Arte e estética decolonial: um diálogo a partir da colonialidade do ver

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v19i50.12049

Palavras-chave:

decolonialidade, artes visuais, colonialidade do ver, estéticas, re-existências

Resumo

As perspectivas decoloniais buscam questionar e transformar o padrão cultural eurocêntrico imposto aos países do sul global, da América Latina, África e Ásia pelos movimentos de invasão, conquista e colonização. O campo das artes, da estética e suas variadas formas de expressão passa, também, por essa discussão. Assim, esse ensaio teórico tem por objetivo destacar o conceito de colonialidade do ver e, a partir dele, refletir sobre a representação nas/das artes visuais dos povos indígenas da Amazônia, bem como apresentar algumas obras da artista visual amazonense Duhigó Tukano em diálogo com o conceito de estética da re-existência. Afirmamos o papel fundamental da arte, como estética da re-existência, quando coloca no cenário da vida narrativas e cosmopercepções outras, possibilitando uma decolonialidade do ser que se abra num diálogo interepistêmico e intercultural crítico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Franciele Clara Peloso, Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Brasil

Pós-doutoranda junto aos Programas de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Pará e da Universidade Estadual de Ponta Grossa. Professora da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Pato Branco. Contribuição de autoria: Escrita

João Colares da Mota Neto, Universidade do Estado do Pará – Brasil

Professor da Universidade do Estado do Pará (UEPA), vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação. Doutor em Educação pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Membro dos grupos de pesquisa "Núcleo de Educação Popular Paulo Freire"(UEPA); "José Veríssimo e o Pensamento Educacional Latino-Americano"(UFPA) e "Educação Intercultural e Movimentos Sociais" (UFSC). Contribuição de autoria: Escrita e Revisão

Érico Ribas Machado, Universidade Estadual de Ponta Grossa – Brasil

Professor no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Ponta Grossa. Líder do Núcleo de Estudos, Pesquisas e Extensão em Pedagogia, Pedagogia Social e Educação Social - NUPEPES/UEPG. Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo. Contribuição de autoria: Escrita

Referências

ALBÁN ACHINTE, Adolfo. Artistas indígenas y afrocolombianos: entre las memorias y las cosmovisiones. Estéticas de la re-existencia. In: PALERMO, Zulma; MELLADO, Justo Pastor; ALBÁN ACHINTE, Albán. Arte y estética em la encrucijada descolonial. Buenos Aires: Del Signo, 2014. p. 53-73.

BARRIENDOS, Joaquín. O Sistema Internacional de Arte Contemporânea – universalismo, ‘colonialidade’ e transculturalidade. Revista Arte & Ensaios, v. 25, n. 25, p. 176-183, 2013. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/ae/article/view/49828 Acesso em 25 jul. 2022.

BARRIENDOS, Joaquín. A colonialidade do ver: rumo a um novo diálogo visual interepistêmico. Revista Epistemologias do Sul, v. 3, n.1, p. 38-56, 2019.

DUSSEL, Enrique. 1492 – o encobrimento do outro: a origem do mito da modernidade. Petrópolis: Vozes, 1993.

DUSSEL, Enrique. Oito ensaios sobre cultura latino-americana e libertação (1965- 1991). São Paulo: Paulinas, 1997.

FANON, Frantz. Os Condenados da Terra. Tradução José Laurênio de Melo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira S.A., 1974.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 40. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

GROSFOGUEL, Ramon. Dilemas dos estudos étnicos norte-americanos: multiculturalismo identitário, colonização disciplinar e epistemologias decoloniais. In: Ciência e cultura. São Paulo, v. 59, n. 2, 2007. p. 32-35.

GROSFOGUEL, Ramón. Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: Transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 80, p. 115-147, mar. 2008. Disponível em: http://rccs.revues.org/697. Acesso em: 05 jun. 2022.

INSTITUTO DIRSON COST. Duhigó. [2020]. Disponível em: https://www.institutodirsoncosta.com.br/artistas/duhigo/ Acesso em: 05 jun. 2022.

LANDER, Edgardo (org.). La colonialidad del saber: eurocentrismo y ciencias sociales. Perspectivas latinoamericanas. Buenos Aires: CLACSO, 2000.

