Gestão democrática: articulações e contradições no contexto escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v19i50.11736

Palavras-chave:

gestão democrática, materialismo histórico dialético, modelos de gestão

Resumo

O artigo apresenta os resultados de uma pesquisa que teve como objetivo compreender as concepções sobre gestão democrática e suas relações com os modelos de gestão gerencial e compartilhada. O embasamento teórico fundamentou-se, principalmente, nos estudos de Ball (2001), Libâneo (2007), Lück (2006) e Paro (2010a; 2010b). Pautando-se no materialismo histórico-dialético, a pesquisa foi desenvolvida na Rede Municipal de Educação de Itapetinga-BA, tendo como sujeitos da investigação coordenadores pedagógicos escolares, gestores e coordenadores técnicos da Secretaria Municipal de Educação. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas e confrontados com a pesquisa bibliográfica e documental à luz do método escolhido. A pesquisa evidenciou que as concepções sobre gestão democrática têm se revelado como alvo das influências ideológicas da classe dominante, sob as bases neoliberais, em um discurso que convence, causa estranhamento e contradições no contexto educacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Soane Santos Silva, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Brasil

Soane Santos Silva. Mestre em Educação pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) - Programa de Pós Graduação em Educação PPGED; Docente da Secretaria Municipal de Educação de Itapetinga – BA; Membro do Grupo de Pesquisa em Ludicidade, Didática, Política e Práxis Educacional – LUDIPPE. Contribuição de autoria: curadoria de dados, conceituação, análise formal, investigação, redação do rascunho original, revisão do texto final.

Ennia Débora Passos Braga Pires, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Brasil

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação PPGED da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB); Líder do Grupo de Pesquisa em Ludicidade, Didática, Política e Práxis Educacional (LUDIPPE). Contribuição de autoria: análise dos dados, redação e revisão do texto final.

Hilheno Oliveiral Miranda, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Brasil

Mestre em Educação pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) - Programa de Pós Graduação em Educação PPGED; Membro do Grupo de Pesquisa em Ludicidade, Didática, Política e Práxis Educacional – LUDIPPE. Contribuição de autoria: análise dos dados, redação e revisão do texto final.

Referências

BALL, Stephen J. Diretrizes políticas globais e relações políticas locais em educação. Currículo sem Fronteiras, v. 1, n. 2, p. 99-116, jul./dez. 2001. Disponível em: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol1iss2articles/ball.pdf. Acesso em: 05 abr. 2019.

BARROSO, João. O Estado, a educação e a regulação das políticas públicas. Educ. Soc. Campinas, v. 26, n. 92, p. 725-751, out. 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v26n92/v26n92a02.pdf. Acesso em: 05 abr. 2019.

BARROSO, João. O Reforço da Autonomia das escolas e a flexibilização da gestão escolar em Portugal. In: FERREIRA, Naura Syria Carapeto (org.). Gestão Democrática da Educação: atuais tendências, novos desafios. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2008. p. 11-32.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Supremo Tribunal Federal, Secretaria de Documentação, 2018. Disponível em: http://www.stf.jus.br/arquivo/cms/legislacaoConstituicao/anexo/CF.pdf. Acesso em: 15 ago. 2018.

BRASIL. LDB: Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2017. Disponível em: https://www2.senado.leg.br /bdsf/bitstream/handle/id/529732/lei_de_diretrizes_e_bases_1ed.pdf. Acesso em: 15 ago. 2018.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação (PNE) e dá outras providências. 2. ed. Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2015. (Série legislação; n. 193).

CARVALHO, Elma Júlia Gonçalves de. Reestruturação produtiva, reforma administrativa do estado e gestão da educação. Educ. Soc., Campinas, vol. 30, n. 109, p. 1139-1166, set./dez. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v30n109/ v30n109a11.pdf. Acesso em: 29 out. 2018.

