Implicações da abordagem de gênero nos estudos migratórios

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/rg.v6.e2022.e10541

Palavras-chave:

abordagem de gênero, estudos migratórios, migrações femininas

Resumo

A abordagem de gênero para estudar as migrações populacionais se apresenta como uma potente forma de evidenciar a participação e o protagonismo das mulheres nesses movimentos. Este ensaio parte da seguinte questão: Quais as implicações da abordagem de gênero nos estudos migratórios? Para tanto, objetiva-se discutir os principais aspectos característicos da abordagem de gênero nos estudos sobre migrações populacionais com ênfase nas migrações femininas. O referencial teórico constitui-se por Domenech e Dias (2020), Gil (2004), Julià (1998), Piscitelli (2013), Pizarro (2003), Guizard, Torralba e Stefoni (2018) e Sassen (2003). Portanto, as reflexões sucedidas nesse escrito partiram do esforço transdisciplinar de discorrer sobre o tema com base numa articulação entre a literatura utilizada sobre gênero e mobilidade da população feminina.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

John Wolter Oliveira Silva, Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ-Rio de Janeiro - Brasil

Mestrando em Geografia pelo Programa de Pós-Graduaçao em Geografia da UFRJ- linha de pesquisa:organização e gestão do território 

Referências

DOMENECH, E.; DIAS, G. Regimes de fronteira e “ilegalidade” migrante na América Latina e no Caribe. Sociologias. Porto Alegre, ano 22, no. 55. 2000. p. 40-73.

GIL, C. G. Migración femenina: su impacto en las relaciones de género. Asparkía Investigació Femenista. (15), 2004. p. 257-265. Disponível em: https://www.e-revistes.uji.es/index.php/asparkia/article/view/824. Acesso em: 30 ago. 2021.

GUIZARD, D. L.; TORRALBA, H.G.; STEFONI, C. De feminismo y movilidades. Debates críticos sobre migraciones en America Latina. RumbosTS, año XIII, n.18, 2018. p. 37-66.

JULIÀ, E. J. Una revisión crítica de las teorías migratorias desde la perspectiva de genêro. Centre d’ Estudis Demográfics. 1998, p. 1-26.

PISCITELLI, A. Feminismos transnacionais e deslocamentos de brasileiras através da fronteira. Florianópolis: Seminário Fazendo Gênero. 2013. Disponível em: https://www.academia.edu/4543384/Feminismos_transnacionais_e_desloc

amentos_de_brasileiras_atrav%C3%A9s_das_fronteiras_apresentado_no_Fazendo_G %C3%Aanero_10_Florian%C3%B3polis_2013. Acesso em: 30 ago. 2021.

PIZARRO, J. M. El mapa migratório de América Latina y el Caribe, las mujeres y el género. Santiago de Chile: CEPAL. Proyecto Regional de Población - CELADE-UNFPA. Septiembre de 2003.

SASSEN, S. Contrageografías de la globalización: género y ciudania em los circuitos transfronterizos. Madrid: Ed. Traficantes de suenõs. 2003.

Publicado

2023-04-03

Como Citar

SILVA, J. W. O. Implicações da abordagem de gênero nos estudos migratórios. Geopauta, [S. l.], v. 6, p. e10541, 2023. DOI: 10.22481/rg.v6.e2022.e10541. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/geo/article/view/10541. Acesso em: 12 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos