DO DETERMINISMO CONTEUDISTA À RECONFIGURAÇÃO METODOLÓGICA E INSTRUMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O MOBILE LEARNING NO CURSO PROFUNCIONÁRIO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v16i41.6268

Palavras-chave:

Ensino técnico, Mobile learning, Aplicativo

Resumo

O presente trabalho busca apresentar resultados da aplicação de um protótipo para tecnologia móvel a alunos da disciplina de Estatística Aplicada à Educação, do curso de Técnico em Secretaria Escolar do Profuncionário pela Rede Estadual do Paraná; verificar se o aplicativo foi efetivo na aprendizagem dos conteúdos e conhecer a opinião dos alunos sobre o uso do protótipo na aprendizagem escolar.  Para a realização do estudo foram utilizados os tipos de pesquisa bibliográfica, de campo e análise de conteúdo e os resultados mostraram que a utilização do aplicativo por alunos adultos e trabalhadores foi bem-sucedida e trouxe subsídios para proposições em outras organizações e modalidades da Educação Básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Alessandra Dutra, Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Brasil

Doutora em Linguística e Língua Portuguesa pela UNESP, Campus Araraquara; Professora da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Londrina e nos Programas de PósGraduação em Ensino de Ciências Humanas, Sociais e da Natureza (Mestrado) e de Ensino de Ciência e Tecnologia (Doutorado). É bolsista de produtividade em pesquisa pela Fundação Araucária.

Belmiro Marcos Beloni, Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Brasil

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciência e Tecnologia da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Ponta Grossa, UTFPR; Mestre em Geografia, UNICENTRO; Técnico em Assuntos Educacionais na Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Guarapuava e Professor Pedagogo na Secretaria de Estado da Educação do Paraná.

André Luis Trevisan, Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Brasil

Doutor em Ensino de Ciências e Educação Matemática pela Universidade Estadual de Londrina; Professor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Londrina e no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Humanas, Sociais e da Natureza (Mestrado) e de Ensino de Ciência e Tecnologia (Doutorado).

Referências

BACICH, Lilian; MORAN, José. Aprender e ensinar com foco na educação híbrida. Revista Pátio, nº 25, junho, 2015, p. 45-47. Disponível em: <http://www.grupoa.com.br/revistapatio/artigo/11551/aprender-e-ensinar-com-foco-na-educacao-hibrida.aspx> acesso 20 de setembro de 2019.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BARION, Eliana Cristina Nogueira.; MELLI, Nádia Cristina de Azevedo. As Reflexões sobre o Ensino Híbrido na Educação Profissional. 2017. In: XII Workshop de Pós-Graduação e Pesquisa do Centro Paula Souza. São Paulo, 2017. Disponível em: <http://www.portal.cps.sp.gov.br/pos-graduacao/workshop-de-pos-graduacao-e-pesquisa/012-workshop-2017/workshop/artigos/Educacao/Fundamentos_Praticas/As-reflexoes-sobre-o-ensino-hibrido.pdf>. Acesso em 25 set 2019.

CANDEIAS, Cezar Nonato Bezerra; CARVALHO, Luis Henrique Pereira de. O Uso de videoaulas como ferramenta no processo de ensino e aprendizagem em Química. 7º Simpósio Internacional de Educação e Comunicação: Aracaju, 2016.

CHRISTENSEN, Clayton M., HORN, Michael B., STAKER, Heather.. Ensino Híbrido: uma Inovação Disruptiva? Uma introdução à teoria dos híbridos. Clayton Christensen Institute, 2013. Disponível em: https://www.pucpr.br/wp-content/uploads/2017/10/ensino-hibrido_uma-inovacao-disruptiva.pdf Acesso em: 19 ago. 2019

FREITAS, Dayse Stefanie de Lima; SOUZA JR, Arlindo José de. Importância do memorial enquanto estratégia de formação profissional no projeto veredas. Uberlândia: Revista Olhares e Trilhas, v.5, n.1 (Jan./Dez. 2004)

GARCIA, Marilene. Mobile-Learning: do acesso, às oportunidades de aprendizagem. Rio de Janeiro: Revista Tecnologia Educacional (jul/set. 2014).

LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999

MONLEVADE, João Antonio Cabral de; Orientação para a Prática Profissional Supervisionada. Cuiabá: Universidade Federal de Mato Grosso / Rede e-Tec Brasil, 2014.

MÜLBERT, Ana Luisa; PEREIRA, Alice. T. Cybis. Um panorama da pesquisa sobre aprendizagem móvel (m-learning). In: Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura, 2011, Florianópolis. Anais do V Simpósio Nacional da ABCiber. Disponível em: <http://abciber.org.br/simposio2011/anais/Trabalhos/artigos/Eixo%201/7.E1/80.pdf>. Acesso em 19 jul. 2019.

SANTOS, Leandro Dorneles; POLACINSKI, Edio; GODOY, Leoni Pentiado; GESSI, Nedisson Luis; PATIAS, Jovani. O uso de recursos digitais para auto avaliação do trabalho docente: um estudo de caso na administração. Congresso Internacional de Administração 2015. Ponta Grossa. Disponível em: http://www.admpg.com.br/2015/down.php?id=1513&q=1. Acesso em 01 set 2019.

SILVA, Maria Abádia da; KIPNIS, Bernardo; BESSA, Dante Diniz; MONLEVADE, João Antonio Cabral de; NASCIMENTO, Francisco das Chagas Firmino do; Orientações Gerais. L4. ed. Cuiabá: Universidade Federal de Mato Grosso / Rede e-Tec Brasil, 2014.

SOBRAL, R. C.; PASSARINI, P. S. Uso do M-learning para o desenvolvimento profissional através de apps: um estudo survey com acadêmicos de Administração. Congresso Internacional de Administração 2016. Natal. Disponível em http://www.admpg.com.br/2016/down.php?id=2120&q=1. Acesso em 13 set 2019.

VALENTIM, Hugo Duarte. Para uma compreensão do Mobile Learning: Reflexão sobre a utilidade das tecnologias móveis na aprendizagem informal e para a construção de ambientes pessoais de aprendizagem, 2009. Disponível em: < http://run.unl.pt/bitstream/10362/3123/1/Hugo_Valentim_M-Learning.pdf> run.unl.pt/bitstream/10362/3123/1/Hugo_Valentim_M-Learning.pdf Acesso em 15 set 2011.

YAEGASHI, Solange Franci Raimundo (Org.). Novas Tecnologias Digitais: Reflexões sobre mediação, aprendizagem e desenvolvimento. Curitiba: CRV, 2017, p.23-35.

Downloads

Publicado

2020-09-07

Como Citar

DUTRA, A.; MARCOS BELONI, B. .; TREVISAN, A. L. DO DETERMINISMO CONTEUDISTA À RECONFIGURAÇÃO METODOLÓGICA E INSTRUMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O MOBILE LEARNING NO CURSO PROFUNCIONÁRIO. Práxis Educacional, [S. l.], v. 16, n. 41, p. 769-786, 2020. DOI: 10.22481/praxisedu.v16i41.6268. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/6268. Acesso em: 30 nov. 2021.