PB e PE: orientação para o discurso importa? (BP and EP: does discourse orientation matter?)

Autores

  • João Costa Universidade Nova de Lisboa (UNL/Portugal)

DOI:

https://doi.org/10.22481/el.v8i1.1117

Palavras-chave:

Variação, Tópico, Concordância, Parâmetro, Sujeito

Resumo

As diferenças sintácticas existentes entre as variedades europeia e brasileira do português têm recebido muita atenção na literatura recente no quadro do modelo de Princípios e Parâmetros. De acordo com alguns autores, a variedade brasileira tornou-se uma língua orientada para o discurso e de proeminência de tópico. Defende-se neste artigo que algumas das construções tradicionalmente utilizadas como argumento a favor da ideia de que o português brasileiro é uma língua orientada para o discurso também se encontram em português europeu. Desta forma, argumenta-se que a principal diferença entre as duas variedades está em propriedades sintácticas abstractas associadas a Infl, dispensando-se primitivos discursivos na componente sintáctica.
PALAVRAS-CHAVE: Variação. Tópico. Concordância. Parâmetro. Sujeito.

ABSTRACT
The syntactic differences between the European and the Brazilian varieties of Portuguese have received much attention in recent literature within the Principles and Parameters framework. According to some authors, the Brazilian variety became a discourse-oriented language with topic prominence. In this article, it is contended that some of the constructions traditionally used in favour of the idea that Brazilian Portuguese is a discourse-oriented language can also be found in European Portuguese. Accordingly, it is argued that the main difference between the two varieties is in abstract syntactic properties associated to Infl, which dispenses with discourse primitives in the syntactic component.
KEYWORDS: Variation. Topic. Agreement. Parameter. Subject.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Costa, Universidade Nova de Lisboa (UNL/Portugal)

João Costa é Doutor pela Rijksuniversiteit Leiden, Países Baixos. Professor da Universidade Nova de Lisboa. Publicou 22 artigos em revistas especializadas e 30 trabalhos em actas de eventos, possui 29 capítulos de livros e 13 livros publicados. Possui 241 itens de produção técnica. Participou em 100 eventos no estrangeiro e 51 em Portugal. Recebeu 2 prêmios/homenagens. Actua na área de Lingüística. Nas suas actividades profissionais interagiu com 21 colaboradores em co-autorias de trabalhos científicos.

