BLACK DIASPORA CINEMA AND THE SPACE OF AFRO-BRAZILIAN WOMEN

Autores

  • Anike Ruth Omidire Universidade de Obafemi Awolowo, Ile Ife, Nigeria

Palavras-chave:

Racism; Subaltern; Self-esteem; Racial identity

Resumo

 A interdependência que existe entre as artes e a realidade social, tal como retratada nas obras criativas, acabou por ser a escrita mestra do conteúdo e contexto da sociedade contemporânea. Não há dúvida de que todo trabalho criativo, como música, poesia, prosa, drama, é um reflexo da realidade da sociedade que o produziu. Isso faz com que esses produtos se tornem uma fonte pronta de informações para os pesquisadores extraírem informações e dados sobre uma sociedade em particular. Um gênero favorito desta informação é o cinema. Geralmente afirma-se que um filme fala literalmente muito sobre a sociedade do sujeito. Este suporte é particularmente apropriado para o estudo da literatura brasileira e da realidade social, em que a lacuna de linguagem é uma barreira para a maioria dos pesquisadores dessa parte do mundo. Considerando que, o tropo brasileiro oficial da “democracia racial” procura apresentar o Brasil como uma terra de direitos e oportunidades iguais para todos os seus cidadãos, sejam eles brancos, negros ou amarelos, aqueles que estão familiarizados com as realidades diárias do Brasil frequentemente se deparam com desigualdades socioeconômicas e políticas no país. As vítimas diretas dessas desigualdades são os cidadãos afro-brasileiros. É para este fim que este trabalho procura explorar um filme brasileiro – Doméstica o filme (2001) – produzido por Fernando Meirelles. O objetivo do artigo é analisar a condição e o espaço das mulheres afro-brasileiras na cinematografia brasileira. Ele também estudará os desafios encontrados por essas mulheres que são frequentemente classificadas como “subalternas” ou cidadãos de segunda classe. E diante do mito da democracia racial que continua sustentando o racismo histórico e a exclusão sistemática de afrodescendentes no Brasil, a metamorfose de mulheres afro-brasileiras de vítimas passivas de exclusão social para cidadãos conscientes que lutam por seus direitos também serão analisados ​​no âmbito da teoria da Escrivivência proposta por uma escritora afro-brasileira, Conceição Evaristo.

 

Biografia do Autor

Anike Ruth Omidire, Universidade de Obafemi Awolowo, Ile Ife, Nigeria

Department of Foreign Languages, Obafemi Awolowo University, Ile-Ife, Nigeria.

 

Downloads

Publicado

2019-02-05

Edição

Seção

VERTENTES & INTERFACES I: Estudos Literários e Comparados