A construção de sentidos no uso de adjetivos em -nte: uma abordagem funcional-cognitiva (The construction of meanings in the use of adjectives ending in -nte: a functional-cognitive approach)

Autores

  • Edvaldo Balduino Bispo Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN/Brasil) http://orcid.org/0000-0002-5607-3407
  • Fernando da Silva Cordeiro Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA/Brasil)

DOI:

https://doi.org/10.22481/el.v18i1.6130

Palavras-chave:

Linguística Funcional Centrada no Uso. Gramática de Construções. Construção nominalizadora de particípio presente. Adjetivos deverbais.

Resumo

Neste trabalho, discutimos usos de adjetivos em –nte, instâncias da construção nominalizadora de particípio presente. Objetivamos explicar como esses adjetivos perfilam e ativam domínios cognitivamente estruturados da nossa experiência, uma vez que as formas linguísticas representam, grosso modo, as conceptualizações construídas pelos falantes a partir das nossas experiências com o mundo. Trata-se de uma pesquisa de abordagem quali-quantitativa, de caráter descritivo-explicativo. Os dados foram retirados do Corpus Discurso & Gramática, seções Natal e Rio de Janeiro, e do Corpus Eletrônico de Documentos Históricos do Sertão. Os resultados apontam que há três sentidos recorrentes para os adjetivos em tela e que há diferentes graus de transparência entre o sentido desses adjetivos e os frames evocados por suas bases verbais. Fatores sociointeracionais concorrem para a extensão de sentidos que é observada no uso de adjetivos formados pela construção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edvaldo Balduino Bispo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN/Brasil)

Doutor em Estudos da Linguagem pela UFRN e professor Associado da mesma instituição. Docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem, UFRR, do qual foi Coordenador de 2015 a 2019, , é pesquisador do grupo Discurso & Gramática/UFRN. Seus temas de interesse voltam-se à morfossintaxe do português, notadamente relacionados a adjetivos, orações relativas e estrutura argumental, e ao ensino de língua portuguesa. É coorganizador dos livros Oração relativa no PB: diferentes perspectivas (EDUFF) e Variação e mudança em perspectiva construcional (EDUFRN).

Fernando da Silva Cordeiro, Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA/Brasil)

Fernando da Silva Cordeiro é mestre e doutorando em Estudos da Linguagem, pelo Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). ÉpProfessor de Linguística/Língua Portuguesa da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA).

Referências

BASILIO, M. Abordagem gerativa e abordagem cognitiva na formação de palavras: considerações preliminares. Revista Linguística. v. 6, n. 2. p. 1-14, dez. de 2010.
BESEDINA, N. Evaluation through Morphology: A Cognitive Perspective. Selected Papers from the 3rd UK Cognitive Linguistics Conference. UK: The United Kingdom Cognitive Linguistics Association, 2012, p. 177-192.
BESEDINA, N. et al. Morphology of number in English: a cognitive perspective. Journal of Language and Literature 2014. V. 5. N. 3. Baku, Azerbaijan: 2014, p. 83-88.
BOOIJ, G. Construction Morphology. Oxford: Oxford University Press, 2010.
_______. Construction Morphology. In: HIPPISLEY, A.; STUMP, G. T. The Cambridge Handbook of Morphology. Cambridge: Cambridge University Press, 2015.
BYBEE, J. Language, usage and cognition. Cambridge: CUP, 2010.
CORDEIRO, F. da S. Construção nominalizadora de particípio presente: uma abordagem funcional centrada no uso. 104f. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) – Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017.
CORDEIRO, F. da S.; BISPO, E. B. Aspectos funcionais da construção nominalizadora de particípio presente. Revista do GELNE, v. 19, p. 39-52, 2017.
CROFT, W. Radical construction grammar: syntactic theory in typological perspective. Oxford: Oxford University Press, 2001.
CROFT, W.; CRUSE, A. Cognitive Linguistics. Cambridge: Cambridge University Press, 2004.
CROFT, W.; CLAUSNER, T.C. Domains and image schemas. Cognitive Linguistics 10 (1). Berlim: Walter de Gruyter, 1999, p. 1-31.
FILLMORE, C. J. Frame Semantics. In: The Linguistic Society of Korea (ed.) Linguistics in the morning calm. Seoul: Hanshin, 1982, p. 111-137.
FRIED, M. Representing contextual factors in language change: between frames and constructions. In: BERGS, A. & DIEWALDS, G. (Ed.). Contexts and constructions. Amsterdam: John Benjamins Publishing Company, 2009.
_______. Construction Grammar. In: ALEXIADOU, A.; KISS, T. (Ed.) Handbook of sintax. 2. ed. Berlin: Walter de Gruyter, 2015. p. 974-1003.
_______.; ÖSTMAN, J. Construction grammars: cognitive grounding and theoretical extensions. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins Publishing Company, 2005.
FURTADO DA CUNHA, M. A.; SILVA, J. R.; BISPO, E. B. O pareamento forma-função nas construções: questões teóricas e operacionais. Revista Linguística, v. Espec., p. 55-67, 2016.
FURTADO DA CUNHA, M. A.; BISPO, E. B.; SILVA, J. R. Linguística funcional centrada no uso. In: CEZARIO, M. M.; FURTADO DA CUNHA, M. A. (Orgs.). Linguística centrada no uso – uma homenagem a Mário Martelotta. Rio de Janeiro: Mauad: FAPERJ, 2013. p. 13-39.
FURTADO DA CUNHA, M. A.; TAVARES, M. A. Funcionalismo e ensino de gramática. Natal: EDUFRN, 2007.
GIVÓN, T. Funcionalism and grammar. Amsterdam/Philadelphia: John Benjamins, 1995.
GOLDBERG, A. E. Constructions at work: the nature of generalization in language. Oxford: Oxford University Press, 2006.
HILPERT, M. Construction Grammar and its application to English. Edimburg: Edimburg Univeristy Press, 2014.
HOPPER, P. J. Emergent grammar. Berkeley Linguistics Society. v. 13. p. 139-157, 1987.
LAKOFF, G.; JOHNSON, M. Philosophy in the flesh: the embodied mind and its challenge to western thought. New York: Basic Books, 1999.
LANGACKER, R. Conceptualization, symbolization and grammar. In: TOMASELLO, M. (Ed.). The new psycology of language. New Jersey, London: Lawrence Erlbaum Associate Publishers, 1998. p. 1-39.
MARTELOTTA, M. Mudança linguística: uma abordagem centrada no uso. São Paulo: Cortez, 2011.
NEGRÃO, E. V. et al. O adjetivo. In: ILARI, R. (Org.). Gramática do Português culto falado no Brasil. v. III: palavras de classe aberta. São Paulo: Contexto, 2014. p. 243-265.
NEVES, M. H. M. Estrutura argumental dos nomes. In: KATO, M. A. (Org.) Gramática do Português Falado V: Convergências. Campinas: Ed. Unicamp/FAPESP, 1996. p. 119-154.
______. Gramática de usos do português. São Paulo: Editora UNESP, 2000.
NORDE, M.; TROUSDALE, G. Exaptation from the perspective of construction morphology. In: NORDE, M.; VAN DE VELDE, F. (Ed.). Exaptation and Language Change. Current Issues in Linguistic Theory. Amsterdam: John Benjamins, 2016, p. 163-195.
TAYLOR, J. Linguistic Categorization: Prototypes in Linguistic Theory. Oxford: Oxford University Press, 1995.
TRAUGOTT, E. Revisiting subjectification and intersubjectification. In: DAVIDSE, K.; VANDELANOTTE, L.; CUYCKENS, H. (eds.). Subjectification, intersubjectification and grammaticalization. Berlin: De Gruyter Mouton, 2010, p. 29-70.
______. Intersubjetification and clause periphery. English Text Constructions. v. 5 (1), p. 7-28, 2012.
TRAUGOTT, E. C.; DASHER, R. B. Regularity in semantic change. Cambridge: Cambridge University Press, 2005.
TRAUGOTT, E. C.; TROUSDALE, G. Construcionalization and Constructional Changes. Oxford: Oxford University Press, 2013.

Downloads

Publicado

2020-04-30

Como Citar

BISPO, E. B.; CORDEIRO, F. da S. A construção de sentidos no uso de adjetivos em -nte: uma abordagem funcional-cognitiva (The construction of meanings in the use of adjectives ending in -nte: a functional-cognitive approach). Estudos da Língua(gem), [S. l.], v. 18, n. 1, p. 85-104, 2020. DOI: 10.22481/el.v18i1.6130. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/6130. Acesso em: 24 set. 2021.