Para começo de conversa: a variável linguística na interface sociofuncionalista (Starting the conversation: the linguistic variable in the sociofunctionalism interface)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/el.v19i4.8129

Palavras-chave:

Variável linguística, Domínio funcional, Adversidade, Concessividade

Resumo

O primeiro passo de uma pesquisa variacionista é a circunscrição da variável linguística que será o objeto de estudo. Em uma perspectiva sociofuncionalista, nossos objetivos são: (i) mostrar como a convergência do conceito de variável linguística com o de macrodomínio funcional pode ser empregada como estratégia para a circunscrição da variável; (ii) aplicar essa estratégia a dois domínios funcionais, adversidade e a concessividade. As variantes de codificação desses domínios são multifuncionais: mas e só que, no caso da adversidade, e mesmo (que), apesar (de) que e nem que, no caso da concessividade. Concluímos o texto apontando vantagens da adoção da estratégia de delimitação de um macrodomínio como variável linguística.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Alice Tavares, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN/Brasil)

Maria Alice Tavares é doutora em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina. É professora associada do Departamento de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e da Pós-Graduação em Estudos da Linguagem da mesma instituição. Seus interesses principais de pesquisa são: sociofuncionalismo, sociolinguística comparativa, variação discursiva, gêneros textuais produzidos em entrevistas sociolinguísticas.

Fernando Laerty Ferreira da Silva Pedro, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN/Brasil)

Fernando Laerty Ferreira da Silva Pedro é mestre em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e atualmente é doutorando do Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem da mesma instituição. Ministra aulas de língua portuguesa na Rede SESI de Ensino de Natal-RN, no segmento do ensino médio. Suas pesquisas voltam-se ao sociofuncionalismo, à variação discursiva, a conectores sequenciadores e a conjunções adversativas.

Gabriela Fernandes Albano, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN/Brasil)

Gabriela Fernandes Albano é mestre em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e atualmente é doutoranda do Programa de Pós-graduação em Estudos da Linguagem da mesma instituição.  Desenvolve pesquisa nas seguintes áreas de interesse: sociofuncionalismo, variação discursiva, conectores sequenciadores, conjunções concessivas e ordem sujeito-verbo.

Referências

BARRETO, T. M. M. Gramaticalização das conjunções na história do português. 1999. 508 fl. Tese (Doutorado em Letras) – Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1999.

DUQUE, P. H. Contrastes e confrontos: um estudo funcional do mas na fala e na escrita. 2008. 238 fl. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

GARCIA, T. S. As relações concessivas no português falado sob a perspectiva da Gramática Discursivo-Funcional. 2010. 176 fl. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista, Campus de São José do Rio Preto, São José do Rio Preto, 2010.

GIVÓN, T. Syntax: a functional-typological introduction. v. 1. Amsterdam: John Benjamins, 1984.

GIVÓN, T. Syntax: an introduction. v. 2. Amsterdam: John Benjamins, 2001.

GIVÓN, T. Bio-linguistics: the Santa Barbara lectures. Amsterdam: John Benjamins, 2002.

GÖRSKI, E. M.; TAVARES, M. A. O objeto de estudo na interface variação-gramaticalização. In: BAGNO, M.; CASSEB-GALVÃO, V.; REZENDE, T. F. (Org.). Dinâmicas funcionais da mudança linguística. São Paulo: Parábola, 2017. p. 35-63.

KUTEVA, T. et al. World lexicon of grammaticalization. Cambridge: Cambridge University Press, 2019.

LABOV, W. The social stratification of English in New York City. Washington: Center of Applied Linguistics, 1966.

LABOV, W. Quantitative reasoning in linguistics. Disponível em: https://www.ling.upenn.edu/~wlabov/Papers/QRL.pdf Acesso em: 12 janeiro 2021.

LAKOFF, R. T. If’s And’s and But’s about conjunction. In: FILLMORE, C. J.; LANGENDOEN, D. T. (Eds.). Studies in linguistique semantics. New York: Holt, Rinehart and Winston, 1971. p. 114-149.

