fólio - Revista de Letras https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio <section style="text-align: justify; padding: 3px;"><em><strong>fólio&nbsp;</strong>- Revista de Letras</em> é um periódico eletrônico semestral do&nbsp; Departamento de Estudos Linguísticos e Literários (DELL/UESB), estando atulamente vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Letras: Cultura, Educação e Linguagens (PPGLCEL/UESB) da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). <br> <section></section> </section> Edições UESB pt-BR fólio - Revista de Letras 2176-4182 <p>&nbsp;</p> <div id="CertisignPluginFF-NG-Installed">&nbsp;</div> LITERATURA E RE-EXISTÊNCIA: POSSIBILIDADES DO FAZER LITERÁRIO COMO INSTRUMENTO DE AÇÃO E MUDANÇA SOCIAL https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6176 <p>Este artigo almeja compreender as alternativas que as mulheres escritoras brasileiras têm encontrado, atualmente, para que seus escritos sejam lidos, conhecidos, alcancem públicos diversos, identificando, também, suas estratégias ao realizar e produzir uma literatura reflexiva, desestabilizadora e provocativa. Uma literatura que anuncia e denuncia de forma independente e autônoma, sem o intermédio de editoras e/ou editais. Assim, lançamos o nosso olhar para 3 movimentos do fazer literário: o primeiro, a antologia literária e fotográfica Profundanças, livro digital de leitura e download livres, a poética no ciberespaço. O segundo sobre a coalizão de mulheres feministas, escritoras, poetas, intitulado Movimento Respeita!. Nascido a partir de um manifesto feito nas redes e nas ruas. O terceiro, por meio de uma perspectiva diacrônica- pois será por meio de um artigo publicado em 2015 no qual tivemos acesso e conhecimento do trabalho poético e político da mulher e poeta- veremos o fazer literário da escritora Ângela Toledo, fluminense erradicada na Bahia, que grafitava seus poemas nos muros da cidade baiana turística Morro de São Paulo. Para tais análises utilizaremos a ACD acompanhada da Crítica Feminista, tratando também sobre às “escritas de si” colocando a literatura como um território contestado pela presença dessas mulheres escritoras.</p> Allinne Silva Santos Adriana Maria de Abreu Barbosa Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6176 TRIÂNGULO AMOROSO: UMA VARIAÇÃO DO AMOR NA CONTEMPO-RANEIDADE https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6671 <p class="show">Os vínculos amorosos passaram por uma intensa reestruturação ao longo dos séculos. Essas reestruturações fizeram com que, segundo Matos (2000), os vínculos amorosos contemporâneos ganhassem novas configurações, incluindo abertura nos relacionamentos, que pode significar desde a mobilidade de papéis para provedor e cuidador do lar, passando por casamentos em que os parceiros vivem em casas separadas até a concepção do poliamor — que quebra o paradigma do casal e insere outras formas (triângulo, quadrilha etc) nas uniões afetivas. Tentando ler essas novas estruturas, este recorte analisa os triângulos amorosos presentes no conto <em>O corpo</em>, de Clarice Lispector, <em>Triângulo em cravo e flauta doce</em> de Caio Fernando Abreu e no filme <em>Os sonhadores</em> , do diretor Bernardo Bertolucci. A partir da leitura e análise bibliográfica de referências como Engels (1984), Matos (2000) e Lins (2012), é possível estabelecer um panorama geral sobre os relacionamentos e o que conhecemos hoje como pacto de abertura nos enlaces amorosos. Busca-se, também, compreender o destino trágico que encerra as narrativas que abordam uniões diferentes, tendo em vista a noção de poliamor que desponta na paisagem contemporânea dos afetos como uma possibilidade. Pretende-se, assim, contribuir na disseminação das pesquisas científicas relacionadas ao estudo de relações amorosas, fomentando as discussões acerca das mudanças dos pactos afetivos.</p> Bruna Souza Rocha Oliveira Alessandra Leila Borges Gomes Fernandes Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6671 USOS DE TECNOLOGIAS DIGITAIS EM PRÁTICAS DE LETRAMENTOS COM LINGUA INGLESA POR ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6160 <p>As tecnologias digitais estão diariamente na vida das pessoas e vêm colaborando com a aprendizagem de outras línguas. O objetivo deste trabalho é depreender usos de tecnologias digitais em práticas de letramentos com língua inglesa por estudantes do ensino médio. Através de capturas de tela de redes sociais e bate-papo dos jogos, bem como entrevistas semiestruturada em grupo. Foi possível analisar interações dos estudantes do ensino médio com colegas de outros países, posicionamentos acerca do uso do inglês dentro e fora da escola, bem como indícios das condições escolares do ensino de língua inglesa. As análises dos dados baseiam-se em enfoques dos Estudos dos Letramentos e das tecnologias digitais, os quais reconhecem o valor das novas tecnologias não apenas em sala de aula, mas também em práticas vernaculares. Para os sujeitos da pesquisa, a aprendizagem que ocorre dentro do ambiente virtual, especificamente nos jogos <em>online</em>, se caracteriza como como autônoma e interativa, enquanto as práticas em sala de aula são percebidas como as que oportunizam a aprendizagem da escrita padrão do inglês. Entretanto, apesar de os estudantes apontarem a escola e a internet como distantes, os sujeitos não negam as contribuições da escola na aprendizagem da língua inglesa, porém não estabelecem uma ligação entre as práticas vernaculares dos jogos online e das práticas dominantes escolares.</p> Cleide Beatriz Tambosi Pisetta Isabela Vieira Barbosa Adriana Fischer Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6160 GESTOS DIDÁTICOS REVELADOS NO DIZER DO PROFESSOR DE LÍNGUA PORTUGUESA EM SITUAÇÃO DE ENSINO DE ESCRITA https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6655 <p>Neste artigo, apresentamos um estudo de caso (MINAYO, 1994) cujo objetivo consiste em identificar e interpretar os gestos didáticos evidenciados no dizer de um professor de Língua Portuguesa durante intervenções que visavam direcionar os alunos à produção escrita do gênero textual conto fantástico. Para tanto, apoiamo-nos nas discussões propostas pelo Interacionismo Sociodiscursivo, no que se refere às condições de produção de texto e nas marcas enunciativas asseveradas por Bronckart (1999). Em seguida, pautando-nos nos pressupostos da Didática das Línguas, discorremos acerca da noção de gestos didáticos. Nesse sentido, trata-se de uma pesquisa pautada no paradigma qualitativo de ciência (MINAYO, 2009), de base etnográfica (MATTOS, 2011). A geração dos dados ocorreu em duas etapas: (1) entrevista semiestruturada; (2) filmagem de uma aula ministrada pelo participante, em uma turma do terceiro ano do ensino médio, vinculada a uma Escola Cidadã Integral situada na cidade de Campina Grande – PB. A partir deste estudo, observamos que, durante a aula em questão, o professor acionou os gestos de criação de memória didática (interna e externa), regulação, implementação do dispositivo didático, institucionalização e formulação de tarefas; os quais se desdobraram em gestos didáticos específicos. Esses gestos sinalizam o gerenciamento realizado pelo professor no tocante às orientações para a produção escrita do conto, tendo em vista o contexto de interação no qual está inserido.</p> Danielly Dayane Soares de Macedo Maria de Fátima Alves Roziane Marinho Ribeiro Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6655 O ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA NO BRASIL PARA FALANTES DA(S) VARIEDADE(S) NÃO PADRÃO DA LÍNGUA https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6797 <p class="show">Este artigo tem como objetivo refletir acerca de como ocorre o ensino da variação linguística no contexto da sala de aula e sobre como os alunos se reconhecem, a partir de sua identidade linguística. Para tanto, analisa quatro coleções de livros didáticos que estiveram em fase de análise para uso no triênio 2018-2020 pelas escolas estaduais do Espírito Santo e utiliza um formulário de percepção de língua preenchido por alunos do primeiro ano do ensino médio de uma escola em Viana/ES, a fim de detectar como o ensino de língua portuguesa influencia na identidade do aluno, sobretudo no ambiente escolar. Busca defender um ensino que considere as variedades linguísticas presentes em sala de aula, em que se articule o ensino do português padrão, a valorização e o respeito ao falar <em>diferente</em> dos alunos. Para tanto, utilizamos como vertentes teóricas, para sustentação deste artigo, os pressupostos estabelecidos pela Sociolinguística e a Sociolinguística Educacional, com base nas reflexões de Weinreich, Labov e Herzog (2006 [1968]), Labov (2008 [1972]), Bortoni-Ricardo (2004; 2005) e Bagno (2013).</p> Diana Rodrigues Sarcinelli dos Santos Lays de Oliveira Joel Lopes Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6797 AVALIAÇÃO JUSTA E DEMOCRÁTICA OU SABER LEGITIMADO COMO PUNIÇÃO? A AVALIAÇÃO PELO OLHAR DA ADF https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6566 <p class="show">A partir das teorias que envolvem o processo avaliativo da aprendizagem, torna-se possível conceber a avaliação como ferramenta indispensável na tomada de decisões do professor. Na verdade, a avaliação, no presente texto, será considerada para além disso, pois destacamos preceitos analisando-os, indicando-a parte constitutiva do discurso escolar e do discurso pedagógico. Nessa direção, pelo aporte da vertente francesa de Análise de Discurso, voltamos nosso olhar para práticas que indicam a ideia de avaliação ideal (e por vezes idealizada) pautada no bom planejamento e condizente com a realidade dos discentes e descrevemos o modo como os discursos funcionam, analisando a tendência de a formação &nbsp;classificatória perpassar o processo avaliativo. &nbsp;Percebemos que o discurso legitimador da avaliação prevalece, superestimando sua face regulatória, &nbsp;na medida em que ela deve &nbsp;fornecer (e muitas vezes não fornece) bons indicadores para os processos de didatização. Ao considerar a escola a partir de uma perspectiva discursiva, destacamos o que acreditamos ser dois fundamentos efetivos diretamente relacionadas à avaliação, a saber: o discurso pedagógico e o discurso escolar – a partir das concepções de Orlandi (1996). Nessa perspectiva, no presente texto, traçamos, pela ótica francesa de Análise de Discurso, uma reflexão acerca das estratégias avaliativas, a fim de buscar compreender melhor o processo de acompanhamento da aprendizagem, sua função e a forma como os discursos perpassam o contexto escolar, especificamente na avaliação escolar de aprendizagem.</p> Dulcinéa Silva Jerônimo Nádia Dolores Fernandes Biavati Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6566 A RECONTEXTUALIZAÇÃO DO CURRÍCULO DE LÍNGUA PORTUGUESA NA SALA DE AULA DE UMA ESCOLA QUILOMBOLA https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6445 <p class="show">Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa etnográfica, por meio de observações, entrevistas e análise documental, cujo objetivo é analisar o processo de recontextualização na disciplina de Língua Portuguesa em uma turma multisseriada de 1º e 2º anos do ensino fundamental de uma escola quilombola situada na comunidade de Baixão, localizada no município de Vitória da Conquista. Para a análise dos dados, utilizamos a teoria sociológica de Bernstein (1996), nos atendo particularmente sobre os campos recontextualizadores oficial e pedagógico. A prática curricular da professora apresenta indícios que permitem considera-la como pedagogia visível.