INTERMATHS https://periodicos2.uesb.br/index.php/intermaths <div align="justify"><strong>INTERMATHS</strong> é um periódico de acesso aberto dedicado a publicar artigos de pesquisa e revisão na área de Matemática com interfaces em outras ciências, como Física, Biologia, Química, Engenharia, Pesquisa Operacional, Economia e Educação Matemática. Esta é uma revista abrangente que abrange todos os ramos da matemática e da pesquisa interdisciplinar.</div> <p><strong> O prazo para submissão de artigos para a edição de julho segue até 30 de abril de 2021. </strong></p> Edições UESB pt-BR INTERMATHS 2675-8318 <p><a href="http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/" rel="license"><img style="border-width: 0;" src="https://i.creativecommons.org/l/by/4.0/88x31.png" alt="Licença Creative Commons" /></a> All content of Revista INTERMATHS/Journal INTERMATHS is licensed under a <a href="http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/" rel="license">Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional (CC-BY 4.0)</a>.</p> Análise da constituição do Jogo Copos das Frações sob Perspectiva da Abordagem Instrumental https://periodicos2.uesb.br/index.php/intermaths/article/view/7330 <p>Este relato de experiência apresenta discussões relacionadas às ações de um subprojeto de Matemática do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência sobre a confecção e aplicação de um jogo intitulado Copos das Frações, desenvolvido com o objetivo de revisitar as noções de frações equivalentes e operações com frações em uma turma do 6º ano do Ensino Fundamental. A Abordagem Instrumental fundamentou a elaboração deste recurso didático e viabilizou meios para que, através do processo de gênese instrumental, o jogo se constituísse como um instrumento efetivo para a aprendizagem das noções de frações supracitados. O design qualitativo da metodologia aplicada deu suporte para a realização de da análise subjetiva do processo de constituição do jogo, a partir da elaboração de uma Sequência Didática. Além disso, permitiu concluir que a revisitação de conceitos de objetos matemáticos já trabalhados em aulas tradicionais, em particular, as frações numéricas, pelos estudantes, utilizando jogos oferece maior visibilidade e formação de um ambiente colaborativo para produção do conhecimento matemático.</p> Liliane Xavier Neves Rosane Leite Funato Afonso Henriques Copyright (c) 2020 INTERMATHS: Revista de Matemática Aplicada e Interdisciplinar http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-11-30 2020-11-30 1 1 197 212 10.22481/intermaths.v1i1.7330 Ensino da Matemática com Apoio de Tecnologias Digitais como Abordagem Inclusiva ao Aluno com com Paralesia Celebral: um relato de experiência no 9º ano do ensino fundamental em uma Escola Municipal de Uberaba/MG https://periodicos2.uesb.br/index.php/intermaths/article/view/7274 <p>O estudo teve como objetivo demonstrar as contribuições das tecnologias digitais para melhoria do ensino da matemática a um aluno com paralisia cerebral (sujeito da pesquisa), assistido por uma profissional de apoio, a qual atua na inclusão de alunos com necessidades especiais. Optou-se em utilizar o paradigma de pesquisa qualitativa, com o método descritivo, com interação sujeito-objeto em forma de relato de experiência. Os fundamentos teóricos levaram em consideração estudos relacionados ao uso da tecnologia e o processo de ensino-aprendizagem da matemática mediado pela tecnologia digital na perspectiva da inclusão de aluno com necessidade especial. Para o desenvolvimento das atividades, foi utilizado a plataforma Educacional gratuita Khan Academy e o aplicativo Whatsapp como auxílio para aprendizagem de conteúdos matemáticos. Como principal resultado, foi possível observar a contribuição da utilização da tecnologia digital para o ensino de matemática aos alunos com necessidades especiais abrindo a estes o entendimento de conceitos matemáticos.