ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO: PERSPECTIVAS DOS LICENCIANDOS DE UM CURSO DE MATEMÁTICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22481/rpe.v16i43.6828

Palavras-chave:

Estágio Curricular Supervisionado, Formação inicial de professores, Indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão

Resumo

O estágio supervisionado é componente obrigatório e indispensável para compor o currículo de formação inicial de professores. Nesse sentido, essa pesquisa objetivou identificar e compreender os principais referentes que evidenciam as percepções dos estagiários, quanto aos processos formativos vivenciados no estágio curricular supervisionado, planejado e executado com o foco na indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. O estágio com esse enfoque é uma proposta desenvolvida pela equipe de professores do curso de licenciatura em matemática de uma Universidade Federal localizada no estado do Pará. Para obtenção dos dados foi realizada uma entrevista semiestruturada com doze estagiários de duas turmas do referido curso e que participaram/participam do projeto. Os dados foram discutidos e interpretados por meio da análise de conteúdo, tendo como principais autores: Tardif(2010), Nóvoa(1991, 2000), Gatti(2014), Pimenta e Lima(2011, 2019), Fiorentini et al(2002), Zimmer(2017), Brancatti(2018) e outros. O estudo permite inferir, principalmente, que: a interação do estagiário no espaço escolar, indispensável ao processo formativo, ultrapassou o limite da sala de aula, ocorrendo com o professor regente, com os alunos, e, também, com os gestores; há uma dificuldade, por parte do estagiário, em fazer a transformação de conteúdos matemáticos aprendidos(ensino) para conteúdos que irão ensinar(aprendizagem), dada a complexidade de alguns, o que requer maior integração e engajamento entre os professores, incluindo aqueles das disciplinas específicas; há um sentimento de protagonismo do estagiário; e percepção da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão nas ações, o que contribui para a construção da identidade profissional desde a formação inicial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Katia Regina Silva, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - UNIFESSPA

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Pará (1999), mestrado em Educação pela Universidade Católica de Brasília (2007) e doutorado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2018). Atualmente é professora da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA).

Maria Margarete Delaia, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - UNIFESSPA

Graduada em Pedagogia (Licenciatura), Habilitação Supervisão Escolar. Especialista em Metodologia de Ensino Superior, pela PUC-Minas e Planejamento Educacional, pela Universo - RJ. Mestre em Ciências da Educação, pelo Instituto Superior Pedagógico Enrique José Varona - Cuba. Doutora em Educação, pela Universidade Federal de Pelotas (PPGE/FaE/UFPel). Líder do grupo de pesquisa: Estágio Supervisionado: articulação entre ensino, pesquisa e extensão. É docente, com dedicação exclusiva, na UNIFESSPA - Campus de Marabá, no Curso de Matemática, licenciatura (FAMAT/ICE).

Referências

ALMEIDA, A. L. de. A gestão do conhecimento como ferramenta aplicada à indissociabilidade do ensino, pesquisa e extensão universitária. 2018. Dissertação (mestrado) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Marília, 2018. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/154277. Acesso em: 10 nov. 2019.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Persona, 2006.

BONDIA, Jorge Larrosa. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro , n. 19, p. 20-28, Apr. 2002 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782002000100003&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 27 Mar. 2020.

BRANCATTI, P. R. Trajetórias de formação construídas a partir dos projetos de extensão universitária: o olhar dos egressos do curso de Licenciatura em Educação Física da FCT/UNESP. Tese (doutorado) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Presidente Prudente, 2018. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/180202/brancatti_pr_dr_prud.pdf?sequence=3&isAllowed=y. Acesso em: 09 nov. 2019.

BRASIL. Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008. Dispõe sobre o estágio de estudantes[...] e dá outras providências. Disponível em: https://proeg.unifesspa.edu.br/images/conteudo/proeg/LEI11788.pdf. Acesso em: 08 jan. 2019.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores [...] e dá outras providências. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2019-pdf/135951-rcp002-19/file. Acesso em: 08 fev. 2020.

