Concepções de educação ambiental crítica de professores e da articuladora pedagógica de uma escola municipal do interior da Bahia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i45.6712

Palavras-chave:

Concepções de profissionais da educação, educação ambiental crítica, macrotendências político-pedagógicas

Resumo

O presente trabalho foi realizado com o objetivo de analisar as concepções de professores e articuladora pedagógica acerca da forma como a Educação Ambiental Crítica (EA Crítica) é articulada na escola. A coleta de dados foi realizada em uma escola municipal localizada no município de Ipiaú, no estado da Bahia, que atende alunos dos anos finais do ensino fundamental. Constitui-se de uma pesquisa de cunho qualitativo, que utilizou entrevista semiestruturada com professores e articuladora pedagógica. A partir da obtenção desses dados foi utilizada a análise de conteúdo, da qual emergiram significados que foram categorizados. A categoria que se deu como ponto de partida do processo analítico da entrevista foi: Educação Ambiental no contexto escolar, tendo desdobramento em subcategorias: macrotendências político-pedagógicas da Educação Ambiental, EA Crítica e o ensino: relevância e articulação, inovações na prática docente, projetos pedagógicos abordando a EA Crítica, recursos e ferramentas no ensino da EA Crítica e inserção da EA Crítica no planejamento de ensino da unidade escolar. A EA Crítica foi citada concomitantemente com a EA conservadora e pragmática se diferenciando por meio, das características específicas. Os resultados apontam para o desconhecimento dos entrevistados sobre a temática e sobre o planejamento de curso da escola. A responsabilização da abordagem do tema é dada às áreas afins, apontadas pela falta de capacitação dos profissionais fazendo com que essa inserção contribua pouco com uma educação que pretenda ser transformadora e reflexiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Josiône de Oliveira Ramos, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Brasil

Mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Formação de Professores (UESB). Atualmente é membro do Grupo de Pesquisa e Estudo em Educação Ambiental e Formação de Professores (GPEA-FP).

Silvana do Nascimento Silva, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - Brasil

Pós-doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (UFRJ). Professora Adjunta do Departamento de Ciências Biológicas (UESB) e do PPG.ECFP da UESB, campus de Jequié. Coordenadora do Grupo de Pesquisa e Estudo em Educação Ambiental e Formação de Professores (GPEA-FP).

Referências

BAHIA. Decreto nº 19.083 de 06 de junho de 2019, Institui a Política de Educação Ambiental do Estado da Bahia, e dá outras providências. Diário oficial do estado da Bahia, Salvador, Bahia, jun 2019.

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2011.

BERNARDES, M. B. J.; PRIETO, E.C. Educação Ambiental: disciplina versus tema transversal. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. ISSN 1517-1256, v. 24, janeiro a julho de 2010.

BRASIL, 1999. Lei Federal nº 9.795/99. Política Nacional de Educação Ambiental.

_______. Ministério da Educação. Programa Parâmetros em Ação Meio Ambiente na Escola. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria da Educação Fundamental, 2001.

_______. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

COUTINHO, M. R. S.; LUZ, P. C. S.; SANTIAGO, L. F. Educação Ambiental: O fazer docente em uma Escola Publica do Município de Marituba/Pará. In: IX EPEA - ENCONTRO PESQUISA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL, Juiz de Fora - MG, 13 a 16 de agosto de 2017.

FIGUEIRA, M. R.; LIMA, J. G. S.; SELLES, S. E. Educação ambiental crítica na relação universidade/escola: narrativas docentes. In: IX EPEA - ENCONTRO PESQUISA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL, Juiz de Fora - MG, 13 a 16 de agosto de 2017.

FRANCO, M. L. P. B. Análise de conteúdo. 3ª edição: Liber Livro Editora, 2008.

GRAÚDO, D.; GUIMARÃES, M. Pertencimento e Educação Ambiental: reflexões iniciais. In: IX EPEA - ENCONTRO PESQUISA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL, Juiz de Fora - MG, 13 a 16 de agosto de 2017.

GUIMARÃES, M. Educação Ambiental Crítica. In: LAYRARGUES, P. P. Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004.

KAWASAKI, C. S.; CARVALHO, L. M. Tendências da pesquisa em Educação Ambiental. Educação em Revista. v. 25, n. 03, p. 143-157. Belo Horizonte, 2009.

KENSKI, V. M. Aprendizagem mediada pela tecnologia. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 4, n.10, p.47-56, set./dez. 2003.

