A dinâmica do significado social na gramaticalização: desafios para uma abordagem sociofuncionalista (The dynamics of social meaning in grammaticalization: challenges for a sociofunctionalist approach)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/el.v19i4.9278

Palavras-chave:

Sociofuncionalismo. Gramaticalização. Significado social. Mídias digitais. Jovens.

Resumo

Nosso objetivo neste artigo é propor uma reflexão sobre a dimensão social na gramaticalização com foco na dinâmica do significado social, a partir de uma aproximação entre (i) gramaticalização e variação (via função interpessoal da linguagem); e (ii) domínio funcional e domínio social. Considerando que mudanças na sociedade (envolvendo papéis sociais dos sujeitos, mídias digitais, globalização etc.) têm impactos na língua, sugerimos que novos arranjos sociais podem atuar como forças motrizes para movimentos de gramaticalização entendida como extensão de funções. Nessa perspectiva, focalizamos o papel dos jovens, da comunicação mediada por mídias digitais e das práticas midiatizadas na inovação e difusão de usos que indexicalizam valores sociossimbólicos e identitários, e salientamos a pertinência de estudos sociofuncionalistas voltarem mais a atenção para o componente social.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edair Görski, Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC (Brasil)

Edair Maria Görski é doutora em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal e Santa Catarina, onde atua nas áreas de Teoria Linguística e Sociolinguística e Dialetologia, com interesse em gramaticalização, variação e mudança linguística, significado social e estilístico.

Carla Regina Valle, UFSC

Carla Regina Martins Valle é doutora e pós doutora em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina e professora da Universidade Federal de Santa Catarina, atuando na área de Sociolinguística e Dialetologia, interessada em pesquisas sobre marcadores discursivos, variação estilística, identidade linguística, gramaticalização e ensino.

Referências

AMARAL, K. Emergência de usos, variação e identidade: o caso de {-STE} na página Tal Qual Dublagens. 2020, 255 fl. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-graduação em Linguística da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2020.

ANDROUTSOPOULOS, J. K. Grammaticalization in young people’s language: The case of German. Belgian Journal of Linguistics, v. 13, n. 1, p. 155-176, 1999. Disponível em: <https://doi.org/10.1075/bjl.13.09and>. Acesso em: 15 jan. 2020.

ANDROUTSOPOULOS, J. K. Theorizing media, mediation and mediatization. In: COUPLAND, N. (Ed.). Sociolinguistics: theoretical debates. New York: Cambridge University Press, 2016, p. 282-302.

BELL, A. Succeding waves: Seeking sociolinguistics theory for the twenty-first century. In: COUPLAND, N. (Ed.). Sociolinguistics: theoretical debates, New York: Cambridge University Press, 2016, p. 391-416.

BENTES, A. C.; MARIANO, R. D. A linguagem dos manos: é possível falar sobre um registro popular paulista? In: CEZARIO, M. M.; CUNHA, M. A. F. da (Orgs.). Linguística centrada no uso: uma homenagem a Mário Martelotta. Rio de Janeiro: Mauad X:FAPERJ, 2013, p. 147-161.

BUCHOLTZ, M. From stance to style: gender, interaction, and indexicality in mexican immigrant youth slang. In: Jaffe, A (Ed.). Stance: Sociolinguistic perspectives. New York: Oxford University Press, 2009, p. 146-170.

BRAGANÇA, M. L. L. Uma proposta de articulação teórico-metodológica entre os campos variacionista, funcionalista e dialógico para o tratamento de variação/mudança: reflexões a partir da expressão do futuro do presente. 2017. 696 fl. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-graduação em Linguística da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.

BYBEE, J. Mechanisms of change in grammaticization: the role of frequency. In: JOSEPH, B. D.; JANDA, R. D. (Eds.). The handbook of Historical Linguistics. Oxford: Blackwell Publishing, 2003, p. 602-623.