CASTRO, F. C. de. Aprendendo a ser professor(a) na prática: estudo de uma experiência em prática de ensino de matemática e estagio supervisionado. 2002. 149 p. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP. Disponível em: <http://www.repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/253694>. Acesso em: 20 de fev. 2020.
FERNANDES, C. M. B.; SILVEIRA, D. N. da. Formação inicial de professores: desafios do estágio curricular supervisionado e territorialidades na licenciatura. In: 30ª Reunião Anual da ANPED. Anais... Caxambu- MG, 2007. p. 1-12.

FIORENTINI, D. A Pesquisa e as Práticas de Formação de Professores de Matemática em face das Políticas Públicas no Brasil. Boletim de Educação Matemática, vol. 21, no. 29, 2008, pp.43-70. Redalyc. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=291221870004. Acesso em: 20 mar. 2020.

FIORENTINI, D.; NACARATO, A. M.; FERREIRA, A.C.; LOPES, C. S.; FREITAS, M. T. M.; MISKULIN, R. G. S. Formação de professores que ensinam matemática: um balanço de 25 anos da pesquisa brasileira. Revista em Educação, Belo Horizonte, n. 36, p. 137-160, 2002. Disponível em: https://www.repositorio.ufop.br/bitstream/123456789/1098/1/ARTIGO_Forma%c3%a7%c3%a3oProfessoresEnsinam.pdf. Acesso em: 08 fev. 2020.

¬¬¬¬_______; CASTRO, F. C. Tornando-se professor de matemática: o caso de Allan em prática de ensino e estágio supervisionado. In: FIORENTINI, D. (Org.) Formação de professores de matemática: explorando novos caminhos com outros olhares. Campinas: Mercado de Letras, 2003.

GATTI, B. A. Formação inicial de professores para a educação básica: pesquisas e política educacionais. Est. Aval. Educ., São Paulo, v. 25, n. 57, p. 24-54, 2014. Disponível em: http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/eae/arquivos/1899/1899.pdf. Acesso em: 08 fev. 2020.

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

LEITE, Y. U. F.; GHEDIN, E.; ALMEIDA, M. I. Formação de professores: caminhos e descaminhos da prática. Brasília: Líber Livro Editora, 2008.

NÓVOA, A. (org.). Vidas de professores. Porto: Porto Editora, 2000.

________. O processo histórico de profissionalização do professorado. In: Nóvoa, A (org). Profissão Professor. Porto: Porto Editora, 1991.

PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L.. Estágio e docência. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2011. (Coleção Docência em Formação. Série Saberes Pedagógicos).

______. Estágios supervisionados e o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência: duas faces da mesma moeda? Revista Brasileira de Educação, v. 24 e 240001, 2019. Disponível em: Revista Brasileira de Educação v. 24 e 240001 2019. Acesso em: 20 mar. 2020.

PIMENTA, S. G . Saberes docentes e atividade docente. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SILVA, C. M. S. Formação de professores e pesquisadores de matemática na Faculdade Nacional de Filosofia. Cadernos de pesquisa, n. 117, p. 103-126, 2002.

STORTI, T. P. O ensino individualizado: a educação matemática na relação aluno-professor. 2010. 189f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-16122010-100722/en.php. Acesso em: 12 nov. 2019.

TARDIF, M.. Saberes docentes e formação profissional. 11. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

UNIFESSPA. Projetos Pedagógico Matemática (PPC) 2014. Disponível em: https://famat.unifesspa.edu.br/images/Legislacao-Academica/PPC_Matematica_anexos_e_resolucao.pdf. Acesso em: 03 mar. 2020.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

ZIMMER, I. Estágio curricular supervisionado na licenciatura em Matemática: um componente curricular em discussão. 2017. 220 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo, 2017 Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/179888/350643.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 08 fev. 2019.

Downloads

Publicado

2020-12-01

Como Citar

Silva, K. R., & Delaia, M. M. . (2020). ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO: PERSPECTIVAS DOS LICENCIANDOS DE UM CURSO DE MATEMÁTICA. Práxis Educacional, 16(43), 92-116. https://doi.org/10.22481/rpe.v16i43.6828

Edição

Seção

Dossiê temático