</p> Elenilson Evangelista Silva Benedito Eugenio Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6445 UM BREVE OLHAR PARA A BNCC, AS TECNOLOGIAS DIGITAIS E A PRODUÇÃO TEXTUAL NO ENSINO MÉDIO https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6893 <p class="show">A cibercultura é uma realidade que cada dia mais faz parte da nossa sociedade transformando-a constante e rapidamente. Sendo assim, a inserção das tecnologias digitais no fazer pedagógico e no ambiente escolar se faz necessária de maneira que permita ao aluno a construção do conhecimento baseado em práticas colaborativas. O presente texto tem o objetivo de apresentar uma breve análise em torno das diretrizes constante na Base Nacional Curricular Comum, doravante BNCC, no tocante ao uso das tecnologias digitais na sala de aula, focalizando a produção textual no ensino médio. De cunho qualitativo, este trabalho caracteriza-se na perspectiva da pesquisa documental e de estudos teóricos à luz de autores como Alves (1998), Bohn (2013), Lévy (2010) e Marcuschi, (2004). Os resultados nos indicam que a BNCC preconiza que as tecnologias digitais sejam assumidas como um elemento relevante para elaboração de novas práticas pedagógicas.</p> Fernanda de Quadros Carvalho Mendonça Claudia Vivien Carvalho de Oliveira Soares Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6893 PRÁTICAS DE LETRAMENTOS DE PROFESSORES DE LÍNGUA PORTUGUESA EM FORMAÇÃO INICIAL: ENTRE A ESCOLA E A UNIVERSIDADE https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6610 <p>Assumindo a perspectiva dos estudos sobre letramento, o presente trabalho investiga de que forma professores de língua portuguesa ressignificam suas práticas de letramento no contexto acadêmico. Para tanto, partimos do conceito de eventos de letramentos, compreendido como episódios observáveis que surgem das práticas; e do conceito de práticas de letramento, entendido como os modos gerais de usar a escrita em eventos. O universo de análise compreende um grupo de professores de língua portuguesa em formação inicial, matriculados na disciplina de Produção textual, ofertada no segundo semestre de um curso de licenciatura de uma universidade federal do interior do estado do Rio Grande do Sul. Os dados foram gerados a partir de um questionário semiestruturado, respondido por 31 participantes, cujas questões evidenciaram o processo de ensino e aprendizagem de produção textual na escola e na universidade. Para análise dos dados, foram empregados os procedimentos: i) identificação dos recursos ricos em significação e elaboração de categorias semânticas de análise, ii) comparação entre as práticas letradas experienciadas na universidade e escola e iii) verificação da proximidade/distanciamentos entre as práticas descritas. Os resultados demonstram que os professores em formação compreendem o processo de letramento como individual, focalizando em aspectos estruturais e normativos.</p> Gabriela Eckert Pereira Francieli Matzenbacher Pinton Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6610 GÊNERO E PRODUÇÃO DE PRESENÇA HOMOERÓTICA NA CONSTRUÇÃO DO MASCULINO EM MORTE EM VENEZA, DE THOMAS MANN https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6040 <p>Este artigo pretende analisar as relações entre homoerotismo, ambiência e <em>Stimmung</em> na construção do masculino na novela <em>Morte em Veneza</em>, de Thomas Mann (1911). Pretende-se trabalhar com os conceitos de gênero e performance propostos por Joan Scott, Teresa de Lauretis e Judith Butler, respectivamente, relacionando-as aos conceitos desenvolvidos por Hans Ulrich Gumbrecht em <em>Atmosfera, ambiência</em> e <em>Stimmung</em> (2014). Nosso objetivo é compreender o papel desempenhado pelas construções de gênero na representação de um homoerotismo construído por meio de elementos materiais do texto relacionados à ambiência da narrativa<em>, </em>e por meio de elementos da mitologia grega, perceptíveis no texto de Thomas Mann.</p> Greicy Pinto Bellin Jonhes Tadeu Gomes Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6040 THE O ROMANCE "A HISTÓRIA DO AMOR DE FERNANDO E ISAURA" EM RELAÇÕES DIALÓGICAS: DO MEDIEVO AO NORDESTE https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6622 <p class="show">Esta pesquisa tematiza o percurso dialógico que constitui a formação do romance <em>A história do amor de Fernando e Isaura</em> (1994), de Ariano Suassuna, com base em Bakhtin (2014) para quem o romance é uma diversidade social de linguagens organizadas artisticamente, por línguas e vozes individuais. O estudo das relações dialógicas é condição indispensável para compreensão dos sentidos que determinam a discursividade de um gênero, em perspectiva dialógica. Em vista disso, investigam-se as relações que organizam e constituem o romance de Fernando e Isaura, de modo que o objetivo desta pesquisa é compreender como as relações dialógicas contribuem para formação e compreensão dos sentidos em um romance. Em função do objeto de estudo, desenvolve-se uma pesquisa de método descritivo-interpretativista de abordagem qualitativa, contudo, as análises tomam por base teórico-metodológica, a Teoria Dialógica da Linguagem. Os pressupostos teóricos constituem-se da revisão literária das obras de Bakhtin (2011, 2014 e 2015) E Bakhtin/Volochínov (1981). Compreende-se que o romance pode mesclar, misturar e pluralizar vozes e, que o caráter dialógico que o constitui, coloca suas linguagens frente a frente ao contexto social e real da linguagem, através da interação dos espaços e discursos. O romance prosaico de Fernando Isaura é sinônimo de renovação de sentidos, uma vez que representa a atividade de escrita suassuniana e procura resgatar elementos da cultura erudita nos romances Tristan et Iseut (1903), de Béroul e Tristão e Iseu (1976), de Joseph Bédier (versão traduzida de Afrânio Peixoto), exaltando o imaginário nordestino popular.</p> Janielly Santos de Vasconcelos Viana Ramísio Vieira de Souza Maria de Fátima Almeida Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6622 O EIXO ANÁLISE LINGUÍSTICA NA BNCC: UMA ANÁLISE DAS LINHAS DE CONTINUIDADE ENTRE AS DIFERENTES VERSÕES DA BASE https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6600 <p class="show"><span class="TextRun BCX0 SCXW243446795" xml:lang="PT-BR" data-contrast="auto" lang="PT-BR"><span class="NormalTextRun BCX0 SCXW243446795" data-wac-het="1">Este estudo investiga como o eixo Análise Linguística (AL) foi (</span></span><span class="TextRun BCX0 SCXW243446795" xml:lang="PT-BR" data-contrast="auto" lang="PT-BR"><span class="SpellingError BCX0 SCXW243446795" data-wac-het="1">re</span></span><span class="TextRun BCX0 SCXW243446795" xml:lang="PT-BR" data-contrast="auto" lang="PT-BR"><span class="NormalTextRun BCX0 SCXW243446795" data-wac-het="1">)construído na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ensino Fundamental. Mais especificamente, destaca as linhas de continuidade que este eixo apresenta entre a segunda versão (BRASIL, 20</span></span><span class="TextRun BCX0 SCXW243446795" xml:lang="PT-BR" data-contrast="auto" lang="PT-BR"><span class="NormalTextRun BCX0 SCXW243446795" data-wac-het="1">16) e a terceira versão homologada (BRASIL, 2017). Essa pesquisa tem respaldo teórico-metodológico na Linguística Aplicada, de natureza qualitativa e documental, com enfoque interpretativo no eixo AL do componente de Língua Portuguesa. Dentre aporte teóric</span></span><span class="TextRun BCX0 SCXW243446795" xml:lang="PT-BR" data-contrast="auto" lang="PT-BR"><span class="NormalTextRun BCX0 SCXW243446795" data-wac-het="1">o, podemos destacar alguns estudos, como os Bezerra e Reinaldo (2013), Franchi ([1987] 2006),&nbsp;</span></span><span class="TextRun BCX0 SCXW243446795" xml:lang="PT-BR" data-contrast="auto" lang="PT-BR"><span class="NormalTextRun BCX0 SCXW243446795" data-wac-het="1">Geraldi</span></span><span class="TextRun BCX0 SCXW243446795" xml:lang="PT-BR" data-contrast="auto" lang="PT-BR"><span class="NormalTextRun BCX0 SCXW243446795" data-wac-het="1">&nbsp;([1984] 1997), Mendonça (2006) sobre a prática de Análise Linguística no contexto escolar. Os dados analisados apontaram que na parte discursiva do docume</span></span><span class="TextRun BCX0 SCXW243446795" xml:lang="PT-BR" data-contrast="auto" lang="PT-BR"><span class="NormalTextRun BCX0 SCXW243446795" data-wac-het="1">nto as linhas de continuidade entre as versões da BNCC investigadas mostram-se em continuidade textual – manifesta por mecanismos de reiteração e paráfrase –, epistemológica – manifesta na manutenção de ideias e conceitos –, e por filiação documental – man</span></span><span class="TextRun BCX0 SCXW243446795" xml:lang="PT-BR" data-contrast="auto" lang="PT-BR"><span class="NormalTextRun BCX0 SCXW243446795" data-wac-het="1">ifesta na vinculação a documentos curriculares anteriores.</span></span><span class="TextRun BCX0 SCXW243446795" xml:lang="PT-BR" data-contrast="none" lang="PT-BR"><span class="NormalTextRun BCX0 SCXW243446795" data-wac-het="1">&nbsp;</span></span></p> Jéssica Rodrigues Silva Denise Lino de Araújo Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6600 ASPECTOS RETÓRICOS NO GÊNERO TEXTUAL MEME NA INTERNET https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6618 <p class="show">Este estudo tem por finalidade analisar especificidades retóricas no gênero textual meme, notadamente as funções retóricas e a ironia como uma figura retórica, em memes da internet. A metodologia adotada para o estudo dos memes é de cunho qualitativo, descrevendo e interpretando as idiossincrasias linguísticas que fazem o referido gênero acontecer, no que diz respeito às funções retóricas e à figura retórica ironia, bem como tornando a análise qualitativa um processo contínuo de construção de versões da realidade (FLICK, 2009). A amostragem para as análises é composta por memes disponíveis na web. Os pressupostos teóricos baseiam-se na Retórica Moderna, a partir de Meyer (2007), Perelman, Olbrechts-Tyteca (1996), Reboul (1998), Sousa (2001), entre outros, bem como se alicerçam nos estudos de Barreto (2015), Horta (2015) e Calixto (2017), os quais trazem discussões acerca do gênero textual meme. Os resultados apontam que os memes apresentam mecanismos retóricos, com vistas a discutir problemas sociais controversos, por meio da sustentação de opiniões ou refutação de tomadas de posição pelos retores enquanto sujeitos das práticas sociais de linguagem. A relevância da temática dá-se por trazer uma abordagem argumentativa do gênero meme na internet, com fundamento na perspectiva da Retórica Moderna.</p> José Nildo Barbosa de Melo Junior Eduardo Pantaleão de Morais Maria Francisca Oliveira Santos Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6618 REPRESENTAÇÕES E PRÁTICAS EM "TERRAS DO SEM-FIM", DE JORGE AMADO: A NEGOCIAÇÃO COM O MUNDO SOCIAL https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6489 <p class="show">A proposta é analisar o romance <em>Terras do sem-fim</em> (1943), de Jorge Amado, em uma perspectiva da literatura como representação, na esteira dos estudos de Louis Marin e Roger Chartier, considerando o texto como a representação das sensibilidades de determinados homens, em dada época, da ideia que faziam de sua própria sociedade e dos significados que almejavam construir. Assim, pretendemos refutar a ideia de que a obra, circunscrita pela crítica marxista como romance proletário, seja uma homologia das estruturas sociais. A noção de representação nos permite compreender que os textos ficcionais são, na verdade, constituídos pela relação que estabelecem com outros discursos e não com a realidade empírica.