A escola pública portuguesa: lugar de execução e de produção de decisões

Autores

  • Maria João de Carvalho

Palavras-chave:

Autonomia, Centralização, Decisão

Resumo

A Investigação numa escola secundária portuguesa teve o propósito de perceber a importância das decisões produzidas pelos actores educativos (professores) a par das produzidas pelo Ministério da Educação, para o quotidiano organizacional através da observação indirecta. Foi possível verificar que a dinâmica organizacional da escola concretiza-se na coexistência entre o formal e o informal em termos decisórios, excluindo, desta feita, o totalitarismo das orientações normativas enquanto padrão de decisão, ideia que permite reconhecer um certo grau de autonomia nos comportamentos dos actores educativos. Na verdade foi perceptível a presença de comportamentos passivos e conformistas e outros mais criativos e dinâmicos, os quais tinham tradução na procura de soluções eficazes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

DE CARVALHO, M. J. A escola pública portuguesa: lugar de execução e de produção de decisões. Práxis Educacional, [S. l.], v. 6, n. 9, p. 37-56, 2010. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/633. Acesso em: 17 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê temático