</p> Cássia Valênia Gonçalves Vieira Wesley Antonio Gonçalves Copyright (c) 2020 INTERMATHS: Revista de Matemática Aplicada e Interdisciplinar http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-11-30 2020-11-30 1 1 213 228 10.22481/intermaths.v1i1.7274 Political, technical and pedagogical effects of the COVID-19 Pandemic in Mathematics Education: an overview of Brazil, Chile and Spain https://periodicos2.uesb.br/index.php/intermaths/article/view/7400 <p>Este artigo discute os problemas e questões que surgem na Educação, em particular na Educação Matemática, a partir da problematização dos efeitos da pandemia COVID-19. Para isso, três pesquisadores em Educação Matemática do Brasil, Chile e Espanha se encontraram virtualmente. Com base nas discussões, o grupo forneceu o contexto para cada um dos três países em termos de como eles vêm gerenciando as ações relacionadas ao contexto da pandemia e selecionou três histórias que vivenciaram nesse contexto, que utilizaram como elementos materiais para uma discussão conjunta de forma não localizada. Por esse caminho, tem-se como resultado um panorama dos efeitos do COVID-19 na educação em diferentes países, os quais foram classificados em três dimensões: técnica, política e pedagógica. Além disso, são apresentadas questões à Educação Matemática produzidas a partir da problematização dos efeitos da pandemia.</p> Adriana Breda Danyal Farsani Roger Miarka Copyright (c) 2020 INTERMATHS: Revista de Matemática Aplicada e Interdisciplinar http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-11-30 2020-11-30 1 1 3 19 10.22481/intermaths.v1i1.7400 Arquivo Permanente da Escola de Minas de Ouro Preto : documentação para pesquisa em História da (Educação) Matemática no Brasil https://periodicos2.uesb.br/index.php/intermaths/article/view/7404 <p>O presente artigo tem como objetivo apresentar e ressaltar a possibilidade de pesquisa em parte da documentação do Arquivo Permanente da Escola de Minas de Ouro Preto referente à matemática no período de 1876, fundação da instituição, até o último quarto do século XIX. Discutimos a importância de arquivos para as pesquisas historiográficas, especialmente, os escolares. As principais informações são referentes a exames de admissão à escola com resoluções de candidatos e atas, provas de cursos preparatórios com resoluções e folhas utilizadas como rascunho pelos estudantes, além de documentações periféricas que auxiliam na análise do contexto em que a instituição se insere. O arquivo da primeira instituição de ensino de geologia no Brasil representa uma mina que contém fontes relevantes para a área de História da (Educação) Matemática no Brasil.</p> Davidson Paulo Azevedo Oliveira Sergio Roberto Nobre Copyright (c) 2020 INTERMATHS: Revista de Matemática Aplicada e Interdisciplinar http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-11-30 2020-11-30 1 1 20 33 10.22481/intermaths.v1i1.7404 Um mosaico dos trabalhos publicados nos anais do SIPEM: foco nos livros didáticos e nos materiais curriculares https://periodicos2.uesb.br/index.php/intermaths/article/view/7395 <p>Os livros didáticos desempenham um papel importante no ensino e na aprendizagem de Matemática, pois são considerados como tradutores do currículo de um país, evidenciando os padrões políticos, econômicos, culturais e de conhecimento de uma sociedade. Assim, estimamos como relevante um olhar criterioso para esse recurso. Este texto é o resultado de um estudo que teve como objetivo identificar quais focos temáticos sobre livros didáticos têm emergido nos trabalhos publicados nos anais do Seminário Internacional de Pesquisa em Educação Matemática. Para tanto, realizamos uma investigação com abordagem qualitativa, em que empregamos a análise documental nos anais do referido evento. Mapeamos e descrevemos as publicações e, como resultado, identificamos que é marcante a presença de pesquisas destinadas à análise do livro didático, por haver carência de pesquisas que tratem do seu uso e de como os livros didáticos são produzidos.</p> Ana Paula Perovano Douglas Ribeiro Guimarães Copyright (c) 2020 INTERMATHS: Revista de Matemática Aplicada e Interdisciplinar http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-11-30 2020-11-30 1 1 34 51 10.22481/intermaths.v1i1.7395 A prova como um instrumento de avaliação para a aprendizagem https://periodicos2.uesb.br/index.php/intermaths/article/view/7685 <p>O principal objetivo deste texto, consiste em apresentar algumas reflexões sobre a prova de matemática como um instrumento de avaliação para a aprendizagem, isto é, mostrar o que é uma prova do ponto de vista pedagógico, como elaborá-la, quantas perguntas devem comportar uma prova, qual a sua função social e pedagógica. Ainda são apresentadas algumas sugestões diferenciadas de avaliação para que a prova tenha um caráter de inclusão social evidenciando