BYBEE, J. L. From usage to grammar: the mind’s response to repetition. Language, v. 82, n. 4, 711-733, 2006.

CARRANZA, I. E. La indicidad en la interacción y el contraste entre perspectivas teóricas sobre marcadores discursivos. In: NEGRONI, M. M. G. (Ed.) Actas del II Coloquio Internacional Marcadores del discurso en lenguas románicas: un enfoque contrastivo. Buenos Aires: Editorial de la Facultad de Filosofía y Letras Universidad de Buenos Aires, 2012. p. 24-34. E-BOOK.

COUPLAND, N. Five Ms for sociolinguistic change. In: COUPLAND, N. (Ed.). Sociolinguistics: theoretical debates, New York: Cambridge University Press, 2016, p. 433-451.

DAVIES, B. Communities of practice: Legitimacy not choice. Journal of Sociolinguistics, v. 9, n. 4, p. 557-581, 2005.

ECKERT, P. Communities of practice. In: BROWN, K. (Ed.), 2 ed. Encyclopedia of language and linguistics. Amsterdam: Elsevier, 2006. p. 683-685. Disponível em: https://web.stanford.edu/~eckert/PDF/eckert2006.pdf. Acesso em: 15 out. 2019.

ECKERT, P. Three waves of variation study: the emergence of meaning in the study of sociolinguistic variation. Annual Review of Anthropology, v. 41, p. 87-100, 2012. Disponível em: <https://www.annualreviews.org/doi/pdf/10.1146/annurev-anthro-092611-145828>. Acesso em: 15 out. 2019.

ECKERT, P. Third wave variationism, pp. 1-16, 2016. Oxford University Press. Disponível em: <https://www.oxfordhandbooks.com/view/10.1093/oxfordhb/ 9780199935345.001.0001/oxfordhb-9780199935345-e-27. Acesso em: 15 out. 2019.

ECKERT, P. Meaning and linguistic variation: The third wave in sociolinguistics. Cambridge: Cambridge University Press, 2018.

ECKERT, P. The limits of meaning: Social indexicality, variation, and the cline of interiority. Language, v. 95, n. 4, p. 751-776, 2019. Disponível em: <https://doi.org/10.1353/lan.2019.0072>. Acesso em: 20 out. 2020.

FREITAG, R. M. K. A expressão do passado imperfectivo no português: variação/gramaticalização e mudança. 2007, 238 fl. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2007.

GIVÓN, T. Syntax: a functional-typological introduction, v. 1. Philadelphia: John Benjamins, 1984.

GIVÓN, T. English grammar: a function-based introduction, v. 1. Philadelphia: John Benjamins, 1993.

GIVÓN, T. Syntax – an introduction. v.1. Philadelphia: John Benjamins, 2001.

GIVÓN, T. Bio-Linguistics. The Santa Barbara Lectures. Philadelphia: John Benjamins, 2002.

GIVÓN, T. On understanding grammar (revised edition). Philadelphia: John Benjamins, 2018.

GÖRSKI, E. M.; VALLE, C. R. M.; ROST, C. A.; TAVARES, M. A. Mudança em fenômenos discursivos via variação e gramaticalização: o papel dos fatores sociais. Estudos Linguísticos, São Paulo, v.32, p.1-5, 2003.

GÖRSKI, E. M.; VALLE, C. R. M. A variação estilística em entrevistas sociolinguísticas: uma (re)leitura do modelo laboviano. In: GÖRSKI, E. M.; COELHO, I. L.; NUNES DE SOUZA, C. M. (Orgs.) Variação estilística: reflexões teórico-metodológicas e propostas de análise. Florianópolis: Insular, 2014, p. 67-92.

GÖRSKI, E.; TAVARES, M. A. O objeto de estudo na interface variação gramaticalização. In: BAGNO, M.; CASSEB-GALVÃO, V.; REZENDE, T. F. (Orgs.) Dinâmicas funcionais da mudança linguística. São Paulo: Parábola. 2017, p. 35-63.