</p> José Otávio Monteiro Badaró Santos Marcello Moreira Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6489 ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NA EDUCAÇÃO BÁSICA: A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6577 <p class="show">Neste artigo discutimos sobre a importância do ensino de língua materna (FRANCHI, 1987, GERALDI, 1997, BEZERRA; REINALDO, 2019) com foco no planejamento de ensino (VASCONCELOS, 2002, LUCKESI, 2011, LIBÂNEO, 2013; MENEGOLLA E SANT‘ANNA, 2014). Nesse contexto, a questão norteadora da pesquisa é: O que os alunos em estágio supervisionado entendem por planejamento? Para&nbsp; respondermos&nbsp; a esse questionamento, o objetivo geral desse artigo é analisar como os estagiários em Letras – Língua Portuguesa de uma instituição pública, planejam o ensino de língua. Para coleta e geração de dados foram realizadas entrevistas semiestruturadas com três estudantes do curso de Letras – Língua Portuguesa matriculados no componente curricular Estágio Supervisionado; em seguida, foi realizada a coleta dos planos de ensino por eles elaborados; por fim, foi feita a coleta dos relatórios individuais de estágio supervisionado. Os resultados mostram que mesmo fazendo parte da mesma instituição, cursando os mesmos períodos e componentes curriculares, os colaboradores apresentam uma visão diferente sobre a relevância do planejamento enquanto documento de escrita praxiológica. Também é possível perceber que em determinados momentos o dizer afirmado na entrevista não é coerente com o registrado nos documentos (relatórios e planos). Além disso, os dados revelam a tendência dos alunos a dissociarem a escrita da análise linguística, e aproximarem mais os eixos: leitura e análise linguística.</p> Larissa Marcelly Farias Almeida Maria Augusta Gonçalves de Macedo Reinaldo Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6577 REMODELAGEM DAS VARIÁVEIS ANIMACIDADE, GRAU E FORMALIDADE LÉXICA DOS SUBSTANTIVOS: O PROCESSO DE CONCORDÂNCIA NOMINAL - SANTA LEOPOLDINA/ES https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6815 <p class="show">Este artigo é produto da dissertação de AUTOR (XXXX), que analisa o fenômeno da concordância nominal de número, no português falado, na zona rural do município de Santa Leopoldina, região serrana do estado do Espírito Santo. Na amostra, perfez-se 6313 dados, mediante uma análise de cunho atomístico do sintagma nominal – ou seja, cada elemento do sintagma nominal é considerado passível de análise. A pesquisa culminou em uma taxa geral de 61,3% de concordância nominal. Este texto visa apresentar, especificamente, o efeito da variável animacidade, grau e formalidade léxica dos substantivos na comunidade sob análise. Estudo pioneiro, acerca da concordância nominal, a obra de Scherre (1988) analisa as variáveis “animacidade dos substantivos” e “grau e formalidade léxica dos substantivos e adjetivos” como dois grupos de fatores diferentes. Em Santa Leopoldina, essas variáveis tiveram de ser remodeladas, a partir de sua amalgamação, visto que a análise dessas em separado não produzia convergência estatística, fator que aponta para a existência de ortogonalidade entre essas, como atesta Guy e Zilles (2007). Diante disso, discutiremos os resultados das variáveis analisadas separadamente e amalgamadas. Nosso objetivo é refletir sobre as motivações dos resultados leopoldinenses. A este respeito, AUTOR (XXXX, p. 177) observa que itens [- humano] e [+ animado], independentemente do grau e formalidade, desfavorecem a presença de marcas nesta comunidade. &nbsp;Diante disso, nossa hipótese é que o fato desses elementos serem integrados ao cotidiano campestre em Santa Leopoldina favorece a intimidade o falante e o elemento a ser flexionado, o que desfavorece a concordância nominal.</p> Lays de Oliveira Joel Lopes Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6815 FORMAÇÃO DOCENTE DE LÍNGUA PORTUGUESA: UM TEXTO EM ANÁLISE DISCURSIVA https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/5770 <p class="show">Este artigo foi realizado a partir da perspectiva da Análise do Discurso Bakhtiniana (BAKHTIN, 2002) e da Análise do Discurso Crítica (FAIRCLOUGH, 1996, 2001) em diálogo com autores da área de educação. Trata-se de uma análise discursiva do artigo de opinião de Marcos Bagno intitulado “A catástrofe dos cursos de Letras”, onde discutimos o contexto de produção discursiva; o discurso, suas escolhas lexicais e efeitos de sentido; e a formação do professor de Língua Portuguesa. Buscamos analisar o discurso do autor do texto em questão a partir das duras críticas realizadas por ele à formação de professores no curso de Letras, bem como refletir acerca da atual situação da formação docente e ensino de Língua Portuguesa no Brasil. O texto analisado alcança o seu objetivo de chamar a atenção do leitor-alvo e suscita reflexões a partir dos ditos e não-ditos nele presentes quando analisados a partir do estatuto do explícito e implícito (DUCROT, 1984).</p> Tainá Almeida Lúcia Gracia Ferreira Lucimar Gracia Ferreira Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.5770 PRODUÇÃO DE TEXTO: EM BUSCA DA CONSTRUÇÃO DA AUTORIA https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6700 <p>Este trabalho surgiu da necessidade de lançarmos um olhar mais atento aos caminhos metodológicos percorridos pelo professor como mediador do processo da produção escrita dos alunos. Portanto, se organiza em torno do desenvolvimento de práticas relacionadas ao ensino de produção de textos a alunos da educação básica, por meio do trabalho com gêneros textuais. Dessa forma, objetiva realizar uma transposição didática dos pressupostos teóricos sobre produção textual, de modo a mobilizar o fazer pedagógico docente. Nesse sentido, trabalha com a perspectiva de que a mediação do professor é muito importante para que a voz do aluno-escritor apareça em sua escrita. O <em>corpus</em> em análise é composto por textos escritos e reescritos por alunos do oitavo e nono anos do ensino fundamental da Escola Estadual Brighenti Cesare, de São João del-Rei, MG, e fez parte das atividades da disciplina Prática <em>Curricular Avaliação da Produção Escrita</em>, oferecida pela graduação em Letras da Universidade Federal de São João del-Rei.&nbsp; A pesquisa teve como suporte teórico principal os estudos de Costa Val (2009) e Ruiz (2010) e como recorte de análise buscou refletir em que medida as propostas de redação aplicadas incentivam a subjetividade do aluno-escritor.</p> Luciani Dalmaschio Leania Magalhães Ursine Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6700 A VIAGEM SEM VOLTA DE JOSÉ ALFERES EM “O CONVIDADO”, DE MURILO RUBIÃO https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6306 <p class="show">Neste artigo, analisamos o conto “O convidado” de Murilo Rubião, abordamos os principais elementos da narrativa, com ênfase ao tempo e ao espaço. Apoiamo-nos, para isso, nos críticos Moisés (2007), Reuter (2002) e Lins (1976), a fim de classificar os recursos utilizados no conto. Porém, é com base nas epígrafes que abrem cada obra do contista mineiro, que direcionamos a nossa análise, pois elas podem nos ajudar a refletir sobre o sentido final do texto. Também destacamos algumas intertextualidades encontradas em determinados personagens da mitologia grega e, para finalizar, comparamos a obra de Murilo Rubião ao mito de Sísifo, com base nas versões encontradas em Hacquard (1996) e Grave (1955).</p> Márcio Amieiro Nunes Altamir Botoso Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6306 OS CINCO MANDAMENTOS DO PROFESSOR DA EJA: AS IDENTIDADES E REPRESENTAÇÕES DO PROFESSOR DESEJÁVEL EM REPORTAGEM https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6551 <p class="show">O presente artigo tem como objetivo apresentar uma análise da reportagem “Os cinco mandamentos do professor da EJA” publicada em 28 de março de 2019 no site da Revista <em>Gestão Escolar</em> da <em>Nova Escola</em>. Para desenvolvermos a análise, utilizamos como referencial teórico-metodológico a Teoria das Representações Sociais de Moscovici (2009), Jodelet (2011) e da Semântica da Enunciação, especificamente, Dias (2013) e Guimarães (2017, 2018) do qual adotamos e utilizamos a noção/conceito de locutor e enunciador. Também utilizamos o conceito de cultura proposto por Carmo (2014), de identidade propostos por Hall (2011), Coracini (2003) e Bauman (2005) e de diversidade cultural proposto por Cox (1993), com o intuito de identificar e analisar as representações sociais e as identidades que permeiam os discursos na reportagem. Percebemos que as representações de professor da EJA traçam o modo como o aluno deve ser considerado, para além dos conteúdos e habilidades a serem cobradas.</p> Mônica Trindade Dias Magalhães Nádia Dolores Fernandes Biavati Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6551 GÊNEROS DIGITAIS EM LIVROS DIDÁTICOS DE PORTUGUÊS: UMA ABORDAGEM FOCADA NO LIVRO DIDÁTICO E NA CONCEPÇÃO DE PROFESSORES https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6338 <p class="show">Este artigo é síntese de uma dissertação de Mestrado em Educação, que teve como objetivo analisar os gêneros textuais digitais que são abordados pelos livros didáticos de língua portuguesa, nos anos finais do ensino fundamental. É uma pesquisa qualitativa do tipo estudo de caso e foi desenvolvida em uma escola pública da rede municipal de ensino, em uma cidade do litoral sul do Estado de Alagoas. Para atingir o objetivo, foi realizada análise documental e encontros em grupos focais com professores de língua portuguesa que atuavam no ensino fundamental. Os procedimentos metodológicos utilizados foram a análise documental de volumes de livros didáticos do sexto ao nono ano do ensino fundamental, bem como entrevistas com professores. Para compreender os conceitos dos gêneros do discurso, tomamos por base Bakhtin (1997, 2016), Marcuschi (2008, 2010) e Miller (2012). Quanto aos saberes específicos dos gêneros digitais apoiamo-nos em Marcuschi e Xavier (2010). Os resultados apontam que os livros didáticos do sexto ao nono ano apresentam os gêneros digitais, no entanto, somente no livro do sexto ano é que esse tipo de gênero é trabalhado de uma forma mais significativa, nos demais eles são citados como pretexto para trabalhar outras categorias linguísticas. Apontam também que os manuais didáticos para o ensino fundamental orientam quanto a utilização dos gêneros digitais nas aulas do ensino fundamental. Também constatamos que os professores possuem uma percepção positiva do livro didático utilizado pela escola e que possuem conhecimento sobre os gêneros digitais e os utilizam em práticas.</p> Nádson Araújo dos Santos Maria Auxiliadora da Silva Cavalcante Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6338 UMA ANÁLISE DA ESCRITA NOS TEXTOS DE ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6594 <p class="show">Este trabalho apresenta uma pesquisa sobre os erros ortográficos decorrentes da influência da fala na escrita e os decorrentes da falta de familiaridade do aluno com as convenções ortográficas, nas produções textuais escritas de alunos do 6º e 9º anos do ensino fundamental II, de uma escola pública, no município de Parauapebas (PA). Para tanto, tem-se como fundamento teórico as abordagens de Morais (2003), Nóbrega (2013), Bortoni-Ricardo (2005); Mollica (2016); entre outros. Por se tratar de uma pesquisa de natureza quali-quantitativa, os dados linguísticos foram colhidos a partir de uma atividade de produção de textos (artigo de opinião e relato pessoal), resultando em um <em>corpus</em> com 1.638 dados. Os resultados obtidos após o tratamento de dados por meio do programa computacional <em>Goldvarb</em> <em>X</em>, permitiram concluir que os alunos chegam ao 6º ano do ensino fundamental apresentando mais problemas ortográficos referentes à interferência da fala na escrita (72,7%), do que aqueles decorrentes de problemas de convenção ortográfica (27,3%). Além disso, concluímos que esses problemas ortográficos estão correlacionados tanto a fatores extralinguísticos (sexo, renda, escolaridade da mãe, ano escolar), quanto a fatores linguísticos (gênero textual, classe gramatical).