O MOVIMENTO DA DIDÁTICA CRÍTICA E O PENSAMENTO PEDAGÓGICO- DIDÁTICO NA DÉCADA DE 1980

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/rpe.v16i43.6568

Palavras-chave:

Didática, Pedagogia, Pedagogia histórico-crítica

Resumo

O artigo tem por objetivo analisar o movimento das proposições contra-hegemônicas, notadamente, nos anos de 1980, no contexto do movimento da didática crítica e suas repercussões epistemológicas no campo da pedagogia e da didática. Para tanto, examinamos algumas das mais expressivas produções no campo da didática que assumem o método dialético como método de investigação. No trato teórico-metodológico assumimos o entendimento de ser a Pedagogia a ciência da e para a prática educativa e a Didática, a teoria do ensino na sua totalidade e em seu movimento. Ao mesmo tempo optamos pela teoria do SER SOCIAL de Marx e de suas expressões na pedagogia histórico-crítica. Os resultados do estudo sinalizam que o movimento da didática crítica não foi apenas uma alternativa a pedagogia oficial, marcada pelo tecnicismo pedagógico, mas se contrapôs pela sistematização de orientações pedagógicas que fazem uma crítica rigorosa a perspectiva burguesa de escola, ao mesmo tempo que lutam pela democratização da escola pública, espaço privilegiado do conhecimento sistematizado, dos conteúdos historicamente desenvolvidos e sistematizados, pela valorização profissional dos professores e sua autonomia intelectual a partir do desenvolvimento de uma aguda consciência das finalidades da educação e da prática docente; e, ainda, dotando-os de uma formação teórico-científica, potente, capaz de emancipá-los. Contribuindo desse modo com o processo de formação omnilateral dos estudantes.

Biografia do Autor

Lenilda Rêgo Albuquerquer de Faria, Universidade Federal do Acre - Brasil

Doutor(a) em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (FEUSP), São Paulo-SP. Docente e pesquisadora do Centro de Educação Letras e Artes (CELA) e do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) na Universidade Federal do Acre (UFAC), Rio Branco-AC. É membro do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Formação de Educadores (GEPEFE/FEUSP).

Referências

CANDAU, Vera Maria. Prefácio à Reconstrução da didática. In: OLIVEIRA, Maria Rita Neto Sales. A reconstrução da didática: elementos teórico-metodológicos. Campinas: Papirus, 1992.

CANDAU, Vera Maria. Da didática fundamental ao fundamental da didática. In: ANDRÉ, Marli E. A. D.; OLIVEIRA, Maria Rita N. S. (Orgs.). Alternativas no ensino de didática. Campinas: Papirus, 1997.

CANDAU, Vera Maria. A didática e a formação de educadores – da exaltação à negação: a busca da relevância. In: CANDAU, Vera Maria (Org.). A didática em questão. p. 13-24. Petrópolis: Vozes, 2000a.

FREITAS, Luis Carlos de. Crítica da organização do trabalho pedagógico e da didática. Campinas: Papirus, 1995. (Coleção Magistério: formação e trabalho pedagógico).

FRIGOTTO, Gaudêncio. A produtividade da escola improdutiva. Um (re)exame das relações entre educação e estrutura econômico-social capitalista. 3. ed. São Paulo: Autores Associados, 1989. (Coleção Educação contemporânea).

LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. 7. ed. São Paulo: Loyola, 1985.

LIBÂNEO, José Carlos. Fundamentos teóricos e práticos do trabalho docente: estudo introdutório sobre pedagogia e didática. 1990. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1990.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 1994. (Coleção Magistério – Série Formação do professor).

LIBÂNEO, José Carlos. Educação: pedagogia e didática. O campo investigativo da pedagogia e da didática no Brasil: esboço histórico e buscas de identidade epistemológica e profissional. In: PIMENTA, Selma Garrido (Org.). Didática e formação de professores: percursos e perspectivas no Brasil e em Portugal. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2000a. p. 77-130.

