A espacialidade dos períodos na relação espaço-tempo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/rg.v5i3.e2021.e9500

Palavras-chave:

Períodos, Redes, Relações, Espacialidade, Espaços imaginados

Resumo

O artigo versa sobre um tópico residente na interface espaço-temporal. Assim como as regiões geográficas, períodos se oferecem ao escrutínio do tempo e espaço. Transitando por uma discussão epistemológica, é objetivo deste artigo refletir sobre a espacialidade dos períodos, propondo vê-los como redes, espaços imaginados e arbitrariedades. Adota-se como metodologia uma estratégia discursiva que nega a abordagem apartada entre ideias e materialidade, ainda que veja sua face de maior tangibilidade na abordagem dos períodos por meio de relações, seja pela duração temporal ou extensão espacial. Conclui-se que os períodos, quando vistos sob o prisma das relações espaciais, são caricaturas da realidade que compõem uma estratégia comunicativa de princípio homogeneizador que, por essência, é oblíquo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Leonardo Luiz Silveira da Silva, Instituto Federal do Norte de Minas Gerais- IFNMG- Salinas-Minas Gerais -Brasil

Doutor em Geografia,  Tratamento da Informação Espacial (2016) pela PUC-MG. Concluiu estágio Pós-Doutoral (2018-2019) no departamento de Geografia da PUC-MG,  Professor EBTT do IFNMG campus Salinas, Salinas, Minas Gerais, Brasil

Alfredo Costa, Instituto Federal do Norte de Minas Gerais- IFNMG- Pirapora-Minas Gerais -Brasil

Doutor em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais; Professor EBTT do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (IFNMG). É Bacharel em Geografia na UFMG, e Mestre em Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais pela mesma Universidade. É também especialista em Docência na Educação Profissional e Tecnológica (IFNMG).

Larissa Santos Rocha da Silva, Instituto Federal do Norte de Minas Gerais- IFNMG- Salinas-Minas Gerais -Brasil

Mestre em Engenharia Florestal, Professora Substituta do IFNMG campus Salinas, Salinas, Minas Gerais, Brasil,

Referências

AGNEW, John. Regions on the mind does not equal regions of the mind. Progress in Human Geography, v.23, i.1, p.91-96, 1999.

AGNEW, John. Arguing with regions. Regional Studies, v.47, n.1, p.6-17, 2013.

ALONSO, Ana Maria. The Effects of Truth: Re-Presentations of the Past and the Imagining of Community. Journal of Historical Sociology, v.1, n.1, p.33-57, 1988.

ANDERSON, Ben. Becoming and being hopeful: towards a theory of affect. Environmental and Planning D: Society and Space, v.24, p.733-752, 2016.

ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas. São Paulo: Companhia das letras, 2008.

ANDERSON, James. Ideology in Geography: An Introduction. Antipode, v.5, n.3, p.1-6, 1973.

ANDERSON, Perry. As origens da pós-modernidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

ANKERSMIT, Franklin Rudolf. Historiografia e pós-modernismo. Topoi, p.113-135, 2001.

ANKERSMIT, Frankiln Rudolf. Truth in History and Literature. Narrative, v.18, n.1, p.29-50, 2010.

BAKER, Alan R. H. An historico-geographical perspective on time and space and on period and place. Progress in Human Geography, v.5, i.3, p.439-443, 1981.

BAKER, Alan R. H. “The dead don´t answer questionnaires”: Researching and writing historical geography. Journal of Geography in Higher Education, v.21, n.2, p.231-243, 1997.

BAKER, Alan R. H. Classifying Geographical History. The Professional Geographer, v.59, n.3, p.344-356, 2007.

BARROS, José D´Assunção. História, região e espacialidade. Revista de História Regional, v.10, n.1, p.95-129, 2005.

BENDER, Barbara. Time and landscape. Current Anthropology, v.43, aug-oct, p.103-112, 2002.

BERQUE, Augustin. Geogramas, por uma ontologia dos fatos geográficos. Geograficidade, v.2, n.1, p.4-12, 2012.

BERQUE, Augustin. A cosmofania das realidades geográficas. Geograficidade, v.7, n.2, p.4-16, 2017.

CAETANO, Jessica Nene; BEZZI, Meri Lourdes. Reflexões na geografia cultural: a materialidade e a imaterialidade da cultura. Sociedade & Natureza, ano 23, n.3, p.453-466, 2011.

CORRÊA, Margarida Maria da Silva. A pós-modernidade e as atuais orientações da geografia humana. Boletim Goiano de Geografia, v.20, n.1-2, p.43-76, 2000.

CORRÊA, Roberto Lobato. Formas simbólicas e espaço: algumas considerações. Geographia, v.9, n.17, p.7-18, 2007.

CORRÊA, Roberto Lobato. O interesse do geógrafo pelo tempo. Boletim Paulista de Geografia, v.94, p.1-11, 2016.

CRAIG, Douglas A; CURRIE, Douglas C; JOY, Deirdre A. Geographical history of the central-western Pacific black fly subgenus Inseliellum (Diptera: Simuliidae: Simulium) based on a reconstructed phylogeny of the species, hot-spot archipelagoes and hydrological considerations. Journal of Biogeography, v.28, p.1101-1127, 2001.