LEHMANN, C. Gramática funcional. In: PERES DE OLIVEIRA, T.; SOUZA; E. R. F. (Org,). Funcionalismo: princípios, metas e métodos. Anais do I Simpósio Internacional de Linguística Funcional. 2011. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, 25-27 de maio de 2011. Disponível em: http://www.christianlehmann.eu/publ/gramatica_funcional.pdf. Acesso em: 14 janeiro 2021.

LONGHIN, S. R. A gramaticalização da perífrase conjuncional "só que". 2003. 212 f. Tese (Doutorado em Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

NEVES, M. H. M. O coordenador interfrasal mas: invariância e variantes. Alfa: Revista de Linguística, São Paulo, v. 28, p. 21-42, 1984.

NEVES, M. H. M.. Gramática de usos do português. São Paulo: Editora da Unesp, 2000.

NEVES, M. H. M.; BRAGA, M. L. As construções hipotáticas/adverbiais. In: NEVES, M. H. M. (Org.). A construção das orações complexas. São Paulo: Contexto, 2016. p. 123-166.

OLIVEIRA, R. P. Uma história de delimitações teóricas: 30 anos de semântica no Brasil. D.E.L.T.A., São Paulo, v. 15, n. esp., p. 291-321, 1999.

PARRA, B. G. G. Uma investigação discursivo-funcional das orações concessivas introduzidas por aunque em dados do espanhol peninsular. 2016. 169 fl. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Universidade Estadual Paulista, Campus de São José do Rio Preto, 2016.

PEDRO, F. L. F. S. O uso dos conectores adversativos MAS e SÓ QUE na fala do natalense em entrevistas sociolinguísticas: foco na variação discursiva. 2019. 110 fl. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) – Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.

PICHLER, H. The structure of discourse-pragmatic variation. Amsterdam: John Benjamins, 2013.

SALGADO, É. As construções concessivas no Português Brasileiro do século XIX. 2017. 92 fl. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

TAGLIAMONTE, S. A. Variationist sociolinguistics: change, observation, interpretation. Cambridge: Wiley-Blackwell, 2012.

TAGLIAMONTE, S. A.; SMITH, J. Layering, competition and a twist of fate: deontic modality in dialects of English. Diachronica, Amsterdam, v. 23, n. 2, p. 341-380, 2006.

TAVARES, M. A. A gramaticalização de E, AÍ, DAÍ e ENTÃO: estratificação/variação e mudança no domínio funcional da sequenciação retroativo-propulsora de informações: um estudo sociofuncionalista. 2003. 307 fl. Tese (Doutorado) –Curso de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003.

TAVARES, M. A.; DUARTE, A. C. V. Gramaticalização, variação, multifuncionalidade: circunscrição da variável discursivo-pragmática. 2021. Artigo submetido à avaliação para publicação.

TERKOURAFI, M. The pragmatic variable: toward a procedural interpretation. Language in Society, Cambridge, v. 40, n. 3, p. 343-372, 2011.

TORRES, F. F.; RODRIGUES, L. S. R.; COAN, M. Incursões sociofuncionalistas pelo domínio tempo-aspecto-modalidade. Filol. linguíst. port., São Paulo, n. 14, v. 1, p. 57-72, 2012. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/flp/article/view/59902. Acesso em: 26 janeiro 2021.

VOGT, C.; DUCROT, O. De magis a mas: uma hipótese semântica. In: VOGT, Carlos (Org.). Linguagem, pragmática e ideologia. 3. ed. São Paulo: Hucitec; Campinas: Editora da Unicamp, 2015, p. 103 -128.

ZAMPRONEO, S. Multifuncionalidade e intersubjetividade em construções concessivas: uma análise em ocorrências do português contemporâneo do Brasil. 2014. 169 fl. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Araraquara, 2014.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

TAVARES, M. A.; PEDRO, F. L. F. da S. .; ALBANO, G. F. . Para começo de conversa: a variável linguística na interface sociofuncionalista (Starting the conversation: the linguistic variable in the sociofunctionalism interface). Estudos da Língua(gem), [S. l.], v. 19, n. 4, p. 267-288, 2021. DOI: 10.22481/el.v19i4.8129. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/8129. Acesso em: 20 maio. 2022.