LÍNGUA INGLESA

ASPECTOS DE SUA UNIVERSALIDADE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/folio.v12i2.7657

Palavras-chave:

Globalização; Língua Inglesa; Língua Universal.

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar a conjuntura política, econômica e social que envolve o uso do inglês como língua universal. É fato que a língua inglesa tornou-se a mais falada em todo o mundo. Mesmo em países cujos idiomas diferem do inglês, de certa forma, já existem estímulos sociais e econômicos para que se aprenda o idioma. Procurando compreender tais aspectos, este estudo realizou um levantamento bibliográfico acerca da temática contemplando uma interpretação teórica dos elementos que contribuíram para a proeminência da língua inglesa como fenômeno global. Assim, no intuito de contextualizar, também, o papel desempenhado pelo o inglês na contemporaneidade, bem como as relações de poder existentes nas entrelinhas, respaldamo-nos no aporte teórico do campo da linguística aplicada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giêdra Ferreira Cruz, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb)

Doutora em Língua e Cultura pela Universidade Federal da Bahia (Ufba). Professora Titular da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb).

 

Rainan Marques Santos Andrade, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb)

Mestrando em Letras: Cultura, Educação e Linguagens pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb).

Referências

CANAGARAJAH, A. S. Resisting linguistic imperialism in English teaching. Oxford: Oxford University Press, 1999.

CANAGARAJAH, A. S. From Babel to Pentecost: postmodern glottoscapes and the globalization of English. In: Faapi Conference, 30th, Argentina, Sep. 2005. Towards the knowledge society: making EFL education relevant. Argentina: British Council, 2005. p. 22-33.

CASTELLS, M. A Sociedade em Rede. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

CRUZ, G. F. Inglês como língua global: reflexões sobre o ensino/aprendizagem. Folio (Online): revista de letras, v. 8, p. 315-331, 2016.

FORATTINI, O. P. A língua Franca da Ciência. Rev. Saúde Pública, 31 (1): 3-8, 1997.

FRIEDRICH, P.; MATSUDA, A. When five words are not enough: a conceptual and terminological discussion of English as a Lingua Franca. International Multilingual Research Journal, Vol. 4, No. 1, 2010, p. 20-30.

GIDDENS, A. As Consequências da Modernidade; tradução de Raul Fiker. SãoPaulo: Editora UNESP, 2009.

JENKINS, J. Current perspectives on teaching World English and English as a lingua franca. TESOL Quarterly, v. 40, n. 1, 157-181. Março, 2006.

KUMARAVADIVELU, B. A Linguística Aplicada na Era da Globalização. In: MOITA LOPES, L. P. (Org.). Por uma linguística aplicada INdisciplinar. 2ª ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2006 p. 129-148.

LEFFA, V. J. Aspectos políticos da formação do professor de línguas estrangeiras. In: LEFFA, V. J. (Org.). O professor de línguas estrangeiras: construindo a profissão. Pelotas (RS): Educat, 2001, p. 333-355.

MOITA LOPES, L. P. (Org.). Por uma linguística aplicada INdisciplinar. 2ª ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

ORTIZ, R. Mundialização: saberes e crenças. São Paulo: Brasiliense, 2006.

ORTIZ, R. O inglês e as ciências sociais e o inglês. Revista brasileira de ciências. São Paulo, v. 19, 2004.

PENNYCOOK, A. The cultural politics of English as an international language. London: Longman, 1994.

PHILLIPSON, R. Linguistic Imperialism. Oxford University Press, 1992.

RAJAGOPALAN, K. A geopolítica da língua inglesa e seus reflexos no Brasil: por uma política prudente e propositiva. In: LACOSTE, Y (Org.). A geopolítica do inglês. São Paulo: Parábola Editorial, 2005.

SANTOS, B. S. (Org.). A globalização e as ciências sociais. São Paulo: Cortez, 2002.

SANTOS, B. S, Meneses, M. P. Epistemologias do Sul. Coimbra Almeidina, ‎2009.

SANTOS, M. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Editora Record, 2000.

SIQUEIRA, S. O desenvolvimento da consciência cultural crítica como forma

de combate à suposta alienação do professor brasileiro se inglês. IN: Revista Inventário. 4. Ed., jul/2005. Disponível em:<http://www.inventario.ufba.br/04/04ssiqueira.htm>. Acesso em: 02 Nov. 2020.

STEGER. M. Globalization: A very short introduction. Oxford University Press Inc. New York. 2003.

Downloads

Publicado

2021-02-15

Como Citar

Cruz, G. F., & Andrade, R. M. S. . (2021). LÍNGUA INGLESA: ASPECTOS DE SUA UNIVERSALIDADE. fólio - Revista De Letras, 12(2). https://doi.org/10.22481/folio.v12i2.7657