<strong> <br></strong></p> Paulo Pereira dos Santos Eliane Pereira Machado Soares Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6594 MIL ROSAS HOMO-BIO-FICCIONAIS: A EXTERIORIDADE EM SILVIANO SANTIAGO https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6206 <p class="show">Este trabalho tem por objetivo (re)ler o romance <em>Mil rosas roubadas </em>(2014) do escritor mineiro Silviano Santiago na esteira dos conceitos de amizade (DERRIDA, 2003) (ORTEGA, 2009), exterioridade (NOLASCO, 2015) (MIGNOLO, 2003) e homossexualidade (LOPES, 2002) (ORTEGA, 2002) sustentados por uma epistemologia Crítica biográfica fronteiriça por excelência. Por Crítica biográfica fronteiriça, entendemos a confluência dos estudos pós-coloniais com os crítico-biográficos à luz de um lócus de enunciação brasileiro e exclusivamente latino-americano: a fronteira-sul. Assim, nosso intuito é refletir acerca da obra supracitada nos valendo de reflexões pertinentes às subjetividades tanto do romance quanto, sobretudo, da relação deste com a vida do autor, um sujeito homossexual que pensa, produz e cria a partir desse lugar identitário-biográfico, dessas sensibilidades biográficas. Desse modo, nossa proposta se engendra em uma perspectiva compósita, transdisciplinar e metafórica oriunda da crítica biográfica (SOUZA, 2002) e, além disso, se assenta em uma visada transferencial entre nós críticos, também homossexuais, que pensamos da fronteira-sul do Brasil e o intelectual homossexual que erige sua literatura a partir de um lugar marcado pela exterioridade, isto é, uma produção artístico-cultural extrínseca aos preceitos modernos, heternormativos, hegemônicos e padronizados de subjetividade e identidade socialmente cristalizados. Para isso, nos valeremos de uma metodologia eminentemente bibliográfica assentada em teóricos, dentre outros, como Edgar Cézar Nolasco, Juliano Garcia Pessanha, Francisco Ortega, Jacques Derrida, Walter Mignolo, Eneida Maria de Souza e Denilson Lopes.</p> Pedro Henrique Alves de Medeiros Edgar Cézar Nolasco Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6206 PESQUISA-AÇÃO EM SALA DE AULA: UM TRABALHO COM A RETEXTUALIZAÇÃO MULTIMODAL https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6148 <p>Para ensinar o Português integrado às tecnologias, é importante compreender as expectativas e os objetivos de aprendizagem dos alunos, uma vez que a interação em uma sociedade contemporânea exige práticas letradas mais complexas. É preciso que a escola, uma das principais agências de letramento, considere as práticas sociais em que a leitura e a escrita são utilizadas pelos alunos, nos ambientes digitais. Nesse sentido, nossa pesquisa parte da implementação e análise de uma pesquisa-ação, focando a retextualização de letras de músicas para hipercontos, com ênfase na inserção de elementos multimodais. Nosso público-alvo foram alunos do 8 º e 9º ano do Ensino Fundamental, em uma escola municipal em Brumadinho/MG. Com este trabalho, objetivamos verificar como se deu o processo de retextualização multimodal, além de analisar, por meio das teorias de Jewitt (2013), como os recursos multimodais foram inseridos no gênero retextualizado, para complementar e ampliar o sentido do texto. Como resultado percebemos a contribuição para a reflexão em relação à retextualização de textos impressos para hipertextos e à percepção de que os elementos multimodais não são simples artefatos inseridos ao texto escrito, mas sim elementos que agregam redes amplas de significados.</p> Roberta Garcia Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6148 REPRESENTAÇÃO E PROTAGONISMO: A FIGURA MATERNA NOS CONTOS “A PRINCESA QUE ESCOLHIA” E “UMA, DUAS, TRÊS PRINCESAS”, DE ANA MARIA MACHADO https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6305 <p class="show">O presente estudo propõe uma análise comparativa da representação da figura da mãe nos contos de fadas clássicos, revisitada pela literatura contemporânea de Ana Maria Machado ao escrever os contos “A princesa que escolhia” e “Uma, duas, três princesas”. A autora nos traz a possibilidade de repensar a representação materna a partir desses contos contemporâneos, abarcando vozes femininas que transgridem ou reafirmam o pensamento patriarcal e revendo paradigmas socioculturais estabelecidos. Tal investigação fundamenta-se em estudos alusivos à literatura, história, sociologia e psicologia, possibilitando, assim, maior compreensão dos problemas apresentados, auxiliado por estudiosos como Bruno Bettelheim (1980), Robert Darton (1986), Simone Beauvoir (2009), Maria Cristina Martins (2015), Rosiska Darcy Oliveira (1993), Teresa de Lauretis (1994), Luzia Margareth Rago (2013) e Rita Therezinha Schmidt (1999).</p> Roseli Meira Gomes Rocha Adriana Maria de Abreu Barbosa Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6305 DIÁLOGOS INTERDISCIPLINARES: MEMÓRIA, FICÇÃO E IDEOLOGIA EM "OLGA", DE FERNANDO MORAIS https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6771 <p class="show">O presente artigo apresenta uma análise da obra <em>Olga, </em>de Fernando Morais, entrecruzando três áreas do conhecimento: História, Literatura e Comunicação. O objetivo é estabelecer, por meio destes campos, relações entre os aspectos da memória, da ficção e da ideologia encontrados na obra. Para isso, este trabalho desenvolve diálogos entre diferentes autores, como Fernando Morais (2004), Maurice Halbwachs (2006), Patrick Charaudeau (2006), Michael Pollak (1992), Paul Ricoeur (1997), Marshall Mcluhan (2007) e Mary Del Priore (2009). Desse modo, é possível abordar processos, manifestações e produtos culturais que integram o texto em discussão por meio da interdisciplinaridade, a qual promove reflexões mediante perspectivas que podem entrar em conflito, assim como podem se somar ou se complementar.</p> Sabrina Esmeris Ernani Mügge Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6771 LETRAMENTO CRÍTICO E O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: ANÁLISE DE UM LIVRO DIDÁTICO https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/5768 <p class="show">O presente artigo tem como objetivo apresentar os resultados da análise de um livro didático de língua portuguesa realizada à luz das contribuições teóricas dos estudos do Letramento Crítico, decorrentes da Pedagogia Freireana. O livro analisado é o <em>Português Linguagens 9º ano</em> de William Cereja e Thereza Cochar. Interessou-nos avaliar se as unidades temáticas são construídas a partir de uma abordagem crítica, se contemplam gêneros textuais que refletem as práticas de letramento contemporâneas e se as atividades de leitura propostas são condizentes com a realidade social do seu público-alvo. Os resultados dessa investigação qualitativa de análise documental demonstraram que o livro didático em questão possui potencialidades de colaboração para a formação de um leitor crítico e socialmente engajado.</p> Tainá Almeida Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-05-26 2020-05-26 12 1 10.22481/folio.v12i1.5768 ESTÁGIO DE DOCÊNCIA NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS: REFLEXÕES SOBRE A LINGUÍSTICA APLICADA CONTEMPORÂNEA E A PRÁTICA PEDAGÓGICA NAS AULA DE LÍNGUA PORTUGUESA https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6616 <p class="show">Este artigo propõe a reflexão sobre a complexidade da docência e a importância, para a construção de uma identidade docente, de experiências que oportunizem a prática e articule conhecimentos disciplinares com conhecimentos pedagógicos. Sobretudo, o presente trabalho analisa e reflete sobre a linguagem como constitutiva de significados, evidenciada nas mais recentes abordagens da Linguística Aplicada contemporânea. Além disto, ao discorrer sobre o estágio de docência realizado na disciplina de Linguística Aplicada ao Ensino de Língua Portuguesa, reflete sobre possíveis abordagens para o ensino de língua portuguesa em suas unidades básicas: oralidade, leitura, produção textual e análise linguística, explorando o trabalho com gêneros discursivos. <strong><br></strong></p> Valéria Castro Nunes Letícia Fonseca Richthofen de Freitas Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6616 Aspectos do realismo e da violência na literatura https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6179 <p>Este artigo tem como objetivo uma apreciação de alguns aspectos que envolvem o realismo e a violência na Literatura, para tal tomamos como objetos de estudo que nos auxiliarão na compreensão dos conceitos contos da escritora hispano-paraguaia Josefina Plá, a saber “La pierna de Severina”, “La Vitrola”, “Sisé” e “Siesta”. Para tal, nos valeremos dos estudos sobre real e o realismo de Roman Jakobson, Roland Barthes e Tânia Pellegrini, entre outros, assim como dos estudos da violência de Hannah Arendt, Xavier Crittiez e Karl Erik Schollhammer.</p> <p>&nbsp;</p> Andre Rezende Benatti Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6179 Nomes e identidades em São Bernardo: ironia, Bíblia e compulsão de repetição https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6186 <p>Neste artigo propomos que a maior parte dos nomes do romance <em>São Bernardo</em> são nomeados de modo irônico e que possuem algum relação com a Bíblia: Seu Ribeiro em relação ao progresso; d. Glória em relação a sua situação financeira; Paulo em relação ao Apóstolo e o título em relação ao Santo Bernardo de Claraval. E que o nome de Madalena seria uma exceção a este procedimento. Por fim, buscando uma crítica que leve em conta o psicológico, o social e o estético, propomos uma leitura dos nomes Paulo Honório e Casimiro Lopes a partir do nome do cangaceiro Casimiro Honório, especulando que a incorporação psíquica do narrador se confunde com a apropriação capitalista do personagem.</p> Carlisson Oliveira Hermano Rodrigues Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6186 JOÃO GILBERTO NOLL: UM CONTEMPORÂNEO DE NOSSA VERTIGEM ESPECULAR https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6548 <p>Propõe-se indicar João Gilberto Noll como escritor fundamental para pensar a literatura do século XXI, especificamente no romance <em>Lorde</em> (2004). Usando uma linguagem indissociável entre prosa e poesia, o escritor é um contemporâneo ao criar narrativas à margem da exigência do espetáculo editorial e narrar “com o olhar fixo no seu tempo, para perceber não as luzes, mas o escuro” (AGAMBEN, 2009). A hipótese de contemporaneidade literária é a de que, com <em>Lorde</em>, é possível estabelecer uma aproximação com o desterramento, o desenlace, a provisoriedade, a melancolia que marca o nosso tempo – nosso e o da literatura. Longe do consumo, da submissão ao ‘vale-tudo’ da felicidade como meta, o protagonista é frágil, inseguro e só. A contemporaneidade em João Gilberto Noll está numa literatura que não facilita, não é ‘produtiva’, mas é potente ao confrontar, ameaçar e mostrar ‘identidades’ em deterioração, nas imagens que o espelho que essa literatura retrata.</p> Chirley Domingues Dilma Beatriz Rocha Juliano Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6548 A REPRESENTAÇÃO DA INFÂNCIA NOS POEMAS DE SÓ DE BRINCADEIRA, DE LEO CUNHA https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6191 <p>A poesia de recepção infantil revela um universo de sensações e percepções da parte de quem a produz que implica na maneira de representar elementos irmanados à infância, sejam eles subjetivos ou de cunho confessional, sejam da ordem dos rituais que envolvem a criança e o mundo que ela projeta a partir de suas ações, como os brinquedos e as brincadeiras. O aproveitamento de tais temas na elaboração de poemas para a infância, e a sua exploração faz parte do projeto de construção da obra <em>Só de brincadeira</em>, de Leo Cunha (Positivo, 2018). O artigo separa os poemas do livro em poemas sobre brinquedos e poemas sobre brincadeiras e apresenta análises que procuram perceber a maneira de o autor representar a infância, tomando como ponto de partida o aproveitamento poético do objeto (o brinquedo) ou do jogo/atividade (a brincadeira). Além disso, as análises investem na observação da construção poética de Leo Cunha, observando recursos do gênero lírico que o autor mobiliza nos poemas. Levada à cabo nossa proposta, concluímos que muitas vezes o poema que tematiza um brinquedo, coloca o objeto em atividade lúdica, o que revela a brincadeira que dele emerge e que Leo Cunha, observador e criador, não deixa de aproveitar enquanto recurso poético, além, obviamente, de percebermos latente na sua escrita, o manejo adequado com a linguagem poética e seus meandros.