DARBY, H. C. On the Relations of Geography and History. Transactions and Papers (Institute of British Geographers), n.19, p.1-11, 1953.

DEAR, Michael. The Postmodern Challenge: Reconstructing Human Geography. Transactions of British Geographers, new series, v.13, n.3, p.262-274, 1988.

DEAR, Michael. Postmodern Human Geography: A Preliminary Assessment. Erdkunde, v.48, n.1, p.2-13, 1994.

DENNIS, Richard. Rethinking historical geography. Progress in Human Geography, v.7, i.4, p.587-594, 1983.

DODGE, Richard Elwood. The interpretation of Sequent Occupance. Annals of the Association of American Geographers, v.28, n.4, p.233-237, 1938.

EAGLETON, Terry. As ilusões do pós-modernismo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

GRATALOUP, Christian. Os períodos do espaço. Geographia, v. VIII, n.16, p.31-40, 2006.

HAESBAERT, Rogério. Território e descolonialidade: sobre o giro (multi)territorial/de(s)colonial na “América Latina”. Buenos Aires e Niterói: Clacso e Universidade Federal Fluminense, 2021.

HARRIS, Cole. Power, Modernity, and Historical Geography. Annals of the Association of American Geographers, v.81, n.4, p.671-683, 1991.

HARTSHORNE, Richard. Propósitos e natureza da Geografia. São Paulo: Hucitec Edusp, 1978.

HUNTINGTON, Ellsworth. Geography and History. The Canadian Journal of Economic and Political Science, v.3, n.4, p.565-572, 1937.

INGOLD, Tim. The temporality of the landscape. World Archaelogy, v.25, n.2, p.152-174, 1993.

INGOLD, Tim. Materials against materiality. Archaeological Dialogues, v.14, i.1, p.1-16, 2007.

LANGTON, John. The Two Traditions of Geography, Historical Geography and the Study of Landscapes. Geografiska Annaler, v.70, n.1, p.17-25, 1988.

LEMOS, Amalia Inés Geraiges. Geografia da modernidade e geografia da pós-modernidade. Geousp, v.3, n.1, p.27-39, 1999.

LOWENTHAL, David. The Past is a Foreign Country. New York: Cambridge University Press, 2015.

MARTINS, Élvio Rodrigues. Geografia e ontologia: o fundamento geográfico do ser. GEOUSP: Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 11, n. 1, p. 33-51, 2007.

OLIVEIRA, Lívia de. Sentidos de lugar e de topofilia. Geograficidade, v.3, n.2, p.91-93, 2013.

PILE, Steven. Emotions and affect in recent human geography. Transactions of the Institute of British Geographers, New Series, v.35, n.1, p.5-20, 2010.

SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço. São Paulo: Edusp, 2012.

SILVA, Leonardo Luiz Silveira da. A geografia entre a materialidade e a imaterialidade. Geotemas, v.10, n.2, p.25-47, 2020.

SILVA, Leonardo Luiz Silveira da; COSTA, Alfredo. Cultura como comunidade imaginada: uma crítica à abordagem ontológica da cultura nos estudos geográficos. Geografias, v.16, n.1, p.27-41, 2018.

SILVA, Leonardo Luiz Silveira da; COSTA, Alfredo. O desconforto da região e das classes. Geousp: Espaço e Tempo, v.24, n.3, p.533-546, 2020.

SILVA, Márcia Alves Soares da; GIL FILHO, Sylvio Fausto. Sobre o conceito de espaço vivenciado: refletindo as espacialidades a partir das experiências emocionais. Geograficidade, v.10, n. especial, p.153-168, 2020.

THOMPSON, Edward. P. A formação da classe operária. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

TILL, Karen E. Fragments, Ruins, Artifacts, Torsos. Historical Geography, v.29, p.70-73, 2001.

WALTON, Judy R. How Real(ist) can you get? Professional Geographer, v.47, i.1, p.61-65, 1995.

WHITE, Hayden. The narrativization of Real Events. Critical Inquiry, v.7, n.4, p.793-798, 1981.

WHITE, Hayden. The Question of Narrative in Contemporary Historical Theory. History and Theory, v.23, n.1, p.1-33, 1984.

WHITTLESEY, Derwent. Sequent Occupance. Annals of the Association of American Geographers, v.19, n.3, p.162-165, 1929.

WILCOCK, A. A. Region and Period. Australian Geographer, v.6, n.3, p.39-40, 1954.

WISHART, David. The selectivity of historical representation. Journal of Historical Geography, v.23, n.2, p.111-118, 1997.

WISHART, David. Period and region. Progress in Human Geography, v.28, n.3, p.305-319, 2004.

WRIGHT, John Kirtland. Geography and history cross-classified. The Professional Geographer, v.12, n.5, p.7-10, 1960.

Publicado

2021-11-21

Como Citar

SILVA, L. L. S. da; COSTA, A.; SILVA, L. S. R. da. A espacialidade dos períodos na relação espaço-tempo . Geopauta, [S. l.], v. 5, n. 3, p. e9500, 2021. DOI: 10.22481/rg.v5i3.e2021.e9500. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/geo/article/view/9500. Acesso em: 19 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos