FALA E EXPRESSÃO: O ENIGMA DO EXCESSO SOBRE O MUNDO

Autores

  • JOSÉ MARCELO SIVIERO

Palavras-chave:

Merleau-Ponty, expressão, fala falante, fala falada

Resumo

Criticando uma tradição filosófica marcada pelo uso instrumental da linguagem (como representação de objetos ou ideias), trata-se aqui de trazer a lume uma nova teoria da expressão, entendida como operação do corpo próprio que causa um excesso (isto é, o advento de novas significações, para além das já estabelecidas) sobre o mundo. Reencontrando a significação no seio da própria palavra, Merleau-Ponty destaca a fala como atividade originária de expressão, descobrindo nela uma dimensão falada (a língua comum) e uma dimensão falante (retomada de significados a fim de se construir novos modos de expressão), que reforçam a inerência do sujeito encarnado ao mundo e confirmam a expressão como um desdobramento de suas potências motrizes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

SIVIERO, J. M. FALA E EXPRESSÃO: O ENIGMA DO EXCESSO SOBRE O MUNDO. Filosofando, [S. l.], v. 2, n. 2, 2017. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/filosofando/article/view/2165. Acesso em: 3 dez. 2021.