</p> Fabiano Tadeu Grazioli Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6191 ENTRE FRESTAS E ARESTAS: LITERATURA E A MÚSICA NO CONTO MACHADIANO https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6329 <p class="show">O presente trabalho analisa indícios de diálogo entre literatura e música no conto intitulado: “Trio em lá menor”, do escritor Machado de Assis. A análise tem como objetivo entender como elementos da teoria musical, como, por exemplo, as nomenclaturas e os conceitos, assim como as ideias de resolução de campo harmônico, se entrelaçam à escrita do texto, ultrapassando a ideia da mera justificativa do andamento de leitura do conto, constituindo-se parte integrante do material textual. A relação entre as artes irmãs proporciona um caleidoscópio de possibilidades, nos parece que o autor fez uso de ideias de resolução de campo harmônico, entre outras do universo musical, para compor, ou melhor, escrever seu texto, criando uma atmosfera um pouco movediça, devido ao olhar cauteloso do escritor no que concerne ao diálogo e, na medida em que as questões amorosas vão se resolvendo seria, hipoteticamente, como se o campo harmônico fosse sendo resolvido, uma espécie de coadunação rizomática musico-literária.</p> Igor Alexandre Barcelos Graciano Borges Danglei de Castro Pereira Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6329 DE LEITOR PARA LEITOR: RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS NO ENSINO DA LITERATURA INFANTIL E JUVENIL NO BRASIL https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6496 <p class="show">Este artigo discute relações étnico-raciais no ensino de literatura infantil e juvenil no Brasil. Com base nas leis 10.639/2003 e 11.645/2008, que determinam o ensino da História, da Arte e da Cultura Africana, Afro-brasileira e das Nações Indígenas, buscamos problematizar o projeto de pesquisa aplicada <em>De Leitor para Leitor</em> considerando a eficácia das leis citadas e a recepção dos livros literários africanos, afro-brasileiros e indígenas reunidos no <em>Kit-Afro</em>: uma política afirmativa de democratização do acesso à produção literária para a diversidade, implementada pela Rede Municipal de Ensino de Belo Horizonte. Nossas discussões são norteadas por estudos sobre relações etnico-raciais no Brasil (GOMES, 2012; SILVA), Análise Crítica do Discurso (VAN DIJK, 2008), Ensino da literatura (AUTOR, 2015; 2016), Interculturalidade e Pedagogias Descoloniais (HOPENHAY, 2009; WALSH, 2017). A partir de resenhas e avaliações produzidas, apontamos a tomada de consciencia linguístico-ideológica dos alunos envolvidos.</p> Míria Gomes Oliveira Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6496 La A RELAÇÃO ENTRE O DISCURSO SOCIALISTA E O DISCURSO PROGRESSISTA https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6273 <p>O presente trabalho tem o objetivo de traçar a construção histórico-sociológica do discurso socialista, entendido em sentido amplo, bem como situar o mesmo no espectro ideológico do discurso político. Para isso, lança-se mão dos pressupostos teórico-metodológicos propostos por Bobbio e Charaudeau de distinção entre esquerda e direita. A conclusão é que o discurso socialista é mais afeito ao progressismo, excetuando o discurso socialista de países que o utilizam como política de estado de manutenção autoritária do poder, como aconteceu com o stalinismo.</p> Frederico Rios C. dos Santos Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6273 IDENTIDADES EM (DIS)CURSO: PRÁTICAS DE MULTILETRAMENTOS DIDÁTICOS COM FUTUROS PROFESSORES https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6499 <p>O estudo em questão surgiu da necessidade de refletirmos acerca das práticas e identidades profissionais que se (re)(des)velam nas e por meio das variadas formas de lecionar Língua Portuguesa na atual conjuntura das tecnologias digitais. Foi proposta, portanto, uma abordagem discursiva a respeito das tecnologias digitais e sua repercussão na construção das identidades docentes na formação inicial. Nesse sentido, objetivamos discutir uma experiência pedagógica de pesquisa-ação desenvolvida com alunos do curso de Letras licenciatura noturno de uma universidade pública estadual na cidade de Balsas – MA. Desse modo, o trabalho visa a investigar como futuros professores de Língua Portuguesa representam, discursivamente, a (re) construção de suas identidades em função do papel das tecnologias digitais nas suas ações profissionais futuras. Com base nos pressupostos teóricos dos estudos culturais sobre Identidade, do Interacionismo Sociodiscursivo e dos (Multi)letramentos, as análises das vozes enunciativas nos projetos didático-digitais desenvolvidos pelos futuros professores revelaram a consciência destes no trabalho com os gêneros de texto e artefatos digitais, transformando-os em instrumentos de ensino, segundo as reais práticas sociais letradas dos contextos de letramento situado.&nbsp; Além disso, os discursos para o agir docente demonstraram reposicionamentos identitários docentes, ainda que em construção e num <em>continnum</em>, com traços de seus letramentos didático-digitais. </p> Ana Patricia Sá Martins Dorotea Frank Kersch Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6499 O PROFESSOR DE PORTUGUÊS COMO LÍNGUA DE ACOLHIMENTO: ENTRE O ATIVISMO E A PRECARIZAÇÃO https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6680 <p><span style="font-weight: 400;">Com o Brasil figurando, cada vez mais, nas rotas de migração de crise (CLOCHARD, 2007; BAENINGER; PERES, 2017; CAMARGO, 2019), escancaram-se lacunas no sistema de acolhimento dos migrantes no país. Diante disso, a sociedade civil, por meio de ONGs, associações, pastorais, entre outras entidades, assumem um papel de levar a cabo políticas de acolhimento&nbsp; importantes que deveriam ser promovidas pelo Estado, dentre elas o ensino da língua portuguesa para migrantes, área denominada Português como Língua de Acolhimento (PLAc). A discussão que realizamos aqui procura demonstrar como é a prática e a formação do professor de PLAc, um processo entre o ativismo e a precarização. Com base numa metodologia de cunho interpretativista (SOUZA, 2014), analisamos o discurso de 20 professores de PLAc coletados via questionário </span><em><span style="font-weight: 400;">online</span></em><span style="font-weight: 400;">. Os registros apontam que o lado ativista desse docente está no fato de atuarem no voluntariado, na tentativa de cobrir as lacunas deixadas pela falta de institucionalização de políticas linguísticas para os migrantes. Ao mesmo tempo, a dimensão do voluntariado e a falta de formação docente específica colaboram para a precarização da atividade profissional desse docente.&nbsp; <br></span></p> Ana Paula de Araújo Lopez Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6680 “EU GOSTAVA MUITO DO CAOS QUE ERA AQUELA SALA” IDENTIDADES E EMOÇÕES NAS NARRATIVAS DE ALUNOS DA LICENCIATURA EM SITUAÇÃO DE ESTÁGIO https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6609 <p class="show">Neste artigo investigamos, a partir das narrativas de alunos do 6º período do curso de Licenciatura em Letras Português, de um Instituto Federal, o lugar e o impacto do estágio supervisionado em sua percepção do fazer docente e na construção da identidade profissional desses futuros professores. Nesse sentido, apoiamo-nos nas discussões de Pimenta (2008) e Tardiff (2011) sobre estágio supervisionado; Hall (2006) e Dubar (2005) sobre a formação de identidades na contemporaneidade e Aragão (2011, 2014) que trata do papel da emoção na formação de professores. Articulando esse aporte teórico e por meio da análise das narrativas dos alunos, defendemos que a identidade docente será construída e reconstruída ao longo de toda a trajetória profissional do professor e destacamos o papel das emoções na construção da identidade docente, pois será por meio delas que os alunos-estagiários iniciarão o processo de reflexão sobre o fazer docente, o que contribui, sobremaneira, na construção de sua identidade como professor.</p> André Effgen de Aguiar Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6609 FORMAÇÃO CONTINUADA COLABORATIVA: UMA EXPERIÊNCIA DE PESQUISA https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6538 <p>O objetivo deste artigo é apresentar os resultados parciais de uma pesquisa-ação-crítico-colaborativa (PACC) (PIMENTA, 2005), desenvolvida no âmbito de formação continuada de professores dos anos iniciais do ensino fundamental, com o intuito de investigar se as ações colaborativas propostas provocariam alterações nas concepções de linguagem dos professores participantes.&nbsp; Alinhada às preocupações da Linguística Aplicada, desenvolvemos uma pesquisa qualitativa interpretativista (BORTONI-RICARDO, 2008), seguindo os pressupostos da PACC, em uma adaptação da proposta de Magalhães (2004). A partir da compreensão de que as concepções de linguagem afetam os encaminhamentos metodológicos do trabalho com a linguagem (GERALDI, 2011 [1984]), a formação ocorreu no segundo semestre de 2019, e contou, inicialmente, com a participação de 74 professores, em seis encontros distribuídos ao longo do semestre, totalizando 24 horas. A partir da análise de cartazes produzidos ao inicial e ao final da formação, verificamos que houve uma mudança significativa das concepções apresentadas pelos participantes.</p> Andréia Cristina de Souza Terezinha da Conceição Costa-Hübes Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6538 LÍNGUA PORTUGUESA E IRRIGAÇÃO E DRENAGEM: A INTERDISCIPLINARIDADE COMO ELO https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6597 <p>Este trabalho apresenta uma reflexão sobre a prática interdisciplinar no âmbito do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano – IF Baiano, campus de Bom Jesus da Lapa, entre as disciplinas Irrigação e Drenagem e Língua Portuguesa. A prática foi realizada com turmas do terceiro ano do Curso Técnico Integrado ao Ensino Médio em Agricultura, utilizando como ponto de partida a leitura literária das obras <em>O Quinze</em> de Raquel de Queiroz e <em>Vidas Secas </em>de Graciliano Ramos. Para tanto, alguns temas convergentes às duas disciplinas foram discutidos como: interpretação textual, figuras de linguagens, ortografia, recursos hídricos do semiárido brasileiro características de solo e vegetação do bioma caatinga, uso da água de forma eficiente para realizar a irrigação e promover a produção de alimentos. Foi possível perceber, que o diálogo entre disciplinas do eixo tecnológico e comum é possível, o que trouxe uma maior participação e interesse dos alunos, já que os conteúdos foram discutidos a partir da realidade local, considerando o perfil dos ingressantes no curso. Para tal, estudos de FAZENDA (2011), JAPIASSU (1979) e VEIGA (2008) foram tomados como base teórica.</p> Antonio Hélder Rodrigues Sampaio Clélia Gomes dos Santos Nêmia Ribeiro Alves Lopes Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6597 CICLO DE APRENDIZAGEM E A PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS JORNALÍSTICAS EM UM CONTEXTO ESCOLAR https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6541 <p>Este artigo fundamenta-se teoricamente à Linguística Sistêmico-funcional de Halliday (2014) e à Pedagogia de Gêneros (Martin; Rose, 2008, 2012) e tem como objetivo apresentar a implementação do Ciclo de Aprendizagem com alunos do sexto ano do Ensino Fundamental em uma escola da rede pública. Buscou-se, dessa forma, evidenciar possíveis formas de aprendizagem explícita do gênero notícias, bem como a escrita autônoma de textos. A metodologia aplicada é estabelecida pelo Ciclo de Aprendizagem com alunos que frequentam o turno inverso para um projeto de letramento, oferecido por uma professora da rede municipal. Apresenta-se a análise da produção de um aluno e discute-se a influência da implementação do Ciclo no letramento dos alunos envolvidos.