Submissões

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • Reconhecer o pleno conhecimento das Diretrizes para autores e das Normas gerais para publicação (atualizadas em 15 de dezembro de 2021).
  • A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".
  • Apresentação obrigatória, no devido template, do manuscrito sem autoria.
  • Apresentação obrigatória, no devido template, do manuscrito com autoria.
  • Apresentação obrigatória da declaração de originilidade, devidamente assinada pelo(s) autor(es).
  • Apresentação obrigatória da autorização de publicação, devidamente assinada pelo(s) autor(es).
  • Preenchimento obrigatório de todos os campos dos metadados de autoria (nome completo, afiliação, ORCiD) acorde às diretrizes editoriais.
  • Preenchimento devido e obrigatório de todos os metados no sistema (acordes às diretrizes editoriais, bem como tutorial de submissão), a fim de que a submissão não seja rejeitada devido ao não preechimento correto e, portanto, não avaliada em desk review.
  • Preenchimento obrigatório de todos os campos dos metadados do texto (título, no formato sentence case; palavras chaves inseridas individualmente; resumo; referências bibliográficas etc.) acorde às diretrizes editoriais.
  • O autor (autores), desde que atenda as condições editoriais, se voluntariará (ão) a avaliar ao menos um manuscrito do periódico, independentemente do resultado do processo de avaliação de sua submissão.
  • Os resumos foram traduzidos por profissional da área de língua estrangeira e não fora utilizou programas de tradução.
  • Os links das URLs nas referências estão válidos e ativos.
  • O(s) autor(es) informado(s) no texto e nos metadados do sistema é(são) o(s) único(s) responsável(is) pelo conteúdo publicado em seu(s) artigo(s).

Diretrizes para Autores

NORMAS GERAIS PARA PUBLICAÇÃO NA REVISTA PRÁXIS EDUCACIONAL

A Revista Práxis Educacional é um periódico de publicação em fluxo contínuo do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEd), da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb). Publica artigos inéditos resultantes de pesquisas científicas, além de resenhas de livros. Seu objetivo central é divulgar pesquisas e estudos vinculados ao campo da educação, desenvolvidos por pesquisadores de diferentes contextos educacionais do Brasil e do exterior.

 INSTRUÇÕES GERAIS PARA PUBLICAÇÃO

 1.1 Serão publicados trabalhos inéditos, resultantes de pesquisa científica, relacionados com a área de educação, apresentados conforme normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) em vigor: NBR 6022 – Artigo em publicação periódica impressa; NBR 6023 – Referências; NBR 6028 – Resumo, resenha e recensão; NBR 10520 – Citações em documentos.

1.2 Serão aceitos, para análise com vistas à publicação, trabalhos de doutorandos, mestres e doutores de Instituições de Ensino Superior, bem como de outros espaços educativos (movimentos sociais, escolas, organizações não-governamentais, entre outros).

1.3 No processo de submissão, obrigatoriamente deverão ser encaminhadas a autorização para publicação do trabalho, se aprovado pelo Comitê Científico e pelo Conselho Editorial, bem como a declaração de originalidade do texto, devidamente assinados por todos os autores. Os modelos encontram-se na página eletrônica da revista, seguindo o caminho: Sobre > Política > Autorização para publicação de trabalhos.

1.4 Cada trabalho encaminhado (artigo científico ou resenha) será objeto de apreciação pelo Comitê Científico (avaliação duplo-cega, entre pares), que decidirá pela sua aprovação ou recusa. Havendo divergência entre os pareceres, o manuscrito será encaminhado para avaliação de outro parecerista até que se obtenha a devida concomitância de pareceres; podendo em casos excepcionais ser tomada uma decisão pela equipe editorial e será designado como “parecer de consolidação”.

1.5 Os autores serão informados, por mensagem disparada pelo sistema, da aceitação ou recusa do manuscrito, em cada uma de suas etapas de avaliação (desk reivew e double blind review).

1.6 Os manuscritos deverão ser submetidos exclusivamente pelo portal da revista (http://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis), sendo vedado o envio por outros meios. O processo de submissão do manuscrito deverá atender estritamente ao envio dos seguintes arquivos, para que seja avaliado em desk review (submissões fora deste padrão, não serão avaliadas e, portanto, automaticamente rejeitadas no sistema):

quando da submissão

- arquivo no devido template, em extensão .doc ou docx (padrão MS Word para Windows), com identificação de autoria (desde que não ultrapasse 2MB);

- arquivo no devido template, em extensão .doc ou docx (padrão MS Word para Windows), sem identificação de autoria (desde que não ultrapasse 2MB);

- declaração de originalidade (devidamente assinada por todos os autores), devidamente acompanhada com os documentos dos autores, em um único arquivo em formato pdf;

- autorização de publicação (devidamente assinada por todos os autores);

- elementos ilustrativos (fotos, desenhos, mapas, diagramas, gráficos etc.),  sempre que constantes no texto, deverão ser encaminhadas individualmente, em seus arquivos originais, numerados sequencialmente em algarismos arábicos, conforme a sequência em que se encontram referidos no corpo do texto. O nome do arquivo deverá corresponder ao seu respectivo tipo (por exemplo: Figura 1; Gráfico 1 etc.); e não deve ultrapassar 2MB e a qualidade da imagem deverá ser superior a 300dpi ;

- declaração de aprovação pelo Comitê de Ética de Pesquisa, quando se tratar de pesquisa que envolve seres humanos. 

quando da aprovação do manuscrito (se indicadas correções):

- arquivo no devido template, em extensão .doc ou docx (padrão MS Word para Windows), com identificação de autoria; com a devida indicação no texto  das alterações e correções realizadas (desde que não ultrapasse 2MB);

- arquivo no devido template, em extensão .doc ou docx (padrão MS Word para Windows), com identificação de autoria; devidamente corrigido(desde que não ultrapasse 2MB).

quando da aprovação do manuscrito (sem indicação de correções):

- poderá ser requerida alguma atualização de arquivo.

1.7 Todos os elementos ilustrativos (fotos, desenhos, figura, imagens, mapas, diagramas, gráficos etc.),  deverão estar em formato JPG com resolução mínima de 300 dpi, de forma que suas dimensões possam ser ampliadas ou reduzidas sem prejuízo à sua legibilidade. Conforme descrito no item anterior, será necessário o envio de todas as imagens, individualmente, em seus devidos arquivos originais, cujo nome deverá corresponder ao tipo da imagem.

1.8. No corpo do texto, as imagens deverão obrigatoriamente ser informadas no texto, sempre antes do item; encabeçadas por seus respectivos títulos do cabeçalho (em negrito) e sua legenda (em formatação simples) , e imediatamente abaixo deverão ser apresentadas suas legendas textuais e registradas suas fontes; textos explicativos poderão ser utilizados, desde que não ultrapassem 3 (três) linhas. Mapas devem conter suas respectivas escalas e legendas gráficas. Ao se tratar de material originário da pesquisa, a indicação de sua redação deverá ser Fonte: “dados da pesquisa” ou “elaboração própria”.

1.9 As tabelas e quadros, enumerados sequencialmente, deverão ser feitos em preto e branco, por meio de recursos do editor de textos, de acordo com as normas em vigor, em arquivo editável. Esses elementos não serão aceitos, sob hipótese alguma, em formato de imagem no texto.

1.10 No corpo do texto, tabelas, quadros e gráficos deverão obrigatoriamente ser informadas no texto, sempre antes do item; encabeçadas por seus respectivos títulos, e imediatamente abaixo deverão ser apresentadas suas legendas textuais e registradas suas fontes. No caso de se tratar de material originário da pesquisa, a indicação de sua redação deverá ser Fonte: “dados da pesquisa” ou “elaboração própria”.

1.11 Reprodução de elementos ilustrativos, tabelas, quadros e gráficos oriundos de outras publicações, somente serão aceitos se vierem acompanhados da devida permissão de reprodução, escrita por seu detentor de direito autoral do trabalho original, ou a indicação de licença de copyright. 

1.12 Fórmulas matemáticas em formato de imagem não serão aceitas. Todas as fórmulas deverão ser criadas a partir do comando próprio do editor de textos.

1.13 O uso de notas de rodapé deverá ser apenas de caráter explicativo, em texto sucinto, evitando-se ao máximo seu emprego. Não é permitido seu uso para notas bibliográficas. Deverão estar devidamente numeradas em algarismos arábicos, de acordo sua sequência textual e serem formatadas a partir do comando automático de inserção de notas de rodapé do editor de textos, inseridas ao final do texto, em formato de corpo 10, alinhadas à esquerda com espaçamento simples entre linhas, contendo no máximo 300 caracteres (com espaço);

1.14 Notas de agradecimentos, citadas em formato de nota de agradecimento, ao final das referências e anteriores à afiliação dos autores, deverão se limitar apenas quando da necessidade em se informar o apoio de instituições ou agentes financiadores e não poderão fazer referências diretas ou indiretas à autoria.

1.15 Não serão aceitos nenhum elemento em forma de anexo ou qualquer outro tipo de anexo ao final do corpo do texto, após as referências.

1.16 Quanto à extensão dos trabalhos encaminhados, é necessário atender aos requisitos seguintes, observando tal paginação exclusivamente no formato template; arquivos fora do padrão, não serão avaliados em primeira avalição (desk review) e serão automaticamente rejeitados no sistema:

a) manuscritos, no mínimo15 páginas, sem contar as referências e no máximo de 25 páginas, com referências;

b) resenhas, no mínimo de 3 páginas e no máximo 5 páginas.

1.17 Os textos devem ser submetidos a uma revisão cuidadosa de linguagem antes de serem encaminhados para a revista.

1.18 Só serão encaminhados para o Comitê Científico os trabalhos que atenderem às normas atuais de formatação e da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), no caso de submissões encaminhadas a partir de estudos realizados no Brasil, independentemente do idioma do trabalho. No caso de submissões oriundas de estudos realizados no exterior, deverão seguir o padrão APA Style.  O trabalho que estiver fora das normas, tanto na citação como nas referências, não será avaliado em primeira avalição (desk review) e será automaticamente rejeitado no sistema.

1.19  A fim de se assegurar o anonimato tanto de autoria, como de avaliadores durante todo o processo editorial, não se aceitará no arquivo do template (sem autoria), quaisquer referências que possibilitem ao parecerista identificar, durante a avaliação duplo-cega, diretamente ou indiretamente a autoria de seus escritores. Recomenda-se o emprego de XXX em substituição a nome de autores e/ou instituições a que se encontrem vinculados. Da mesma forma, não serão encaminhados aos autores, arquivos gerados pelos pareceristas em que constem sua identificação.

 1.20 Todos os manuscritos ou resenhas encaminhados à Revista Práxis Educacional, serão submetidos à apreciação do Conselho Editorial, que analisa sua adequação às Normas e à Política Editorial da Revista e decide pela recusa ou envio aos pareceristas, membros de seu Comitê Científico que farão, por sua vez, a avaliação duplo-cega.

1.21 Cabe ao Conselho Editorial da Revista decidir pela oportunidade e publicação dos trabalhos aprovados pelo Comitê Científico.

1.22  Uma vez aprovados, os manuscritos encaminhados à Revista Práxis Educacional poderão ser publicados sob forma de artigos ou resenhas, desde que reservado seu direito em publicar apenas aqueles textos que estejam devidamente em conformidade à norma culta da língua em que são apresentados. Desta forma, todos os textos que, após a devida aprovação explicitada no item 1.12, deverão ser obrigatoriamente submetidos a uma revisão textual final, realizada por profissionais selecionados e indicados pela própria revista, cujo custeio é de estrita responsabilidade de seu(s) autor(es), devido a restrições orçamentárias institucionais. 

1.23  A Revista Práxis Educacional reservar-se ao direito de não publicar artigos e resenhas de mesma autoria (ou coautoria) em intervalos inferiores a um ano.

1.24  À Revista Práxis Educacional ficam reservados os direitos autorais no tocante a todos os artigos nela publicados.

1.25  A política de ética de publicação da Revista: i) obedece à Resolução nº 196/1996, do Conselho Nacional de Saúde, que estabelece as normas regulamentadoras sobre pesquisas, envolvendo seres humanos; ii) procede ao envio para o (s) autor (es) do parecer conclusivo do artigo.

1.26 A apreciação do artigo pelos pareceristas reside na consistência do resumo (apresentando, necessariamente, objetivo, referencial teórico e/ou procedimento metodológico e resultados); consistência interna do trabalho (com relação ao objetivo, referencial teórico e/ou procedimento metodológico e aos resultados); consistência do título (com relação ao conhecimento produzido); qualidade do conhecimento educacional produzido (com relação à densidade analítica, evidências ou provas das afirmações apresentadas e ideias conclusivas); relevância científica (com relação aos padrões de uma pesquisa científica); originalidade do trabalho (com relação aos avanços da área de Educação) e adequação da escrita à norma culta da língua portuguesa.

1.27  Se necessário, o artigo aprovado, sem restrições, poderá ser submetido a pequenas correções, visando à melhoria do texto.

1.28  Cada artigo ou resenha poderá ter no máximo 3 (três) autores, todos pertencentes a grupos de pesquisas. Exige-se obrigatoriamente que todos os autores sejam doutorandos e pós-graduados (mestres e doutores), sendo ao menos um com o título de doutor. Quando justificado, o artigo poderá ter no máximo 4 (quatro) autores. Ao menos um dos autores doutores deverá ser integrante de um grupo de pesquisa.

1.29  As contribuições de cada autor deverão ser obrigatoriamente informadas no ato da submissão do manuscrito, em que deverá constar no item relativo ao minicurrículo do autor, ao final das referências (vide template). Neste processo, a revista adota o sistema CRediT, cujas especificação considera 14 diferentes tipos de papéis de autoria ou contribuições: Administração do Projeto, Análise Formal, Conceituação, Curadoria de Dados, Escrita – Primeira Redação, Escrita – Revisão e Edição, Investigação, Metodologia, Obtenção de Financiamento, Recursos, Software, Supervisão, Validação e Visualização. Maiores informações poderão ser obtidas no endereço eletrônico do NISO https://credit.niso.org/ ou ainda na página do Scielo https://blog.scielo.org/blog/2020/01/23/devemos-adotar-ferramentas-para-diferenciar-as-contribuicoes-em-trabalhos-academicos/#.YbF1vfHMLVM

1.30  O(s) autor(es) deve(m) apresentar obrigatoriamente a declaração de que o manuscrito é, realmente, inédito e não está sendo apreciado/submetido em outro periódico. Sua não apresentação implica a não aceitação do manuscrito para avaliação em desk review e, portanto, a sua rejeição automática no sistema.

1.31 Será empregada ferramenta antiplágio para análise da condição de inedetismo da submissão.

1.32 De acordo a Lei de Direitos Autorais Brasileira, Lei n.º 9.610, de 19 de fevereiro de 1998, opiniões e conceitos emitidos nos trabalhos, o estilo de redação, a exatidão, adequação e fidelidade da procedência das citações bibliográficas são de exclusiva responsabilidade de seu(s) autor(es).

1.33  Ao enviar espontaneamente um manuscrito à Revista Práxis Educacional, implica a seus autores o pleno conhecimento da cessão dos direitos autorais de primeira publicação à revista e posteriores publicações em outros veículos deverão ocorrer mediante autorização prévia da revista e deverão ainda referir-se a publicação original na Revista Práxis Educacional indicando o ano, o número e o volume; acorde ao que preconiza a licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License, adotada pela revista.

1.34  É obrigatório possuir um identificador digital ORCiD (acesso ao registro de novo cadastro https://orcid.org/register). Todo os autores deverão ser registrados no ORCiD e, por sua vez,  deverão incluí-los devidamente nos metadados de autor, no ato da submissão do manuscrito no portal. Os dados de autor no ORCiD serão devidamente verificados e, para aqueles autores, sobretudo estrangeiros, que não possuírem informações em seus devidos registros de ORCiD e não seja possível verificar suas credenciais científicas, automaticamente o manuscrito será rejeitado no sistema, sem possibilidade de avaliação em desk review.

1.35 Submissões cujos autores não constem nos metadados do portal, mas figurem em alguns dos arquivos submetidos no sistema, não serão avaliadas em desk review e automaticamente serão rejeitadas no sistema.

1.36 Datas relativas à submissão do manuscrito e aprovação pelo Conselho Editorial serão extraídas das informações contidas no sistema.

1.37 O tempo de avaliação das submissões poderá tardar até no máximo 6 (seis meses), porém, poderá haver variação nesse intervalo, dependendo da disponibilidade e agilidade dos pareceristas atribuídos ao Comitê Científico.

1.38 À equipe editorial caberá zelar pela lisura do processo editorial respondendo, por ventura, a questionamentos interpostos por autores ou pareceristas, ou quaisquer membros da comunidade científica, acerca de alguma das etapas editoriais.

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS 

Serão aceitos trabalhos resultantes de estudos e pesquisas.

A digitação, a organização e a formatação do texto devem seguir estritamente as seguintes orientações:

2.1    Os trabalhos devem ser digitados no editor de textos (compatível com o padrão MS Word para Windows):

  • papel tamanho A4 (21cm x 29,7 cm);
  • Margem direita e inferior com 2 cm;
  • Margem esquerda e superior de 3 cm;
  • Espaçamento entre linhas: 1,5 cm;
  • Letra Times New Roman, fonte 12, para o desenvolvimento do texto, excetuando-se as citações longas (com mais de 3 linhas, que deverão ter tamanho da fonte 10, espaçamento simples das entrelinhas, recuo de 4cm da margem esquerda; entre o texto e a citação deverá ser aplicado 1 espaço de 1,5 cm). As notas de rodapé que devem estar com fonte 10;
  • Alinhamento justificado no texto, e à esquerda, nas referências.

2.2  Os trabalhos devem ser apresentados da seguinte forma:

2.2.1  Título (nos três idiomas) - centralizado, em letras maiúsculas, fonte Times New Roman, tamanho 12, negrito. O título deverá conter, no máximo, 100 (cem) caracteres com espaço;

2.2.2  Nome do(s) autor(es) - abaixo dos títulos (separados por espaçamento simples), fonte Times New Roman, tamanho 12, alinhado à direita, seguido de seu ID do ORCiD (apenas a numeração, p. ex.: 0000-0000-0000-0000);

2.2.3  Afiliação do(s) autor(es) – abaixo do(s) nome(s) do(s) autor(es) (separados por espaçamento simples), fonte Times New Roman, tamanho 12,  alinhado à esquerda, contendo o nome completo da instituição, o local da instituição, a cidade da instituição, o estado da instituição e o país da instituição, seguidos pelo correio eletrônico do autor;

2.2.4  Resumo (nos três idiomas) - abaixo da afiliação (separados por espaçamento simples), contendo no mínimo 100 e no máximo 250 palavras, fonte Times New Roman, tamanho 11, em espaço simples. O termo Resumo, em negrito, fica na linha anterior ao resumo propriamente dito;

2.2.5  Palavras-chave (nos três idiomas), em número de três, devem ser apresentadas logo após o resumo do respectivo idioma, afastadas por um espaço simples, em ordem alfabética e separadas por ponto e vírgula (ABNT NBR 6028). O termo Palavras-chave deve estar em negrito e seguido por dois pontos. As palavras/termos chaves são separadas por ponto e vírgula, grafadas em letra minúscula, com exceção dos substantivos próprios e nomes científicos.

OBS: As palavras-chave devem constar no Thesaurus Brasileiro da Educação:

http://pergamum.inep.gov.br/pergamumweb/biblioteca/pesquisa_thesauro.php

2.2.6   As citações, as notas e as referências devem seguir as normas da ABNT em vigor. As notas de rodapé devem ser colocadas ao longo do texto:

- o uso de notas de rodapé deverá ser apenas de caráter explicativo, em texto sucinto, evitando-se ao máximo seu emprego. Não é permitido seu uso para notas bibliográficas. Deverão estar devidamente numeradas em algarismos arábicos, de acordo sua sequência textual e serem formatadas a partir do comando automático de inserção de notas de rodapé do editor de textos, inseridas ao final do texto, em formato de corpo 10, alinhadas à esquerda com espaçamento simples entre linhas. Cada nota explicativa deverá conter, no máximo, 300 (trezentos) caracteres com espaço;

- as citações devem estar de acordo com as normas recentes da ABNT, usando o sistema autor-data;

2.2.7 Abstract (abaixo do Resumo/Palavras-chave) e Resumen (abaixo do Abstract/Keywords), em negrito, contendo no mínimo 100 e no máximo 250 palavras, fonte Times New Roman, tamanho 11, em espaço simples. Os termos Abstract e Resumen, em negrito, ficam na linha anterior ao texto do resumo propriamente dito;

2.2.8 Keywords e Palabras clave, em negrito, figuram imediatamente após os seus respectivos resumos, afastadas por um espaço simples, em ordem alfabética e separadas por ponto e vírgula (ABNT NBR 6028). O termo deve estar em negrito e seguido por dois pontos. As palavras/termos chaves são separadas por ponto e vírgula, grafadas em letra minúscula, com exceção dos substantivos próprios e nomes científicos;

2.2.9 As referências devem ser apresentadas ao final do texto, contendo exclusivamente as obras citadas. Alinhadas somente à margem esquerda do texto, em espaço simples entre linhas;

2.2.10 Nomes de autores, organizadores, tradutores (quando houver), deverão ser escritos sem abreviatura nas Referências (p. ex.: CASTRO, Antônio Santos. e não CASTRO, A.S.);

2.2.11 Os quadros, tabelas, gráficos, figuras (fotografias ou desenhos) devem ser informadas obrigatoriamente antes do respectivo item, o mais próximo possível dos parágrafos em que são mencionados, encabeçadas por seus respectivos títulos, e imediatamente abaixo deverão ser apresentadas suas legendas textuais e registradas suas fontes; textos explicativos poderão ser utilizados, desde que não ultrapassem 3 (três) linhas. Mapas devem conter suas respectivas escalas e legendas gráficas;

2.2.12 Titulação do autor, instituição, órgão de lotação, grupo de pesquisa a que pertence, bolsa de produtividade, etc.  devem constar no final do texto, após as Referências, com no máximo 3 (três linhas), seguido pela indicação da contribuição de autoria na obra (veja-se  em 1.29 das instruções gerais)

2.2.13 A resenha, no mínimo de três e no máximo de cinco páginas, deverá vir com um título em português, inglês e espanhol (negrito e caixa baixa) e a referência do livro resenhado;

2.2.14 Cada resenha poderá ter no máximo dois (2) autores, com as respectivas titulações exigidas;

2.2.15 A apreciação da resenha reside na sua clareza informativa, crítica e crítico-informativa; apresentação do conhecimento produzido para área de Educação; consistência na exposição sintética do conhecimento do livro resenhado; adequação da escrita à norma culta da língua portuguesa e às Normas da Revista Práxis Educacional;

EXEMPLOS DE CITAÇÕES

3.1 Citações indiretas:

Para sua formação profissional, é imprescindível que o graduando, ao longo do curso, tenha contatos com as escolas da comunidade para conhecer o cotidiano escolar, suas necessidades, seus problemas e seus avanços (LIBÂNEO, 2004).

ou

De acordo Libâneo (2004), é imprescindível que, para sua formação profissional, o graduando, ao longo do curso, tenha contatos com as escolas da comunidade para conhecer o cotidiano escolar, suas necessidades, seus problemas e seus avanços

3.2 Citações diretas, curtas (contendo até três linhas):

Segundo Crusoé (2009, p. 99), “[...] na representação dos professores, a ideia de relação não se restringe somente aos conteúdos, mas também à relação entre os atores da prática social.”

ou

Pode-se concluir que, “[...] na representação dos professores, a ideia de relação não se restringe somente aos conteúdos, mas também à relação entre os atores da prática social.” (CRUSOÉ, 2009, p. 99).

3.3 Citações diretas, com mais de três linhas - destacadas em fonte Times New Roman, tamanho 10, alinhadas com o texto à direita e com o recuo de 4 cm da margem esquerda.

[...] Constata-se que a educação da população resulta na viabilidade de (melhor) qualificação profissional, além de maior número de pessoas com formação para o trabalho – o que vai gerar mão de obra excedente e, por isso mesmo, a possibilidade real de redução de gastos com pagamento de pessoal, como manda a lei da oferta e da procura. (NUNES, 2010, p. 64).

4 EXEMPLOS DE REFERÊNCIAS

Para todos os documentos em linha (on line), além dos elementos essenciais e complementares, deve-se registrar o endereço eletrônico (com o respectivo http ou https), precedido da expressão Disponível em: http://www.exemplo.com.br, e a data de acesso, precedida da expressão Acesso em: xx dez. 2021. (veja-se ABNT 6023-2018) 4.1 Monografias (livros e trabalhos acadêmicos)

TAVARES, Eleuza Diana Almeida. Currículo de história do ensino médio: a prática do professor. 157f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, 2015. Orientadora: Profª. Drª Maria Cristina Dantas Pina.

 MOREIRA, Núbia Regina. O feminismo negro brasileiro: um estudo do movimento de mulheres negras no Rio de Janeiro e São Paulo. 275f. Dissertação (Mestrado em Sociologia). Universidade Estadual de Campinas, Unicamp, São Paulo, Campinas, 2007. Orientadora: Profª. Drª Maria Lygia Quartim de Moraes.

4.2 Monografias em meio eletrônico

 LEITE, Maria Iza Pinto de Amorim (Org.). Docência e pesquisa. Vitória da Conquista: Ediuesb, 2007. 286p. ISBN 978-85-88505-61-2. CD-ROM.

4.3 Partes de monografia

 MARTÍNEZ, Albertina Mitjáns. Aprendizagem criativa: desafios para a prática pedagógica. In: NUNES, Claudio Pinto (Org.). Didática e formação de professores. Ijuí: Unijuí, 2012. p. 93-124.

CRUSOÉ, Nilma Margarida de Castro; AMADO, João da Silva; RIBEIRO, Márcia Maria Gurgel. A prática interdisciplinar na escola e a formação continuada de professores. In: CRUSOÉ, Nilma Margarida de Castro; RIBEIRO, Márcia Gurgel; SILVA, Claudionor Alves da (Org.). Desafios educacionais no cotidiano escolar. 1. ed. Ijuí: Unijuí, 2010, p.197-213.

4.4 Publicação em periódicos

CAIRES, Flávia Cristina Batista; SALES, Sheila Cristina Furtado. Panorama das produções científicas em políticas públicas de juventude: uma análise do Projovem Urbano. Práxis Educacional, Vitória da Conquista: Ediuesb, v.10, n. 17, p. 197-217, 2014. Disponível em: http://periodicos.uesb.br/index.php/praxis/article/viewFile/4546/4345. Acesso em: 10 jun. 2015.

LIMA FILHO, Domingos Leite. Expansão da educação superior e da educação profissional no Brasil: tensões e perspectivas. Educação em Questão, Natal, v. 51, n. 37, p. 195-223, jan./abr. 2015.

4.5 Artigo/matéria em jornal

WEBER, Demétrio. Verba do Fundef é desviada em 350 municípios. Estado de São Paulo, São Paulo, 28 jun. 2000. Disponível em: http://www.Estadao.com.br. Acesso em: 30 jun. 2000.

LEITE, Maria Iza Pinto de Amorim. Mini-curso: ensino e aprendizagem. Jornal Eventos e Promoções, Vitória da Conquista-BA, v. 40, p. 28-29, 1º maio 1996.

4.6 Trabalho apresentado em evento

SOUZA, Ester Maria de Figueiredo; COELHO, Fernanda de Castro Batista. Aula de português: palavras e contra palavras. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA, 2012. Uberlândia. Anais do SIELP. v. 2. n.1. Uberlândia: EDUFU, 2012. Disponível em: http://periodicos.uesb.br/index.php/praxis/article/viewFile/292/325. Acesso em: 13 set. 2012.

NOGUEIRA, Eliara Cristina da Silva; NUNES, Cláudio Pinto. Financiamento da educação no Brasil: limites e possibilidades de cumprimento do piso salarial nacional. In: II ENCONTRO ESTADUAL DE POLÍTICA E ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO DA BAHIA, I SEMINÁRIO DE ESTUDOS PESQUISAS EM EDUCAÇÃO DE CAMAÇARI. Anais... Salvador: UFBA, 2016. p. 315-326.

SILVA, Claudionor Alves da. O ensino da leitura e da escrita: uma abordagem discursiva. In: SEMINÁRIO DE EDUCAÇÃO DE PESSOAS JOVENS E ADULTAS, 2; SEMINÁRIO DE POLÍTICAS PÚBLICAS, GESTÃO E PRÁXIS EDUCACIONAIS,1, 2006, Vitória da Conquista/BA. Anais do II Epja e I Gepráxis: Políticas, gestão e práxis educacionais, Vitória da Conquista/BA: Uesb, 2006. p. 96-109.

4.7 Autoria desconhecida

PLENÁRIO conclui votação da PEC do Fundeb. CNTE Informa. Brasília, 7 dez. 2006, n° 366.  Disponível em: http://www.cnte.org.br. Acesso em: 9 dez. 2006.

4.8 Legislação

BRASIL. Congresso Nacional. Constituição. Emenda Constitucional n. 14/96, de 12 de setembro de 1996. Modifica os artigos 34, 208, 211 e 212 da Constituição Federal e dá nova redação ao Artigo 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias. MEC. Brasília, 1996. Disponível em: http://www.mec.gov.br. Acesso em: 23 ago. 2004.

Declaração de Direito Autoral

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:

  1. Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Creative Commons Attribution License  permitindo compartilhar (copiar e redistribuir o material em qualquer suporte ou formato) e  adpatar (remixar, transformar e criar, a partir do material, para qualquer fim, mesmo que comercial. O licenciante não pode revogar estes direitos desde que você respeite os termos da licença.
  2. Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.
  3. Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (veja O efeito do acesso livre).

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.

Dossiê temático

Artigos organizados por um pesquisador/grupo de pesquisa sobre temática definida pelo comitê editorial ( a partir de 2022 a Revista Práxis Educacional passou a ser uma publicação em fluxo contínuo de artigos, não mais publicando dossiês temáticos em sua composição).

Artigos

Política padrão de seção

Política de Privacidade

Os nomes e endereços informados nesta revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação, não sendo disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.