PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO ESPECIAL ACERCA DO PLANO NACIONAL E DOS PLANOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v15i35.5679

Palavras-chave:

Educação Especial, Plano Nacional de Educação, Plano Municipal de Educação

Resumo

O objetivo do presente artigo foi analisar a compreensão dos professores de Atendimento Educacional Especializado (AEE), acerca do conhecimento sobre o Plano Nacional de Educação (PNE) e do Plano Municipal de Educação (PME) de seu respectivo município. O recorte do estudo apresentado neste artigo foi construído através de uma pesquisa quantitativa, em que se usou como instrumento de coleta de dados um questionário com perguntas fechadas e de múltipla escolha, focando na compreensão dos professores de AEE dos nove municípios da região do Piemonte da Diamantina, estado da Bahia. Os dados levantados indicaram que a maioria dos professores conhecem o Plano Nacional de Educação de ouvir falar, mas não conhecem as metas e estratégias apresentadas no referido documento. Já no que diz respeito aos Planos Municipais de Educação, mais professores afirmaram conhecer o Plano de seu respectivo município e também suas metas e estratégias. Entretanto, quase metade afirmaram não ter participado da construção deste documento. Uma maior participação dos docentes na construção das políticas públicas da localidade onde atuam é de extrema importância, haja vista que são eles que conhecem mais intimamente os problemas e entraves que por ventura possam existir em sua prática cotidiana. Além disso, muito dos cumprimentos de metas previstas, tanto no Plano Nacional quanto nos Planos Municipais, recaem sobre a responsabilidade dos docentes. Assim, é importante que mais estudos possam ser realizados, inclusive em outros municípios, estados e até diferentes regiões do país, a fim de criar aporte teórico e empírico acerca do tema aqui discutido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Osni Oliveira Noberto da Silva, Universidade do Estado da Bahia - UNEB

Doutorando em Educação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Professor do Departamento de Ciências Humanas, Campus IV, da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Líder do Grupo de estudos, pesquisa e extensão em Educação Especial e Educação Física adaptada (GEPEFA) e integrante do Grupo de estudos sobre Educação Inclusiva e Necessidades Educacionais Especiais (GEINE). Bolsista do Programa de Apoio à Capacitação de Docentes da Uneb, PAC-DT.

Theresinha Guimarães Miranda, Universidade Federal da Bahia - Brasil

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo, com pós-doutorado pela Umeå University, Suécia. Professora do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Integrante do Grupo de estudos sobre Educação Inclusiva e Necessidades Educacionais Especiais (GEINE).

Miguel Angel Garcia Bordas, Universidade Federal da Bahia - Brasil

Doutor em Filosofia pela Universidad Complutense de Madrid, com pós-doutorado pela Universitat Autònoma de Barcelona, Espanha. Professor do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Integrante do Grupo de estudos sobre Educação Inclusiva e Necessidades Educacionais Especiais (GEINE).

Downloads

Publicado

2019-10-01

Como Citar

NOBERTO DA SILVA, O. O.; MIRANDA, T. G.; BORDAS, M. A. G. PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO ESPECIAL ACERCA DO PLANO NACIONAL E DOS PLANOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO. Práxis Educacional, [S. l.], v. 15, n. 35, p. 228-245, 2019. DOI: 10.22481/praxisedu.v15i35.5679. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/5679. Acesso em: 26 set. 2021.