LEÓN, Christian. Imagen, medios y telecolonialidad: hacia una crítica decolonial de los estudios visuales. Aisthesis, n. 51, p. 109-23, 2012.

MIGNOLO, Walter. Histórias Globais/projetos Locais. Colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

MIGNOLO, Walter D. Novas reflexões sobre a “ideia de América Latina”: a direita, a esquerda e a opção descolonial. Caderno CRH, Salvador, v. 21, n. 53, p. 237-250, ago. 2008. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-49792008000200004&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 01 jul. 2022.

MIGNOLO, Walter. Desafios Decoloniais Hoje. Revista Epistemologias do Sul, Foz do Iguaçu, 1 (1), p. 12-32, 2017

PALERMO, Zulma. Por una Pedagogía decolonial. Buenos Aires: Del Signo, 2014.

PALERMO, Zulma. El arte latino americano em la encrucijada decolonial. In: PALERMO, Zulma; MELLADO, Justo Pastor; ALBÁN ACHINTE, Albán. Arte y estética em la encrucijada descolonial. Buenos Aires: Del Signo, 2014. p. 9 – 16.

PEREIRA, Rosilene F. Cerimônia Dabucuri: uma reflexão sobre Patrimônio imaterial do Alto Rio Negro. Cadernos NAUI, vol.5, n. 9, jul-dez 2016. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/176905/Cerimonia%20Dabucuri.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 27 jul. 2022.

PORTFÓLIO DA ARTISTA VISUAL DUHIGÓ. [S.l.: s.n.], 2021. 1 vídeo (12 min). Publicado pelo canal Manaus Amazônia Galeria de Arte. Disponvível em: https://www.youtube.com/watch?v=SxNwgLJ3k0s. Acesso em: 30 jun. 2022.

PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. De Saberes e de Territórios: diversidade e emancipação a partir da experiência latino-americana. Revista GEOgrafia, Rio de Janeiro, v. 8, n. 16, 2006.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade, poder, globalização e democracia. Novos Rumos, Marília, ano 17, n.37, p 4-28, 2002. Disponível em: http://www2.marilia.unesp.br/revistas/index.php/novosrumos/article/view/2192/1812 Acesso em: 30 jun. 2022.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In.: LANDER, Edgardo. A colonialidade do saber. Eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005. Disponível em: http://biblioteca.clacso.edu.ar/clacso/sur-sur/20100624103322/12_Quijano.pdf. Acesso em: 05 jun. 2022.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder e classificação social. In: SANTOS, Boaventura; MENEZES, Maria Paula (org.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. 3. ed. São Paulo: Global, 2015.

SCHLENKER, Alex. Alex Schlenker: descolonizar a arte para retomá-la como expressão da vida. Entrevista concedida a Maicon Rodrigo Rugeri, Marcela Lindarte, María Camila Ortiz e Oswaldo Freitz Carrillo. Revista Epistemologias do Sul, v. 3, n.1, p. 22-35, 2019.

SILVA, Caetano Scolfaro Aline da. Falas Waikhana: Conhecimentos e transformação no alto rio negro (rio Papuri). 2012. 166f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social). Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal de São Carlos - UFSCAR, São Carlos, 2012. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/212/4494.pdf?sequence=1. Acesso em: 27 jul.2022.

WALSH, Catherine (ed.). Pensamiento Crítico y Matriz (De)Colonial: Reflexiones latinoamericanas. Quito: Abya-Yala, 2005. p. 39 - 69.

WALSH, Catherine. Pedagogías Decoloniais: practicas insurgentes de resistir, (re) existir y (re) vivir. Quito: Abya-Yala, 2013. Tomo I.

Downloads

Publicado

2023-02-03

Como Citar

PELOSO, F. C.; MOTA NETO, J. C. da; MACHADO, Érico R. Arte e estética decolonial: um diálogo a partir da colonialidade do ver . Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v. 19, n. 50, p. e12049, 2023. DOI: 10.22481/praxisedu.v19i50.12049. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/12049. Acesso em: 25 maio. 2024.