</p> Carolina Zeferino Pires Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6541 O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA EM ANGOLA: REFLEXÕES METODOLÓGICAS EM CONTEXTO MULTLINGUE https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6604 <p>O português é a única língua oficial de Angola, embora havendo mais de vinte línguas do grupo bantu e khoisan convivendo com diversas línguas europeias e asiáticas. Sendo o português a língua obrigatória na educação é necessário refletir sobre como ensinar em contexto multilíngue. A pesquisa debateu caminhos metodológicos que favorecem um ensino de qualidade e que realmente atenda a realidade angolana. É uma pesquisa bibliográfica que busca leituras que debatem questões da variação linguística e a didática do ensino. A pesquisa mostrou como a formação do professor é importante na transmissão de competências visando a qualidade de aprendizagem em português. Dado o contexto em que se processa o ensino e aprendizagem do português em Angola observa-se a ausência de condições infraestruturais para além da falta da interação entre professor, aluno, pais e Ministério da Educação. A existência de turmas com alunos de português como L1 e L2 torna o ensino complexo porque a metodologia e os materiais deveriam ser diferentes. As interferências das línguas africanas no português obrigam uma atualização metodológica constante do professor de português para que possa responder à realidade angolana desafiando a complexidade à variedade angolana do português que é diferente do português de Portugal.</p> Eduardo David Ndombele Alexandre António Timbane Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6604 MONITORIA EM SALA: UMA AÇÃO DE FORMAÇÃO DOCENTE https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6596 <p>O presente texto analisa respostas de alunos do curso de Letras Português-Inglês, os quais atuaram como monitores-alunos em sala no Português para Falantes de Outras Línguas (PFOL), da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Curitiba (UTFPR-CT). O artigo busca identificar as visões dos alunos-monitores sobre a relevância da sua participação na monitoria do PFOL da UTFPR-CT. Para isso, organizamos o texto da seguinte maneira: primeiramente, apresentamos a organização do artigo, imprimindo a ideia geral e expondo as partes que constituem tal estudo. Em seguida, discorremos sobre textos legais e institucionais sobre monitoria e damos voz à nossa perspectiva de trabalho com a monitoria em sala de aula. Logo, estabelecemos relações entre monitoria e formação de professores, recorrendo a Lave e Wenger (2001) e Johnson e Golombek (2016) no que diz respeito à aprendizagem situada, à Schön (1992), Pérez Gómez (1992), Gimenez (2005), Halu (2010)&nbsp;e Zamboni (2013) acerca de suas visões sobre professor reflexivo e, mais especificamente, aos conceitos de reflexão na ação e reflexão sobre a reflexão na ação, de Schön (1992). A metodologia utilizada foi um questionário aberto, com 12 perguntas, a partir da perspectiva interpretativista (LESSA DE OLIVEIRA, 2008; NEVES, 2015). As análises revelam que a atividade de monitoria faz ressoar questões teórico-práticas da graduação em Letras (as quais, muitas vezes não são tratadas dentro grade curricular do curso). Além disso, embora encontremos pontos de contato entre as respostas, também observamos identidades particulares em cada um deles.</p> Elisa Novaski Cordeiro Jeniffer Imaregna Alcantara de Albuquerque Fernanda Deah Chichorro Baldin Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6596 INDÍCIOS DE EMPODERAMENTO DOS SUJEITOS DA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS EM TEXTOS AUTOBIOGRÁFICOS https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6478 <p class="show">Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa sobre o processo de empoderamento dos estudantes, na condição de sujeitos de direito, na modalidade da Educação de Jovens e Adultos (EJA), em uma escola pública localizada em um bairro periférico na cidade de Vitória da Conquista, Bahia, cujo objetivo foi averiguar a presença do Outro e indícios do processo de empoderamento nos textos de gênero autobiográfico produzidos em uma sequência didática. Para tanto, tomou-se por base os estudos de: Bakhtin (2003), Paiva (1983), Freire (1982), Arroyo (2005), Baquero (2006), Dolz, Noveraz e Schnewly (2011), entre outros. Como metodologia, a opção foi pela pesquisa-ação participativa. Os resultados comprovam que os alunos demonstram indícios de empoderamento alcançados por meio do processo educativo e se reconhecem como sujeitos de direito na esfera social.</p> Elma Karine Costa Cardoso Maria Aparecida Pacheco Gusmão Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6478 FORMAÇÃO DE PROFESSORES: RELATO DE EXPERIÊNCIAS NO CONTEXTO DO PIBID/ UESB https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6605 <p><strong>&nbsp;</strong>Este artigo procura refletir o ser professor e as suas implicações, mediante a triangulação do pensar-fazer-pensar as aulas de Língua Portuguesa. Para isso, será socializada uma experiência (ação) oriunda do projeto intitulado <em>Grandes Histórias Escritas por Todos Nós</em>, desenvolvido no Colégio Estadual Fernando Spínola, durante o ano letivo de 2019. Cumpre esclarecer que o referido projeto é um desdobramento do Subprojeto de Língua Portuguesa/ Fundamental II do Programa de Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência – PIBID/2018. Protagonizaram a elaboração e o desenvolvimento dessa experiência (ação) os seguintes sujeitos: as coordenadoras do referido subprojeto; a professora supervisora do ensino fundamental do Colégio Estadual Fernando Spínola; 07 licenciandos do Curso de Letras Vernáculas da UESB, <em>Campus</em> Vitória da Conquista, agora, ex-bolsistas de iniciação à Docência do PIBID e, também, os alunos dos 7º e 9º anos do Ensino Fundamental do referido colégio, em Vitória da Conquista. Como resultado desse processo de (trans) formação docente/discente houve a publicação da Revista <em>Pequenos Grandes Escritores</em> a qual revela que a formação docente, fomentada por meio de políticas públicas, deve ser experienciada não apenas pelos eixos de preparação acadêmica; preparação profissional e prática profissional, mas igualmente, mediante uma formação que não prescinde das vivências e do envolvimento pessoal de todos os envolvidos.</p> Fabiana Andrade Santos Virginia Silveira Baldow Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6605 APORTES TEÓRICO-PEDAGÓGICOS PARA UM ENSINO FUNCIONAL DE LÍNGUA PORTUGUESA https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6412 <p>Este trabalho operacionaliza aportes teóricos advindos dos estudos linguísticos como contributos para o ensino de Língua Portuguesa. O objetivo geral é descrever uma proposta pedagógica por meio da qual o estudo da língua, em sala de aula, seja “funcional”. Assim, apresentam-se diretrizes para a concepção/construção de um roteiro de ensino de Português sob a perspectiva funcional da linguagem, considerando os diferentes eixos que compõem esse ensino na Educação Básica, a saber: “leitura e produção textual”, “literatura” e “análise linguística”.</p> Fabrício da Silva Amorim Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6412 CENAS DE UMA ATIVIDADE DE LEITURA EM UM CONTEXTO DE ENSINO-APRENDIZAGEM DE PORTUGUÊS COMO LÍNGUA DE HERANÇA: APONTAMENTOS INTERCULTURAIS https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6970 <p>Neste artigo, apresentamos duas cenas de uma aula de português como língua de herança na Alemanha e demonstramos como os conceitos de cultura(s) como uma programação coletiva da mente (Woodside, 2010) e território(s) são úteis para entendermos como uma professora brasileira é surpreendida pelo modo como os seus alunos germânico-brasileiros, nascidos e criados na Alemanha, interpretam o texto-objeto de Ensino (uma propaganda verbo-visual impressa). Os apontamentos interculturais que realizamos nos auxiliam a acessar e a compreender circunstâncias que perfazem o trabalho com exemplares de textos no contexto de ensino-aprendizagem de língua de herança, o que, por sua vez, aponta para especificidades do trabalho do professor, que já atua ou quer atuar, nesse contexto. </p> Fernanda de Castro Modl Nádia Dolores Fernandes Biavati Eulália Leurquin Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6970 O USO DAS TECNOLOGIAS DIGITAIS NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE LÍNGUA PORTUGUESA: UMA PROPOSTA COM O RPG BOSS https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6615 <p>Este artigo apresenta uma discussão sobre o processo inicial de formação de professores de Língua Portuguesa, evidenciando de que modo interfaces digitais, como o <em>RPG Boss</em>, podem contribuir para a profissionalização dos licenciandos em Letras e, consequentemente, para o desenvolvimento de práticas de leitura e escrita mais dinâmicas e interativas na educação básica. O referencial teórico do trabalho concilia os estudos/análises de Gatti (2010), Gatti e Barreto (2009), Lévy (1999) e Lima e Loureiro (2016), sobre tecnologias digitais e formação docente, com as diretrizes educacionais vigentes e as discussões de Rosa (2004), Smchit (2008), Toledo (2015) e Trevisan (2004), entre outros, acerca do <em>Roling Playing Game </em>(RPG). Argumenta-se, a partir de uma experiência desenvolvida com discentes do curso de Letras, que propostas de formação docente que contemplem as etapas de capacitação teórico-metodológica, ação pedagógica e reflexão sobre a ação, bem como valorizem o uso de diferentes tecnologias, podem colaborar para a profissionalização dos licenciandos, seja por aproximá-los da realidade docente, através de estudos/pesquisas, planejamento, ação e análises, seja por propiciar reflexões sobre as metodologias de ensino da leitura e da escrita no contexto escolar.</p> Fernanda Maria Almeida dos Santos Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6615 A RESSIGNIFICAÇÃO DO ENSINO DE LEITURA PROPICIADA PELA FORMAÇÃO DOCENTE: UM ESTUDO DE CASO A PARTIR DE NARRATIVAS DE VIDA https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6571 <p>Neste artigo, que é decorrente de nossos estudos no curso de Mestrado, temos como objetivo principal analisar concepções de leitura que emergem a partir da narrativa de experiência e de práxis sobre leitura de uma professora alfabetizadora que, à época em que foi entrevistada, ainda era estudante de graduação em Pedagogia. Para isso, partimos das considerações teóricas de Kleiman (1997), Silva (1999), Koch; Elias (2012) e Braggio (1992), autores que sintetizam as principais concepções de leitura que norteiam as ações pedagógicas no âmbito do ensino dessa habilidade. Metodologicamente, estabelecemos diálogo entre a etnossociologia de Bertaux (2010) e a abordagem clínica de coleta e análise de dados proposta por Vasconcelos (2005), defendendo uma metodologia que adota como objeto de análise narrativas de vida numa perspectiva indutiva de construção de hipóteses, com base nos estudos de caso. A análise demonstra que as experiências da professora, em sua narração, foram traumáticas, pois eram somente uma maneira de avaliar a interpretação. Em decorrência disso, as discussões teórico-metodológicas acadêmicas ressignificam a maneira como a professora seleciona atividades para trabalhar a leitura. Conclui-se que é importante uma sólida formação profissional universitária inicial e continuada que possa fazer os docentes repensarem suas concepções e metodologias.