LUKÁCS, György. Socialismo e democratização. Escritos políticos, 1956-1971. Organização, introdução e tradução de Carlos Nelson Coutinho e José Paulo Netto. Rio de Janeiro: UFRJ, 2008. (Coleção Pensamento crítico, v. 11).

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Tradução de Regis Barbosa e Regis R. Kothe. 3. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1988a. (Coleção Os economistas, v. I).

MARTINS, P. Lúcia. O campo da didática: expressão das contradições da prática. In: EGGERT, Edla et al. (Orgs.). Trajetórias e processos de ensinar e aprender: didática e formação de professores: Livro 1. Simpósios desenvolvidos no XIV ENDIPE (Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino). Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008., p. 585, 601.

OLIVEIRA, Maria Rita Neto Sales. A reconstrução da didática: elementos teórico- metodológicos. Campinas: Papirus, 1992.

OLIVEIRA, Maria Rita Neto Sales. Elementos teóricos-metodológicos na construção e na reconstrução da didática. Educação em Revista: Revista da Faculdade de Educação UFMG, ano VI, n. 14, Belo Horizonte: UFMG, 1991.

OLIVEIRA, Maria Rita Neto Sales. 20 anos de ENDIPE. In: CANDAU, Vera Maria et al. Didática, currículo e saberes escolares. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2000.p. 161-176.

OLIVEIRA, Maria Rita Neto Sales; ANDRÉ, Marli Eliza D. A. A prática do ensino de didática no Brasil: introduzindo a temática. In: OLIVEIRA, Maria Rita Neto Sales; ANDRÉ, Marli Eliza D. A. (Orgs.). Alternativas no ensino de didática. 6. ed. Campinas: Papirus, 1997. p. 7-18.

PAULO NETTO, José; BRAZ, Marcelo. Economia política: uma introdução crítica. São Paulo: Cortez, 2006.

PIMENTA, Selma Garrido. Para uma ressignificação da didática. In: PIMENTA, Selma Garrido. Didática e formação de professores: percursos e perspectivas no Brasil e em Portugal. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

PIMENTA, Selma Garrido. Panorama atual da didática no quadro das ciências da educação: educação, pedagogia e didática. In: PIMENTA, Selma Garrido (Org.). Pedagogia, ciência da educação. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2001, p. 39-70.

PIMENTA, Selma Garrido. O estágio na formação de professores: unidade teoria e prática? 6. ed. São Paulo: Cortez, 2005.

SAVIANI, Dermeval. Educação socialista, pedagogia histórico-crítica e os desafios da sociedade de classes. In: LOMBARDI, José Claudinei; SAVIANI, Dermeval (Orgs.). Marxismo e educação: debates contemporâneos. Campinas: Autores Associados; HISTEDBR, 2005a.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 9. ed. São Paulo: Autores Associados, 2005b.

SAVIANI, Dermeval. As concepções pedagógicas na história da educação brasileira: 20 anos do HISTEDBR: navegando na história da educação. CD-ROM, 2006. Disponível em: <http://www.histedbr.fae.unicamp.br/navegando/artigos_frames/artigo_036.html>. Acesso em: 17 jul. 2009.

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2007. (Coleção Memória da educação).

SAVIANI, Dermeval. A pedagogia no Brasil: história e teoria. Campinas: Autores Associados, 2008a. (Coleção Memória da educação).

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. Edição comemorativa. Campinas: Autores Associados, 2008b. (Coleção Educação contemporânea).

SCHMIED-KOWARZIK, Wolfdietrich. Pedagogia dialética de Aristóteles a Paulo Freire. São Paulo: Brasiliense, 1983.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. A prática pedagógica do professor de didática. 2. ed. Campinas: Papirus, 1992.

WACHOWICZ, Lílian Anna. O método dialético na didática. 2. ed. Campinas: Papirus, 1991.

Downloads

Publicado

2020-12-01

Como Citar

Albuquerquer de Faria, L. R. (2020). O MOVIMENTO DA DIDÁTICA CRÍTICA E O PENSAMENTO PEDAGÓGICO- DIDÁTICO NA DÉCADA DE 1980. Práxis Educacional, 16(43), 343-365. https://doi.org/10.22481/rpe.v16i43.6568