COMMENTAIRE COMPOSÉ: LEITURA EXISTENCIALISTA DE UM EXCERTO DA PROSA DE FICÇÃO CLARICIANA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/folio.v12i2.6882

Palavras-chave:

Liberdade; Clarice Lispector; Existencialismo; Jean-Paul Sartre.

Resumo

Escritora de costumes, dos altos e baixos existenciais de seres nada épicos num cotidiano indistinto, Clarice Lispector é uma aguda perscrutadora da psique ou alma humana. Então, no trabalho ora apresentado, resultante de sugestão de pesquisa à professora de Filosofia e de Letras Jeanne Marie Gagnebin de Bons, na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), para a nossa monografia da disciplina Crítica I (1995), entre os métodos e técnicas da crítica literária, optamos pelo Commentaire Composé, método francês através do qual analisamos, do primeiro romance de Clarice Lispector, qual seja, Perto do coração selvagem (1943), um excerto, como exata ilustração do pensamento do filósofo existencialista Jean-Paul Sartre, especialmente no tocante à liberdade. Isso porque o citado romance narra a trajetória existencial de Joana, uma órfã de mãe que, desde tenra idade, manifesta forte individualidade em conflito com a família e a sociedade, por entender que, consciente de uma provável consequência repressora, ela pode tudo.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hugo Lenes Menezes, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (IFPI)

Professor do Instituto Federal do Piauí (IFPI). Doutor em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Realizou estágio de Pós-Doutoramento em Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa naUniversidade de São Paulo (USP).

Referências

• ARÊAS, Vilma. Clarice Lispector com a ponta dos dedos. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.
• FREITAS, Clara Júlio. Afetividade em cena: uma leitura de Clarice Lispector. 2017. Dissertação (Mestrado em Literatura Brasileira) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, 2017.
• GOTLIB, Nádia Batella. Clarice: uma vida que se conta. São Paulo: Edusp, 2009.
• GRUBER, Daniel. Feiticeira: mulher que faz e dá feitiços. Disponível em: https://www.facebook.com/daniel.gruber.338.
• LIBANORI, Evely Vânia. Clarice Lispector e Vergílio Ferreira: a existência problematizada. Acta Scientiarm. Language and Culture, Maringá: UEM, v. 32, n.1, p. 117-124, jan./jun. 2010.
• LISPECTOR, Clarice. Perto do coração selvagem. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1980.
• NASCIMENTO, Maria de Fatima do. O lustre de Clarice Lispector: indícios de incesto. In: CAVALHEIRO, Juciane; ALBUQUERQUE, Gerson (Orgs.). Dialéticas amazônicas da literatura. Manaus: Editora UEA, 2019.
• _______. Benedito Nunes e a moderna crítica literária brasileira (1946-1969) - 1º Vol. 2012. Tese (Doutorado em Teoria e História Literária) – Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 2012.
• MOISÉS, Massaud. Existencialismo. In: Dicionário de termos literários. São Paulo: Cultrix, 1982.
• NUNES, Benedito. Leitura de Clarice Lispector. Petrópolis: Vozes, 1973.
• _______. O drama da linguagem: uma leitura de Clarice Lispector. São Paulo: Ática, 1989.
• _______. O dorso do tigre. São Paulo: Editora 34, 2009.
• _______. Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Uma_Aprendizagem_ou_O_Livro_dos_Prazeres. Acesso em: 24 jan. 2020.
• PESSOA, Fernando. Passagem das horas. In: Poemas de Álvaro de Campos (Fixação de texto, introdução e notas de Cleonice Berardinelli). Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.
• SARTRE, Jean-Paul. O existencialismo é um humanismo. In: Os pensadores: Sartre. São Paulo: Nova Cultural, 1987.

Downloads

Publicado

2021-02-15

Como Citar

Menezes, H. L. (2021). COMMENTAIRE COMPOSÉ: LEITURA EXISTENCIALISTA DE UM EXCERTO DA PROSA DE FICÇÃO CLARICIANA. fólio - Revista De Letras, 12(2). https://doi.org/10.22481/folio.v12i2.6882

Edição

Seção

VERTENTES & INTERFACES I: Estudos Literários e Comparados