</p> Francisco Rogiellyson da Silva Andrade Priscila Sandra Ramos de Lima Dannytza Serra Gomes Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6571 FORMAS DE PLANIFICAÇÃO DO AGIR DIDÁTICO COM GÊNEROS NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6601 <p>O presente artigo tem como objetivo refletir sobre as formas de planificação do agir didático com gêneros por professores. Para tal, tomamos como referência a noção de agir didático de Silva (2013) e as discussões teóricas e resultados das pesquisas sobre ensino de gênero apresentadas na coletânea organizada por Schneuwly e Dolz (2004). As colaboradoras desta pesquisa foram 02 (duas) professoras da Rede Estadual de Ensino de Pernambuco. Os resultados apontam para a ocorrência de algumas formas comuns de planificação do agir didático com gênero nas práticas de ensino das duas professoras. Verificamos, ainda, uma preocupação das docentes com a sistematização dos gêneros, com ênfase, sobretudo, nas suas dimensões constitutivas, ou seja, seus aspectos temáticos e composicionais.</p> Gustavo Henrique da Silva Lima Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6601 IDENTIDADES E A DIDATIZAÇÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6574 <p>Este trabalho tem como objetivo investigar como licenciandos de um curso de letras entendem a didática e a didatização como prática pedagógica na perspectiva decolonial. Pretende investigar, também, como a didática pode fomentar uma prática educativa de vanguarda a partir da análise de narrativas sobre como alunos de uma universidade privada lidam com tais conceitos, passam a operar com eles e constroem suas identidades docentes a partir da(s) linguagem(ns). Para tanto, nos embasamos no campo da Linguística Aplicada Indisciplinar, em sintonia com os estudos culturais, tendo como argumento a relação entre a linguagem e a produção de identidades, considerando a função que as narrativas desempenham no processo de construção identitária, no sentido de propor uma organização dos discursos nos espaços sociais. Sendo assim, a metodologia que se propõe está pautada na análise das narrativas dos licenciandos no processo de construção de conhecimentos a partir da utilização da didática. O resultado desta investigação quanto à formação de professores aponta indícios para refletir sobre a perspectiva da decolonialidade e sobre as identidades docentes como reflexo das performances narrativas da formação, das propostas e das estratégias formativas vivenciadas por meio das mediações didáticas promovidas ao longo do curso de formação dos sujeitos de pesquisa.</p> Ieda Lourdes Gomes de Assumpção Maicon Farias Vieira Leticia Fonseca Richthofen de Freitas Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6574 ENSINO DE PORTUGUÊS PARA FALANTES DE OUTRAS LÍNGUAS: IDENTIDADES E [RE]INVENÇÕES EM CONTEXTO DE INTEGRAÇÃO https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6755 <p>O objetivo deste artigo é descrever e analisar uma experiência didática com o ensino de português para não brasileiros na UNILA pontuando os desafios teóricos e didáticos em um contexto intercultural e plurilíngue. Para melhor visualização dessa análise, me reporto exclusivamente a uma turma (português – nível básico) constituída por 15 estudantes hispanofalantes oriundos de cinco nacionalidades, sobre a qual sintetizo alguns aspectos interculturais para pensar o problema da identidade e das representações no ensino de português para falantes de outras línguas ou como língua não materna. Para tanto, discuto a pertinência de algumas designações, a exemplo de <em>língua adicional, </em>para a especificidade do português ensinado e aprendido no contexto de imersão, transfronteiriço e de integração por onde os sujeitos transitam.</p> Jocenilson Ribeiro Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6755 AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE SI E DO SER PROFESSOR DE ALUNOS DE LETRAS EM FORMAÇÃO INICIAL https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6736 <p>Este artigo teve como objetivo analisar e discutir as representações sociais de si e de ser professor de Língua Portuguesa em enunciados de alunos de sétimo semestre de um curso de Letras de uma universidade pública já em fase de estágio supervisionado. Assim, para alcançar tal intento, aplicamos um questionário semiestruturado aos referidos alunos para a coleta de dados e formação de um <em>corpus</em> de análise. A pesquisa, de caráter qualitativo-interpretativo, teve como arcabouço teórico os pressupostos bakhtinianos sobre o dialogismo e a Teoria das Representações Sociais (TRS) de Moscovici (2012, 2015) e os estudos sobre a formação de professores, baseando-nos em Schön (2000) e Tardif (2014). As análises nos apontaram que alguns alunos, apesar de já estarem no exercício do primeiro estágio supervisionado, têm uma representação de ser professor como uma profissão sacrificada, injustiçada, porém heroica e não têm uma representação de si como futuros professores atuantes no magistério. </p> José Marcos Ernesto Santana de França Pollyanne Bicalho Ribeiro Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6736 DA GRAMÁTICA AO DISCURSO OU DO DISCURSO À GRAMÁTICA? IMPLICAÇÕES DISCURSIVAS AO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6617 <p>Este trabalho tem por objetivo promover algumas reflexões não apenas sobre a maneira como livros didáticos (LD) e exames vestibulares elaboram questões (perguntas) referentes a conteúdos diversos, notadamente na área de língua portuguesa, mas ainda como determinadas informações são levadas aos alunos, por meio de textos nos capítulos dos LD, e aos docentes que utilizam esses livros, na seção de orientações ao professor. A arquitetura teórica que sustenta tal discussão está alicerçada na Linguística Aplicada, imbricando-se a outros autores que tomam esse direcionamento teórico, bem como a perspectiva sociointeracionista e discursiva, no ensino de língua portuguesa, sobretudo quando abordam a relação entre ensino e aprendizagem e aspectos sociodiscursivos das práticas linguageiras. Pautamos a discussão numa abordagem qualitativa de pesquisa (FLICK, 2009), considerando que tal abordagem nos possibilita, enquanto pesquisadores, a apropriação de métodos e teorias que expliquem o fenômeno, a observação de perspectivas que servem de base para a análise do objeto teórico e reflexão acerca de questões levantadas. A análise das referidas questões permitiu constatar que diversos livros didáticos e exames vestibulares, a exemplo dos que compuseram o bojo deste estudo, não abordam práticas sociais da linguagem no ensino de língua portuguesa, priorizando apenas aspectos gramaticais e desconsiderando importantes elementos sociodiscursivos, e as orientações ao professor não apresentam uma abordagem sociodiscursiva da linguagem, a qual precisa efetivar-se no processo de ensino e aprendizagem, em consonância aos aspectos gramaticais.</p> José Nildo Barbosa de Melo Junior Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6617 GÊNEROS DISCURSIVO-TEXTUAIS E GRAMÁTICA: PEDRAS NO CAMINHO DO PROFESSOR DE PORTUGUÊS? https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6532 <p>Este artigo discute alguns aspectos da representação do professor de português da escola básica frente às responsabilidades que lhe são atribuídas socialmente a partir da Análise do Discurso proposta por James Paul Gee. Ele se baseia na análise de entrevistas semiestruturadas de professores de português atuantes e de alunos de um curso de Letras quanto à problemática envolvida com esse tema. Conclui que, à esteira das dificuldades inerentes à atuação profissional e a teorias aprendidas, há uma distância considerável que ora pende a uma tensão do discurso acadêmico, ora o traz como essencial, ora demonstra certo despreparo em lidar com a diferença entre a prática docente e o universo especializado que conduz grande parte do fazer docente, numa conexão estreita com as reponsabilidades que a sociedade atribui a esse importante ator no interior da instituição escolar.</p> Karen Correia Cláudio Márcio do Carmo Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6532 CRENÇAS NO ENSINO-APRENDIZAGEM DE IDIOMAS: O GRUPO FOCAL COMO INSTRUMENTO DE PRODUÇÃO DE DADOS https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6722 <p>O assunto em investigação é o grupo focal como ferramenta de produção de dados em estudos sobre crenças no ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras. Nossa intenção é auxiliar no planejamento e aplicação de grupos focais que tratem sobre esse tema. Realizamos estudo bibliográfico e relato de nossa própria experiência em planejar e aplicar o instrumento. Nosso referencial teórico incluiu Barbosa (2012), Backes et al (2011), Autor (2018), Morgan (2013), Santos, Silva e Jesus (2016), Teixeira e Maciel (2009), Trad (2009), entre outros. Resultados indicam que o uso do grupo focal é apropriado para produzir dados sobre crenças a respeito do ensino-aprendizagem de idiomas, contanto que haja planejamento e preparação do pesquisador de maneira antecipada e adequada.</p> Luciana Kinoshita Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6722 REDES ENUNCIATIVAS NO ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6988 <p>O presente texto tem como objetivo oferecer subsídios para o trabalho com linguagem na escola, destacando as redes enunciativas como um profícuo caminho para o desenvolvimento de projetos didáticos, voltando o olhar para o sentido na produção da linguagem pelas articulações de palavras do enunciado. A exploração do ponto de vista se dá como uma proposta a partir do enfoque às atividades com elaboração de redes, o que propicia o destaque à proposta de trabalho com a linguagem em um campo interdisciplinar.&nbsp; Apresentam-se sugestões de atividades por meio das formações nominais e das redes enunciativas, o que se mostra, enfim, um produtivo caminho para o professor em sua tarefa de propiciar experiências de contato com a produção de sentidos nos anos finais do Ensino Fundamental.</p> Luiz Francisco Dias Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6988 GÉNERO RECONTO: ANÁLISE LINGUÍSTICA E SEQUÊNCIA DIDÁTICA NO ENSINO DE PORTUGUÊS EM ANGOLA https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6720 <p>o objetivo da presente pesquisa é, por um lado, analisar os recontos produzidos pelos alunos angolanos do Ensino Secundário e, por outro, conceber um modelo didático do género e uma sequência didática para ser implementada nas aulas de português língua materna. Na primeira secção, apresenta-se uma análise linguística dos textos que constituem o <em>corpus</em> e, na segunda, a elaboração das propostas didáticas. O <em>corpus</em> utilizado é composto por dez recontos retirados de forma aleatória duma turma de 40 alunos, servindo de amostra representativa. Nos recontos, foram analisados os parâmetros dos contextos físico e sociossubjetivo, assim como a estrutura, as marcas do género e as configurações das unidades linguísticas. Para tal, o presente estudo baseia-se no quadro teórico do Interacionismo Sociodiscursivo, especialmente, nos trabalhos realizados no campo do ensino de língua através de géneros de texto, Bronckart (2005); Schneuwly &amp; Dolz (2004). A pesquisa efetuada evidencia que oito textos não apresentam uma avaliação à história contada, nem a moral que dela se pode tirar. Além disso, observa-se que 69% dos articuladores textuais são aditivos, a cadeia anafórica não é propriamente uma forma nominal; os mecanismos de coesão verbal são sustentados pelo pretérito perfeito, pretérito imperfeito e presente; 80% das vozes identificadas são das personagens, sendo introduzidas maioritariamente pelo verbo “dizer”. Finalmente, as modalizações identificadas são do tipo lógico e apreciativo. A partir destes resultados e de outros problemas escrita detetados na análise e correção dos textos, concebem-se o modelo didático do género e a sequência didática como solução de remediação.