Referências

BAKER, M. The polysynthesis parameter. New York: Oxford University Press, 1995.
BERLINCK, R. La Position du sujet en Portugais. Ph.D. Dissertation - Leuven, Katholieke Univ.; UNICAMP, 1995.
CALLOU, D.; AVELAR, J. Sobre a emergência do verbo possessivo em contextos existenciais na história do português. In: Castilho, A. et. al. (Org.) Descrição, história e aquisição do português brasileiro.
Campinas: Pontes, 2007. p. 375-402.
CALLOU, D.; DUARTE, E. A fixação do verbo ter em contextos existenciais. In: 20o ENCONTRO DA APL, Lisboa, 2005. Actas do 20o Encontro da Associação Portuguesa de Lingüística. Lisboa: Colibri Artes Gráficas, 2005. p. 149-156.
CHOMSKY, N. The Minimalist Program. Cambridge: MIT Press, 1995.
COSTA, J. Prosodic proeminence: a syntactic matter? In: Erteschik-Shir ,N.; Rochman, L. (ed.) The sound pattern of syntax. New York: Oxford University Press, 2010. p. 93-109.
COSTA, J.; FIGUEIREDO SILVA, M. C. On the (in)dependence relations between syntax and pragmatics. In: Molnár, V.; Winkler, S. (ed.). The Architecture of Focus. Berlin: Walter de Gruyter, 2006. p. 83-104.
COSTA, J.; GALVES, C. External subjects in two varieties of Portuguese. In: Beyssade, C. et. al. (Org.). Romance Languages and Linguistic Theory 2000. Amsterdam: John Benjamins, 2002. p. 109-125.
COSTA, J.; ROORYCK, J. On Pseudo-Raising in English and Portuguese. In: Nash, L. et al (Org.). Proceedings of Langue et Grammaire 2, Paris VII, 1995. p. 48-58.
COSTA, J.; DUARTE, I.; SILVA, C. R. Construções de redobro em português brasileiro: sujeitos tópicos vs soletração do traço pessoa. Revista Leitura, n. 33. jul./dez. p. 135-145, 2006.
De CAT, C. French dislocation. Doctoral dissertation - University of York, 2003.
DUARTE, E. L. Do pronome nulo ao pronome pleno: a trajetória do sujeito no português do Brasil. In: Roberts, I.; Kato, M. A. (Org.) Português Brasileiro: uma viagem diacrônica. Campinas: Editora da UNICAMP, 1993. p. 107-128.
DUARTE, E. L. On the embedding of a syntactic change. Language Variation in Europe: Papers from ICLaVE2. Uppsala, Sweden: Universitetstryckeriet, 2004. p. 145-155.
DUARTE, E. L. Sobre outros frutos de um projeto herético: o sujeito expletivo e as construções de alçamento. In: Castilho, A. et al. (Org.) Descrição, história e aquisição do português brasileiro. Campinas: Pontes, 2007. p. 35-48.
DUARTE, E. L.; KATO, M. Mudança paramétrica e orientação para o discurso. Comunicação apresentada no XXIV Encontro Nacional da Associação Portuguesa de Linguística, Braga. 2008.
DUARTE, E. L. A construção de topicalização em português europeu. Tese (Doutorado em Linguística) - Universidade de Lisboa, 1987.
DUARTE, E. L. A Topicalização em Português Europeu: Uma Análise Comparativa. In: Actas do Congresso Internacional sobre o Português, v. 1., p. 327-360. Lisboa: Colibri/APL, 1996.
DUARTE, E. L. et al. Geometria de traços e distribuição de pronomes sujeito em PE e em PB. Paper presented at the 3rd Workshop do Projecto PE-PB. Lisboa, September 23-25, 2002.
ERTESCHIK-SHIR, N. The Dynamics of focus structure. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.
FERREIRA, M. B. Argumentos Nulos em Português Brasileiro. Dissertação (Mestrado em Linguística) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2000.
FIÉIS, A. Ordem de Palavras, Transitividade e Inacusatividade. Reflexão Teórica e Análise do Português dos Séculos XIII a XVI. Tese (Doutorado) - Universidade Nova de Lisboa, 2003.
FIGUEIREDO SILVA, M. C. A posição do sujeito em português brasileiro - frases finitas e infinitivas. Campinas: Editora da Unicamp, 1996.
GALVES, C. Ensaios sobre as gramáticas do português. Campinas: Editora da Unicamp, 2001.
KATO, M.; TARALLO, F. Anything YOU can do in Brazilian Portuguese. In: Jaeggli, O.; Silva-Corvalán, C.(eds). Studies in Romance Linguistics. Dordrecht: Foris, 1986. p. 343-358.
LI, C-N.; THOMPSON, S. Subject and topic: a new typology of language. In: LI, C-N (ed.). Subject and Topic. New York: Academic Press, 1976. p. 457-489.
NEWMEYER, F. In defense of the autonomy of syntax. Handout of presentation at Scandinavian Dialect Syntax Meeting, University of Tromsoe. 2007.
PONTES, E. O Tópico no Português do Brasil. Campinas: Pontes, 1987.
PRINCE, A.; SMOLENSKY, P. Optimality Theory: Constraint Interaction in Generative Grammar. Rutgers University Center for Cognitive Science Technical Report 2. 1993.
RIBEIRO, I. O sujeito nulo referencial no português popular brasileiro – séc. XIX, ms., Universidade Federal da Bahia. 2008.
RIZZI, L. On the status of subject clitics in romance. In: Jaeggli, O.; Silva-Corvalán, C. (eds). Studies in Romance Linguistics. Dordrecht: Foris, 1986. p. 391-419.
SILVA, C. T. A natureza de Agr e suas implicações na ordem VS: um estudo comparativo entre o português brasileiro e português europeu. Tese (Doutorado em Linguística) - Universidade Federal de
Alagoas, Maceió, 2004.
SILVA, C. T. Por uma análise morfossintática para a posição dos sujeitos pré-verbais no português brasileiro e no português europeu. Leitura. n. 33, p. 31-51, 2006.
VALLDUVI, E. The Informational Component. New York: Garland, 1992.

Downloads

Publicado

2010-06-30

Como Citar

COSTA, J. PB e PE: orientação para o discurso importa? (BP and EP: does discourse orientation matter?). Estudos da Língua(gem), [S. l.], v. 8, n. 1, p. 123-143, 2010. DOI: 10.22481/el.v8i1.1117. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/1117. Acesso em: 17 set. 2021.