005. 248 p. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005.
ISHARA, Cinthia. Análise do funcionamento da linguagem em um caso de jargonafasia: aspectos fonológicos e morfológicos. 2004. [s.p.] Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de
Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004.
KEIRALLA, Dayse Maria Borges. Sujeitos com dificuldades de aprendizagem X sistema escolar com dificuldades de ensino. 1994. 415p. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem daUniversidade Estadual de Campinas, Campinas, 1994.
LAGAZZI-RODRIGUES, Suzy. A língua portuguesa no processo de institucionalização da linguística. In: GUIMARÃES, Eduardo R. J.; ORLANDI, Eni P. (Org.). Institucionalização dos estudos da linguagem: a disciplinarização das idéias linguísticas. Campinas: Pontes, 2002. 13-22p.
LEAL, Maria Alejandra Iturrieta. Distúrbios e dificuldades de aprendizagem na aquisição da escrita: reflexões sobre seu diagnóstico na sala de aula. 1991. 115p. Dissertação (Mestrado em Linguística) –
Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1991.
LURIA, Aleksandr Romanovich. Fundamentos de neuropsicologia. São Paulo: Edusp, 1981.
______, Pensamento e linguagem. Tradução de Diana Myriam Lichtenstein; Mário Corso. Porto Alegre: Artes Médicas, 1986.
______, The functional organization of the brain. Scientific American. v. 222, n. 3, p. 66-78, 1970.
MARMORA, Cláudia Helena Cerqueira. Linguagem, afasia e (a)praxia: uma perspectiva eurolinguística. 2000. 104p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2000.
______, Uma hipótese funcional para (a)praxia no curso da doença de Alzheimer. 2005. 163 p. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005.
MORATO, Edwiges Maria. Das funções e do funcionamento da linguagem: um estudo das reflexões de L. S. Vygotsky sobre a “função reguladora da linguagem” e algumas implicações linguístico-cognitivas para a Neurolinguística. 1991. 165 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1991.
______, Um estudo da confabulação no contexto neuropsicológico: o discurso à deriva ou as sem-razões do sentido. 1995. 154 p. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1995.
NOGUCHI, Milica Satake. A linguagem na Doença de Alzheimer: considerações sobre um modelo de funcionamento linguístico-cognitivo. 1997. 102p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1997.
NOVAES-PINTO, Rosana do Carmo. A contribuição do estudo discursivo para uma análise crítica das categorias clínicas. 1999. 271p. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1999.
______, Agramatismo: uma contribuição para o estudo do processamento normal da linguagem. 1992. 160 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1992.
ORLANDI, Eni P. (Org.). Historia das idéias linguísticas: construção do saber metalinguístico e constituição da língua nacional. Campinas: Pontes/UNEMAT, 2001.
PADILHA, Anna Maria Lunardi Bianca. O ser simbólico: para além dos limites da deficiência mental. 2000. 233 p. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas da Campinas, 2000.
PEREIRA, Carla Queiroz. Linguagem e Aspectos Vísuo-Espaciais: Uma Abordagem Neurolinguística. 2006. 146 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2006.
______, Um estudo do fenômeno da relevância no discurso patológico. 1998.p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas da Campinas, 1998.
PEREIRA, Sílvia Elaine. Um estudo do fenômeno da relevância no discurso patológico. 1998. s.p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas da Campinas, 1998.
RAPP, Carola. A palavra paralela? Uma revisão do conceito de parafasia. 2003. 213 p. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.
SANTOS, Luciana Claudia Leite Flosi. A relação dinâmica da linguagem oral com escrita e gestos na afasia. 2003. 114 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.
SCISCI, Lúcia Aparecida de Campos. Estudo da atribuição de sentido a processos de significação verbais e não verbais de sujeitos afásicos. 2004. 119 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004.
SILVA, Michelli Alessandra; DEFFANTI, Breno Luis. Banco de dados em Neurolinguística: transcrição verbal e registro não-verbal. Estudos Linguísticos XXXIII, Taubaté,p. 507-512, 2004.
VALLIM, Elaine Ferraz do Amaral. Dificuldade de aprendizagem em questão: um estudo neurolinguístico. 2006. 135 p. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2006.
VARGAS, Suzana Lima. Diagnóstico de inteligência limítrofe: o papel da escrita na desmistificação dos rótulos. 2003. 209 p. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.
VYGOTSKY, Lev Semyonovich. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. Tradução de José Cipolla Neto; Luís Silveira Menna Barreto; Solange Castro Afeche. São Paulo: Martins Fontes, 2000.
______, Pensamento e linguagem. Tradução de Jeferson Luiz Camargo. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

Downloads

Publicado

2008-12-30

Como Citar

ANDRADE, M. L. F. de. Formação em Neurolinguística no IEL: dissertações e teses a partir de “Diário de Narciso” (Neurolinguistic Education at the IEL: Theses and Dissertations according to "Narcisuss Diary"). Estudos da Língua(gem), [S. l.], v. 6, n. 2, p. 37-66, 2008. DOI: 10.22481/el.v6i2.1066. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/1066. Acesso em: 17 set. 2021.