</p> Luzonzo Filipe Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6720 POR QUE OS ESTUDANTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA EXPLORAM POUQUISSIMAMENTE OS DICIONÁRIOS DE LÍNGUAS? https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6518 <p>Os estudantes da educação básica sabem explorar apropriadamente os recursos do dicionário? O propósito desse trabalho consiste em responder a essa questão, ao destacar as razões que impedem os aprendizes a adotar de modo potencial o dicionário enquanto fonte de pesquisa em suas atividades de recepção e de produção de linguagem. Em resposta ao problema enunciado, este artigo aponta três fatores que determinam o baixo aproveitamento do dicionário em sala de aula pelo aluno, como foram mencionadas nas evidências do estudo proposto por Sabino Luiz (2019), a saber: (i) a ausência de proficiência lexicográfica, (ii) o uso indiscriminado do material lexicográfico pelo aluno e (iii) a vaga mobilização docente frente às práticas didáticas. Diante destas constatações de natureza bibliográfica, defendemos a necessidade de ações pedagógicas voltadas ao letramento e à educação lexicográfica escolar com base nos princípios do quadro teórico da lexicografia pedagógica (LP).</p> Marcelo Sabino Luiz Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6518 RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6625 <p>Neste texto, apresentamos o desenvolvimento de um projeto de residência pedagógica desenvolvido em uma universidade estadual da Bahia, num município do interior do estado, com o objetivo de identificar as potencialidades e limites do programa para a avaliação sobre os estágios supervisionados no curso de Letras – Língua Portuguesa. Para isso, utiliza-se os pressupostos teórico-metodológicos da pesquisa pedagógica elaborados por Altet (2000) para elaborar um modelo de formação coerente com as disposições normativas estabelecidas pela Capes para o desenvolvimento da residência pedagógica. Concluiu-se que o programa proporciona elementos importantes para fomentar debates sobre a reformulação do estágio supervisionado.</p> Marcos Bispo dos Santos Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6625 CONCEPÇÕES BASILARES E PRÁTICAS DOCENTES EM AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6628 <p>O desafio da educação básica, em pleno século XXI, é fazer, de fato, nossos estudantes saírem da escola dominando conhecimentos básicos. Desde sempre ouvimos que os estudantes brasileiros não sabem nada; as avaliações de larga escala, em diferentes resultados ao longo do ano, atestam o senso comum: as dificuldades extremas na formação discente. No meio de toda essa discussão, as disciplinas Língua Portuguesa e Matemática lideram em resultados aquém do desejável dos estudantes.&nbsp; Não se podem negar os esforços, ainda que canhestros, engendrados pelo MEC e por diferentes secretarias de educação. A pergunta crucial é por que os resultados brasileiros continuam denunciando as sérias dificuldades dos estudantes. Longe de querer responder a esta crucial pergunta, como professora de Língua Portuguesa e formadora de professores, também me debruço sobre esta grave problematização. Tenho como hipótese central que não se trata, apenas, de uma questão metodológica, ou de falta de material didático. Esses são atingidos pela ausência clara de pressupostos teóricos que sustentam as práticas de ensinar e de aprender língua portuguesa na formalidade da sala de aula. Tomando essa hipótese como ponto de partida para as reflexões que desejo propor neste artigo, pretendo discutir os equívocos encontrados em diferentes práticas didáticas, considerando conceitos linguísticos fundamentais denominados como conceitos basilares, a saber: língua e linguagem, texto e gêneros. Postula-se que, apesar do grande e importante avanço das teorias linguísticas, esses conceitos não chegam à ponta: a sala de aula básica, ao professor do ensino básico.</p> Maria Teresa Tedesco Vilardo Abreu Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6628 A PRODUÇÃO DE RESUMOS ACADÊMICOS: UM ESTUDO PRELIMINAR SOBRE A USABILIDADE DO SOFTWARE “AutorIA – MEU RESUMO” https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6728 <p>Este trabalho é parte de minha pesquisa de pós-doutoramento, realizada de março de 2019 a fevereiro de 2020, que teve por objetivo investigar aspectos relacionados ao ensino-aprendizagem de resumos acadêmicos. Neste artigo, daremos ênfase à discussão dos resultados dos testes de usabilidade do <em>software </em>“AutorIA”, cuja criação foi um desdobramento da referida pesquisa. Esses testes tiveram como objetivo analisar o processo de interação entre os estudantes e o computador, verificando, assim, a facilidade de uso do sistema. (CONRAD; LEVI, 2002). O aporte teórico para a elaboração do <em>software</em> fundamentou-se numa perspectiva híbrida: por um lado, baseamo-nos nos princípios do Interacionismo Sociodiscursivo proposto por Bronckart (1999, 2006) e Cristóvão (2013), bem como sua vertente didática, nos termos de Schneuwly e Dolz (2004). Por outro lado, utilizamos aspectos da Sociorretórica de Swales (1990) e Askehave; Swales (2001), priorizando o modelo <em>Create a Research Space</em> (modelo CARS) e suas possíveis adaptações ao gênero resumo acadêmico.&nbsp;A metodologia, vinculada à Linguística Aplicada, teve uma perspectiva qualitativa de cunho interpretativista (MOREIRA; CALEFE, 2008), com a utilização de métodos empíricos. Os resultados revelaram que os estudantes, de modo geral, avaliaram positivamente a utilização do programa na produção de resumos acadêmicos, ratificando, assim, que a tecnologia pode ser um importante recurso no processo de didatização.</p> Marília de Carvalho Caetano-Oliveira Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6728 O TRABALHO COM A PRODUÇÃO DE SENTIDOS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUA PORTUGUESA: ESCOLHAS ENUNCIATIVAS PARA A DIDATIZAÇÃO https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6973 <p>Neste artigo, socializamos ações de trabalho advindas de uma parceria interinstitucional (UESB-UFSJ) no LaGaTT, Laboratório de Garimpo Textual e(m) Trabalho do professor de línguas, que tem como público-alvo professores em formação inicial/licenciandos, professores em exercício e professores em formação continuada. O objetivo do presente texto é apresentar um conjunto de questões que perpassam o trabalho de didatização do professor de português de exemplares de gêneros textuais/discursivos. O que se inicia com a defesa de textos como unidade de ensino, seguida da escolha de um determinado texto/exemplar, a que chamamos garimpo textual, para didatização de objetos de ensino diversos. Assumindo que o trabalho didático do professor é sempre orientado por saberes de referência a que os sujeitos estão/são expostos na formação profissional, apresentamos algumas ações didáticas voltadas para o ensino de língua(gens) como uma forma dinâmica de compreender a didatização&nbsp; dos gêneros textuais/discursivos a partir do&nbsp; contato com a Semântica da Enunciação no Laboratório. Os resultados apontam para a importância de se compreender o plano enunciativo como um caminho produtivo de trabalho com os gêneros garimpados que circulam no LaGaTT. O que validamos como uma iniciativa significativa em proposta de didatização de aspectos, reivindicando, no trabalho que envolvem os gêneros, o olhar voltado para os enunciados, a enunciação e a produção de sentidos.</p> Nadia Dolores Fernandes Biavati Fernanda de Castro Modl Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6973 CULTURA ESCRITA E ESCOLARIZAÇÃO: ATUAÇÃO DOCENTE NA AMPLIAÇÃO DOS USOS SOCIAIS DA ESCRITA POR ESTUDANTES ORIUNDOS DE UM PROGRAMA DE CORREÇÃO DE FLUXO https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6560 <p>O tema deste estudo é atuação docente na ampliação dos usos sociais da escrita por alunos oriundos de um programa de correção de fluxo. Tem como fundamentação teórica os Estudos do Letramento e é movido pelo objetivo de descrever analiticamente um processo de ensino escolar desenvolvido a partir de um projeto de letramento. Busca apresentar formas de empreender um processo escolar que promova participação em eventos de letramento, ampliação das práticas de letramento e imersão na cultura escrita. As compreensões provenientes desta pesquisa repercutiram no desenvolvimento de ações movidas pelo compromisso de contribuir para o processo de imersão dos alunos na cultura escrita.</p> Priscila de Sousa Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6560 The O USO DE MODALIZADORES LINGUÍSTICO-DISCURSIVOS NA PRODUÇÃO DO TEXTO ARGUMENTATIVO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO/INTERFERÊNCIA EM SALA DE AULA https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6614 <p>Conhecer os modalizadores linguístico-discursivos e compreender os efeitos semântico-discursivos que eles oferecem ao enunciado são condições básicas para o uso adequado da linguagem verbal, principalmente, em textos argumentativos. Dessa forma, apresentamos neste trabalho o resultado de uma pesquisa que estudou os efeitos de sentido provenientes dos usos de modalizadores, utilizando-os, adequadamente, no processo discursivo. Quanto aos aspectos metodológicos, optou-se por um trabalho de cunho qualitativo, com um caráter exploratório. Os dados foram compostos de análises de textos produzidos por alunos do 9º ano de escolaridade. Esses dados serviram de instrumentos para a pesquisa que se desenvolveu por meio de oficinas de leitura e escrita. Ao concluirmos as ações propostas, por meio do trabalho de leitura e escrita, percebemos que os alunos pesquisados compreenderam e passaram a utilizar os elementos modalizadores linguístico-discursivos e seus efeitos de sentido, sobretudo no texto argumentativo.</p> Renata Soares Souza Dias Luana Aparecida Matos Leal Fernandes Carla Roselma Athayde Moraes Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6614 The A CANÇÃO NO LIVRO DIDÁTICO DE PORTUGUÊS: UMA DISCUSSÃO BASEADA NO LETRAMENTO LITEROMUSICAL https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6588 <p>A preocupação em formar indivíduos competentes e autônomos, capazes de atuar nos diferentes campos e ocupar diversas posições frente aos discursos correntes na sociedade, tem colaborado para o surgimento de pesquisas voltadas ao ensino que privilegie práticas de letramento. A partir dessas considerações, esse artigo tem como objetivo discorrer sobre o conceito de letramento junto às práticas sociais, refletindo acerca das possibilidades do letramento literomusical na escola. Para este fim, propomos a análise do <em>corpus</em> constituído a partir das atividades sobre o gênero discursivo canção apresentadas por uma coleção didática de língua portuguesa para os anos finais do ensino fundamental, a saber, <em>Português: Linguagens</em>, aprovada pelo PNLD/2017 e adotada pelas escolas da rede pública municipal de Pinheiros/ES. De modo geral, a reflexão fundamenta-se nos conceitos de letramento (SOARES, 2000 [1998]), letramentos múltiplos (ROJO, 2009), letramento literomusical (COELHO DE SOUZA, 2014; 2015). Por sua vez, a análise do livro didático e das canções didatizadas apoia-se na perspectiva dialógica da linguagem (VOLOCHINOV, 2017 [1929]) e na concepção de gêneros do discurso (BAKHTIN, 2016 [1952-1953]). Os resultados alcançados indicam que a canção como objeto de ensino no livro didático não favorece o letramento literomusical, pois negligencia a linguagem musical e as práticas sociais que envolvem o gênero canção, limitando a canção a uma tarefa escolar tradicional.</p> Jaqueline Silva Moreto Cabral Yuri Batista Eduardo Lopes Piris Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6588 VYGOTSKY E O ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6519 Rosa Yokota Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras 2020-07-02 2020-07-02 12 1 10.22481/folio.v12i1.6519 EXPEDIENTE https://periodicos2.uesb.br/index.php/folio/article/view/6800 Márcio Roberto Soares Dias Copyright (c) 2020 fólio - Revista de Letras http://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2020-07-02 2020-07-02 12 1