Racismo ambiental e reivindicação territorial da Comunidade Quilombola Lagoas - PI (2008-2014)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/politeia.v19i2.7369

Palavras-chave:

Racismo Ambiental. Comunidade Quilombola Lagoas. Reivindicação Territorial.

Resumo

O presente trabalho objetiva abordar o racismo ambiental cometido por empresas mineradoras e carvoeiras na comunidade quilombola Lagoas, que fica localizada no sudeste do Piauí, assim como visa discutir sobre a contemporânea crise socioambiental brasileira, com a finalidade de situar os conflitos ambientais vivenciados pela comunidade no âmbito do debate nacional acerca da temática de injustiça ambiental. Além disso, o artigo pretende evidenciar as reivindicações existenciais e territoriais dos lagoanos, que ocorreram durante os anos de 2008-2014. Para tanto, são utilizados como fontes o Relatório técnico de caracterização ocupacional, fundiário e agroambiental do território quilombola de Lagoas e o Mapa de conflitos envolvendo injustiça ambiental e saúde no Brasil, que apresentam informações importantes relativas aos desdobramentos dos conflitos territoriais e da luta dos lagoanos por seus direitos constitucionais enquanto comunidade quilombola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emanoel Jardel Alves Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Mestre em História e Espaços pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Membro do grupo de pesquisa Espaços, Poder e Práticas Sociais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). E-mail: ojardelhist@outlook.com

Downloads

Publicado

2021-01-19

Como Citar

Oliveira, E. J. A. . (2021). Racismo ambiental e reivindicação territorial da Comunidade Quilombola Lagoas - PI (2008-2014). Politeia: História E Sociedade, 19(2), 325-341. https://doi.org/10.22481/politeia.v19i2.7369