Desafio do hipertexto e estratégias de sobrevivência do sujeito contemporâneo (Challenge hypertext and survival strategies of the subject of contemporary)

Autores

  • Antonio Carlos Xavier Universidade Federal de Pernambuco (UFPE/Brasil)

DOI:

https://doi.org/10.22481/el.v13i2.1302

Palavras-chave:

Hipertexto, Hiperleitura, Linguagens, Modo de Enunciação Digital

Resumo

Vivemos cercados de hipertextos por todos os lados. Grande parte das informações que inundam nosso cotidiano estão hipertextualizadas. Por conseguinte, impõem-se-nos novos desafios de processamento e de produção de linguagens mescladas, conduzindo-nos a criar estratégias semióticas e cognitivas para lidar com tais linguagens. O que é, quais as características e como podemos sobreviver intelectualmente ao oceano de dados hipertextualizados? Este trabalho ensaia respostas.
PALAVRAS-CHAVE: Hipertexto. Hiperleitura. Linguagens. Modo de Enunciação Digital.

ABSTRACT
We are surrounded by hypertexts in our lives. Mostly of the information that flooded our daily lives are hypertextualized. Thus, new challenges of processing and production of mingled languages are imposed upon us, leading us to create semiotics and cognitive strategies to deal with such languages. What are they, what are the characteristics and how can we, intellectually; outlive the flow of hypertextualized data? This essay suggests some answers.
KEY-WORDS: Hypertext. Hiper-reading. Languages. Enunciation Digital Mode.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Carlos Xavier, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE/Brasil)

Antonio Carlos Xavier é Professor Titular em Linguística do Depto. de Letras da UFPE, Pesquisador-chefe do Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologias Educacionais – NEHTE, Coordenador do Mestrado Profissional em Letas (Profletras) da UFPE, pesquisador na área de aprendizagem com tecnologias digitais e autor de vários artigos e livros.

Referências

CASTELLS, M. A Galáxia Internet: reflexões sobre a Internet, negócios e a sociedade. Tradução: Maria Luiza X. de A. Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003.
HAVELOCK, E. A Revolução da Escrita na Grécia e suas Consequências Culturais. São Paulo: Ed. UNESP/Paz e Terra, 1996.
LÉVY, P. As Tecnologias da Inteligência. O Futuro do Pensamento na Era da Informática. São Paulo: Editora 34, 1993.
MARTINS, W. A Palavra Escrita: história do livro, da imprensa e biblioteca. São Paulo: Ática, 1996.
MINSKY, M. The Society of Mind. New York: Simon and Schuster, 1986.
NELSON, T. Literary Machines 93.1. Sausalito: Mindful Press, 1992.
OLSON, D. O Mundo no Papel. As Implicações Conceituais e Cognitivas da Leitura e da Escrita. São Paulo: Ática, l997.
ONG, W. Orality and literacy. The Technologizing of the word. London: Methuen, 1982.
SAMPSON. G. Sistemas de Escrita: tipologia, história e psicologia. São Paulo: Ática, 1996.
SIQUEIRA, E. Revolução Digital. São Paulo: Editora Telequest e Editora Saraiva, 2007.
XAVIER, A. C. A Dança das linguagens na web: critérios para a definição de hipertexto. In: CRISTÓFARO, S. T.; MELLO, H. (Org.). Conferências do V Congresso Internacional da Associação Brasileira de Linguística. 1ed.: , 2007, v. 01, p. 199-210.
_______. A Era do hipertexto: linguagem e tecnologia. Recife: Pipa Comunicação, 2013.

Downloads

Publicado

2015-12-30

Como Citar

XAVIER, A. C. Desafio do hipertexto e estratégias de sobrevivência do sujeito contemporâneo (Challenge hypertext and survival strategies of the subject of contemporary). Estudos da Língua(gem), [S. l.], v. 13, n. 2, p. 73-90, 2015. DOI: 10.22481/el.v13i2.1302. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/1302. Acesso em: 8 dez. 2021.