A utilização de materiais manipuláveis na construção de demonstrações da Geometria Espacial de Posição

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/intermaths.v2i2.9827

Palavras-chave:

Geometria Espacial de Posição, Matriais Manipuláveis, Demonstração Matemática

Resumo

A presente pesquisa, de natureza qualitativa, tem como objetivo investigar os contributos da  utilização de Materiais Manipuláveis (MM) na construção e compreensão de demonstrações matemáticas da Geometria Espacial de Posição. Para isso foi aplicada uma sequência didática (SD) envolvendo a demonstração de um resultado da Geometria Espacial de Posição a partir da utilização de MM. Os participantes foram dois estudantes do curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Além da SD, também configuraram como instrumentos de coleta de dados a observação realizada pelo investigador e uma entrevista semiestruturada. O referencial teórico adotado aborda discussões a respeito do ensino e aprendizagem de provas e demonstrações e a utilização de MM nas aulas de matemática. Os dados coletados mostram que os MM ajudaram os participantes a promover a visualização tridimensional e relembrar conhecimentos da geometria plana, além de se tornarem mais autônomos na construção do próprio conhecimento matemático.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Bruno Leal Bispo, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Amargosa-BA, Brasil

Licenciando em Matemática pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia. Bolsista do Programa Residência Pedagógica na área de Matemática.

Elias Santiago de Assis, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Amargosa-BA, Brasil

Doutor em Ciências da Educação pela Universidade do Minho. Professor adjunto da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Coordenador do Curso de Licenciatura em Matemática da UFRB. Desenvolve pesquisas acerca do ensino e da aprendizagem das geometrias euclidianas e não euclidianas.

Referências

S. Franco e C. Pereira, “O estudo da Geometria Espacial e Recursos Pedagógicos Manipuláveis: Uma Estratégia para Aguçar o Interesse e a Criatividade do Aluno”, PDE, Paraná, 2013.

A. Hoffer, “Geometry is more than proof”, Mathematics teacher, January, 1981.

S. Lorenzato, “Por que não ensinar Geometria?”, Educação Matemática em Revista – SBEM 4, 1995.

I. Valle, “Materiais manipuláveis na sala de aula: o que se diz o que se faz”, Lisboa: Associação de Professores de Matemática, 1999.

A. Zabala, “A prática educativa: como ensinar”, tradução: Ernani F. da F. Rosa, Porto Alegre: Artmed, 1998.

Brasil, Ministério da Educação, “Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental: Matemática”, Brasília: MEC/SEF, 1998.

Brasil, Ministério da Educação, “Orientações curriculares para o ensino médio: Linguagens, códigos e suas tecnologias”, Brasília: MEC/SEMTEC, 2006.

Brasil, Ministério da Educação, “Base Nacional Comum Curricular”, Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2017.

A. M. Nacarato, “Eu trabalho primeiro no concreto”, Revista de Educaçáo Mateinárica - Ano 9, Nos. 9-10 (2004-2005), 1-6.

P. M. Barbosa, “O Estudo da Geometria”, Benjamin Constant, Rio de Janeiro, v. 25, p. 14-22, 2003.

J. L. M. Barbosa, “Geometria Euclidiana”, Coleção do Professor de Matemática, Sociedade Brasileira de Matemática: Rio de Janeiro, 2006.

A. Quintella, “Matemática: Primeiro ano colegial”, Companhia Editora Nacional: São Paulo, 1967.

R. A. Silva, “As dificuldades do professor no ensino da geometria espacial nas escolas estaduais no município de Canta Cruz”. In IV Encontro de Iniciação à Docência da UEBP, (IV ENID), 2014, Paraíba. Anais do IV ENID, Paraíba, 2014.

E. S. Assis, “Exposição axiomática da Geometria Euclidiana Plana através de histórias em quadrinhos: possibilidades, limitações e desafios”, Tese, Ciências da Educação, Universidade do Minho, Braga, Portugal, 2017.

A. L. M. Dias, “Uma História da Educação Matemática na Bahia”. In XXVI Simpósio Nacional de História, 2011, São Paulo. Anais do XXVI SNH, São Paulo, ANPUH, 2014.

L. Santos e S. Machado, “A demonstração matemática no 8.º ano no contexto de utilização do Geometer’s Sketchpad”, Revista de Educação, v. XVIII, ed. 1, p. 49-82, 2011.

M. A. Gravina, “Os ambientes de Geometria Dinâmica e o pensamento lógico-dedutivo”, Tese, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, 2001. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/2545/000321616.pdf?sequen. Acesso em: 25 jul. 2021.

N. Balacheff, “Procesos de prueba en los alumnos de Matemáticas”, Uma empresa docente, Bogotá: Universidad de los Andes, Colombia, 2000.

M. D. Villiers, “Papel e funções da demonstração no trabalho com o Sketchpad”, Educação e Matemática, n. 62, p. 31-36, Mar/Abr. 2001.

M. L. C. Rogenski e S. M. Pedroso, “O ensino da geometria na Educação Básica: Realidade e Possibilidades”. Disponível em http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/44-4.pdf. Acesso em

/04/2021.

J. M. Leite, “Materiais Didáticos Manipuláveis no Ensino e Aprendizagem De Geometria Espacial”. In: PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação, Superintendência de Educação. O professor PDE e os desafios da escola pública paranaense, 2008. Curitiba: SEED/PR., v. 1, 2011. Disponível em: . Acesso em 28/04/2021. ISBN 978-85-8015-039-1

A. M. P. Oliveira e J. PEREIRA, “Materiais manipuláveis e engajamento de estudantes nas aulas de matemática envolvendo tópicos de geometria”, Ciênc. Educ., Bauru, São Paulo, v. 22, 2016.

G. B. Jesus, “Os materiais manipuláveis no processo de ensino e aprendizagem de matemática: algumas implicações no trabalho do professor”. In XV Encontro de Educação matemática, 2013, Teixeira de Freitas. Anais do XV EEMAT, Teixeira de Freitas, 2013, UNEB.

S. M. P. Santos e D. R. M. Cruz, “O lúdico na formação do educador”. In: M. P. Santos (org.), O lúdico na formação do educador, Petrópolis: Vozes, 1997, p. 11-18.

S. A. Lorenzato, “Laboratório de ensino de matemática e materiais didáticos manipuláveis”. In: S. Lorenzato (org.), O Laboratório de ensino de matemática na formação de professores, Campinas: Autores Associados, 2006.

J. Dolz, M. Noverraz e B. Schneuwly, “Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento”. In: R. Rojo e G. Cordeiro (Orgs.), Gêneros orais e escritos na escola, Campinas: Mercado de Letras, 2004. p. 95-128.

S. Nobre e A. L. Manrique, “Análise de uma sequência didática envolvendo conteúdos de Geometria”, Educação Matemática Pesquisa: docência em ciências, São Paulo, v. 21, ed. 5, p. 134-150, 2019.

R. Bogdar e S. Biklen, “Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos”, Porto Editora, 1982.

A. Chizzoti, “A pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais: evolução e desafios”, Revista Portuguesa de Educação, v. 16, n. 2, p. 221-236, 2003.

Downloads

Publicado

2021-12-28

Como Citar

Leal Bispo, B., & Assis, E. S. de. (2021). A utilização de materiais manipuláveis na construção de demonstrações da Geometria Espacial de Posição. INTERMATHS, 2(2), 268-288. https://doi.org/10.22481/intermaths.v2i2.9827

Edição

Seção

Dossiê