GÖRSKI, E. M. Espectro funcional de bem e bom no português falado: instâncias de gramaticalização. Revista da Abralin. v. 19, n. 3, p. 131-158, 2020. Disponível em: <https://revista.abralin.org/index.php/abralin/issue/view/83>. Acesso em: 10 jan. 2021.

GÖRSKI, E. M.; VALLE, C. R. M. A dimensão interpessoal da linguagem na variação e na gramaticalização. Revista Investigações, Recife, v. 33, n. 2, p. 1-28, 2020. Disponível em: <https://periodicos.ufpe.br/revistas/INV/article/view/247412/37395>. Acesso em: 10 jan. 2021.

GÖRSKI, E. M.; VALLE, C. R. M.; AMARAL, K. O. Por uma noção de domínio sociofuncional. (inédito)

GÖRSKI, E. M.; MARTINS, M. A. Questões teórico-metodológicas da sociolinguística em interface com o gerativismo e o funcionalismo linguísticos e o ensino de língua portuguesa. In: VIEIRA, M. dos S. M; WIEDEMER, M. L. (Orgs.). Dossiê Grupo de Trabalho de Sociolinguística da ANPOLL, 35 anos depois: reflexões e cenários. (a sair)

GUY, G. As comunidades de fala: fronteiras internas e externas. II Congresso internacional da Abralin. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 2001.

HEINE, B.; KUTEVA, T. The genesis of grammar: a reconstruction. New York: Oxford University Press, 2007.

HEINE, B. On discourse markers: grammaticalization, pragmaticalization, or something else? Linguistics, v. 51, n. 6, p. 1205-1247, 2013. DOI: https://doi.org/10.1515/ling-2013-0048.

HIMMELMANN, N. P. Lexicalization and grammaticalization: Opposite or orthogonal? In: BISANG, W.; HIMMELMANN, N.; WIEMER, B. (Eds.). What makes grammaticalization? A look from its fringes and its components. Berlin: De Gruyter Mouton, 2004. p. 19-40.

HOPPER, P. On some principles in the grammaticalization. In: TRAUGOTT, E. C.; HEINE, B. (Eds.) Approaches to grammaticalization: focus on theoretical and methodological issues. v. 1. Philadelphia: John Benjamins, 1991, p. 7-35.

HOPPER, P.; TRAUGOTT, E. C. Grammaticalization. 2. ed. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.

KELLY-HOMES, H. Theorising the market in sociolinguistics. In: COUPLAND, N. (Ed.). Sociolinguistics: theoretical debates, p. 157-172. New York: Cambridge University Press.

KIESLING, S. F. Dude. American Speech, v. 79, n. 3, p. 281–305, 2004.

KIESLING, S. F. Constructing identity. In: CHAMBERS, J.; SCHILLING, N. (Eds.) The handbook of language variation and change. 2. ed. Oxford, U.K.: Blackwell. 2013, p. 448-467.

KOTSINAS, U-B. Young people’s language. Norm, variation and language change. Stockholm Studies in Modern Philology N.S. 11, p. 109-132, 1997.

LABOV, W. Some sociolinguistic principles. In: PAULSTON, C. B.; TUCKER, G. R. (Orgs.) Sociolinguistics: the essential readings. Oxford: Blackwell, 2003 [1969], p. 234-250.

LABOV, W. Principles of linguistic change: Cultural and cognitive factors. v. 3. Oxford: Wiley-Blackwell, 2010.

NARO, A.; VOTRE, Sebastião J. Mecanismos funcionais do uso da língua: função e forma. D.E.L.T.A., São Paulo, v. 8, n. 2, p. 285-290, 1992. Disponível em: <https://revistas.pucsp.br/delta/article/view/45949>. Acesso em: 10 nov. 2020.

NARO, A. J.; BRAGA, M. L. A interface sociolinguística/gramaticalização. Gragoatá, Niterói, v. 9, p. 125-134, 2000.