a aprendizagem de todos e não apenas de alguns. Também são apresentadas sugestões aos professores de matemática no sentido de fazer um aproveitamento pedagógico quer dos erros como dos acertos nas produções dos alunos no processo de composição de respostas para cada uma das questões presentes na prova. Decidiu-se por começar no que entendemos como prova em âmbito pedagógico e seguiram-se reflexões sobre como elaborar uma prova, matriz de prova e proposta de correção modelo. Através deste texto esperamos contribuir para melhoria do processo de ensino aprendizagem da matemática, orientando os professores de matemática e alunos na melhoria da conceção da prova como um instrumento de avaliação para a aprendizagem e desconstruir a conceção que se tem da prova como sendo o bicho papão que pune os alunos.</p> Evaristo Das Mangas Copyright (c) 2020 INTERMATHS: Revista de Matemática Aplicada e Interdisciplinar http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-11-30 2020-11-30 1 1 52 64 10.22481/intermaths.v1i1.7685 O conjunto de Mandelbrot usando Python https://periodicos2.uesb.br/index.php/intermaths/article/view/7704 <p>A Natureza em geral é constituída por formas nas quais predominam a irregularidade e o caos. Tentar simplificá-las usando figuras da geometria clássica seria inadequado. A Geometria Fractal, na qual se torna possível o surgimento de objetos com dimensão fracionária, oferece um método para analisar e descrever objetos e formas naturais, contrapondo-se às limitações da geometria euclidiana. Neste trabalho será apresentado o Conjunto de Mandelbrot obtido através da linguagem Python.</p> João Otávio Rodrigues Ferreira Frediani Tatiana Miguel Rodrigues de Souza Copyright (c) 2020 http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-11-30 2020-11-30 1 1 65 76 10.22481/intermaths.v1i1.7704 Modelagem matemática para o estudo de função afim: uma possibilidade de aprendizagem a partir da conta de água https://periodicos2.uesb.br/index.php/intermaths/article/view/7607 <p>O presente trabalho tem por objetivo expor os resultados de uma pesquisa realizada com alunos do 1.º ano do Ensino Médio de uma escola pública do município de Ituiutaba – MG, que buscou investigar as potencialidades e as limitações de uma intervenção de ensino a partir da análise da conta de água desses estudantes, seguindo os pressupostos da Modelagem Matemática e da Teoria dos Registros de Representação Semiótica. O estudo de cunho qualitativo e quantitativo contou com a participação de 30 alunos que, durante dezesseis encontros, realizaram atividades que possibilitaram modelar o consumo d’água nas residências no município de Ituiutaba. As tarefas propostas pautaram-se pela possibilidade do uso das atividades cognitivas de conversão e tratamento, referentes à teoria de Raymond Duval. Diante dos registros obtidos foi evidenciado que, em atividades com tratamentos de registros numéricos, os alunos demonstraram melhor desempenho do que usando a conversão de registros. Diagnosticou-se, ainda, que a transição do registro algébrico para o registro gráfico do objeto matemático (função afim) apresenta uma dificuldade para os alunos. Em outra perspectiva, os estudantes passaram a ter uma atitude crítica diante dos resultados encontrados, a ponto de descobrirem que no município são cobradas tarifas diferentes dependendo do bairro e que, para a primeira faixa de consumo, o indivíduo que atingiu um menor consumo real paga a mesma quantia daquele que consumiu mais.</p> Rogério Fernando Pires Cássia Silva Costa Carlos Eduardo Petronilho Boiago Copyright (c) 2020 INTERMATHS: Revista de Matemática Aplicada e Interdisciplinar http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-11-30 2020-11-30 1 1 77 100 10.22481/intermaths.v1i1.7607 Congruência Semântica: implicações didáticas no ensino da regra dos sinais https://periodicos2.uesb.br/index.php/intermaths/article/view/7603 <p>O ensino da regra dos sinais, sob o ponto de vista didático, encontra problemas. O modelo comercial, muito utilizado para o ensino das propriedades aditivas, pode contribuir para a formação de obstáculos para o ensino das propriedades multiplicativas dos inteiros relativos. O modelo comercial encontra no fenômeno da congruência semântica, que é um fenômeno semiótico e cognitivo que mede o grau de transparência entre duas representações semióticas, uma forte oposição por conta de uma associação codificada entre verbos e sinais. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, propondo-se a analisar a congruência semântica em situações de ensino da regra dos sinais numa turma do 7<u><sup>o</sup></u> ano do ensino fundamental. Como resultado, aponta-se que as situações de ensino em que a congruência semântica se destacou da equivalência referencial, exigiu um custo cognitivo maior quando comparado aos casos em que a congruência semântica incidiu com a equivalência referencial. Percebe-se que o nível de transparência entre duas representações semióticas precisa ser considerado no processo de ensino e aprendizagem da regra dos sinais.</p> Selma Felisbino Hillesheim Méricles Thadeu Moretti Copyright (c) 2020 INTERMATHS: Revista de Matemática Aplicada e Interdisciplinar http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-11-30 2020-11-30 1 1 101 118 10.22481/intermaths.v1i1.7603 O material manipulável em conversões entre representações do número racional e suas implicações nos fenômenos de não congruência e heterogeneidade dos sentidos https://periodicos2.uesb.br/index.php/intermaths/article/view/7594 <p>Este texto é um recorte da pesquisa desenvolvida no Programa de Pós Graduação em Educação Matemática e Tecnológica da Universidade Federal de Pernambuco (EDUMATEC-UFPE), cujo objetivo foi investigar, à luz da Teoria dos Registros de Representação Semiótica de Raymond Duval, limites e possibilidades no uso de material manipulável concreto em conversões entre representações de números racionais. Um experimento piloto, com a utilização de quatro materiais desse tipo, integrou o percurso metodológico e resultou na escolha do Material Dourado Adaptado para o aprofundamento da análise e a conclusão do trabalho. Neste recorte, o foco será a discussão das implicações da utilização desse material manipulável concreto e da regra de correspondência a ele associada nos exercícios de conversões entre representações semióticas do número racional no que concerne aos fenômenos de não congruência e heterogeneidade dos sentidos. Os resultados da pesquisa apontaram que a mediação do material dourado adaptado reduziu as dificuldades causadas pela mudança no sentido e pela variação de congruência e não-congruência nas conversões propostas. Demonstraram ainda que a aplicação da regra de codificação associada ao manipulável no caminho resolutivo pode ser aplicada a estas conversões não importando o sentido em que estejam.</p> Wellington José de Arruda Melo Rosinalda Aurora de Melo Teles Copyright (c) 2020 INTERMATHS: Revista de Matemática Aplicada e Interdisciplinar http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-11-30 2020-11-30 1 1 119 131 10.22481/intermaths.v1i1.7594 Conversões entre as representações em linguagem natural e algébrica de função quadrática: uma análise do fenômeno de congruência semântica e equivalência referencial https://periodicos2.uesb.br/index.php/intermaths/article/view/7611 <p>Este artigo, recorte de um estudo de mestrado em Educação Matemática e Tecnológica, objetiva analisar o fenômeno de congruência semântica e equivalência referencial em atividades de conversão do registro em linguagem natural para o registro algébrico em função quadrática apresentadas em um livro didático da 1ª série do ensino médio. A Teoria dos Registros de Representação Semiótica foi o aporte teórico e o olhar metodológico para a análise. Foi analisado apenas o capítulo do livro didático que tratava de função quadrática, contendo 67 questões com um total de 158 itens dentre os quais 46 foram categorizados como conversão da representação em linguagem natural para algébrica, subdivididas quando necessitavam de um registro de representação auxiliar. A análise baseou-se nos três critérios estabelecidos por Duval [2] para a variação de congruência e não congruência semântica: Correspondência semântica dos elementos significantes, univocidade semântica terminal e ordem dentro da organização das unidades e a equivalência referencial. Foram considerados como congruentes os itens que conservassem todos os critérios, e não congruentes os que não conservassem um, dois ou três critérios, sendo respectivamente, baixo, médio e alto grau de não congruência semântica. De maneira geral, pode-se perceber que nesse tipo de conversão existem maior prevalência em atividades de baixo e médio grau de não congruência semântica.