https://periodicos2.uesb.br/index.php/poliges/issue/feed Revista de Políticas Públicas e Gestão Educacional (POLIGES) 2021-03-25T00:20:23-03:00 Prof. Dr. Daelcio Ferreira Campos Mendonça poliges@uesb.edu.br Open Journal Systems <p align="justify">Tornar-se um espaço para inovações, proposições claras, contribuições teóricas e resultados práticos e efetivos, que possam ser reconhecidos pela qualidade no contexto nacional e internacional é nosso intento. Uma Revista Científica nos tempos atuais (2021) tem grande desafio para fortalecer o progresso da ciência, a validade científica das publicações e a visibilidade das produções dos pesquisadores.</p> <p align="justify">A Revista de Políticas Públicas e Gestão Educacional (POLIGES) é um meio de veiculação de pesquisas com notória relevância científica nas áreas que naturalmente comportam suas temáticas centrais: a política pública e gestão educacional.</p> <p align="justify">Assim, os principais objetivos da POLIGES são: a) Divulgar a produção científica dos grupos de pesquisas nacionais e internacionais que estejam trabalhando com temas relacionados à política pública e gestão educacional; b) Aprofundar o conhecimento dos temas relacionados às linhas de pesquisa dos Programas de Pós-Graduação vinculados à área; c) Estimular a produção científica da graduação e pós-graduação; d) Contribuir com a difusão do conhecimento e divulgação de pesquisas mais recentes na área da política e gestão educacional.</p> <p align="justify">Esta Revista nasce atrelada ao Observatório de Políticas P´úblicas e Gestão Eduacional (OBSERVA-UESB-ITAPETINGA). </p> https://periodicos2.uesb.br/index.php/poliges/article/view/8221 VIOLENCIAS Y PAZ EN COLOMBIA: CONSIDERACIONES A PARTIR DE LA POLÍTICA PÚBLICA CÁTEDRA DE LA PAZ 2021-03-18T04:28:00-03:00 Sara Velásquez Franco sara.velasquezf@udea.edu.co Angela Camila Ayala Zambrano saravelfranco@gmail.com Maria Inez da Silva de Souza Carvalho miscarvalho2809@gmail.com Maria Roseli Gomes Brito de Sá roselisa@ufba.br <p>Las consideraciones de este artículo se construyen a partir de uno de los desafíos que enfrenta la sociedad colombiana: el trabajo que trae consigo el pos-acuerdo que resulta en Colombia después de la firma de la paz entre el Gobierno y las FARC–EP bajo la perspectiva que ofrece el estudio del Ciclo de Políticas de Stephen Ball. Para ello, la educación es considerada Institución clave para este proceso, vista como espacio de reconstrucción social, de diálogo y reconocimiento del otro (AYALA; SÁ, 2019) recibe en específico la política pública Ley 1732, llamada Cátedra de la paz, que desde nuestra lectura busca propiciar la reflexión, el conocimiento de la história colombiana, favorecer las prácticas de reconciliación y el perdón a partir del dialogo de saberes. Entender la política como texto - writerly -, discurso - readly - o explorar otras posibilidades a partir de los estudios del campo curricular, permitirá hacerle frente a las violencias en Colombia, que por años representa aceptar que la zozobra y el miedo se han instalado en pequeños y grandes contextos tanto urbanos y rurales.</p> 2020-12-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Políticas Públicas e Gestão Educacional (POLIGES) https://periodicos2.uesb.br/index.php/poliges/article/view/8262 GESTÃO DEMOCRÁTICA DA EDUCAÇÃO SOB OS OLHOS E CORPOS DE JOVENS INTERNADOS PERANTE A LEI 2021-03-24T20:00:47-03:00 Washington Luis de Andrade Cardoso Junior xitaodabahia@gmail.com Maria Couto Cunha mariacoutocunha@gmail.com <p>Este artigo é parte do resultado de uma dissertação de mestrado que estudou a gestão democrática e o direito à educação em escolas públicas inseridas em Unidades de Internação, pesquisa desenvolvida em um programa de Pós-Graduação em Educação. A investigação partiu de uma inspiração marxista, tendo como referenciais teóricos os conceitos de hegemonia de Gramsci (1968), de Aparelhos Ideológicos do Estado, de Althusser (1985) e a docilidade dos corpos, de Foucault (1999). Seu objetivo foi, além de um estudo sobre a legislação que normatiza a oferta de educação escolar para a população jovem submetida a medidas restritivas de liberdade, analisar as percepções dos sujeitos inseridos em duas escolas vinculadas a um sistema municipal de ensino e dos demais profissionais das unidades de internação (gerentes, professores, educadores sociais, alunos) localizadas em Comunidades de Atendimento Socioeducativo de Internação (CASE), sobre os limites e possibilidades da Gestão Democrática nessa realidade educacional singular. O presente texto faz um recorte dos resultados da pesquisa de campo realizada sobre tais percepções. Os resultados apontam as dificuldades encontradas nas duas escolas pesquisadas de se exercitar a gestão democrática nos moldes como este princípio é colocado na legislação educacional vigente e na literatura pertinente desse campo do conhecimento, mesmo que alguns depoimentos dos colaboradores da pesquisa mostrassem possibilidades da efetivação de alguns indicadores dessa modalidade de gestão.</p> 2020-12-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Políticas Públicas e Gestão da Educação (POLIGES) https://periodicos2.uesb.br/index.php/poliges/article/view/8263 OS DESAFIOS DO ENSINO REMOTO NA EDUCAÇÃO DO CAMPO 2021-03-24T20:45:50-03:00 Luciene Rocha Silva lucienerocha24@gmail.com Arlete Ramos dos Santos arlete.ramos@uesb.edu.br Davi Amâncio de Souza daviamancio95@gmail.com <p>O artigo trata de uma discussão sobre os desafios no trabalho docente no ensino remoto em tempos de pandemia e toma como base os dados da pesquisa tipo survey originada do projeto “Os desafios enfrentados pelos docentes na utilização das tecnologias educacionais por meio do ensino remoto emergencial nas atividades escolares nos municípios localizados no estado da Bahia, no contexto da pandemia do Covid-19”. A referida pesquisa foi realizada entre o período de abril e maio de 2020 e contou com a participação de 756 professores de diversos níveis e modalidades dos sistemas públicos e redes privadas de ensino. Esse trabalho foi realizado pelo grupo de Estudos e Pesquisas Movimentos Sociais, Diversidade Cultural e Educação do Campo e da Cidade – GEPEMDECC/UESB. A metodologia do projeto, e sob a qual este texto está orientado, fundamenta-se no materialismo histórico dialético, o qual necessita inferir sobre questões subjacentes às realidades que emergem de um cenário histórico, econômico, político e social que incide implícita ou explicitamente na vida dos sujeitos. Como instrumento de coleta de dados utilizou-se um questionário disponibilizado via plataforma eletrônica do Google e aplicado com professores. Os resultados apontam para o registro da investida na proposta de ensino remoto, ao mesmo tempo em que desvelam as fragilidades deste projeto na Educação Básica.</p> 2020-12-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Políticas Públicas e Gestão Educacional (POLIGES) https://periodicos2.uesb.br/index.php/poliges/article/view/8223 AÇÕES DE GOVERNO PARA AS POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO EM GÊNERO E SEXUALIDADE DO ESTADO DO CEARÁ (2015-2018) 2021-03-18T15:48:51-03:00 Homero Henrique de Souza homerogeografia@gmail.com Arliene Stephanie Menezes Pereira stephanie_ce@hotmail.com Ana Carolina Braga de Sousa carolbraga30@yahoo.com.br Zuleide Fernandes de Queiroz zuleidefqueiroz@gmail.com <p>As temáticas da diversidade de gênero e sexualidade na educação adquirem cada vez maior visibilidade, suscitando discussões e reflexões na grande mídia, redes sociais, dos movimentos sociais e nas salas de aula; provocando diversas reações e gerando iniciativas e orientações a serem praticadas numa perspectiva de afirmação democrática, respeito mútuo, aceitação da diferença e construção de uma sociedade em que todos possam exercer plenamente sua cidadania. O presente texto trata da Política Pública de Educação do Estado do Ceará para Gênero e Sexualidade na Escola desenvolvidas entre os anos de 2015 e 2018 (Governo Camilo Santana) pela Secretaria da Educação do Estado do Ceará (Seduc). Objetivando descrever as principais ações desenvolvidas pela Seduc, dentro deste recorte temporal, para as políticas de educação em gênero e sexualidade no Estado do Ceará. Em termos de procedimentos metodológicos, a pesquisa baseou-se em dados levantados a partir da análise documental de planos de trabalho, relatórios, dossiês e mensagens governamentais disponibilizados pela Seduc e a página eletrônica do governo do Estado do Ceará. A partir da sistematização dos dados coletados, foi realizada a interpretação por meio da categorização mediante a análise de conteúdo (Bardin,1977). Os resultados apontam que a política de formação pedagógica com o recorte temático citado é inovadora, relevante e, sobretudo, uma política de resistência, porém insipiente e desarticulada. E que a política educacional do estado do Ceará carece de maior conhecimento e aplicabilidade dentro do cotidiano escolar, pois ainda não é prioritária dentro da agenda governamental e de alcance limitado.</p> 2020-12-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Políticas Públicas e Gestão Educacional (POLIGES) https://periodicos2.uesb.br/index.php/poliges/article/view/8264 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE IGUAÍ/BA: DO GOLPE DE 2016 AO CONTEXTO DO COVID-19 2021-03-24T21:21:57-03:00 Edcleide da Silva Pereira Novais cleideneuro@hotmail.com Daelcio Ferreira Campos Mendonça daelcio.ferreira@uesb.edu.br <p>A presente pesquisa teve como objetivo central analisar o processo de Monitoramento e Avaliação do Plano Municipal de Educação (PME) de Iguaí/BA e sua relação com o enfraquecimento da legislação educacional voltada para o desenvolvimento de políticas públicas educacionais, a partir do Golpe de 2016 até os tempos atuais. Tal discussão foi estabelecida dentro do contexto da Pandemia devido a Covid-19. As principais bases teóricas que sustentam este estudo estão pautadas em: Barreto; Rocha (2020); Brasil (2014); Saviani (2017; 2018); Lombardi (2018); Neta, Cardoso e Nunes (2018). Quanto aos aspectos metodológicos, realizou-se a pesquisa de campo com entrevistas semiestruturadas com integrantes da Equipe Técnica Municipal e com a secretária de educação e pesquisa documental com análise dos Relatórios de Monitoramento e Documento de Avaliação do PME. Sobre a estrutura do texto, inicialmente, apresentam-se alguns aspectos relacionados a esse enfraquecimento e como atingiu o Monitoramento e Avaliação do PME. Em seguida, descreve-se a relevância do Monitoramento e Avaliação do PME de modo geral e como este processo ocorreu em Iguaí/BA. Feita essa exposição, constata-se que existem algumas rupturas e descontinuidades ocorridas nas políticas públicas educacionais desde o Golpe de 2016, agravando-se com a Covid-19. Em relação ao Monitoramento e Avaliação do PME de Iguaí/BA, a Secretaria de Educação precisa encontrar alternativas para que este processo aconteça mesmo com o distanciamento social.</p> 2020-12-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Políticas Públicas e Gestão Educacional (POLIGES) https://periodicos2.uesb.br/index.php/poliges/article/view/8222 SUPERAÇÃO DOS MODELOS HEGEMÔNICOS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO CAMPO EM CIÊNCIAS DA NATUREZA 2021-03-18T16:21:30-03:00 Wender Faleiro wender.faleiro@gmail.com Geize Kelle Nunes Ribeiro geize.ribeiro1@gmail.com <p class="p1"><span class="s1">Objetivamos na discussão Formação crítica/conscientizadora e superação dos modelos hegemônicos na formação de professores do Campo, para atingi-lo utilizamos da análise documental dos Projetos Político-Pedagógicos dos cursos de Licenciatura em Educação do Campo com habilitação em Ciências da Natureza no Brasil. Os PPPs analisados concebem a formação crítica/conscientizadora/reflexiva capaz de transformar a realidade local, regional e nacional a partir da compreensão do contexto social, político, econômico, cultural e educacional. Os cinco PPPs analisados demonstram interesse em superar esse protótipo de formação docente, trazendo como de suma importância a especificidade da formação docente para a atuação do professor no Campo. Em face da superação da fragmentação do conhecimento, teoricamente, todos os cursos atendem a esse princípio, porque oferecem a Licenciatura em Educação do Campo por área do conhecimento. </span></p> 2020-12-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Políticas Públicas e Gestão Educacional (POLIGES) https://periodicos2.uesb.br/index.php/poliges/article/view/8267 AGROECOLOGIA E EMPODERAMENTO DE MULHERES DE UMA COMUNIDADE SERTANEJA DO SEMIÁRIDO BAIANO 2021-03-25T00:20:23-03:00 Carina de Moraes Pereira Brito carinamsba27@gmail.com Priscila Brasileiro Silva do Nascimento priscilabrasileiro@ufrb.edu.br <p>O presente artigo busca refletir como as experiências agroecológicas desenvolvidas dentro de um grupo produtivo solidário vem contribuindo para o avanço na busca pelo empoderamento feminino em uma comunidade sertaneja do semiárido baiano. O embasamento desta pesquisa deu-se partir da análise dos seguintes elementos problematizadores: a Agroecologia como modelo de produção contra hegemônico ao agronegócio, que vem refletindo as consequências do modelo de produção capitalista; a possibilidade de pensar a Agroecologia como um modelo de agricultura alternativa que se faz necessária para a modificação do setor de produção de alimentos no mundo; o desenvolvimento de experiências de transição agroecológica no semiárido baiano, onde é apresentado as adversidades enfrentadas na região relacionada aos meios de sobrevivência e ao mesmo tempo, as diversas alternativas existentes para que se possa ter qualidade de vida, principalmente por meio das práticas de extrativismo e trabalho comunitário; a contribuição das práticas agroecológicas no processo de construção do empoderamento de mulheres camponesas e por fim, a Agroecologia como empoderamento feminino, usando como estudo de caso as mulheres sertanejas da comunidade Salgado e suas experiências no grupo produtivo “Mulheres de Esperança”. Para tanto, a metodologia utilizada foi a qualitativa, sendo o estudo de caso a opção demandada pela natureza da investigação. Através da pesquisa, foi possível perceber que a Agroecologia constitui uma importante via de transformação pois engendra mudanças profundas na organização produtiva formada pela força de mulheres que buscam a transformação do modo de vida no que tange o aspecto social, cultural, político, financeiro e organizacional de sua localidade.&nbsp;</p> 2020-12-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Políticas Públicas e Gestão da Educação (POLIGES) https://periodicos2.uesb.br/index.php/poliges/article/view/8259 Expediente da Revista POLIGES 2021-03-24T13:37:44-03:00 Revista POLIGES poliges@uesb.edu.br <p>Expediente da Revista POLIGES</p> 2020-12-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Políticas Públicas e Gestão Educacional (POLIGES) https://periodicos2.uesb.br/index.php/poliges/article/view/8260 Editorial 2021-03-24T13:55:44-03:00 Daelcio Ferreira Campos Mendonça daelcio.ferreira@uesb.edu.br Edmacy Quirina de Souza macy.souza@hotmail.com Arlete Ramos dos Santos arlete.ramos@uesb.edu.br <p>Editorial do primeiro número da Revista POLIGES</p> 2020-12-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista de Políticas Públicas e Gestão Educacional (POLIGES)