NEVALAINEN, T.; PALANDER-COLLIN, M. Grammaticalization and sociolinguistics. In: NARROG, H.; HEINE, B. (Eds.). The Oxford handbook of grammaticalization. Oxford: Oxford University Press, 2011, p. 118-129.

POPLACK, S. Grammaticalization and linguistic variation. In: NARROG, H; HEINE, B. (Eds.). The Oxford handbook of grammaticalization. Oxford: Oxford University Press, 2011, p. 209-224.

SILVERSTEIN, M. Indexical order and dialectics of sociolinguistic life. Language & communication. University of Chicago, v. 23, p. 193-229, 2003. Disponível em: <https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0271530903000132>. Acesso em: 10 nov. 2020.

SQUIRES, L. From TV personality to fans and beyond: Indexical bleaching and the diffusion of a media innovation. Journal of Linguistic Anthropology, v. 24, n. l, p. 42-62, 2014.

TAVARES, M. A. Um estudo variacionista de AÍ, DAÍ, ENTÃO e E como conectores sequenciadores retroativo-propulsores na fala de Florianópolis. 1999, 173 fl. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-graduação em Linguística da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 1999.

TAVARES, M. A. A gramaticalização de E, AÍ, DAÍ e ENTÃO: estratificação/ variação e mudança no domínio funcional da sequenciação retroativo-propulsora de informações – um estudo sociofuncionalista. 2003, 286 fl. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-graduação em Linguística da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003.

TAVARES, M. A.; GÖRSKI, E. M. Variação e sociofuncionalismo. In: MARTINS, M. A.; ABRAÇADO, J. (Orgs.). Mapeamento sociolinguístico do português brasileiro. São Paulo: Contexto, 2015, p. 249-270

TORRES CACOULLOS, R. Variation and grammaticalization. In: DÍAZ-CAMPOS, M. (Ed.). The handbook of Hispanic sociolinguistics. Oxford: Wiley-Blackwell, 2011, p. 148-167.

TRAUGOTT, E. C. Zeroing in on multifunctionality and style. In: ECKERT, P.; RICKFORD, J. (Eds.). Style and Sociolinguistic Variation. Cambridge: Cambridge University Press, 2001, p. 127-138.

TRAUGOTT, E. C. From etymology to historical pragmatics. In: MINKOVA, D.; STOCKWELL, R. (Eds.). Studying the History of the English Language: Millennial perspectives. Berlin: Mouton de Gruyter, 2002, p. 19-49.

TRAUGOTT, E. C. Grammaticalization. In: LURAGHI, S.; BUBENIK, V. (Eds.). Continuum companion to historical linguistics. London: Continuum International Publishing Group, 2010, p. 269-283.

VALLE, C. R. M. Multifuncionalidade, mudança e variação de marcadores discursivos derivados de verbos cognitivos: forças semântico-pragmáticas, estilísticas e identitárias em competição. 2014. 415 fl. Tese (Doutorado em Linguística) – Programa de Pós-graduação em Linguística da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.

VANDENBERGHE, F. Globalização e individualização na modernidade tardia. Uma introdução teórica à sociologia da juventude. Mediações-Revista de Ciências Sociais, v. 19, n. 1, p. 265-316, 2014.

WEINREICH, U.; LABOV, W.; HERZOG, M. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. Trad. de M. Bagno. São Paulo: Parábola, 2006 [1968].

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

GÖRSKI, E.; VALLE, C. R. . A dinâmica do significado social na gramaticalização: desafios para uma abordagem sociofuncionalista (The dynamics of social meaning in grammaticalization: challenges for a sociofunctionalist approach). Estudos da Língua(gem), [S. l.], v. 19, n. 4, p. 183-207, 2021. DOI: 10.22481/el.v19i4.9278. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/estudosdalinguagem/article/view/9278. Acesso em: 20 maio. 2022.