</p> Andreza Silva Rosinalda Teles Copyright (c) 2020 INTERMATHS: Revista de Matemática Aplicada e Interdisciplinar http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-11-30 2020-11-30 1 1 132 150 10.22481/intermaths.v1i1.7611 A análise do conteúdo equações de primeiro grau em edições da Avaliação da Aprendizagem em Processo https://periodicos2.uesb.br/index.php/intermaths/article/view/7593 <p class="western" align="justify"><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Times New Roman, serif;"><span style="font-size: medium;">Este texto analisou os conteúdos matemáticos ‘Equação de primeiro grau’ e Sistemas de equações lineares’ contidos em um sistema de avaliação externa ou de larga escala, consolidado em escolas da rede pública estadual de São Paulo; no caso, a Avaliação da Aprendizagem em Processo – AAP. O suporte teórico dessa pesquisa, pautou-se nas contribuições dos registros de representação semiótica na análise da compreensão de conceitos matemáticos. A pesquisa desenvolveu sob a perspectiva qualitativa na modalidade de pesquisa documental, por envolver um material que não recebeu um tratamento analítico. Foram selecionadas oito questões de várias edições desse sistema de avaliação externa, no período de 2012 a 2018. A análise do conteúdo matemático dessas questões levou em conta duas categorias: identificação dos registros de representação semiótica na abordagem dos conteúdos matemáticos citados e a comparação das habilidades propostas nas questões da AAP em relação ao Caderno do Professor e a Matriz de Avaliação Processual para as edições da AAP. Os resultados da pesquisa revelaram que há convergência nas habilidades quando confrontadas as três fontes documentais. Em relação aos registros de representação semiótica, as questões contemplaram a presença dos registros em língua materna, figural, algébrico, numérico e gráfico, próprios do estudo desses conteúdos matemáticos. Ocorreu também a atividade cognitiva de transformação das representações semióticas do tratamento e da conversão entre registros, o que possibilitou a análise dos fenômenos da congruência e da não congruência semântica.</span></span></span></p> Paulo Cesar Oliveira Gladys Garcia Copyright (c) 2020 INTERMATHS: Revista de Matemática Aplicada e Interdisciplinar http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-11-30 2020-11-30 1 1 151 173 10.22481/intermaths.v1i1.7593 Proposição de graus de não congruência semântica nas conversões entre os registros geométrico bidimensional e o simbólico fracionário dos números racionais https://periodicos2.uesb.br/index.php/intermaths/article/view/7604 <p>O estudo trata de uma proposição teórica que teve como objetivo categorizar, em graus de não congruência semântica, as conversões entre os registros geométrico bidimensional e o simbólico fracionário dos números racionais, sendo um recorte da tese de doutorado da autora. Para tal adotamos como categorias de análise uma classificação das representações semióticas pertencentes ao registro geométrico bidimensional; as unidades figurais, que foram definidas a partir das variáveis visuais, dimensionais e qualitativas; os tipos de apreensões geométricas requeridas pelas figuras geométricas, no momento da conversão; as unidades simbólicas do registro de chegada e os critérios de congruência semântica. A categorização proposta conta com seis graus de não congruência semântica nas conversões entre os registros geométrico bidimensional e simbólico fracionário dos números racionais.</p> Fernanda Andréa Fernandes Silva Marcelo Câmara Dos Santos Copyright (c) 2020 INTERMATHS: Revista de Matemática Aplicada e Interdisciplinar http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-11-30 2020-11-30 1 1 174 196 10.22481/intermaths.v1i1.7604 Expediente https://periodicos2.uesb.br/index.php/intermaths/article/view/7706 <div class="item abstract"> <p>Expediente volume 1, número 1, jul/dez 2020.</p> </div> <div class="item downloads_chart"> </div> Fernando Santos Silva Copyright (c) 2020 http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-11-30 2020-11-30 1 1 Apresentação https://periodicos2.uesb.br/index.php/intermaths/article/view/7707 <p>Apresentação da edição.</p> Fernando Santos Silva Ana Paula Perovano Paulo Cesar Oliveira Copyright (c) 2020 http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2020-11-30 2020-11-30 1 1 1 2 10.22481/intermaths.v1i1.7707