Arquivo Permanente da Escola de Minas de Ouro Preto : documentação para pesquisa em História da (Educação) Matemática no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/intermaths.v1i1.7404

Palavras-chave:

História da Matemática, Arquivos Escolares, Escola de Minas

Resumo

O presente artigo tem como objetivo apresentar e ressaltar a possibilidade de pesquisa em parte da documentação do Arquivo Permanente da Escola de Minas de Ouro Preto referente à matemática no período de 1876, fundação da instituição, até o último quarto do século XIX. Discutimos a importância de arquivos para as pesquisas historiográficas, especialmente, os escolares. As principais informações são referentes a exames de admissão à escola com resoluções de candidatos e atas, provas de cursos preparatórios com resoluções e folhas utilizadas como rascunho pelos estudantes, além de documentações periféricas que auxiliam na análise do contexto em que a instituição se insere. O arquivo da primeira instituição de ensino de geologia no Brasil representa uma mina que contém fontes relevantes para a área de História da (Educação) Matemática no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Davidson Paulo Azevedo Oliveira, Instituto Federal de Minas Gerais - Campus Ouro Preto

Doutor em Educação Matemática pela Unesp – Rio Claro. Professor de Matemática do Instituto Federal de Minas Gerais – Campus Ouro Preto. Integrante do Grupo de Pesquisa em História da Matemática e/ou suas Relações com a Educação Matemática.

Sergio Roberto Nobre, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro

Doutor em História da Matemática pela Sektion Mathematik e Karl Sudhoff Institut da Universidade de Leipzig, Alemanha. Atualmente é Vice-Reitor da UNESP. Livre-Docente em História da Matemática pela UNESP. Membro Efetivo da Academia Internacional de História da Ciência (Paris).

Referências

BARBATHO, R. R. G. AGUIAR, L. C. de. Os arquivos e a História: a importância dos documentos arquivísticos e das Instituições de custódia na pesquisa histórica. XXVII Simpósio Nacional de História: Conhecimento histórico e diálogo social. Natal, RN. 2013.

LE GOFF. J. História e memória. Tradução Bernardo Leitão... [et al.]. – 5° ed. – Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2003.

PINSKY, J. Por que gostamos de História? São Paulo: Editora Contexto, 2013.

SOARES, F. Fontes para a História da Educação Matemática: Imprensa e a Matemática Moderna. Revista Diálogo Educacional. Curitiba. V.6. n.18. p. 65-77. 2006.

BACELLAR, C. Uso e mau uso dos arquivos. In: PINSKY, Carla Bassanezi (Org.). Fontes históricas. São Paulo: Contexto, 2005.

FURTADO, A. C. Os Arquivos escolares e sua Documentação: possibilidades e limites para a pesquisa em História da Educação. InCID: revista de Ciência da Informação e Documentação. N.2. v.2. p. 145-159. 2011.

BURKE, P. Testemunha Ocular: o uso de imagens como evidência histórica. Tradução: SANTOS, Vera Maria Xavier. Editora Unesp. São Paulo. 2017.

PEREIRA, V. M. C. SCHUBRING, G. A Matemática Desconhecida da Escola de Minas de Ouro Preto. VII Encontro Luso-Brasileiro de História da Matemática. 2014.

FURTADO, A. C. Arquivos, fontes e instituições: um itinerário de pesquisa sobre o arquivo do Colégio Nossa Senhora Auxiliadora de Ribeirão Preto/SP (1918-1960). Patrimônio e Memória. V.8. n.2. p. 186-209. 2012.

FREITAS, W. C. de. GUTIERRE, L. dos S. As dificuldades da Pesquisa Histórica nos Arquivos de Natal (RN). X Encontro Nacional de Educação Matemática. Salvador. 2010.

VALENTE, W. História da Educação Matemática: interrogações metodológicas. REVEMAT – Revista Eletrônica de Educação Matemática. V2.2. p. 28-49. 2007.

CARVALHO, J. M. A Escola de Minas de Ouro Preto: o peso da glória. 2 ed. Ver. Belo Horizonte: Editora UFMG. 2002.

BERWANGER, A. R. LEAL, J. E. F. Noções de paleografia e diplomática. 5ª ed. ver. e ampli. Santa Maria; Ed. da UFSM, 2015.

Downloads

Publicado

2020-11-30

Edição

Seção

Artigos