CASASSUS, Juan. Problemas de La Gestión Educativa em América Latina: La Tensión Entre os Paradigmas de tipo A y El Tipo B. In: Gestão Educacional: o Brasil no Mundo Contemporâneo. Brasília, Em Aberto, v. 19, n. 75, p. 49-69, jul. 2002.

HUNGARO, Edson Marcelo. A questão do método na constituição da teoria social de Marx. In: CUNHA, Célio da; SOUSA, José Vieira de; SILVA, Maria Abádia (org.). O método dialético na pesquisa em educação. Brasília: Faculdade de Educação. Universidade de Brasília: UnB, 2014. p. 15-78.

ITAPETINGA. Conselho Municipal de Educação. Resolução nº 001, de 07 de maio de 2018. Aprova o Regimento escolar unificado: Educação infantil, ensino fundamental, educação do campo, educação de jovens e adultos. Itapetinga, 2018. 74 p.

ITAPETINGA. Secretaria Municipal de Educação e Cultura. PME – Plano Municipal de Educação: desafios e perspectivas para a nova década. Itapetinga, 2015. 122 p.

KUENZER, Acácia Zeneida. As mudanças no mundo do trabalho e a educação: novos desafios para a gestão. In: FERREIA, Naura Syria Carapeto (org.). Gestão Democrática da Educação: atuais tendências, novos desafios. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2008. p. 33-57.

LIBÂNEO, José Carlos. Concepções e Práticas de Organização e Gestão da Escola: Considerações introdutórias para um exame crítico da discussão atual no Brasil. Revista Española de Educación Comparada, Madrid, Espanha, no 13, p. 54 -86, 2007. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/77396954/Inmaculada-Revista-Espanola. Acesso em: 17 maio 2019.

LIMA, Antonio Bosco de; PRADO, Jeovandir Campos; SHIMAMOTO, Simone. Gestão Democrática, Gestão Gerencial e Gestão Compartilhada: novos nomes velhos rumos. Anpae. São Paulo, 2011. CD-ROM. Disponível em: http://www.anpae.org.br/simposio2011/ cdrom2011/PDFs/trabalhosCompletos/comunicacoesRelatos/0069.pdf. Acesso em: 15 ago. 2018.

LOPES, Jorge. Uma introdução ao estudo da escola do terceiro milênio: a escola contingencial. Revista de Administração Educacional, Recife, v. 1, n. 1, p. 39-45, jul./dez. 1997. Disponível em: http://repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/14130/1/1989_art_jlopes.pdf. Acesso em: 29 out. 2018.

LÜCK, Heloisa. Gestão educacional: uma questão paradigmática. Petrópolis: Vozes, 2006. Série Cadernos de Gestão.

MARX, Karl. Contribuição à crítica da economia política. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

MARX, Karl. O Capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

PARO, Vitor Henrique. A educação, a política e a administração: reflexões sobre a prática do diretor de escola. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 3, p. 763-778, set/dez. 2010a. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v36n3/v36n3a08.pdf. Acesso em: 7 jan. 2013.

PARO, Vitor Henrique. Administração Escolar. Introdução Crítica. 16. ed. São Paulo: Cortez, 2010b.

SILVA, Rose Maria da. Fundamentos e práticas de gestão compartilhada na educação profissional. 2016. 106f. Dissertação (Mestrado em Gestão Educacional) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Programa de Pós-Graduação em Gestão Educacional, São Leopoldo, RS. 2016. Disponível em: http://www.repositorio.jesuita.org.br/bitstream/handle/UNISINOS /5597/Rose%20Mari%20Ribeiro%20da%20Silva_.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 14 set. 2018.

Downloads

Publicado

2023-02-23

Como Citar

SILVA, S. S.; PIRES, E. D. P. B.; MIRANDA, H. O. Gestão democrática: articulações e contradições no contexto escolar. Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v. 19, n. 50, p. e11736, 2023. DOI: 10.22481/praxisedu.v19i50.11736. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/11736. Acesso em: 18 jun. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)