LAYRARGUES, P. P.; LIMA, G. F. C. Mapeando as macro-tendências político-pedagógicas da educação ambiental contemporânea no Brasil. In: VI ENCONTRO PESQUISA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL, Ribeirão Preto – SP, 2011, setembro de 2011.

_______; _______. As macrotendências político-pedagógicas da Educação Ambiental brasileira. Ambiente & Sociedade. São Paulo v. XVII, n. 1. p. 23-40, jan.-mar. 2014.

LIMA, M. J. G. S. A disciplina Educação Ambiental na Rede Municipal de Educação de Armação de Búzios (RJ): investigando a tensão disciplinaridade/integração na política curricular. 2011. 240 f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

LIMA, G. P. Educação ambiental crítica: da concepção à prática. REVISEA - Revista Sergipana de Educação Ambiental. São Cristóvão-SE | V. 1 | Nº 2 | 2015.

LIPAI, E. M.; LAYRARGUES, P.P.; PEDRO, V. V. Educação ambiental na escola: tá na lei. In: MELLO, S. S.; TRAJBER, R. (Coord.). Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em educação ambiental na escola. Brasília: Ministério da Educação, Coordenação Geral de Educação Ambiental: Ministério do Meio Ambiente,

Departamento de Educação Ambiental: UNESCO, 2007.

LOBO, A. S. M.; MAIA, L. C. G. O uso das TICs como ferramenta de ensino-aprendizagem no Ensino Superior. Caderno de Geografia [en linea]. 2015, 25(44), 16-26. ISSN: 0103-8427, 2015.

LOUREIRO, C. F. B. Educação ambiental crítica: contribuições e desafios. In: MELLO, S. S.; TRAJBER, R. (Coord.). Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em educação ambiental na escola. Brasília: Ministério da Educação, Coordenação Geral de Educação Ambiental: Ministério do Meio Ambiente, Departamento de Educação Ambiental: UNESCO, 2007.

_______; FLORIANO, M. D. A construção do objeto de pesquisa em educação ambiental crítica: reflexões a partir de escolas municipais em Duque de Caxias, RJ. In: IX EPEA - ENCONTRO PESQUISA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL, Juiz de Fora – MG, 13 a 16 de agosto de 2017.

OLIVEIRA, L. A; DE-CARVALHO, P. S.; PORTO, M. D. Mapas conceituais e o ensino da Educação Ambiental Crítica em uma aula de campo na escola. Revista Brasileira de Educação Ambiental, São Paulo, V. 14, Nº 3: 220-237, 2019.

PPP – Projeto Político Pedagógico. Escola Municipal Maria José Lessa de Moraes. Ipiaú, 2018.

ROCHA, M. P.; PEREIRA, J. L. Jogos Didáticos para o Ensino de Ciências com ênfase na Educação Ambiental. In: IX EPEA - ENCONTRO PESQUISA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL, Juiz de Fora – MG, 13 a 16 de agosto de 2017.

SAUVÉ, L. Uma cartografia das correntes em Educação Ambiental. In: SATO, M; CARVALHO, I. C. M. (Orgs.). Educação Ambiental. Porto Alegre: Artmed, 2005, p.17-44.

SILVA, S. N. A BNCC da Educação Infantil ao Ensino Fundamental: as políticas públicas, currículo, competências e Educação Ambiental. Curitiba: CRV, 2019.

TOZONI-REIS, M. F. C et al. A inserção da educação ambiental na educação básica: que fontes de informação os professores utilizam para sua formação? Ciênc. Educ., Bauru, v. 19, n. 2, p. 359-377, 2013.

_______; CAMPOS, L. M. L. A formação inicial de professores no fortalecimento da Educação Ambiental escolar: contribuições da pedagogia históricocrítica. In: LOUREIRO, C. F. B.; LAMOSA, R. A. C. (Orgs.). Educação Ambiental no Contexto Escolar: um balanço crítico da Década da Educação para o Desenvolvimento Sustentável. Rio de Janeiro: Quartet, 2015.

Downloads

Publicado

2021-04-01

Como Citar

Ramos, J. de O., & Silva, S. do N. (2021). Concepções de educação ambiental crítica de professores e da articuladora pedagógica de uma escola municipal do interior da Bahia. Práxis Educacional, 17(45), 1-17. https://doi.org/10.22481/praxisedu.v17i45.6712